História JAC Motors Minivans

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
JAC J6

A JAC J6 foi uma minivan oferecida pela marca chinesa aqui no Brasil.

Quem aí se lembra da chegada da JAC Motors ao mercado brasileiro? No dia 18 de março de 2011 (“Dia J”), a marca estreou por aqui com os compactos J3 hatch e J3 Turin (sedã).


Logo depois, chegou o JAC J6, com a missão de representar a marca chinesa no segmento de minivans dominado na época por Chevrolet Zafira e Meriva, além do Nissan Livina e Grand Livina.

Como em todo modelo chinês da época, o J6 chegou apostando na vasta lista de itens de série. Além disso, tinha o visual mais atrativo da época, além de um interior espaçoso.

Porém, pecava em alguns itens, como o motor 2.0 litros a gasolina insuficiente para o porte e peso do carro e ainda a ausência de câmbio automático nem como opcional.


Passados oito anos, o JAC J6 agora pode ser encontrado somente no mercado de seminovos e usados. Para priorizar os crossovers compactos e médios, a JAC Motors tirou o J6, a dupla J3 e J3 Turin e também o sedã compacto/médio J5 de linha em meados de 2017.

Confira abaixo todos os principais detalhes e a história do J6 no mercado brasileiro:

JAC J6 – história

Lançamento do JAC J6 em 2011

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
JAC J6

O lançamento do J6 por aqui aconteceu em agosto de 2011. A minivan estava em pré-venda desde a chegada da marca por aqui, em março, mas só estreou mesmo nas lojas cerca de cinco meses depois.

Na época, o presidente da JAC, Sérgio Habib, disse que o J6 chegava para ocupar um espaço num segmento com grande potencial de vendas, mas com modelos defasados até então.

Assim como a dupla J3, o JAC J6 estreou apostando no preço baixo em comparação com os concorrentes, uma farta lista de itens de série e ainda as ações publicitárias com o apresentador Faustão.

Além disso, tinha como destaque a garantia de fábrica de seis anos, bem superior ao dos concorrentes que costumavam oferecer de um a três anos de garantia.

Edição especial JAC J6 Movie em 2012

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
JAC J6 Movie

O JAC J6 Movie foi a única edição especial da minivan oferecida pela JAC Motors no Brasil. Logo após a chegada do Spin, o J6 Movie fez o seu lançamento por aqui apostando no entretenimento.

Tinha preço de R$ 53.800 no modelo de cinco lugares e R$ 55.800 no de sete lugares, ou R$ 810 a mais que o modelo normal.

Entre os diferenciais, o J6 Movie oferecia dois DVD players e duas telas de sete polegadas fixados na parte traseira dos apoios de cabeça dos bancos da frente, com direito ainda a fones de ouvido sem fio.

Contava ainda com insulfilm nos vidros, frisos de proteção laterais e bancos revestidos em couro de série.

JAC J6 mais em conta no fim de 2012

Em dezembro de 2012, a JAC Motors anunciou uma redução de preço para os modelos J3 hatch, J3 Turin e J6.

A minivan passou de R$ 58.800 para R$ 52.990 na versão de entrada com cinco lugares, enquanto o J6 Diamond (de sete lugares) foi de R$ 59.800 para R$ 54.880.

Esses reajustes foram promovidos pela marca chinesa como outra resposta ao Chevrolet Spin, que foi anunciado no mesmo ano e, desde o seu lançamento, fez barulho no mercado nacional.

Reestilização do JAC J6 em 2013

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
JAC J6

As primeiras grandes mudanças do J6 aconteceram em outubro de 2013. Na ocasião, a minivan passou a ostentar uma nova cara, além de mudanças profundas no interior e a adoção de novos equipamentos de série.

Chegou com preços de R$ 58 mil para a versão de cinco pessoas e R$ 60 mil para o modelo Diamond de sete pessoas.

Entre os diferenciais, o JAC J6 reestilizado ganhou faróis redesenhados e integrados à nova grade com moldura e filete central cromados, para-choque frontal com aparência mais larga, novas rodas de 16 polegadas (em substituição às de 17 polegadas, para priorizar o conforto), lanternas traseiras com formato horizontal e invadindo a tampa do porta-malas e novo para-choque traseiro.

