Quais carros podem ser táxi?

Quais carros podem ser táxi?
Quais carros podem ser táxi?

Apesar da ascensão do serviço de transporte privado intermediado por aplicativos, o táxi segue em alta no território brasileiro, sobretudo nas grandes cidades.

Esse tipo de serviço é regularizado há mais de 50 anos em nosso país e, obviamente, segue sendo utilizado pela população como meio de transporte numa alternativa mais eficiente, confortável e segura que o transporte público, que é um verdadeiro caos em nosso território. Entretanto, para atuar como taxista, o interessado precisa cumprir alguns requisitos.

Entre eles, é necessário conhecer profundamente a região em que irá atuar. O profissional ainda deve ser responsável, prestativo, atencioso, paciente e conseguir lidar com as pessoas.

Fora isso, é preciso contar com autorizações legais para exercer a função junto ao Poder Público Municipal e contar com um veículo próprio ou atuar juntamente com uma frota de taxistas que forneça o veículo provisoriamente.

Porém, nem todos os automóveis podem ser utilizados como táxi. Há alguns requisitos que os taxistas devem ficar atentos no momento da aquisição de um novo veículo, sobretudo no que se diz a respeito às dimensões da carroceria e também aos equipamentos de série.

Confira!

O que um carro deve possuir para ser usado como táxi?

Não há uma norma específica para os táxis que circulam no território nacional no que se diz respeito aos itens que eles devem entregar. Normalmente, as regras variam conforme a cidade ou o estado.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, o veículo deve contar com entre-eixos de pelo menos 2,45 metros e largura mínima de 1,65 m. É preciso ainda que o modelo ofereça alguns recursos, como ar-condicionado e direção hidráulica ou elétrica.

Por conta disso, alguns veículos mais antigos como o Fiat Siena e o Chevrolet Classic não podem atuar como táxi na capital paulista.

Veja aqui: Preço do alvará de táxi cai e comércio é liberado

Já na categoria Táxi Preto, é necessário possuir um veículo de carroceria sedã, station wagon (SW ou perua), crossover ou SUV. Esse veículo deve contar com entre-eixos de pelo menos 2,6 metros, largura de pelo menos 1,75 metro e porta-malas com volume líquido mínimo de 420 litros.

Fora isso, é preciso que ele seja equipado com um motor com potência de pelo menos 115 cavalos. A lista de equipamentos deve incluir itens mínimos, como airbags frontais, freios ABS e ar-condicionado. A carroceria precisa ser obrigatoriamente na cor preta.

Quais carros podem ser táxi?

No Distrito Federal, as regras são parecidas. O veículo deve ser um sedã, perua, crossover ou SUV, com carroceria de quatro portas, largura mínima de 1,75 metro e entre-eixos mínimo de 2,6 metros.

Já no Rio de Janeiro, o modelo não pode ser hatch ou picape e precisa contar com quatro portas, porta-malas com pelo menos 350 litros de capacidade, itens como ar-condicionado e rádio, entre outros.

Na categoria executiva, o táxi carioca precisa ter motor acima de 1,8 litro, bancos em couro, vidros elétricos nas quatro portas e não pode ser um hatch, picape ou sedã compacto.

Outro exemplo é o estado de Minas Gerais. Para atuar na categoria mais básica, o veículo deve contar com carroceria de quatro portas, capacidade de cinco a sete lugares, ar-condicionado original de fábrica, rodas pintadas na cor cinza alumínio (caso ele não tenha calotas ou rodas de liga-leve cromadas ou na cor cinza), para-choques na cor da carroceria e motor com pelo menos de 85 cv com gasolina.

Para a categoria Táxi Convencional, o veículo deve ter ainda carroceria na cor branca e porta-malas com no mínimo 380 litros quando equipado com motor flex ou 280 litros com GNV instalado.

Por fim, a categoria Táxi Premium acrescenta as exigências de um veículo do segmento de sedã médio, pintura preta, motor com no mínimo 115 cv com gasolina, porta-malas de 400 litros ou mais e recursos como airbag duplo, freios ABS, vidros elétricos nas quatro portas, WiFi gratuito para os ocupantes, carregador para aparelhos eletrônicos e sistema de som com entrada USB.

Quantos anos um veículo pode rodar como táxi?

Você já deve ter reparado que a maioria dos taxistas estão sempre renovando a sua frota de veículos. Porém, ao contrário do que muitos imaginam, na maioria das vezes essas trocas não são efetuadas por vontade do próprio profissional.

Na realidade, há um tempo máximo determinado para que um veículo possa rodar como táxi numa determinada cidade.

Como exemplo, no estado do Rio de Janeiro, o veículo deve ter no máximo oito anos de uso, contados a partir do ano de fabricação. Já os táxis executivos precisam ter no máximo cinco anos de uso.

No caso do estado de São Paulo, o tempo máximo de uso permitido para táxis é ligeiramente maior, de 10 anos. Entretanto, na maioria das vezes os taxistas trocam de carro a cada dois ou três anos.

Em outros estados, o tempo de uso é menor, como na Bahia, onde os taxistas devem substituir seus veículos a cada cinco anos.

Os automóveis com idade superior ao limite dado por cada estado não são aprovados na vistoria e perdem a autorização dada pela prefeitura para rodar na praça.

Quais carros podem ser táxi?

Quais os melhores carros para táxi?

Há uma série de automóveis que se encaixam nos requisitos de táxi. Entretanto, alguns modelos acabam se sobressaindo pela manutenção relativamente barata, o conforto entregue aos passageiros, o amplo espaço interno e o porta-malas com tamanho avantajado.

A lista inclui modelos como o Chevrolet Cobalt, que dispõe de uma distância entre-eixos de bons 2,62 metros, porta-malas com capacidade para 563 litros e versões com preços convidativos no mercado de seminovos.

Outro carro da Chevrolet bastante requisitado pelos taxistas é a minivan Spin. Em suas configurações mais caras, o modelo oferece espaço para até sete passageiros, sendo que o porta-malas pode comportar até 710 litros de bagagens. Este veículo tem preço inicial de R$ 97.340 na linha 2022.

Há também o Renault Logan, que é um modelo mais em conta e também cativa pelo amplo espaço interno. Ele oferece entre-eixos de 2,63 metros e porta-malas de 510 litros. A marca francesa oferece o sedã compacto por a partir de R$ 81.990

Dá para citar ainda alguns outros bons modelos, como o Honda City, Volkswagen Virtus, Toyota Yaris Sedan e Toyota Corolla.

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.