Nissan SUVs Usado da semana

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Publicamos hoje aqui no Notícias Automotivas o relato do nosso leitor Rodrigo, que está desde abril com um Nissan Kicks SL 2018 comprado zero quilômetro. Veja seu texto super completo abaixo:


Escolha do novo veículo

Depois de 8 anos de uso e 100.000km rodados com o Fiesta Sedan Rocam 1.6 (tirei 0 km), decidi trocá-lo por dois motivos:

– O veículo estava começando a fazer visitas frequentes ao mecânico particular por desgaste natural das peças.
– Com a chegada prevista de um novo membro na família, eu precisava de um veículo mais seguro, já que o Fiesta não tinha airbags frontais e não creio que a estrutura seja um primor em segurança.


Considerando os valores abusivos dos veículos 0 km, cheguei a cogitar a troca em um veículo seminovo, mas como costumo ficar bastante tempo com meus veículos, a falta de honestidade em grande parte do mercado de usados, a ausência de veículos seminovos com preços atraentes nas versões que eu desejava e o tempo que levaria até conseguir vender meu veículo para uma pessoa particular ou loja, me fizeram optar pela busca de um veículo 0 km.

O veículo novo deveria ser automático, com sistema de auxílio de partida em aclive (hill holder), ter, pelo menos, airbags frontais e laterais, sistema Isofix, porta-malas com capacidade média a grande, controle de estabilidade, volante com ajuste em altura e profundidade, central multimídia capaz de utilizar o Waze e ser “relativamente” econômico.

Como este veículo ficaria mais com a patroa, os modelos “altinhos” (crossover ou SUVs) tiveram que entrar na lista, já que ela não curte dirigir sedã.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Lista de possíveis modelos

Após avaliação minuciosa na internet, coloquei na lista os seguintes veículos:

  • VW Virtus Comfortline TSI 1.0 + Tech Edition
  • Nissan Kicks SV + Pack Safety 1.6
  • Hyundai Creta 1.6 Pulse Plus
  • Honda Fit EXL 1.5
  • Honda HR-V EXL 1.8
  • Peugeot 2008 Griffe 1.6
  • Ford EcoSport Freestyle Plus 1.5
  • Renault Captur Intense 1.6 CVT
  • Chevrolet Tracker Premier

Apesar da lista acima, alguns modelos foram descartados de imediato devido aos seguintes motivos:

Hyundai Creta: Ausência de versões com motor 1.6 que tenham airbags laterais e o consumo e o preço da versão 2.0 são muito elevados.

Peugeot 2008: O controle de estabilidade só estava disponível na versão THP (que tem câmbio manual).

Ford EcoSport: O porta-malas é muito pequeno e a abertura da tampa do porta-malas é pouco prática devido ao estepe externo e à abertura lateral.

Renault Captur Intense: Vários relatos de sites especializados sobre a baixa qualidade dos materiais empregados no veículo.

Chevrolet Tracker Premier: Porta-malas muito pequeno e o preço da versão com 6 airbags superava R$105.000,00.

Chegamos a avaliar o Honda Fit EXL na concessionária, mas este foi imediatamente descartado considerando o valor elevado do veículo e a comparação do conjunto seu mecânico com o Polo ou Virtus.

Fiz o teste drive no Honda HRV EXL, entretanto dois pontos me decepcionaram bastante. Primeiro, o ruído elevado na cabine do funcionamento do motor. Não sei se é pelo isolamento acústico deficiente ou se é o motor que eleva substancialmente as rotações a qualquer aceleração.

Percebi que em qualquer aceleração, seja leve ou mais forte, esta é imediatamente percebida no habitáculo, mesmo com os vidros fechados. Segundo, a suspensão muito firme, transmitindo muitos solavancos nas ruas com os famosos remendos.

Além disso, o HRV, nesta versão, não havia sensores de estacionamentos dianteiros e traseiros, mas apenas a câmera de ré. O preço também ultrapassava os R$100.000,00. Estes pontos negativos o tiraram da lista de possíveis compras.

Assim ficaram duas opções: Virtus Comfortline TSI 1.0 + Tech Edition e Nissan Kicks SV + Pack Safety 1.6

Virtus

Fomos conhecer e fazer o test-drive no Virtus.

Pontos positivos de destaque: O Motor TSI realmente é tudo aquilo que falam. Muito torque já na saída e nas retomadas. Central multimídia bem posicionada no habitáculo com Android Auto e Car Play, 5 estrelas no Latin Napa.

Espaço absurdamente grande para quem vai no banco de trás. Porta-malas generoso. Câmera traseira e sensor de estacionamento dianteiro e traseiro.

Pontos negativos de destaque: Os bancos da frente são muito baixos, mesmo com a regulagem de altura para o motorista. Particularmente não gosto da posição muito baixa para dirigir (semelhante ao New Fiesta).

O banco do passageiro é mais baixo ainda. Minha esposa, que tem estatura baixa, quase não enxergava por cima do painel. No test drive, observei que o câmbio automático não permite que você mantenha uma elevação um pouco mais elevada (ex.: 4.000 RPM) por um certo período.

Ele automaticamente sobe a marcha. Neste caso é perceptível a pouca tolerância do câmbio para trocas manuais; porta malas com sistema de pescoço de ganso, que acaba tomando parte do espaço; ao começar a soltar o freio, o “creeping” é muito forte, o que pode ser arriscado ao fazer manobras; e ausência de alças de segurança no teto para todos os passageiros.

Kicks

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Finalmente vamos ao Nissan Kicks.

Inicialmente cogitei o Nissan Kicks SV + Pack Safety 1.6, entretanto, logo ao chegar na concessionária observei que não havia central multimídia nesta versão, apenas o rádio. Assim, imediatamente, já fui conhecer a versão SL.

Nesta versão havia diversos itens de minha preferência:

Automático CVT (sem solavancos), motor considerado econômico, bom espaço interno, 6 airbags, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em aclive, porta-malas com boa capacidade, Isofix, ar condicionado digital, central multimídia, sensor crepuscular, câmera 360º, bancos em couro, porta-malas e porta-luvas iluminados, bancos dianteiros elevados (em relação ao Virtus), abertura e fechamento dos vidros pela chave, abertura e fechamento das portas e porta-malas sem a utilização da chave, sistema de ignição por botão, volante com regulagem de altura e profundidade, limpador de para-brisa com controle intermitente variável.

Eu e minha esposa fizemos o teste drive no veículo imediatamente observamos o conforto ao rodar, provavelmente pela calibração da suspensão, aliada à qualidade dos bancos, o silêncio a bordo e a excepcional funcionalidade da câmera 360º.

Mas nem tudo são flores. Faltavam o apoio de braço para o motorista, o controlador de velocidade (piloto automático), alarme volumétrico, o Android Auto e, apesar de ter duas saídas de 12V, há apenas uma saída USB.

Negociações para a compra

Observamos que em todas as concessionárias (Nissan, Volkswagen e Honda) não havia desconto no valor do veículo novo. A negociação estava relacionada à “valorização” do usado na troca e às “cortesias” como emplacamento, licenciamento, IPVA e acessórios.

Na concessionária da Volkswagen, obtive o maior valor do meu usado na troca, mas apenas o emplacamento e licenciamento foram oferecidos.

Na concessionária da Honda, obtive o menor valor do meu usado e apenas o emplacamento e licenciamento oferecidos.

Na concessionária da Nissan, obtive um valor intermediário no meu usado, emplacamento, licenciamento, IPVA, alarme volumétrico, parafusos antifurto das rodas, o insulfilm e o tanque cheio.

A decisão acabou sendo um pouco mais emocional que racional. O Virtus era racionalmente o carro ideal por ser um projeto melhor, além de mais barato, mas como a sensação a bordo do Kicks foi melhor, acabamos o escolhendo.

Para completar os itens, adquiri junto à concessionária os frisos das portas e o apoio de braço do motorista (que atende ao motorista e passageiro). Já o controle de velocidade (piloto automático) não está disponível na concessionária nem como acessório.

Apesar de já ter andado várias situações diferentes, o carro ainda está pouco rodado.

Tem 3.700 km em aproximadamente 4 meses e meio.

Nissan Kicks – Pontos positivos

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

1) O silêncio na cabine relacionado ao funcionamento do motor. O isolamento acústico do motor é muito bom, tanto em baixas quanto em altas rotações.

2) Os bancos dianteiros são muito confortáveis e minimizam a percepção da irregularidade das vias.