Por dentro, o painel foi totalmente redesenhado e recebeu novos materiais de acabamento, como o aplique em preto brilhante no console central.

Ganhou também um novo painel de instrumentos com desenho mais moderno, novo volante de três raios com melhor empunhadura e novos itens como Isofix, faróis com acendimento automático e monitoramento da pressão dos pneus.

Motor flex para o J6 em 2015

Dois anos após a chegada da linha reestilizada, o JAC J6 estreou em outubro de 2015 um novo motor flex.

O propulsor 2.0 16V Jet Flex chegou com tecnologia bicombustível, capaz de gerar 155 cavalos de potência com gasolina e 160 cv com etanol, enquanto o torque passou para 19,9 e 20,6 kgfm, respectivamente.

Com esse incremento de potência (o modelo antigo tinha 136 cv com gasolina), o JAC J6 ganhou mais fôlego e teve sua dirigibilidade aprimorada.

A condução ficou melhor sobretudo com o motor trabalhando em baixos giros.

Todavia, a minivan seguiu sem a opção de câmbio automático, algo já ofertado pelos rivais.

Fim de linha do J6 em 2017

Como parte da estratégia da JAC Motors em priorizar os crossovers e SUVs compactos e médios, o J6 deixou de ser vendido no mercado brasileiro em meados de 2017.

Naquele ano, a minivan fechou com só 32 unidades emplacadas, vendendo menos que outras minivans bem mais caras, como o Kia Carnival (162 exemplares) e o Citroën C4 Picasso (467 carros).

Para se ter uma ideia, em seu primeiro ano cheio de vendas, em 2012, o J6 vendeu 2.690 modelos.

Além do J6, a JAC Motors tirou de linha o pequeno J2, os compactos J3 hatch e J3 Turin e também o sedã compacto/médio J5.

Hoje a linha da marca chinesa é composta pelos crossovers T40, T50 e T80, pelo crossover elétrico IEV 40 e pelo caminhãozinho (ou VUC) V260.

JAC J6 – detalhes

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

Seguindo a mesma receita dos demais chineses disponíveis aqui no Brasil, o J6 chegou por aqui com mais equipamentos que os outros modelos do mesmo segmento e faixa de preço.

Trazia recursos que eram ofertados como opcionais em modelos como Meriva e Zafira, como ar-condicionado automático digital, rodas de liga-leve, airbags, sensor de estacionamento, entre outros.

O visual do JAC J6 também é agradável e até chama a atenção por onde passa. As linhas do carro são frutos do projeto desenvolvido pelo estúdio italiano Pininfarina.

A dianteira é marcada por faróis angulosos que se estendem até os para-lamas, além de grade com um filete horizontal cromado e para-choques marcantes.

Nas laterais, um vinco marcante acima das maçanetas das portas e uma enorme área envidraçada, proporcionando boa visibilidade interna.

Além disso, as maçanetas têm formato discreto e os retrovisores dispõem de repetidores de seta. No teto, barras longitudinais de teto na cor preta. As rodas são de liga-leve de 17 polegadas.

A traseira, por sua vez, é marcada pelas lanternas em posição vertical que acompanha o formato do vidro. A tampa tem formato mais limpo e exibe o suporte de placa.

Pulando para o interior, o destaque é o painel bastante amplo, mas de aparência simples. O painel tem acabamento superior em material emborrachado e maio ao toque.

No console central, há uma peça prateada com as saídas de ar, sistema de som e comandos do ar-condicionado. O volante é o mesmo do J3, mas com comandos do som.

Chama a atenção também os bancos traseiros individuais e com sistema de rebatimento e de remoção completa (nos da terceira fileira).

Eles dispõem ainda de trilhos, podendo ser movimentados para frente ou para trás (aumentando o espaço na terceira fileira).

Em sua linha reestilizada, apresentada em 2013, o JAC J6 mudou de cara.

Os faróis mantiveram parte do formato, mas passaram a ser interligados por uma nova grade com moldura cromada, filete central cromado e o logotipo da JAC Motors em destaque no centro.

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

O para-choque também adotou um formato mais convencional, com tomada de ar mais larga e faróis de neblina nas extremidades.

Vista de lateral, a minivan passou a exibir novas rodas de liga-leve de 16 polegadas com cinco raios duplos – antes, usava um jogo de 17 polegadas que, apesar de bonito, sacrificava o conforto dos ocupantes.

