Usado da semana

Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

honda-cr-v-2008-usado-semana-8-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

No início de 2014 precisei adquirir um veículo médio para deslocamentos essencialmente urbanos. Possuía uma Ranger 2.3 ano 2008 cabine-dupla a gasolina que usava para viagens de lazer e trabalho no interior do Ceará e Paraíba. Como não iria mais viajar para o interior devido a um novo direcionamento profissional (na verdade, por expressa e definitiva ordem da minha senhora), decidi vender a picape.



Após vender a Ranger por R$ 30.000 resolvi pesquisar marcas e logo de início descartei Volkswagen e Fiat por apresentarem modelos defasados e caros. Modelos da Renault me pareciam mal acabados. Resolvi então verificar Toyota Etios e Nissan Versa nas respectivas concessionárias.

Gostei dos dois, apesar da evidente simplicidade de acabamento e aparente fragilidade. São feinhos, concordo, mas dentro do que pesquisei me pareceram as opções mais viáveis. No entanto, nenhum dos dois tinha versão automática, o que me pareceu uma falha inaceitável.

Abro um parêntese para explicar que eu tinha dinheiro suficiente para adquirir qualquer desses modelos a vista, mas sempre preferi comprar carros seminovos ainda no período da garantia do fabricante. Assim tinha sido com o Peugeot 206, VW Bora e Ford Ranger que tive anteriormente. Cheguei a testar um C3 Picasso automático e até que gostei do espaço e conforto, mas o preço cobrado me parecia exagerado – R$ 35.000 por um modelo 2012, portanto ainda na garantia. Mesmo assim, tornou-se a primeira opção de compra.

Na Ford o único carro disponível era um Fiesta 1.6 ano 2013 (modelo antigo) na queima de ponta de estoque, mas não vi nada que justificasse pagar R$ 36.000 num carro em fim de carreira. E com câmbio manual.

Abatido e desencantado da vida, retornei a concessionária Toyota e já estava me conformando em pagar R$ 45.000 por um Etios hatch 1.5. O sonho do carro automático seria adiado por mais um tempo.

Num daqueles acasos da vida, o celular do vendedor toca e pelo tom de voz macio e manhoso da conversa, parecia ser a namorada do rapaz. Como não eu não queria ouvir aquela conversa melada, fui dar uma voltinha no salão dos carros usados ao lado.

honda-cr-v-2008-usado-semana-1-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

Fui olhando os carros e lá no fim do galpão estava um Honda CR-V ano 2008 ofertado por módicos R$ 46.000. Impecável, airbag, ABS, som, bancos em couro, baixíssima quilometragem (32 mil quilômetros!) e, olha só, automático!

Sei que nesse ramo rolam umas “mágicas” de diminuir a quilometragem, mas conferi no Manual do Proprietário as datas das revisões e tudo batia perfeitamente. O carro era tão pouco rodado que levou 3 anos para fazer a revisão dos 20 mil km!!

Pronto, era aquele! Depois de muita conversa fechamos o negócio em R$ 43.000 a vista, com a loja assumindo os custos de transferência e IPVA. Chorei mais um pouco e ainda saí com o tanque cheio.

honda-cr-v-2008-usado-semana-7-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

Bem, após 1 ano e quase 10 mil km rodados, o carro continua perfeito. Considero o CR-V uma station-wagon disfarçada. Quatro adultos podem fazer uma viagem de 2 horas sem reclamação. O porta-malas leva bagagem suficiente para um fim de semana na praia sem aperto.

A suspensão é sincera e não esconde as imperfeições do asfalto e transmite a sensação de “grudar” até em curvas fechadas. Exatamente o mesmo comportamento de um Bora 2006 que tive anteriormente.

A direção é firme, leve e exata, sendo possível esterçar totalmente com uma mão sem o menor esforço.

honda-cr-v-2008-usado-semana-6-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

O painel é de uma simplicidade franciscana, pois todos os controles de faróis, limpadores e lanternas estão nas chaves atrás do volante. Nada de botões, tudo está ao alcance dos dedos. O freio de estacionamento na verdade é uma trava acionada com o pé esquerdo, o que me faz lembrar da Ranger que usava o mesmo recurso. Simples e prático.