3) Suspensão bem calibrada, incluindo a atuação dos assistentes eletrônicos, proporcionando a sensação de segurança nas curvas e minimizando a percepção da irregularidade das vias. Em comparação com veículos compactos, percebe-se claramente que ele tende a deslocar menos a carroceria nas curvas com o piso irregular. Já nas vias com muitas partes recapeadas o conforto é muito maior. Apesar da suspensão estar calibrada para maior conforto, a carroceria é estável em curvas.

4) Dispor de 6 airbags e cintos dianteiros com pré-tensionador. Apesar do Latin Napa ter classificado o veículo com 4 estrelas, esta quantidade de airbags pode proporcionar maior segurança em caso de acidentes laterais.

5) Dispor de controle eletrônico de estabilidade, proporcionando maior segurança durante a direção. Apesar de não ser o ponto forte do veículo, creio que ele possua certo controle em caso de situações de emergência (vide reportagem da Autologia apresentada pelo NA).

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

6) Dispor de câmbio CVT que sempre utiliza a rotação mais baixa, proporcionado economia de combustível e redução de ruído externo no interior da cabine, além disso, reduz significativamente a ocorrência dos trancos, já que não há “troca de marchas”.

Seguem abaixo as rotações aproximadas que o propulsor trabalha com o ar condicionado desligado, sem bagagem e apenas com o motorista:

– 60 km/h em via plana: 1.400 RPM
– 110 km/h em descida: 1.600 RPM
– 110 km/h em via plana: 2.100 RPM
– 110 km/h em subida leve: 2.500 RPM
– 110 km/h em subida média: 3.000 a 3.500 RPM
– 110 km/h em subida forte: 3.500 a 4.000 RPM

7) Dispor de assistência de partida em subidas e descidas. O assistente funciona adequadamente independente da inclinação do aclive ou declive, desobrigando a utilização do freio de mão para manobras de estacionamento.

8) Dispor de computador de bordo com informações completas (painel multifuncional em HD com diversas funções).

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

9) Porta-malas com capacidade adequada (432 L), sendo superior a alguns concorrentes diretos (referindo a SUVs/crossovers).

10) Dispor de Isofix e cintos de segurança de três pontos para todos os passageiros;

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

11) Dispor de iluminação no porta-luvas e porta-malas.

12) Dispor de subida e descida “one touch” com sistema antiesmagamento para todos os vidros.

13) Dispor de subida e descida automática dos vidros utilizando a chave de telecomando, mesmo com o veículo desligado.

14) Dispor de chave presencial para o acesso ao veículo, desobrigando retirar a chave do bolso para abrir ou fechar o veículo. O sistema também é inteligente e evita que pessoas estranhas acessem o veículo por outra porta ou porta-malas.

15) Dispor de sistema eletrônico de ignição por botão, não havendo necessidade de retirar a chave do bolso ou da bolsa para ligar o veículo.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

16) Câmera 360º. Absurdamente excepcional para manobras, principalmente em vagas visivelmente demarcadas no piso. Ela simula a posição do veículo por cima, visualizando todos os lados ao mesmo tempo.

As imagens das câmeras são projetadas na central multimídia.

Simultaneamente à câmera 360º, também é projetada a câmera frontal (se o câmbio estiver na posição “D” e pressionado o botão “Cam” na central multimídia) ou a câmera traseira (acionada automaticamente ao colocar o câmbio na posição “R”).

Ao pressionar o botão “Cam” é possível alternar entre a câmera 360º e a câmera lateral direita para acompanhar a proximidade do veículo ao passeio, evitando a famosa “ralada na roda”.

17) A altura do solo é boa, já que o para-choque dianteiro não encosta em aclives e rampas.

18) A direção elétrica é bem calibrada. Macia em baixas velocidades e levemente firme em altas velocidades.

19) Controle de iluminação do painel e da central multimídia, sendo que esta última pode ser totalmente escurecida.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

20) Regulagem de altura e profundidade do volante suficientes para conseguir a posição mais confortável.

21) O botão do modo Sport está bem posicionado na alavanca do câmbio automático sem necessidade de esforço para seu acionamento. O material utilizado é de boa qualidade.

22) O veículo já vem com bancos de couro, não havendo necessidade que este acessório seja instalado na própria concessionária para manter a “garantia” do veículo (devido ao acionamento dos airbags laterais). Além disso há presença de couro na parte central do painel e nos apoios de braço das portas dianteiras e traseiras. Pode-se escolher a cor do couro.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

23) Presença de alças de segurança acima das quatro portas. Bom para quem tem dificuldade de entrar e sair do veículo.

24) Rebatimento elétrico dos retrovisores externos configurável.

25) Controle de velocidade do limpador de para-brisa no modo intermitente. Muito bom para quando a chuva possui fraca intensidade.

26) Iluminação dos acionadores dos vidros em todas as portas e da trava elétrica na porta do motorista.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

27) Abertura interna do reservatório de combustível sem a necessidade de entregar a chave ao frentista.

28) Porta-luvas com boa capacidade de armazenamento.

29) O sensor crepuscular ajusta a iluminação do painel, ar condicionado e central multimídia em ambientes escuros, mesmo que o botão de acionamento dos faróis não esteja no modo automático.

30) O raio de giro do volante é excelente. As manobras são realizadas com facilidade.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

31) O volante tem boa pegada e o revestimento em couro é agradável ao toque.

32) O computador de bordo mostra individualmente no painel quando existe alguma porta ou porta-malas aberto, inclusive quando está apenas mal fechado.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Nissan Kicks – Pontos negativos

1) Ausência de luz de teto/cortesia para iluminação do banco traseiro, o que torna impossível achar objetos posicionados sob os bancos dianteiros em ambientes escuros. A “saída” é utilizar a lanterna do smartphone para iluminar a área.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

2) Central multimídia Nissan Multiapp com tela touchscreen colorida 7″. Esta requer um capítulo à parte.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Observei uma falha grave no manual do proprietário. Há a descrição que a central multimídia é compatível com cartão SD, mas, na verdade, o slot é para cartão MicroSD. Neste caso existem duas entradas para cartão MicroSD. Uma com inscrição SD e outra com inscrição MAP. O manual não cita claramente estas duas entradas. Parece que se pode utilizar dois cartões MicroSD ao mesmo tempo, sendo que um para arquivos pessoais e outro para o mapa do sistema de navegação do veículo.

Apesar da central multimídia não possuir o Android Auto, ela permite a utilização do Waze ou Google Maps diretamente pela central multimídia sem a necessidade de se ligar um cabo USB para conectar a central multimídia ao smartphone. Para isso, basta apenas que o serviço de internet móvel do seu smartphone esteja ligado e que seja ativado o modo Wi-Fi. Assim o smartphone serve como roteador para a central multimídia. Ou seja, a central multimídia funciona como um “tablet”, mas possui capacidade muito limitada de processamento de dados.

Um exemplo claro é que só possuo instalado o App Waze. Percebe-se a capacidade limitada de processamento de dados ao utilizar este aplicativo, já que a tela fica lenta e as instruções de voz ficam espaçadas (o que não ocorre já nos smartphones de média capacidade de processamento).

A central multimídia não possui a função de comandos de voz, impossibilitando a utilização desta funcionalidade pelo Google ou Apps compatíveis com esta função. Ou seja, não é possível utilizar os comandos de voz para a busca de endereço ou informar alertas na rota pelo App Waze.

Outro problema da central multimídia é que ela não possui o Google Play Services. Para instalar qualquer aplicativo você deve obter o instalador do aplicativo pelo computador ou pelo smartphone em extensão “.apk”.

Como o Google Play não disponibiliza este formato para download, você deve entrar em sites “não confiáveis” para obter o instalador do App através do computador ou do smartphone e salvá-lo em um pen drive ou no cartão MicroSD. Em seguida deve-se acessar este arquivo pela central multimídia para instalá-lo. Além deste procedimento não ser muito seguro, ele dá um certo trabalho, já que a cada atualização dos apps este procedimento de instalação deve ser realizado na central multimídia.

Estas características fazem com que o uso da central multimídia seja muito limitado.

Além disso, a posição baixa da central multimídia no painel do veículo prejudica a visualização da rota do navegador durante o trajeto, tornando a direção perigosa. Aí devemos nos atentar principalmente às instruções de voz.

Outro problema é que sempre que a central multimídia é ligada, a função rádio AM/FM, USB ou MicroSD é ativada automaticamente, ou seja, a música é iniciada queira você ou não. Para desligá-la, você tem que abaixar todo o volume, pausar a música ou, no caso do rádio, procurar a opção de “Mudo” que se encontra numa tela que não é a principal, tornando o processo pouco prático.