A traseira, por sua vez, ganhou lanternas horizontais, associadas por um filete cromado que divide a tampa do porta-malas do vidro traseiro.

Este, inclusive, ganhou uma espécie de prolongamento na cor preta para acompanhar o novo formato das lanternas. Na realidade, tal peça foi usada para cobrir a seção antes ocupada pelas lanternas verticais.

O interior foi o ponto mais que mais melhorou. O painel, todo redesenhado e com materiais de acabamento melhores, ganhou detalhes em preto brilhante, console central mais largo, volante multifuncional de três raios, novo painel de instrumentos com elementos distribuídos em dois “copinhos”, entre outros.

O J6 reestilizado recebeu ainda novos recursos, como faróis com acendimento automático, monitoramento da pressão dos pneus e sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis.

Contudo, o Isofix foi implementado somente no JAC J6 de cinco lugares.

Seguiu sem itens como computador de bordo e sistema de som com Bluetooth, itens já ofertados pelos rivais da época.

Em suma, o J6 é um carro agradável, sobretudo em seu interior, com bom espaço para os passageiros.

O porta-malas leva até 720 litros com cinco pessoas ou 198 litros com sete, podendo chegar a 2.200 l com a remoção de cinco dos sete bancos do J6 Diamond.

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

JAC J6 – versões

O JAC J6 foi comercializado em duas versões: o J6 convencional, com capacidade para levar até cinco pessoas em seu interior, e o JAC J6 Diamond, que se diferencia pela cabine que acomoda até sete pessoas.

Confira abaixo as versões do J6:

  • JAC J6 2.0 (5 lugares)
  • JAC J6 Diamond 2.0 (7 lugares)

JAC J6 – equipamentos

Ambas as versões do J6 (convencional e Diamond) saíam de fábrica com os mesmos equipamentos de série. Veja:

Segurança: airbags frontais, freios com ABS e EBD, faróis de neblina dianteiros e traseiros, faróis com ajuste elétrico de altura, desembaçador traseiro, protetor de cárter, retrovisores externos com repetidor de direção e desembaçador, portas com barra de proteção lateral, cintos dianteiros com pré-tensionador, cintos traseiros laterais de três pontos, alarme antifurto, travamento automático das portas à 15 km/h,

Conforto: ar-condicionado automático digital, direção hidráulica, volante com regulagem de altura, vidros elétricos nas quatro portas, travas elétricas, retrovisores externos com ajuste elétrico, limpador do vidro traseiro com temporizador, banco do motorista com regulagem de altura, bancos traseiros individuais, removíveis e rebatíveis, sensor de estacionamento traseiro, abertura interna da tampa do tanque de combustível, entre outros.

Tecnologia: sistema de som com MP3 player, CD player e conexão USB, volante multifuncional, painel de instrumentos com iluminação azul, seis alto-falantes, entre outros.

Visual e acabamento: volante com revestimento em couro, bancos revestidos em veludo, porta-copos, rodas de alumínio de 16 polegadas, entre outros.

A versão reestilizada do JAC J6 passou a ser equipada com alguns itens inéditos, como faróis com acendimento automático e monitoramento da pressão dos pneus.

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

JAC J6 – preços

Confira abaixo os preços do JAC J6 no mercado de usados segundo a Tabela Fipe:

  • JAC J6 2.0: de R$ 23.900 (2010) a R$ 30.760 (2014)
  • JAC J6 2.0 JetFlex: de R$ 37.890 (2015) a R$ 43.340 (2016)

JAC J6 – motor

O motor usado pelo JAC J6 de 2010 a 2014 é um 2.0 litros 16V de quatro cilindros a gasolina, que conta com duplo comando de válvulas do cabeçote e foi desenvolvido pela própria JAC Motors.

Ele desenvolve 136 cavalos de potência, a 5.500 rpm, e 19,1 kgfm de torque, a 4.000 rpm.

Porém, no fim de 2014 a minivan passou a ser equipada com um motor 2.0 16V Jet Flex, ou seja, uma versão bicombustível do antigo propulsor, agora capaz de beber etanol e/ou gasolina.