O câmbio automático de 5 marchas é o ideal para uso urbano e mesmo para viagens. Quase não se sente a mudança das marchas mas é perceptível um discreto “vacilo” nas retomadas mais intensas. É questão de assimilar uma nova dinâmica de condução e mudar conceitos e comportamento. Mas só pelo fato de nunca mais na vida ter que pisar em embreagem, já vale a pena. Acaba se acostumando.

honda-cr-v-2008-usado-semana-2-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

Destaque para o brake-hold, que segura o carro em arrancadas em aclives e declives, um recurso que facilita a vida e melhora a segurança.

Outra coisa que destaco é o silêncio. O isolamento acústico é coisa de profissional. Parece carro elétrico mesmo quando se pisa forte. Na estrada, com vidros fechados, a sensação é de se estar num quarto fechado. E usando o controle de velocidade de cruzeiro no volante (piloto automático para uns), tem-se a impressão de ser passageiro no carro.

honda-cr-v-2008-usado-semana-5-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

Os itens de conveniência são bem pensados e distribuídos, tendo porta-trecos por toda parte. Todo espaço é aproveitado de maneira inteligente. Abaixo do rádio tem um onde cabe perfeitamente minha carteira e celular. Tem mais 2 nichos abaixo da alavanca de câmbio e acima do porta-luvas existe outro porta-qualquer coisa que quebra um galho danado com os apetrechos de beleza da distinta patroa.

Acima do retrovisor, tem um porta-óculos espelhado que ao abrir serve até como retrovisor panorâmico interno! É mimoso!

Tem saídas de corrente de 12 volts no painel, no interior do console central (que na verdade são dois conjugados!) e no porta-malas. Não tem mais desculpa para deixar o celular descarregar…
O porta-malas é dividido horizontalmente por uma prateleira dobrável, o que permite conduzir volumes fora da visão dos “amigos do alheio”. A grande sacada é o rebatimento dos bancos traseiros que permite um espaço enorme sem degraus, dando para carregar objetos com até 1,50 m de comprimento.

honda-cr-v-2008-usado-semana-4-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

Tudo no carro é pensado para conforto familiar e praticidade de uso. Só tem o necessário e o suficiente. Quem deseja performance esportiva ou desempenho mais radical, aconselho procurar outro carro.

Quanto ao consumo, no trânsito urbano andando manso o motor 2.0 monocombustível a gasolina consegue fazer 7,8 km/l com picos de 8,2 km/l, medidos e calculados religiosamente em cada abastecimento. O computador sempre acusa mais, entre 8,4 e 8,6 km/l, mas prefiro confiar no lápis e calculadora.

Bom, para quem fazia de 6,8 a 7,0 km/l com uma Ranger 2.3, está de bom tamanho…

honda-cr-v-2008-usado-semana-3-700x394 Carro da semana, opinião de dono: Honda CR-V 2008

Mês passado comprei 4 pneus novos Dunlop, pois os que rodavam ainda eram os originais Bridgestone aro 17. Rodaram 42 mil km em 7 anos, o que me pareceu bastante razoável. Ainda rodariam mais alguns meses, mas com pneus novos sente-se que o carro fica mais no chão e na mão. Os freios continuam confiáveis e silenciosos.

Pretendo ficar com o CR-V até os 100 mil km ou 10 anos de idade, o que ocorrer primeiro. Nesse ritmo, em 2018 ele estará com uns 70 mil km mas mesmo assim prefiro passá-lo adiante. Explico o motivo. Sempre fiz uma cuidadosa manutenção preventiva dos carros que tive e vejo o Manual do Proprietário como um catecismo. Afinal ele foi escrito por quem fabricou o carro e deve entender dele mais do que eu…

Troco óleo a cada 5 mil km (filtros com 10 mil) e mantenho todos os sistemas (freios, hidráulicos, elétrico, arrefecimento, etc.) no mais estrito controle.

Sei que daria para segurar o CR-V tranquilamente por mais um tempo mas também sei que perto dos 100 mil km começam a aparecer os primeiros reparos necessários que demandam tempo e dinheiro. Apesar de ser um carro importado e de excelente procedência, ele roda nas ruas e estradas brasileiras e consome a nossa famosa gasolina “benta”.