A central multimídia deveria memorizar se o som (música ou rádio) estava ativado ou não no último desligamento e não o ligar automaticamente ao ativar a central multimídia. Aí alguém pode perguntar: “Mas por que você não deixa a central desligada?”

É importante manter a central multimídia sempre ativada (ligada) para agilizar a visualização das câmeras quando se aciona a ré e para possibilitar a visualização da câmera frontal ao pressionar o botão “Cam”, já que a câmera frontal só pode ser visualizada se a central multimídia já estiver ligada. Ou seja, nem sempre a intenção de manter a central ligada é para ouvir o som.

Outra falha é que, se o rádio estiver no modo mudo ou a música (USB ou MicroSD) estiver pausada, ao finalizar uma ligação via bluetooth, o rádio ou a música são ativados automaticamente.
Outro ponto é a posição do botão de rádio na central multimídia. Ele está localizado no lado direito da mesma, ficando distante do motorista (pouco ergonômica). Como esta função tende a ser mais utilizada que o App de navegação padrão da central multimídia, a posição destes botões poderia ser invertida.

Por duas vezes já houve um “bug” no rádio ao trocar as estações pelo controle no volante. Ao clicar no botão de mudar a estação, ele ia até a 4ª estação memorizada, mas não continuava e voltava para a 1ª estação. Ao clicar no botão de voltar, ele voltava para a última estação (30ª). Para corrigir este bug, deve-se salvar novamente a 4ª estação. Assim o controle pelo volante volta a funcionar normalmente.

3) Freio motor do câmbio CVT. Apesar do veículo possuir o “Controle Inteligente de Freio-Motor”, ao começar a descer um morro entre 10 e 50 km/h, quase sempre o giro cai para 1.000 RPM e permanece assim em toda a descida, fazendo com que o veículo desça praticamente em “ponto morto”, ocasionando um desgaste maior dos freios, já que o pedal deve ser pressionado com mais força para reduzir a velocidade do veículo. O modo “Sport” acionado não altera (eleva) a rotação e a velocidade é alta para colocar o câmbio em modo “L”.

Pelas informações do manual do proprietário, o “Controle Inteligente do Freio-Motor” atua em condições de descida em curva, mas não identifiquei se este sistema funciona só acima de certa velocidade, pois em velocidades baixas o problema descrito acima ocorre tanto em descidas em linha reta e em curva.

Apesar do modo “L” funcionar bem em descidas quando se está abaixo de 40 km/h, seu acionamento é um pouco prático, já que a alavanca é pesada, diferente do acionamento do modo “Sport” mencionado anteriormente. Além disso, se a inclinação diminuir um pouco e o veículo perder muita velocidade, tem que voltar a alavanca do câmbio imediatamente para o modo “D”, já que se você acelerar em modo “L”, mesmo que seja pouco, o veículo eleva muito o giro e o motor dá aquela gritada.

Adicionalmente, o veículo possui o Estabilizador Inteligente de Carroceria. As informações são que este sistema funciona a partir de 40 km/h para controlar o movimento da parte superior da carroceria, a fim de diminuir o balanço da mesma. A única ocasião que consegui observar seu funcionamento foi acima de 60 km/h em declive.

Quando há depressões seguidas na pista percebe-se a elevação e redução da rotação do motor a fim de compensar o balanço da carroceria. O problema é que este sistema não é muito eficiente, já que esta elevação e redução da rotação do motor causa um tranco leve no veículo, como se você ficasse pisando e soltando a embreagem de um carro manual em movimento.

4) Ausência de controle de velocidade de cruzeiro. Já adquiri o veículo sabendo da ausência deste equipamento, mas ele realmente faz falta, principalmente em rodovias.

5) Espaço interno para os passageiros do banco de trás é pequeno considerando o porte do veículo, tanto na distância entre os bancos dianteiro e traseiro quanto na distância entre as portas.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Consegui adquirir um bebê conforto com sistema Isofix (algo quase impossível no Brasil) e para que ele caiba no banco traseiro, tenho que puxar o banco dianteiro do passageiro quase todo para frente e inclinar o encosto um pouco para frente.

Isto quase inviabiliza o uso do banco dianteiro por um passageiro. Um passageiro que possui mais de 1,75 m encosta os joelhos na tampa do porta-luvas, ficando muito desconfortável. Neste quesito o Virtus tem espaço de sobra.

Acredito que a intenção de favorecer o espaço do porta-malas tenha prejudicado o espaço interno traseiro.

6) O retrovisor interno apresenta uma falha grave.

Ao acionar o botão de posição noturna, observei que a visão traseira sai do foco conforme escolhido na posição diurna. Ou seja, ao acionar o botão e colocar na posição noturna, o retrovisor mostra grande parte do teto do veículo e uma pequena parte da visão traseira, obrigando que o retrovisor seja ajustado manualmente para conseguir visualizar completamente a traseira do veículo. Se eu voltar para a posição diurna, tenho que reajustar novamente o retrovisor.

Observei esta falha e levei à concessionária para avaliar se a peça do meu Kicks estava com defeito.

O mecânico que me atendeu também observou o problema. Verificamos em outros modelos Kicks 0 km que estavam na concessionária e todos apresentavam o mesmo problema, ou seja, este é um erro de projeto da peça ou falha no controle de qualidade.

Para funcionar corretamente, o botão deveria parar um pouco antes do seu curso final ao alternar entre a posição diurna e noturna.

Um retrovisor sem problemas deveria manter o mesmo campo de visão tanto na posição diurna quanto na posição noturna, mesmo que o acionamento tenha que ser de forma manual, como no caso do Kicks. Já observei este ajuste em outros modelos de veículos e todos mantêm este campo de visão ao alternar o botão entre a posição noturna e diurna.

O mecânico da concessionária informou que não teria como resolver meu problema, já que se ele pedisse outra peça, a mesma viria com o mesmo problema. Neste caso ele me sugeriu que eu entrasse em contato direto com o SAC da Nissan.

Entrei em contato com o SAC da Nissan e informei sobre o problema. Em 3 dias recebi uma ligação do SAC informando que minha reclamação havia sido enviada ao setor de engenharia da Nissan para verificar a situação e buscar melhorias na peça, mas que meu chamado seria encerrado. Ou seja, nada será feito no meu caso.

7) As maçanetas das portas são pesadas para abertura e a tampa do porta-malas é muito pesada tanto para abertura quanto para o fechamento.

8) O cálculo de consumo do computador de bordo sempre indica que o veículo é mais econômico do que realmente é, ou seja, o consumo medido na bomba é sempre inferior ao computador de bordo. Isto é muito estranho considerando a precisão do sistema eletrônico de injeção eletrônica. A sensação é que a Nissan quer passar a impressão de uma economia de combustível que não existe nesta proporção.

Sempre abasteço com etanol. Devo ter rodado 60% em rodovias (com velocidade máxima permitida de 110 km/h) e 40 % urbano (alternando entre trânsito médio e pesado). O ar condicionado deve ter sido utilizado 20% do tempo. Considerando os cálculos dos 12 abastecimentos realizados, o computador de bordo registrou uma média de 8,7 km/L. Já o consumo medido na bomba foi de 8,4 km/L.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

9) Ausência de farol de rodagem diurna (DRL) ou modo automático do farol baixo que simule esta função DRL, já que o veículo possui sensor crepuscular.

10) Ausência de opção para desabilitar o desligamento automático da ignição (apenas da parte elétrica) após os 5 minutos sem ligar o motor. Apesar deste desligamento automático proporcionar economia de bateria, ela não permite que você mantenha o motor desligado e o ventilador interno ligado ou a central multimídia por mais de 5 minutos. Ou seja, se você quer ficar dentro do veículo desligado apenas com o ventilador funcionando ou escutar música enquanto lava o carro… esqueça!

Fiz o questionamento a um dos mecânicos da concessionária se havia como desabilitar este desligamento automático da parte elétrica do veículo. Ele informou que não tinha certeza e iria avaliar, sendo que depois o consultor técnico me responderia. Até então não obtive qualquer resposta.

11) Os limpadores de para-brisa não são do tipo flat blade.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

12) Com apenas 2.500 km os acabamentos das portas dianteira e traseira esquerdas começaram a apresentar ruídos (famosos grilos).

13) A porta USB e a tomada 12V localizadas na parte inferior do painel estão recuadas e não possuem iluminação. Quando o ambiente está escuro, a luz interna do veículo não é suficiente para iluminar estas entradas. Assim, para localizá-las você tem que tatear o local.