Com isso, passou a entregar 155 cv com gasolina e 160 cv com etanol, a 5.500 rpm, enquanto o torque subiu para 19,9 e 20,6 kgfm, respectivamente, a 4.000 rpm.

Em ambos os casos, há um câmbio manual de cinco marchas e tração dianteira.

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

JAC J6 – desempenho e consumo

Confira abaixo os números de desempenho e consumo do J6:

JAC J6 2.0 gasolina (2010 a 2014)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 13,1 segundos;
  • Velocidade máxima de 183 km/h;
  • Consumo de 7 km/l na cidade e 9,1 km/l na estrada (gasolina).

JAC J6 2.0 Jet Flex (2015 a 2016)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos;
  • Velocidade máxima de 187 km/h;
  • Consumo de 5 km/l na cidade e 6,2 km/l na estrada (etanol);
  • Consumo de 7,1 km/l na cidade e 9 km/l na estrada (gasolina).

JAC J6 – garantia e revisões

Assim como os demais carros de passeio da JAC Motors, o J6 conta com garantia de fábrica de seis anos e também revisões com preços fixos. Confira:

  • Revisão de 3.000 km: grátis
  • Revisão de 10.000 km: R$ 348
  • Revisão de 20.000 km: R$ 524
  • Revisão de 30.000 km: R$ 648
  • Revisão de 40.000 km: R$ 760
  • Revisão de 50.000 km: R$ 760
  • Revisão de 60.000 km: R$ 748

Ou seja, as seis revisões de 10 mil km a 60 mil km do JAC J6 totalizam R$ 3.788. Para efeito de comparação, as mesmas revisões do Chevrolet Spin ano 2016 custam R$ 3.664 e as do Nissan Livina 1.8, R$ 3.052.

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

JAC J6 – desvalorização e seguro

Esses são os dois principais pontos críticos do JAC J6. Assim como boa parte dos outros carros chineses vendidos no mercado brasileiro, o J6 apresenta um elevado percentual de desvalorização.

No ano de 2016, a minivan “venceu” como o carro que mais desvaloriza no País.

De acordo com dados, o J6 desvaloriza expressivos 21,5% após o primeiro ano de uso.

Esse percentual pode soar como “música para os ouvidos” de quem está buscando por um JAC entre os seminovos e usados, visto que a minivan já desvalorizou bastante, tanto é que é possível encontrar os últimos exemplares do carro por cerca de R$ 40 mil.

Todavia, não dá para fugir do seguro bastante elevado da minivan da JAC Motors. O J6 tem seguro de 6,5% sobre o valor integral do carro.

JAC J6 – concorrentes

Chevrolet Meriva

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

Um dos primeiros rivais do J6 foi a Chevrolet Meriva, a minivan de cinco lugares da Chevrolet baseada no Corsa e de projeto original Opel (na época, marca do grupo General Motors).

Este modelo era oferecido com motores 1.4 flex de 105 cv e 1.8 flex de 109 cv, sendo este último com a opção de câmbio automatizado Easytronic.

Na época, a Meriva tinha preços entre R$ 47 mil e R$ 53 mil.

Chevrolet Zafira

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
Chevrolet Zafira

Outra minivan da Chevrolet que concorria com o JAC J6 era a Zafira. Este modelo tinha como base o antigo Astra e já era um carro familiar mais sofisticado da linha – mesmo com projeto defasado em seus últimos anos de existência por aqui.

A Zafira era mais refinada que a Meriva, com acabamento mais esmerado, visual mais robusto e uma lista de equipamentos mais recheada.

Além disso, era a única a dispor de sete lugares, com sistema de bancos da terceira fileira que podiam ser embutidos no assoalho do porta-malas.

Usava um motor 2.0 8V flex de 140 cv, com câmbio manual ou automático.

Chevrolet Spin

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

Sucessor da Meriva e Zafira, o Chevrolet Spin passou a competir com o JAC J6 em 2012, quando o modelo da marca norte-americana chegou ao Brasil.

Está disponível até hoje em versões de cinco e sete lugares – foi lançada na nas variantes LS, LT e LTZ.

O motor é sempre um 1.8 8V flex, que entrega 111 cv e 17,7 kgfm, com transmissão manual ou automática, as duas de seis velocidades.

Em 2012, custava de R$ 44.590 a R$ 54.690, mas hoje vai de R$ 68.790 a R$ 89.990.