É nessa altura que começam os problemas com suspensão, transmissão, motor, vedações, correias, retentores, embuchamentos, rolamentos, cabos, módulos eletrônicos e outras miudezas que costumam ser caras, além de tomar tempo e mais paciência ainda.

Sinceramente, aporrinhação com mecânico é a última coisa que eu preciso na vida. Essa eu passo.

Outra coisa é que pelo fato do CR-V ser monocombustível a gasolina, sempre haverá o risco da nossa bendita gasolina alcoolizada acabar detonando o motor e componentes a longo prazo. Prefiro não pagar para ver.

Quanto a pontos negativos, não consigo achar nenhum. O CR-V está me servindo plenamente e cumprindo seu papel sem dar trabalho nem prejuízo. Para mim está ótimo e se melhorar, perde a graça.

Bem, é isso. Costumo dizer que achei e comprei essa latinha por puro acaso. Acontece até com quem tem sorte. O difícil foi convencer a patroa de ter saído dizendo que ia na loja comprar um carro zero e ter voltado para casa com um carro usado do mesmo ano do carro anterior!

Abraços a todos e obrigado ao Notícias Automotivas pela oportunidade.

Por Peraldiano

5.0

  • Adoro essas matérias. Esperando o DGA fazer do Etios :)

    • 4lex5andro

      é uma qualidade dos honda, conjunto suspensao, bom torque e bom acabamento alem do cambio cvt..

      mas com o novo hrv a tendencia é o crv subir o preço ..

      • Wanderson Perin

        O câmbio não é CVT, ele usa o mesmo 5 marchas do Civic…mas não deixa de ser bom.

  • Marcos Lopes

    Parabéns !
    sai de uma ranger 2008 também e também queria um crv mais acabei comprando um civic lxr (ago/2014 )
    a minha fazia em torno de 8,5km/l na cidade ( trab-> casa -> trab ) o civic ta fazendo 11,5.

    • Daniel Gimenez

      Marcos, você está gostando do Civic? Qual sua opinião sobre o carro?

      • Marcos Lopes

        pô to adorando , demorei um pouco a acostumar ( sai de uma ranger) com posição de dirigir mais baixo, os cuidados com o pneu de perfil baixo ( aro 17 perfil 50 minha ranger era perfil 75 … ) fora isso é só alegria praticamente testei todos os sedans ( -jetta ) na época que comprei e fiz tb test drive em quase todos que pesquisei ( – cruize pois tinha que agendar … ) .Minha preferencia era pelo fluence mais depois de colocar tudo na balança ( seguro, desvalorização, opinião de donos, cesta de manutenção, consumo ) acabei comprando o civic lxr 2.0 ( azul denin ) mod.2015.
        To adorando o carro alem do seguro ser bem barato ( pelo menos no meu caso ) ele é super econômico ( mais até que a maioria dos carros 1.0/1.4 e 1.6 ) faço no meu percurso normal 11,5km/l e em viagens ( andando na lei 110-120 ) em media 16,5 a 17 ) . Adoro em viagens passar pro modo manual e dirigir usando só os paddles . O carro é super garrado no chão e a dirigibilidade dele é fantástica as vezes indo pra casa vou fazer o retorno mais longe só pra continuar a andar no bichinho.
        Na época que comprei (ago/14) paguei 73,4k nele , o sentra não gostei pelo fato do cvt dele nao possuir mudança manual, o fluence mesmo mudando de frente ( na época era a frete de sapo ainda) não quiseram dar descontos e o seguro ficava caro ( não sei porque ) , na ford não aceitavam minha ranger como parte do pagamento (!!!!) ( preferiria um hath ) também não gostei do acabamento dele ( o forro molenga ) – não que o do civic seja uma maravilha não … – a falta de sistema descente de manduça de marchas manual ( queles botonosinhos na alavanca são intragáveis … ) . Cruize dirijo um de vez enquanto e apesar de ser muito confortável e bonito acho ele meio lento em baixa rotação e tem um consumo um pouco mais elevado . Jetta nem pensei pois nesta faixa de preço ele simplesmente não vem com motor … alem de achar o visual super ultrapassado e antiquando alem de eu só ter tido dor de cabeça com meu ultimo vw … sobrou o civic e corola sendo o corola 9k a mais ( xei) que o lxr na época que comprei então foi esse o escolhido .