14) Com 3.000 km (4 meses) houve o entupimento dos lavadores do para-brisa. Considero o tempo muito curto para este tipo de problema, já que não trafego por estradas de terra. O problema foi prontamente resolvido na concessionária com a utilização de ar pressurizado na mangueira de passagem da água, no sentido dos pontos de esguicho.

15) Ausência de luz de cortesia nos para-sóis do motorista e passageiro.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

16) Observei, em algumas raras situações, que ao iniciar subidas íngremes e longas em baixa velocidade (20 a 30 km/h, vindo com o veículo já em movimento), mesmo ao pressionar totalmente o pedal do acelerador, a rotação não se elevava.

A rotação ficava entre 2.500 e 3.000 RPM, como se o câmbio não entendesse que era para “reduzir a marcha” a fim de buscar mais torque e potência. Neste caso, a velocidade permanecia a mesma ou reduzia neste período da subida íngreme, dando a sensação que o veículo estava ficando sem fôlego. Creio que o câmbio “tinha a intenção” que eu alterasse manualmente a alavanca para o modo “L” para que o giro fosse elevado.

Em uma oportunidade fiz o teste em um aclive íngreme e foi exatamente isto que aconteceu. Vindo entre 20 a 30 km/h, durante a subida com o câmbio em modo “D”, mesmo ao pisar totalmente no acelerador, o motor manteve 2.500 a 3.000 RPM. Imediatamente alterei o câmbio para o modo “L”. O giro subiu para 4.500 RPM e o motor mostrou bastante disposição.

17) O tanque de combustível com capacidade de apenas 41 litros torna a autonomia com etanol muito baixa, obrigando a idas muito frequentes ao posto de combustível (roda-se por no máximo 330 km com uma margem de segurança no tanque).

18) O farol de neblina esquerdo estava solto. Não observei se este problema estava presente quando recebi o veículo ou se ele se soltou durante o uso do veículo. Ainda vou levar à concessionária para pedir o ajuste da peça.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

19) O ruído aerodinâmico do vento é elevado na cabine. Note que este ruído não está relacionado aos problemas das borrachas relatados por outros proprietários, mas sim à aerodinâmica do veículo.

O ruído das rodas em contato com o asfalto é relativamente elevado na cabine em velocidades acima de 90 km/h. Aparentemente o isolamento acústico nas laterais e na traseira do veículo são fracas, pois o barulho é audível vindo da parte traseira do veículo. Este barulho é semelhante à de veículos compactos.

20) O protetor solar de pele se adere facilmente aos bancos de couro, sendo que as marcas não são removidas apenas pela limpeza com pano úmido.

21) Apesar do encosto do banco traseiro ser rebatível (40/60), a parte do assento traseiro não é rebatível, prejudicando o transporte de objetos com grande volume.

22) Grandes áreas de plástico rígido no acabamento das portas e parte superior do painel que não são agradáveis ao toque.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

23) Botões de acionamento das luzes internas são extremamente simples e pouco agradáveis ao toque.

Nissan Kicks – Motor

Entendo que este não se encaixa como ponto positivo ou negativo. Alguns podem se perguntar porque eu não mencionei a falta de potência do motor relatada por outros proprietários.

Grande parte da minha vida fui passageiro ou dirigi carros 1.0, considerando as mais diversas situações de uso, e nunca tive preconceito. Apesar de faltar fôlego em veículos 1.0, principalmente em retomadas, este tipo de veículo sempre atendeu às necessidades e com certa economia de combustível.

O motor 1.6 16V do Kicks atende plenamente às minhas necessidades, pois costumo dirigir com tranquilidade e dentro da velocidade máxima permitida nas vias, tanto em ruas quanto em rodovias. Nas horas que precisei exigir mais do motor, ele me atendeu a contento, apesar de ter desempenho um pouco inferior a um veículo 1.6 com câmbio manual.

Quando o veículo possui mais passageiros, bagagem e ar condicionado ligado, em retomadas ele eleva bastante a rotação, mas nada que o torne um exemplo negativo.

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos

Conclusão

O veículo possui diversos pontos positivos, principalmente os relacionados à mecânica, segurança e tecnologia embarcada. O destaque fica para o conforto ao rodar. Superior a qualquer compacto e alguns concorrentes diretos.

A economia de combustível poderia ser melhor, mas, considerando que o veículo é automático e ainda está muito pouco rodado, torna-se aceitável.

A ausência de alguns equipamentos básicos de conforto/conveniência e outros itens descritos nos pontos negativos prejudicam a qualidade do veículo e alguns chegam a incomodar.

A central multimídia Nissan MultiApp é fraquíssima, exceto pela câmera 360º, exclusiva para a versão SL.

Apesar do preço do veículo ser compatível com a faixa de veículos semelhantes, creio que não vale o que custa (assim como praticamente todos os veículos 0 km no mercado brasileiro).

Se eu me arrependo da compra? Não! Fiz uma avaliação minuciosa dos modelos concorrentes e a situação e o tipo de uso do veículo me fizeram optar por ele. Talvez o Virtus tivesse sido uma opção melhor, mas eu só saberia se o tivesse adquirido, já que o test drive nunca é suficiente para sanar todas as dúvidas…

Nota: As informações que descrevi são exclusivas da experiência com esta unidade do modelo Nissan Kicks SL e podem não refletir às outras unidades deste modelo.

Por Rodrigo Rocha

Nissan Kicks: relato super completo, 55 pontos positivos e negativos
Nota média 4.6 de 14 votos

  • Robinho

    caracas parabéns pelo relato, muito bom msm, e parabéns pelo carro, ela e a Eco – dentre as SUV´s pequenas são minhas preferidas.

  • SDS SP

    Parabéns pelo relato, principalmente na parte onde foi sincero se referindo que a escolha foi mais emocional do que racional. Incrível como tem tanta gente que faz um esforço sobre-humano para tentar colocar algo racional em uma escolha meramente emocional.

    Quanto ao carro, eu acho o Kicks um carro bem acertadinho em quase todos os aspectos. Não é por menos que figura entre os favoritos pelo público.
    Parabéns novamente e espero que seja feliz com o carro.

    • Daytona

      Tirando o motor, eu nem acho o Virtus tão mais carro.

      Entre os dois acho que eu compraria o Virtus que mesmo tento teto baixo pros passageiros (bem baixo alias) e acabamento inferior ao kicks, pelo preço inferior eu iria nele.

      Pagar 100 num Kicks eu realmente não tenho coragem!

      • JOSE DO EGITO

        Um carro com vocaçao familiar/estrada com tanque de 41 litros ???? Como diz um apresentador: …TA DE BRINCADEIRA………..!!!

    • MauroRF

      As escolhas podem até ser racionais, mas eu acho que, no final das contas, rola um pouco de emocional. Ele foi sincero, bacana isso.

  • Louis

    Completo seu relato, parabéns pelo carro!
    Todo carro tem alguns pontos que não nos agradam, dificilmente teremos todos os detalhes que queremos.
    Mas tem “mancadas” em alguns carros, que só percebemos quando convivemos com o carro, que é difícil entender o por quê das montadoras não alterarem. Por exemplo, no Yaris topo de linha, os vidros elétricos não fecham ao travar o carro. E o retrovisor rebatível não funciona depois de desligado o carro. Ou seja, tem que lembrar de rebater o retrovisor antes de desligar o carro. Se quiser comodidade, tem que instalar um módulo para vidros e retrovisor na concessionária, pela bagatela de R$ 800,00. Com tanta eletrônica já embarcada nos carros, fica difícil entender este tipo de coisa.

    • MauroRF

      Exatamente! Foi isso que eu disse acima em um post. A Eco que tenho tem uma mancada na entrada/saída sem chave: se eu largar os vidros e/ou o teto solar abertos e fechar (travar) o carro pela interface do sensor na maçaneta, os vidros e teto solar não fecham. Mas, fechando pelo controle remoto, aí fecha tudo.

      • Rodrockvet

        Fala Mauro.
        O Kicks funciona da mesma maneira.
        Para fechar os vidros depois que desligo e saio do carro, só precionando e segurando o botão do controle remoto.
        Pelo menos ele permite fechar os vidros alguns segundos após desligar o carro (desde que vc não abra a porta).
        Quanto ao rebatimento dos retrovisores citado pelo Louis, ele funciona com o carro desligado. Basta trancá-lo que o retrovisor rebate automaticamente.

