Toyota Prius – reclamações, defeitos e problemas

Toyota Prius – Defeitos e problemas

Com a crescente procura por veículos elétricos e híbridos no Brasil e no mundo, alguns modelos ganham destaque, e o Prius é um deles, principalmente por já estar há mais de 10 anos no nosso mercado. Mas será que ele é robusto e confiável igual um Toyota à combustão?

Prius 002

Muito antes de estar “na moda” a Toyota lançou seu primeiro veículo híbrido no Brasil, o Prius, desde seu lançamento já se passaram 10 anos, tempo suficiente para os principais problemas aparecerem, e vamos falar deles nesse texto.

A principal vantagem dele é basicamente a mesma de qualquer híbrido:

O consumo, sendo um dos carros mais econômicos do Brasil, fazendo cerca de 19 km/l na cidade, quando abastecido com gasolina e 17 km/l na estrada.

Sim, ao contrario de um carro não híbrido, ele consome mais na estrada, principalmente pelo motor elétrico atuar mais e ter mais eficiência em baixas velocidades. Mas agora vamos aos problemas e reclamações:

Prius 003

Carro baixo, raspa em lombadas

O carro é baixo e faz com que ele pegue em valetas e lombadas, há diversos relatos de quebra de algumas peças por essa característica, em especial proteções plásticas, vale dar uma olhada no carro em um elevador antes de comprar.

Central multimídia antiga

Em especial para os modelos a partir de 2016, já era esperado que a central tivesse Apple CarPlay e Android Auto, principalmente por se tratar um carro de nicho e inovador, mas isso não ocorre, o Prius não tem multimídia moderna e deixa a desejar nesse quesito.

Freio de estacionamento acionado no pé

O freio de estacionamento é acionado no pé e não na mão ou por botão, como era de se esperar, não apresenta problemas, porém algumas pessoas demoram pra se adaptar com o sistema.

Seguro alto

O preço médio do seguro é elevado, diversos relatos de seguros acima dos R$ 4.500,00, com um preço médio superior a R$ 3.000,00.

Revenda ruim

Por ser uma tecnologia ainda em ascensão, a revenda de carros híbridos é bem complicada, com lojistas se recusando a pegar na troca ou desvalorizando muito o carro, a vantagem do Prius é que a desvalorização mais abrupta já aconteceu, então a tendencia é que ela se estabilize, a desvantagem é que já temos exemplares com seus 10 anos de uso, e muita gente não encara um híbrido tão usado.

Recall

O Prius teve dois recalls, o que acabou manchando um pouco sua imagem.

As unidades fabricadas entre julho de 2014 e setembro de 2015 tiveram recall por possibilidade de falha no sistema de emergência, que limita a potência e algumas funções do carro em situações extremas, a falha desse sistema pode sobrecarregar a bateria e levar até a um incêndio.

Unidades produzidas entre 2015 e maio de 2018 tiveram um recall por possiblidade de incêndio devido à falha na isolação do chicote elétrico de tração, que pode ocasionar curto circuito. Esse recall foi global.

Manutenção cara e complicada

Aqui nós temos três agravantes:

Poucas unidades vendidas – Como o Prius não vendeu muito e não tem muitas peças compartilhadas, a reposição delas acaba saindo mais caro que o normal, desde acabamentos, lataria e motor, tudo é um pouco mais caro que um carro normal, algumas peças tem preço similar ao do Corolla, é verdade, mas não são todas.

Mão de obra – O Brasil ainda não tem mão de obra suficiente para atender carros elétricos e híbridos nas oficinas, apesar do Prius ter um sistema relativamente simples, não é tão fácil achar quem mexa nele corretamente, então a chance de parar em uma concessionaria Toyota é grande, lá a mão de obra não costuma ser tão barata.

Sistema híbrido – Aqui o último, e principal problema, já caminhando para 10 anos de uso, alguns exemplares precisam trocar sua bateria, que tem duração estimada em 10 anos, a troca sai por aproximadamente R$ 10.000,00, mais de 10% do valor do carro usado, em muitos casos.

Conclusão

Prius 001

O Prius foi um híbrido que atuou na vanguarda dessa tecnologia no Brasil, tem o padrão de qualidade da Toyota, então não é um carro problemático.

Mas, como todo carro inovador, cobra seu preço por isso, sofreu grande desvalorização, e tem peças um pouco escassas e com preço elevado.

Se você gosta do modelo, opte por um mais novo ou um usado que já tenha tido sua bateria trocada, principalmente se for de 2015 para trás, comprovantes de revisão na concessionária são um bom sinal.

Verifique também se todos os Recalls foram feitos na unidade que está adquirindo.

google news2 Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do Whatsapp e Canal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Últimas Notícias



c12OrqyAeQ65CANuSaRgcOXX3cvWvBvO3VrU zKQNKMIjAIN28coKUHnlTgz76QZ90
Autor: Luca Magnani

Engenheiro mecânico na indústria automotiva, pós graduado pela Universidade da Indústria do Paraná em Engenharia de veículos elétricos e híbridos.