        • Resendemaster

          Marcos , como é em relação ao conforto? Eu andei no Civic de 2010 quando fiz uma viagem e achei a suspensão dura e não muito confortável não.

          • Marcos Lopes

            sim o cruize , fluence e corola são mais confortáveis que ele em termos de suspensão , quando se esta andando em um via boa ( casos raríssimos no rj / br ) é tranquilo agora pegou buraqueira, asfalto remendado , estrada de chão fica realmente desconfortável . Mais acho ele bem balanceando entre rigidez e conforto , mais com certeza é mais duro que os outros citados ai em cima, o que ajuda são os excelentes bancos dele que tem um apoio lateral legal é são bem macios ele tem um ajuste mais pra esportivo … tem seu lado bom e seu lado ruim … o lado bom é a percepção de segurança e firmeza podendo entrar em curvas sem reduzir muito e ocarro faz sem nem sentir o lado ruim é o citado acima em aslfalto ruim vc sente tudo ( cada remendo ) mais nunca senti batidas secas na suspensão . Já dirigi o civic anterior (8º geração ) achei ele mais duro que este meu (9º).

            • Resendemaster

              Valeu pela resposta.

            • Darwin Luis Hardt

              acho que suspensao dura é coisa de honda mesmo. Meu fit parece que vai quebrar todo numa rua de paralelepipedo. Super duro. O HR-V também ouvi falar que é mais dura que do civic até

          • GPE

            O modelo anterior do Civic é nitidamente mais duro e mais baixo. O modelo atual tem boa proposta entre conforto e rigidez p estabilidade

        • Marcos Souza

          toda vez q eu vejo alguém falando do consumo desses carros, me dá um desanimo de fazer 13,5 na gasosa e 9,5 no etanol… :(

      • Charlis

        Desculpa o intruso aqui, mas eu tenho um Civic também, talvez posso agregar alguma informação.
        O meu Civic atual é mais humilde, é o LXS 1.8 2014, versão mecânica, já com o cambio de 6 marchas.
        É difícil pra falar do Civic sem eu ser parcial, já que eu tive as 3 últimas versões deste carro.
        A confiabilidade sem dúvidas é um ponto excelente.
        O primeiro (LX 1.7 MT 2003), andamos perto de 70 mil km, o segundo foi o LX 1.8 MT 2007 gasolina, andamos perto de 60 mil km, e o atual esta com 30 mil km, acabei de fazer a última revisão, semana passada.
        Os 3 Civics foram comprados 0 km, e por serem mecanicos, sempre com excelentes descontos. Este último foi 62 mil, o preço dele de tabela era 66 mil

        Em nenhum dos 3 eu tive absolutamente nenhum problema, sequer uma lanterna queimada tivemos.
        Pra não falar que nunca aconteceu nada, apenas no primeiro (2003), tivemos uma embreagem fazendo barulho de falta de óleo, quando acionada.., apenas uma lubrificada no pedal, pronto.

        Inclusive este primeiro, tivemos uma GIGANTESCA vacilada, durante seu ultimo ano, ficamos naquela vende, não vende, vamos trocar pelo novo… e esquecemos sua revisão, e sua troca de óleo rs.
        E o motor continuou intacto.

        Sobre este modelo atual, no meu caso que é cambio mecânico, o consumo dele é excelente.
        Primeiro teste logo quando comprei (abril de 2013) consegui fazer 17,6 km/l de gasolina na estrada, porém antes da gasolina ser 25% de alcool, em janeiro deste ano, fiz uma viagem marcando 16,5 km/l.
        Estas foram as 2 únicas vezes que ele viu gasolina.
        Com etanol na gasolina, consigo fazer 12km/l tranquilamente andando no limite da pista.
        Se exagerar nas aceleradas, levar os giros até os 7 mil RPM, sair dos pedágios aceleranto tudo, médias perto dos 150km/h, ele fica na casa dos 9km/h (etanol).
        Revisões, a de 10.000K ficou 300 reais mais ou menos, a de 20.000K 400 reais, e essa de 30.000 ficou em 550 reais, pois não tinha mais a mão de obra grátis.