      • Leandro

        O Focus tem o mesmo sensor de presença e fecha, é só você ficar alguns segundos com a mão no sensor que os vidros sobem e o teto solar fecha. Imagino no Eco seja a mesma coisa.

    • Leandro

      Não precisa tentar entender, é só ter em mente que tudo que a montadora não coloca é para baratear o carro. Os engenheiros sabem tudo que um carro precisa e pode ter, as “flahas” que o público acha que são do projeto na verdade são depenações para baratear o carro.
      Não colocar luz para o banco de trás num carro de 100 mil é o cúmulo da economia porca.

      • Ítalo dos Santos Oliveira

        Leandro! Tenho um Kicks SL 2016/2017 (mexicano) e o mesmo possui luz no teto (parte traseira). Ao nacionalizarem, tiraram a luz, o que ao meu ver, concordo plenamente com você: foi uma economia porca, assim como também o estepe do Kicks nacional não tem roda e pneu igual às rodas e pneus de rodagem (liga leve e aro 17). O que mais me incomoda é a falta do cruise control. Estou há 1 ano e 4 meses com o carro, com 19.800 km. Quando comprei, estava na entressafra do estoque do mexicano pro brasileiro. Paguei R$ 91.300,00 com a pintura metálica (prata classic). Hoje, pelo que ele tá custando, mesmo consumindo mais combustível eu iria de Creta.

  • Eric Locatelli Martini

    Excelente avaliação. Creio que uma das mais imparciais que já vi desse tipo. Normalmente o proprietário do veículo tem dificuldades em enumerar os pontos negativos do seu carro, talvez para não se sentir frustrado, ou com receio de “queimar” o modelo no mercado de usados. Não sei.
    De qualquer maneira, gostei da avaliação. Bastante. Sempre fui simpático ao pequeno SUV da Nissan. Agora fiquei ainda mais. Apesar de todos os problemas relatados.
    Parabéns pela compra. Que seja feliz com o veículo durante o tempo que ficar com ele.

  • Tibúrcio

    O melhor da sua avaliação é que VOCÊ avaliou e escolheu escolheu o carro.
    Muita gente por aqui se pendura nos “comparativos” e brigam por números que podem não refletir seu uso no cotidiano.
    Eu mesmo não gostei do Kicks, não compraria pois não atende às minhas necessidades.
    Mas ele atende às suas expectativas, certo? É o que basta!
    Muito bom relato!

  • Gustavo

    Baita relato! Obrigado por compartilhar seu sentimento em relação ao carro. Com certeza vai ajudar muita gente que não conhece o carro.

  • Baetatrip

    Belo relatorio!
    Bem caprichado…!
    Todo carro tem ponto pró e conta…Nenhum e 100% perfeito!

  • Ubiratã Muniz Silva

    belo relato, amigo!

  • bbmp_

    Muito bom relato.
    Nao sou fa de pseudoSUV/crossovers, mas o Kicks na minha opiniao possui o melhor design externo. So que falta um teto panoramico
    Internamente prefiro o Ecosport. O design eh mais bonito, painel soft touch em maior area, multimidia infinitamente superior e tonalidade bege na versao Titanium.
    Voltando ao Kicks, motor 1.6, cambio CVT, apoio de braco somente como acessorio e ausencia de cruise control pra mim matam o carro.
    O Eco tem 2.0 de quase 180cv.
    Renegade acho feio e motor manco. Nao curto motor diesel. E a sensacao dirigindo eh muito estranha com o para brisa pequeno e um balanco dianteiro grande.
    HRV nao curto o design nem externo nem interno. A saida de ar eh bizarra no centro do painel, parece uma gambiarra. Acesso as portas USB eh no minimo ridiculo. Motor bom, mas cambio CVT nao curto.

    • MauroRF

      Tenho uma Titanium azul e gostei bastante do carro. Bem completa, com poucas ausências de equipamentos. Pode estar com 5 passageiros e porta-malas cheio que ela vai sem problema, motor é forte. O Kicks eu teria, assim como o Creta. Já HRV não. A multimídia da Eco Titanium vem com som Sony que é muito bom, bom mesmo.

    • Rodrockvet

      Fala bbmp_
      Acho o Ecosport um carro bem completo.
      Seria minha opção, mas o porta-malas pequeno não me atende.
      A abertura lateral da tampa e o estepe tb não favorecem.

  • Ricardo

    Desses SUVs (hatchs pequenos e altinhos) acho o Kicks e Captur os mais bonitos.

  • Eliade Bezerra Duarte Filho

    Excelente avaliação, parabéns.

  • Diego G. de Lima

    Avaliação massa. E essa câmera 360 é muito top hein? Ainda com os pontos negativos achei um bom carro.

    • MauroRF

      Os pontos negativos que ele elencou não me fariam desistir do Kicks, tanto porque curto o design dele. E realmente essa câmera, para mim, é a cereja do bolo, muito boa mesmo.

      • Marcelo Eugenio

        É visível que o Kicks foi projetado para uso urbano metropolitano, por isso a câmera e a ausência de apoio de braço e piloto automático. Na minha opinião, ele é o “hatch médio” perfeito para a cidade. A Ford perdeu a oportunidade de reprojetar a tampa traseira do Ecosport, poderia ter adotado uma tampa dividida, permitindo a abertura somente do vidro e facilitando o uso em ambientes urbanos.

  • Kibão

    Belo relato amigo! Passei por um processo de escolha mto parecido com o seu. Porém acabei optando por uma 2008 THP. Em relação ao espaço interno posso dizer que a 2008 é ainda pior que o Kicks, em termos de equipamentos são muito similares porém foi no conjunto mecânico que o Peugeot me conquistou. Ainda quero escrever um relato aqui. Parabéns pelo carro! Abs!

  • Rodolfo

    Também pesquisei bastante antes de adquirir um Kicks SL. Estava entre ele e o Creta Sport mas optei pelo Kicks pela economia já que utilizo o carro apenas na cidade. Gosto da Ecosport mas aquela abertura lateral do porta-malas atrapalha muito.
    Quanto ao freio motor para ser eficiente só mesmo com câmbio manual. Eu utilizo bastante o botão Sport para aumentar o freio motor. Por exemplo na descida da Av. 23 de maio em São Paulo eu aciono o botão Sport e preciso até acelerar um pouco para manter o carro a 60 Km/h (velocidade máxima da via) enquanto todos os outros motoristas utilizam o freio para diminuir a velocidade.

    • MauroRF

      A abertura lateral da Eco atrapalha mesmo (tenho uma). Mas o que ela me oferece de bom supera esse ponto negativo.

    • Rodrockvet

      Fala Rodolfo.
      Com relação ao modo Sport, também o utilizo frequentemente como freio-motor.
      Agora estou me adaptando melhor ao freio-motor através do modo “L”.

      • Bourgelat Marinho

        Tenho um Sentra e freio motor com o L é mais eficaz, acionando com baixa velocidade melhor ainda.

  • marc west

    Texto e conteúdo melhor elaborados que de muitos profissionais da área!

    • Rodrockvet

      Obrigado marc west
      Minha intenção era de apresentar em detalhes os pontos geralmente não citados.

  • Freaky Boss

    Gosto do kicks. Seria minha escolha nesse segmento. parabéns pelo relato.

  • Mauro Schramm

    Parabéns pelo relato detalhado. A ressalva mais importante que tenho em relação ao Kicks é a proteção ao peito do motorista, considerada fraca pelo Latin NCAP.

    • Danilo

      E ele foi mal no teste do alce também. Mesmo com ESP não cumpriu o percurso. Exceto quando um piloto profissional assumiu o volante.

    • Nicolas

      Esse carro em alta velocidade deve ser um perigo, se a 65Km capota com extrema facilidade, imagina em velocidades maiores, o ESP não segura, muito menos com as rodas no ar.

      • Rodrockvet

        Nicolas,
        Pena que este tipo de teste não seja obrigatório para todos os veículos (assim como outros relacionados à segurança).

      • Mayck Colares

        Foi feito até 66km/h com o esp e cumpriu o teste. Acima disso consideraram perigoso. Acabei de assistir o vídeo. O que quase capotou foi sem o esp.

    • Rodrockvet

      Concordo com vc Mauro.
      Infelizmente, como outro colega citou, a gente nunca consegue que um veículo atenda a todos os nossos anseios.
      Este é realmente um ponto negativo.

  • REDDINGTON

    Parabéns, ótimo relato!

  • Zé Mundico

    Realmente acho que nessa faixa os mais interessantes são mesmo o Hyundai Creta, Peugeot 2008 e Nissan Kicks.
    E correndo por fora tem Mitsubishi Asx e Suzuki S-cross, que têm até preço melhor. Mas aí vai da conveniência de cada um.