Nissan Livina

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes

Outra minivan que competiu com o J6 e também já abandonou o mercado é o Nissan Livina. Modelo familiar de cinco lugares do fabricante japonês, o Livina foi vendido por aqui entre os anos de 2009 e 2015.

Um dos destaques do Livina era a mecânica robusta e a qualidade japonesa.

Além disso, oferecia bons recursos nas versões mais caras, como bancos em couro, câmbio automático, ar-condicionado digital, partida do motor por botão e chave presencial.

Na motorização, um 1.8 16V flex de até 126 cv e 17,5 kgfm, com transmissão manual de cinco marchas ou automática de quatro velocidades. Em 2015, custava de R$ 44 mil a R$ 53 mil.

Nissan Grand Livina

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
Nissan Grand Livina

Versão de sete lugares do Livina, o Nissan Grand Livina era outro concorrente direto do JAC J6 no Brasil.

Ele seguia a mesma receita do Livina de cinco lugares, mas contava com uma traseira alongada, porta-malas maior e capacidade para levar até sete pessoas na cabine.

A lista de equipamentos é a mesma, bem como o motor 1.8 16V flex. Podia ser encontrada com preços entre R$ 54 mil e R$ 60 mil.

JAC J6 – ficha técnica

Motor

2.0 Jet Flex

Tipo

Dianteiro, transversal, gasolina e etanol

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1.997

Válvulas

16

Taxa de compressão

10:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

Gasolina: 155 cv a 5.500 rpm / Etanol: 160 cv a 5.500 rpm

Torque Máximo

Gasolina: 20 kgfm a 4.000 rpm / Etanol: 20,6 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de cinco marchas

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, McPherson

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 16 polegadas

Pneus

205/55 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.550

Largura sem retrovisores (mm)

1.775

Altura (mm)

1.660

Distância entre os eixos (mm)

2.710

Capacidades

Porta-malas (litros)

450 litros (5 lugares) e 198 litros (7 lugares)

Tanque (litros)

68

Carga útil (kg)

ND

Peso em ordem de marcha (kg)

1.500 kg

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

JAC J6 – fotos

JAC J6: motor, consumo, desempenho, seguro, desvalorização e detalhes
Nota média 5 de 2 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • El Gato!

    O título desta matéria poderia ser resumido em: “JAC J6: desvalorização e detalhes (do casamento)”.

  • Rodolfo Deo

    Por fora não é dos piores designs, ainda mais sendo concorrente da Spin, mas por dentro o painel era bem sem sal e um tanto defasado.

  • Dod

    A JAC comeu muita bola em nunca ter oferecido um câmbio automático para a J6. A maioria das Zafira e Grand Livina vendidas eram automáticas, uma minivan média com transmissão manual já naquela época era a mesma coisa que um SUV ou sedã médio sem câmbio AT hoje, mico que “ninguém” quer. Fizeram a mesma coisa com o J6 e o T6, carros que podiam ter vendido mais se estivessem adequados às condições que o mercado exigia.

  • Racer

    Fui ver logo que lançaram aqui…. O espaço da terceira fileira era sofrível, assim como o acabamento muito fraco. Acredito que das usadas uma Livina é mais negócio. A Zafira, além de muito antiga, a maioria está detonada.

    • ( ͡° ͜ʖ ͡°)

      A Zafira é a rainha das vans clandestinas aqui em Porto Alegre.

  • Ganso

    Tão pedindo 15 mil reais por essas JAC e ninguém quer comprar.

    • Fernando Gabriel

      A maioria das seguradoras não querem nem cotar para essa J6.

  • João Senff

    Carro com projetor e sem farol de Xenon ou led nítido que lá fora tinha outro projeto e no Brasil colocaram lâmpadas alogenas isso independente da marca . Lembro do meu 307 com projetor e no manual havia versões com Xenon lá fora e no Brasil apenas no conversível.

    • Racer

      A KIa usa projetor em alguns modelos antigos (mais antigos que a J6) e tinha com e sem xenon, mesmo lá fora.

