Vale a pena comprar carro saindo de linha? Veja 3 dicas

Vale a pena comprar carro saindo de linha? Veja 3 dicas

Comprar um carro que está sendo descontinuado é uma boa ideia?

A resposta para a pergunta acima pode variar bastante. Para alguns, essa proposta não é nem um pouco recomendável, enquanto para outros, parece uma ótima oportunidade. Afinal, comprar um carro que está saindo de linha realmente vale a pena?

Na verdade, para definir o que você vai fazer é preciso levar alguns fatores em consideração, e eles passam mais pelas suas necessidades do que pela oferta em si ou o carro em questão. Como assim?

Vários modelos de carros do mercado nacional já estão seguindo o caminho da história para serem substituídos por novas gerações ou outros modelos novos. Em 2020, por exemplo, vimos isso acontecer com diversos veículos.

Um caso bem conhecido foi o Ford Fusion, que saiu do site da marca em maio de 2020. De início, a montadora disse que se tratava apenas de uma suspensão temporária, mas logo vimos que o sedã realmente estava dando adeus.

Até aquele momento, o Fusion havia acumulado apenas 15 unidades no ano (em 2019, haviam sido 832 emplacamentos), o que estava longe dos seus dias de glória no mercado brasileiro. Mesmo assim, ele continuava sendo um dos melhores (para muitos, o melhor) sedã grande por aqui.

Vendido nas versões com motor 2.0 turbo ou conjunto híbrido, o Fusion tinha preços entre R$ 149.990 e R$ 182.990, mas nessa época descontos generosos eram vistos nas concessionárias, chegando a 20% abaixo da tabela. O que tudo isso indica?

Dica nº 1: Chore um pouco mais

Além do desconto oferecido de cara pelo vendedor, você pode chorar um pouco mais e economizar um valor ainda maior. Afinal, se aquele carro já saiu de linha, a última coisa que a loja deseja é mantê-lo em seu estoque.

Dica nº 2: Pense na sua situação

Não basta olhar só para a oferta em si e deixar de lado a sua situação como consumidor. Se você planeja ficar com o automóvel em questão por um período de três anos ou mais, comprar um modelo que está saindo de linha pode ser uma boa, pois a desvalorização será diluída ao longo desse tempo.

Por outro lado, se você gosta de ter uma novidade na garagem ou quer vender mais rápido, pense bem antes de fechar um negócio assim. Além da desvalorização normal, um veículo que saiu de linha (ou prestes a ser descontinuado) certamente terá uma depreciação ainda maior.

Dica nº 3: Não se esqueça dos seminovos

Se você realmente quer aquele modelo, talvez seja um boa opção comprar uma unidade zero quilômetro. Por outro lado, se você puder achar um exemplar seminovo, com poucas centenas de km rodados, a economia pode ser ainda maior, já que o primeiro dono já arcou com a desvalorização inicial.

Outra vantagem de olhar o mercado de usados é ver opções em outras marcas, incluindo de modelos importados. Nesse caso, a desvalorização no primeiro ano é ainda mais forte, o que os torna mais vantajosos com um ou dois anos de uso.

Conclusão

Resumindo, modelos que estão saindo do mercado costumam estar acompanhados de boas ofertas e descontos generosos na rede de concessionários da marca. Além disso, caso seja produzido no Brasil ou no Mercosul, o consumidor ainda pode contar com boa oferta de peças e serviços para o modelo em fim de carreira, por muitos anos a vir.

A desvalorização é natural, devido à presença de um novo modelo ou mesmo pelo fato de estar deixando o mercado sem sucessor. Para quem compra já pensando em vender, a escolha não é apropriada. O mesmo serve para quem quer novidade na garagem. O modelo que sai de cena oferece estilo defasado e plataforma mais antiga (nem sempre neste último caso).

Carros importados são mais suscetíveis à redução na oferta de peças e maior desvalorização, que já é grande mesmo com o modelo em produção no país de origem e vendido normalmente no Brasil. A compra de um fim de linha pode ser vantajoso pelo melhor custo x benefício e pelo preço mais baixo, já que quase sempre o lançamento chega às lojas com ágio ou longas filas de espera.

Isso sem contar o preço mais alto sugerido em relação ao modelo que sai. Mesmo assim, o lançamento muitas vezes apresenta maior tecnologia e sofisticação. No fim, o modelo antigo ainda pode oferecer bons motivos para ser o novo na garagem do consumidor se ele puder ficar ali por algum tempo.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.