  • Gran RS 78

    Parabéns pelo carro e por seu relato. O limpador de parabrisa do Kicks mexicano era o flat blade e com a nacionalização a Nissan pisou na bola e colocou esses mais baratos com alça de metal. Economia porca.

    • Mayck Colares

      Eram flat blade mesmo, muita gente passou batido nisso. Essa Nissan do Brasil que economia hein…

  • João

    Isso sim é um relato. Parabéns.

  • afonso200

    Honda HRV EXL, entretanto dois pontos me decepcionaram bastante. Primeiro, o ruído elevado na cabine do funcionamento do motor. Não sei se é pelo isolamento acústico deficiente ou se é o motor que eleva substancialmente as rotações a qualquer aceleração……………. sempre falo isso de todos os Honda, menos o Accord V6

    • MauroRF

      Tive um City com CVT. Ao exigir um pouco mais do carro, o motor berrava sem dó, e o barulho invadia a cabine fácil.

      • Ronaldo

        Tenho um city também, e acho que sou o unico que não reclamo dessa “ruido” invadindo a cabine, em rotações baixas o carro parece estar desligado agora em acelerações mais altas “raras” ou acima dos 100kmh em estrada o ronco invade a cabine, mas nada que um MP3 não resolva, acredito que voces só ficaram satisfeitos com o Tesla que não tem ruido, mas ao meu ver perde um pouco o gosto

        • MauroRF

          Não, Ronaldo, o City é barulhento mesmo, especialmente depois das 3 mil rpm. Só fica silencioso abaixo disso. Tive um Civic 9 que já era bem mais silencioso. Tenho uma EcoSport 2018 hoje que o motor pode subir o giro o que for que é infinitamente mais silenciosa do que o City (e até que o Civic). Posso dizer porque tenho base de comparação. Não preciso de Tesla para ficar satisfeito nesse quesito, já o estou com meu carro atual.

  • afonso200

    sensação macia de toque somente em carros acima de 140mil reais

    • Eskarmory .

      New Fiesta made in mx…

      • Renato Dias

        Lembro quando fui fazer um TD no Fiesta, há uns 5 anos.
        O Sedan tinha um acabamento interno muito superior ao Hatch, por ser fabricado no México.
        E, como um todo, passava um aspecto melhor.

    • Gran RS 78

      Não senhor, o C4 Lounge tem o painel todo emborrachado e tbm as portas. O Novo Ecosport tbm tem o painel emborrachado assim como o Compass.

    • Renato Dias

      Jeep Renegade.

  • afonso200

    outro detalhe é o cruise control (piloto automatico)…. tem que instalar a parte por uns 2500reais uma haste tipo a haste da seta….assim perdendo a garantia, o pilot automatico deveria ficar ali naquela LACUNA de botoes do lado direito do volante, (foi retirado)

    • MauroRF

      Considero essa a maior falha do Kicks.

    • Bourgelat Marinho

      É exatamente assim na versão americana.

  • Eskarmory .

    Guia completo para interessados, parabéns. Modelo 2019 deveria vir com um motor turbo, tanque maior e freio a disco nas 4 rodas.

  • Dula Bude

    O calculo do consumo pelo PC de bordo é mentiroso mesmo, cerca de 12% acima do calculado pela bomba.
    E o tanque de 41 litros, que é adequado ao march, mas a Nissan usa no versa e kicks, inexplicável!!!

  • Cássio

    Parabéns pelo carro e pela paciência ao escrever o relato!

    Alguns pontos me chamaram a atenção. Se puder responder, agradeço.
    1. Também irei ganhar bebê, e minha esposa quer vender o Fit 2012, mas quer continuar com um hatch compacto ou um SUV. Não aceitamos pagar mais de R$100 mil num carro, só que SUV por menos que isso não tem nada de bom. As opções que sobram são o Fit com bom porta-malas, Polo e Yaris. Só não entendi por que você falou que o Fit EXL está caro, se seu preço está no mesmo patamar do Polo e Yaris nas versões top.
    2. Você se ateve a questões de maciez dos materiais no tato. Acredite, com o tempo você se acostuma. Tenho meu carro há 14 anos e eu consigo contar numa mão só quantas vezes eu pus as mãos na parte de cima do painel.
    3. Sobre o ruído do motor e do rolamento dos pneus, existe uma avaliação no BCWS que mostrou como o Kicks consegue ser mais barato e mais leve: economia de materiais. Eu sugiro a você fazer como alguns no youtube: colocar isolamento acústico nas portas e assoalho ao melhor estilo DIY. Eu fiz isso só nas portas e ficou legal o resultado.
    4. Minha teoria é que a escolha de um carro é 90% emocional. E por isso eu já não julgo mais as escolhas de cada um. Pelo menos não em voz alta kkkkkk

    Eu acho bem bacana o Kicks, mas alguns pontos que você mencionou me vieram como um balde de água fria, como o espaço pequeno para o passageiro da frente quando se tem cadeirinha de bebê atrás. Minha esposa tem 1,7m e eu 1,77m. Com o bichinho no banco de trás, é impossível andar com conforto!

    • Diego G. de Lima

      Esse ponto 2 é pura verdade. Mas é que pelo preço que pagamos em veículos deveriamos ter esse mimo, ainda que seja só pra saber que tá lá.

      • Cássio

        É verdade!

    • Rodrockvet

      Fala Cássio.
      Com relação ao assento para o bebê, me referi ao bebê conforto.
      Como este que eu adquiri possui isofix, não sei dizer se um bebê conforto que não possua isofix possui este tamanho.
      Além disso, o bebê conforto só é utilizado até o bebê completar 12 a 18 meses. Depois disso, pelo formato, a cadeirinha vai ocupar menos espaço que o bebê conforto. Não creio que ela irá atrapalhar.
      O carrinho que eu comprei é grande, já que ele é compatível com o bebê conforto. O carrinho ocupa uma grande parte do porta-malas. Creio que no FIT, Yaris e Polo o carrinho ocuparia todo o porta-malas. Por isso pensei no Virtus.
      Obrigado pela dica.

      • TT 230

        Ótimo relato, Rodrigo.

        Você poderia me informar qual modelo, onde comprou e quanto custou o bebê conforto com Isofix?

        • Rodrockvet

          Fala TT230.
          No Brasil, achei apenas as marcas ABC Design e Infanti.
          Consegui encontrar um conjunto carrinho/bebê conforto com Isofix do ABC Design numa loja, mas o preço era absurdo.
          Consegui encontrar também um conjunto carrinho/bebê conforto da Infanti numa loja (é extremamente difícil de achar). O carrinho era o Epic Lite TS compatível com o bebê conforto Terni, ambos da marca Infanti (este bebê conforto encaixa na base de isofix).
          Não gostei dos conjuntos de ambas as marcas, pois para encaixar o bebê conforto no carrinho, deve-se tirar totalmente o moisés (cadeira/berço do carrinho) e vice-versa. Desse jeito, é bem desajeitado para carregar.
          Encontrei em um bazar o conjunto carrinho/bebê conforto Chicco KeyFit 30. Ele é de segunda mão e o 1º dono trouxe ele do exterior (creio que do EUA). O bebê conforto encaixa no carrinho sem necessidade de retirar a cadeira.
          Você pode tentar procurar um conjunto semelhante de 2ª mão que tenha Isofix.
          No Mercado Livre você encontra este modelo KeyFit 30 da Chicco, mas lembre-se de confirmar se a base Isofix virá junto.

      • Cássio

        Ah agora entendi! achei que seria um martírio até a criança sair da cadeirinha rsrs.

        • Ernesto

          Parabéns pela criança que está por vir!
          Sei que vocês pretendem ficar na categoria do hatch ou passar para um SUV. O melhor mesmo seria vocês partirem para um sedam. Meu filho nasceu em Setembro/2017 e optei por um Corolla. Quanto a espaço eu não estou tendo problemas, mesmo tendo que levar cadeirinha, carrinho do bebê, esposa, dois cachorros (é sério isso! Rsrsrs), e outras tranqueiras.
          Agora, se for para ficar mesmo nos hatchs, me parece que o Yaris tem o melhor porta malas entre os 3, não? Pelo menos visualmente foi essa a minha percepção.