      • João Senff

        Sim mas provavelmente o projetor foi posto na Kia para o Xenon e aí captaram ele e colocaram uma alogena. A questão é que sempre capão os carros e cobram mais por quase nada kkkk

        • Racer

          Não…no manual de lá consta lâmpada halógena, nem menciona xenon. Farol projetor não foi feito exclusivamente para xenon. E quando foi lançado, nem lâmpadas LED existiam.

          • João Senff

            Não consta no manual que vem para o Brasil. Olha o manual de pais de origem. O fato é que esses carros não precisam de projetor justamente por possuir lâmpadas alogenas . Um carro com projetor e alogena ilumina menos que um mesmo veículo modelo sem projetor.

            • Racer

              Mas é justamente no manual de lá (país de origem) que não consta xenon…. E nunca que um carro com projetor e halógena ilumina menos. Tu acha que é isto quando olha o carro de frente com os faróis ligados, já que o projetor “joga” a luz só para onde é preciso, e com isto alivia os olhos de quem vem contrário…. E tenho carro com projetor e halógena a anos….disparado muito melhor que qualquer outro que tive com faróis comuns.

              • T1000

                Já dirigi muito carro com projetor e halógena; é uma desgraça. Só foca exatamente à frente, os cantos ficam escuros; a sinalização no alto você não enxerga direito; e quando você entra numa curva tem que rezar pois o foco fica no acostamento, à frente fica completamente negro. Projetor não espalha a luz.

                • Racer

                  Porque é PROJETOR. E não um farol que joga luz onde não precisa, caso dos comuns. Quanto a sinalização no alto, concordo. Mas isto vai ocorrer com qualquer lâmpada (halógena, projetor…).

                  • T1000

                    Com sinalização no alto não tenho nenhum problema com faróis comuns.
                    Os projetores não espalham a luz; não jogam luz onde precisa.

              • João Senff

                Não querendo criar polêmica mas já criando . Convivi com Sportage 2013 muito tempo projetor alogena era bom mas não excelente na mesma época tínhamos também um 307 2008 projetor alogena uma porcaria. Compass 2018 projetor alogena e Fiat Linea 2014 alogena sem projetor o Linea iluminava mais . Atualmente 3008 Griffe Pack 2019 projetor com led e Ford Ka SE 2019 . De todos com alogena o Ka ilumina mais . O 3008 não preciso nem dizer né. O 307 era tão ruim que me fez colocar Xenon nos projetores. E não coloquei Xing ling coloquei um de qualidade bem regulados não cegava ninguém .

                • Racer

                  Pois é….meus dois carros são Kia, com projetor, e acho muito melhores que qualquer outro que tive antes ou que já tenha usado. Agora, lâmpada xenon em farol comum, sempre vai prejudicar quem vem contrário…não tem regulagem que resolva. Só se tu jogar tudo pra baixo, e daí não adianta nada colocar xenon. Xenon só em projetor.

                  • João Senff

                    Por isso coloquei Xenon no projetor do 307. Também não consigo entender carros sem projetor e com xenon de fábrica como o corolla forester Stilo … Para esses carros havia a opção de Xenon sem projetor.

    • T1000

      A Fiat usa projetor com lâmpada que não ilumina nada mesmo assim ninguém reclama.
      Por que a reclamação da JAC agora?

      • João Senff

        Não estou reclamando da JAC e sim de todas que fazem um projeto e vão captando ele no meio do caminho.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Se tivesse câmbio automático ia fazer uns 4 km/l com etanol e 5 km/l com gasolina, olha esses consumos.

  • T1000

    Há uns tempos atrás via sempre uma na rua carregando material de construção, cada dia mais amassada.

  • Ricardo Blume

    Enquanto a JAC não tiver ccs por todo o país e um pós-venda condizente, eu não quero nem de graça. Pode ser o que for. Tem que ser louco para casar um nabo desses.

  • Hodney Fortuna

    O JAC J6 quem tem pode-se orgulhar de ser dono de um “JAC-AREA” ou JAC Marea! Pensem num carro que talvez não tenha mais peças a venda? Uma verdadeira bom&$¨#%

  • ( ͡° ͜ʖ ͡°)

    A Doblo também poderia estar na matéria .

  • afonso200

    Consumo ridiculooooo

  • JCosta

    Tem que ser muito louco pra comprar isso.

  • Ronaldo Prado

    Esqueceram de falar que ela era a cara da terceira geração da zafira.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email