          • Cássio

            Obrigado, Ernesto!
            Pois é, minha esposa gosta dos SUVs, mas prefere que eu tenha o carro grande, e ela o pequeno, rsrs. O Corolla é um ótimo carro, minha mãe tem um 2015 e o porta-malas é grande o suficiente para levar a cadeira de rodas da minha avó. Para uma família já seria muito bom mesmo. Haha fico imaginando a bagunça dentro do seu carro.
            Quanto aos hatches, ainda não fui ver ao vivo o Yaris, mas pela ficha técnica, a ordem de espaço seria Fit (360L), Yaris (310L) e Polo (300L).

    • weilerd1 .

      O Jac t40 nao tem ruido excessivo ao rodar como os japoneses ( tive um Fit antes ) e, custando 20 a 30k a menos , tem soft touch, disco nas 4, cruise control, etc. Perde os airbags extras e – para mim – firulas como a câmera 360 e partida por botao. Cada um com suas escolhas, estou feliz com meu T40 manual.

      • Ernesto

        Mas quanto custa um JAC T40 automático? E quanto a espaço, é o mesmo? Minha percepção é de que ele é menor.

    • Gran RS 78

      Tem o Creta com muitas versões bem completas inclusive com motor 2.0 que custam até 95 mil reais, sem contar o Tracker. Eu se fosse vc esperaria o C4 Cactus que será lançado no mês que vem, pois esse promete ser bem interessante.

      • Cássio

        Pois é, pena que as melhores versões desses SUVs estão somente perto dos 100 mil para cima.
        É que minha esposa quer gastar no máximo uns 80 mil. Mais que isso parece ser meio insanidade, rs.

        • Gran RS 78

          Acho que o 2008 irá entregar o que vc procura pelo preço que vc quer pagar, pois ele é bem completo nessa versão de 80 mil reais.

    • Renato Dias

      Cassio, O Jeep Renegade está com ótimas condições antes da chegada do Facelift.
      Se o carro agradar visualmente, faça um teste. Não vá atrás das palavras quem nunca dirigiu um.
      Eu possuo um filho pequeno e o carro me atende muito bem. Além da sensação de segurança impressionante que o carro passa.

      • Cássio

        Renato, minha sogra tem um Renegade 1.8, e tanto eu quanto minha esposa o achamos fraco para um 1.8, e o porta-malas é menor que o do Fit. Seria uma ótima opção, mas a gente não gostou muito dele. Mas cada caso é um caso, e para você o Renegade atende muito bem. Mas na hora de trocar, com certeza iremos vê-lo novamente.

        • Renato Dias

          Entendo perfeitamente. Uma parte significativa da escolha de uma carro são as necessidades. E cada um tem as suas.
          Se eu precisasse de um porta-malas com mais de 400l, naturalmente descartaria o Jeep.

  • 001EnSabahNur

    Parabéns pela análise.
    Tenho um há dois anos (série Rio2016) e verifiquei algumas diferenças:
    Pontos negativos 1) O meu tem luz de teto/cortesia para iluminação do banco traseiro
    2) o meu multimidea é diferente, não tem os mesmos aplicativos (praticamente nada) e na última revisão a ccs não “conseguiu” atualizar o sistema. Bem complicada a falta de capacidade da Nissan em algo teoricamente tão básico.
    4) Ausência de controle de velocidade de cruzeiro. Realmente, uma vergonha pelo preço do carro.
    8) O cálculo de consumo do computador de bordo sempre indica que o veículo é mais econômico do que realmente é (COMBINEI COM O) 17) O tanque de combustível com capacidade de apenas 41 litros torna a autonomia com etanol muito baixa…. Na verdade, nos primeiros 3/4 o consumo parece ser maior. Mas quando chega no último quarto, ele “some”. Eu uso só gasolina e faço de 400km por tanque, na cidade, até uns 550km, na 90% estrada. Na greve dos caminhoneiros, consegui mais de 600km (sem ar e bem na manha). Em trechos de 60 a 80 km/h de estrada, é muito econômico.

    Comprei um apoio de braço e um protetor de cárter pelo ML.
    Com 30.000 km rodados, não tenho reclamações ao carro. Mas na ccs, sempre tentam empurrar revisões que custam 900, 800, 700, quando o site traz revisões de 400/500 aproximadamente.
    Pretendo ficar pelo menos uns 6 anos com ele, pois é extremamente ágil e gostoso de dirigir, possui bom espaço para as minhas necessidades, com 6 airbags, econômico, prático de estacionar com as 4 câmeras…
    Quem sabe no futuro pegaria um Leaf, Kicks ou um Qashqai elétrico / híbrido.

  • Dod

    Para mim o pior do Kicks é ser derivado diretamente de um carro tão fraco (March). Deveria custar menos.

  • MauroRF

    Parabéns pelo relato, muito completo. Já até salvei aqui. Para quem está em busca de SUVs e está de olho no Kicks, deve ter esclarecido e tanto as dúvidas. O importante é que ele vai bem no quesito segurança, alias, esse foi o quesito aqui para fecharmos numa EcoSport Titanium bem no começo do ano. Seu Kicks tem algumas coisas que a Eco não tem, e a Eco tem coisas que seu Kicks não tem. A Eco tem luz no para-sol, luz na região do banco traseiro, borboletas para trocar marchas/reduzir em descidas, a central multimídia dela é simples de mexer e é completa, no quesito segurança tem sensor de ponto cego/tráfego cruzado (muito útil) e sensor anticapotamento, não há barulho nenhum aerodinâmico na cabine (pelo contrário, é bem silenciosa, e o motor não invade a cabine), tem piloto automático/limitador de velocidade, o espelho é eletrocrômico, tem limpadores flatblade (com sensor de chuva), tem DRL/farol de xênon, tanque de combustível é maior (embora beba mais) e outras coisas mais. Porém, você tem um porta-malas bem maior, o que faz toda a diferença para quem tem um ou mais filhos (aqui somos eu e minha esposa apenas) e você não tem estepe pendurado na traseira (isso relevei na Eco porque me atendeu nos outros quesitos), além de ter um carro de projeto mais moderno. Você tem também as alças nas portas e ainda o rebatimento elétrico dos retrovisores. E a câmera 360 graus eu achei show de bola, muito bom isso. Ter um carro que agrade em tudo é algo raro, eu diria. A minha Eco está tudo Ok até agora, exceto por barulhos das borrachas das portas, parece barulho de borracha esfregando, e esse tipo de ruído faz mais quando está mais frio. Como agora estou um pouco mais tranquilo nestes dias, vou marcar de levar o carro à concessionária semana que vem para ver isso. Novamente, meus parabéns pela escolha e espero que te atenda com conforto e segurança por muito tempo!

    • Rodrockvet

      Obrigado!

    • Mayck Colares

      Faça um relato pro NA, seria muito interessante. Temos poucos dados da nova eco, principalmente na versão titanium a mais interessante

  • Mario Souza

    Nada como a experiência de quem tem o veículo.
    O problema que resume tudo é o preço. Caso fosse mais barato os pecados poderiam passar em branco, mas com o valor de 100k é complicado a falta dos mimos.

  • Luis Fernando Pozas

    Parabéns pelo relato! Uma vez eu fiz um test drive de um kicks, e achei o carro muito bom… O ponto fraco dele, que me fez desistir, foi o motor… Achei muito fraco, realmente me decepcionou… Mas fora isso, eu não achei nada ruim… Relatos como o teu ajudam quem sente que o test drive não responde todas as dúvidas.
    Mais uma vez, parabéns pelo relato e obrigado por tirar tanto tempo para escreve-lo

  • Licergico

    Sem crontole de cruzeiro e opções de trocas manuais, nunca entrara na minha lista de opções de compra.
    Alem desse horrível cambio cvt da nissan ( um dos piores [ de funcionamento ] do mercado ) .

  • Niko de Oliveira

    Muito bom o relato de Rodrigo Rocha. Poderia servir como padrão para reviews de carro, vai desde a mecânica ao conforto, passando pela CM. Parabéns.

    • Rodrockvet

      Vlw Nico!

  • Silvio

    Dispensou o Captura. Por comentários da mídia especializada?

  • Brasileiro

    Relato bem completo, hoje na categoria “Crossover”, ficaria com Kicks.

  • carlos rodrigues

    Uma coisa que ainda faz falta em parte dos carros japoneses, (não sei se é o caso do Kicks), é o travamento automática das portas em movimento. Já foi mais grave, pois até bem pouco tempo, não possuíam iluminação nos controles dos vidros das portas nem one touch no acionamento dos vidros. Pelo menos isso o kicks já tem.

    • zekinha71

      A maioria vem desconfigurado, é só procurar no google como programar, meu March veio assim e em 5 minutos programei.
      Deve ser sacanagem pra ccs cobrar a configuração ou vender “módulo” que já existe.

    • Rodrockvet

      Fala Carlos!
      Pelo menos o Kicks tem todos este citados.

  • Vinicius Lima Santos

    Parabens pelo relato, realmente bem completo. E como mencionou acima, concordo que o Virtus seria mais racional. Acho o Kicks um belo carro, mas não optaria por ele.

  • fsjal

    muito bom o relato.

    eu cheguei a ver um kicks top de linha, mas o preço e a falta do piloto automático me desanimaram. eu também estava pra ter o segundo filho e na época tinha um peugeot 208, que já estava ficando pequeno e não tinha isofix (tinha esse bebê conforto da minha filha mais velha).
    acabei pegando um 308 Roland Garros, que estava com um ótimo preço (78 mil) e tinha tudo que eu precisava e mais alguns mimos (6 AB + abs + esp, ar digital, cambio automático, couro, multimídia com espelhamento, teto panoramico, o ótimo motor 1.6 THP, e um bom espaço tanto atrás quanto no porta malas). compra 100% racional, pois sabia que o carro estava em fim de vida, mas mesmo sendo um casamento, não encontraria nada parecido por esse preço e com o mesmo conjunto mecânico + qualidade de construção e acabamento. eu cheguei a ver o Polo também, mas a falta de espaço me fez desistir, e na época ainda não tinha o Virtus

    o que eu digo pra quem tem dúvida é que bebê conforto com isofix é algo muito útil, porém dura muito pouco. como o autor do post disse, é um parto de achar e dura uns 6 meses, até seu filho crescer e a cadeirinha ter que ser virada pra frente. precisa ver muito o custo x benefício. é muito bom você poder tirar a cadeirinha sem ter que mexer no bebê, mas eu paguei uma fábula no conjunto carrinho + bebê conforto + suporte isofix.

    outra coisa foi o relato sobre os Honda: exatamente o que eu penso. muito preço pra pouco carro, e esse problema da falta de isolamento acústico é normal. tanto o Fit (que eu tive) quanto o HRV são péssimos nisso.

    fez uma excelente compra.

    • Leandro

      Olha, eu trouxe uma cadeirinha dos EUA e ela tem isofix também. Isofix não é só para o bebê conforto não, cadeiras maiores também usam.

      • fsjal

        Sim, mas no caso dele e do meu exemplo, é o bebê conforto.
        Se base isofix + bebê conforto já é impossível de achar, cadeirinha então, nem se fale. Eu, particularmente, nunca encontrei aqui pra vender. Só trazendo de fora mesmo.

        • Leandro

          A cadeira ocupa menos espaço no carro, pois usa quase que somente o banco, pois a posição é sentada. O bebê conforto a posição é deitada, por se tratar de bebê, então ele avança além do banco. No Brasil é difícil achar mesmo, acho que tem um problema com o INMETRO. Nos EUA praticamente todas que se compra já possuem. Abçs

  • Vitor

    Parabéns pelo artigo. Testei os seguintes carros: VW Virtus HL TSI 1.0 + Painel digital, Nissan Kicks SV, Hyundai Creta 1.6 Pulse Plus e Chevrolet Tracker Premier. Todos tem os seus pontos positivos e negativos. Fui de Virtus. Em comparação aos outros que não escolhi, a única coisa que poderia fazer a falta é a altura do solo. Porém não foi uma decisão fácil. Na próxima devo comprar um SUV mesmo. Claro. São carros de categorias diferentes. Porém fui vencido pelos atributos. Respeito a decisão de todos.

  • WALTER CARNEIRO

    Não admito não ter o Android Auto num carro moderno hoje. Achei que os pontos negativos são muitos e bastante depreciativos. Aprecio carros com CVT, mas nesse belíssimo Kicks o CVT está meio estranho na avaliação geral. Cadeira Isofix que tira espaço do banco da frente? Ninguém merece isso. Agora entendo perfeitamente o porquê um fabuloso RANGE ROVER EVOQUE custa tão caro. Quem exige perfeição quase absoluta tem que pagar o preço que vale.

  • Henrique Becker

    Felizmente no modelo SL 2019 a central multimidia melhorou, agora tem Android Auto e uma loja de aplicativos. Além disso só mudou a fixação do protetor do carter (talvez melhoraram a estrutura ou alguma coisa na suspensão dianteira) e ficou um pouco mais caro.

  • Renato Dias

    Parabéns, duplamente. Pelo carro e pelo(a) filho(a)!

  • gabriezim

    ótimo review! muito detalhado.
    tb tenho um kicks e compartilho suas opiniões em quase tudo.
    esse ponto da cadeirinha é complicado mesmo… tinha um corolla quando meus filhos nasceram e minha esposa mal cabia no banco do passageiro quando colocava a cadeirinha atrás… Eu então, sem chance.

  • Fernando

    Tenho um Creta Prestige.
    Pelo menos 10 pontos negativos relatados nao existem no Creta. em compensação, 3 pontos positivos, o creta nao tem (Luz nos vidros, no porta luvas, e as 4 cameras) mas no geral, acredito que o Creta Prestige poderia te atender melhor (Tem espaço, DRL, Piloto automatico, freio motor, tanque maior, luzes internas, etc
    Enfim, carro perfeito nao existe.

  • Flavio Fonseca

    Ótimo relato, Rodrigo! Tambem tenho um Kicks SL e concordo com a maioria dos pontos que você falou, inclusive em relação à central Multi App. Mas eu consegui dar uma bela melhorada na funcionalidade da central multimídia, através da baixa de um aplicativo semelhante à Play Store:

    Baixei o aplicativo APK PURE, na extensão .apk, da forma tradicional do Multi App (baixei no computador, salvei via pen drive e instalei no Kicks). Feito isso, agora consigo baixar vários aplicativos diretamente via APK PURE, sem precisar de USB. Com isso a central ficou melhor, porém longe de uma central que permite espelhamento, pois ainda preciso rotear a internet do meu celular.

    Mas no geral, eu e minha esposa estamos adorando o carro. Faço 12km por litro na gasolina, no trânsito de Salvador… e uma média de 17 km por litro na estrada (majoritariamente plana) a uma velocidade de 110 por hora. O carro anda bem, pois é leve, além disso acho esteticamente bonito, espaçoso, enfim, recomendo a todos, exceto àqueles que desejam forte desempenho do motor.

    Parabéns novamente pelo seu texto.

    • Rodrockvet

      Valeu pela dica Flávio!!

  • Bruno Carvalho

    Muito bacana o relato, bem detalhado e imparcial. Só um comentário: Bancos baixos como aspecto negativo. Entendo que isso seja uma característica do modelo, não um problema. Alguns irão preferir assentos mais altos, outros mais baixos. Na minha opinião um aspecto pode ser negativo quando deixa de ser característica e se torna economia porca, como as alças que sustentam a tampa por exemplo. Apesar de atualmente ser praticamente maioria, inclusive em segmentos mais caros, é nitidamente uma economia que atrapalha muito. Já li também muitos relatos criticando o antigo ka por ter somente dois lugares e porta-malas pequeno, porém não é um defeito e sim uma característica de um city car subcompacto. Abraços

    • Rodrockvet

      Tem razão Bruno.
      Na verdade eu deveria ter dito que era uma característica que não nos agradava.
      De qualquer forma, foi uma forma de dizer que não era o que nós procurávamos. Acho que tá entendível.
      Vlw!

  • octavio cesar godoy

    carro pequeno atras nem compro, prefiro um semi novo maior

  • Mário Rodrigues

    Parabéns pelo relato, fiquei dois dias com um kicks da movida e identifiquei quase todas as suas impressões, quem viajou no banco traseiro ainda reportou que a suspensão é muito dura e sentiam muito os buracos e solavancos da estrada. Achei o CVT bem “perdido” na hora de acelerar. Espaço do bagageiro adequado. Multimídia ignorei e preferi confiar no meu celular mesmo.

  • Tania

    Gosto muito do carro, mas deveria uma forma de desativar o alarme sonoro do passageiro ou apenas soar acima de um peso específico. Não posso colocar minha bolsa, que certamente não pesa 1kg, no banco do passageiro que o alarme soa.

  • RTEC30

    Parabéns pelo relato,
    Apesar do Sandero/Logan ser de categoria inferior, eles poderiam atender suas necessidades?
    Porque não os considerou?
    Também tenho um Fiesta e estou procurando um substituto, porém tenho menor cacife.
    Obrigado por compartilhar de sua experiência.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email