        A de 40.000K será cara, perto dos 1.000 reais.
        O seguro pra mim, fica em torno de 2.000 reais, tenho 29 anos e sou casado, e moro em uma cidade bem grande em SP.

        O resto, só você dirigindo pra tirar suas conclusões, sobre o desempenho, cambio, estabilidade, e afins…
        Eu considero um carro muito prazeroso de dirigir.

        Hoje, no Brasil, o único carro que eu trocaria pelo Civic, considerando o preço e afins, é o Golf TSI.

        Fora ele, nenhum outro!

        • riccorreasp

          O Fusion consome muito mais do que o Civic em viagens?

          • Charlis

            Vish, não da nem pra comparar cara.
            O Fusion é um alcoólatra anônimo.
            Considerando que o meu ainda é um FWD, gasta menos.
            Mas o que o Civic faz brincando no etanol, ele faz chorando na gasolina rs.
            Porém, com o Fusion é muito difícil viajar sem dar umas aceleradas, eu particularmente nunca consegui ainda.

        • Marcos Lopes

          o consumo do meu lxr (2.0 auto ) é o mesmo do seu na cidade quase sempre por tanque faz 11,3 ( no cb 11,5 ) e na estrada 16,5 ~17 ( depende da empolgação/ estrada / radares etc etc ) é algo realmente surpreendente esse consumo .
          Quanto ao prazer em dirigir é subjetivo mais com certeza EU nunca tinha dirigido um carro que realmente da gosto como o civic ( nunca dirigi nenhum premiun [ bmw, mb , audi, volvo ] ) .
          Agora piada foi uma matéria da AE dessa semana que o cara diz que ele faz 5,1km/l no etanol na cidade e o seguro é 5k … nunca levei muito a serio AE mais desta vez eles abusaram na falta de veracidade … ( ou o cara mediu o consumo no modo manual só de primeira marcha !) .

          Moro no RJ tenho 42 meu seguro ficou ( bonus 0 ) em 2,38k. Só penso em trocar de carro pelo próximo civic (10º) …

          • Edson Fernandes

            Marcos, exatamente hoje eu manobrei o Civic da minha chefe e nele marcava baixissimos 5,1km/l de média de consumo.

            • Marcos Lopes

              pois é muito estranho no meu só usei alcoon 1 vez e coloquei poquim ( $ 50 a 2,75 ) mais ele não fez menos de 8,5km/l ( cidade ) mesmo assim.
              o Unico carro que tive que bebia deste jeito foi um gol g5 1.6 (dez/2008) que fazia 4,5km/l no alcoon e 7 na gasolina ( claro comprei ele com defeito e a vw NUNCA conseguiu consertar ele ) vendi com 14k km rodado o pior carro e a pior assistência que ja tive de uma montadora por isso não recomendo vw pra ninguém …

              meu civic 2.0 andando na cidade enfiando o pé arrancando em todos os sinais, usando o S e modo manual ,o minimo que consegui na cidade no meu trajeto diario e medidos em 1 tanque foi 9,3km/l. . Andando normal é 11,3 km/l ( na bomba no cb 11,5 ). .

            • Marcelo Amorim

              Me pergunto se meu Civic e de um amigo eram fabricadoserrados,automaticos e pra conseguir 7.5 dentro da rua em Natal era alisando o acelerador,junto ao tanque pequeno,dava certinho pra animar.

              • Edson Fernandes

                Só quis dizer o que eu vi. Meu cunhado mesmo diz que o Civic que ele teve (que era de geração anterior ao atual) era muito bom.

                Eu não gosto de carros duros como o Civic mas o acho lindo. obviamente, teve um momento que ele poderia ser uma boa opção, mas foi o que eu vi e me assustou, porque é um consumo bem baixo. Mas isso eu só vi no computador de bordo, não conheço o trajeto que ela faz.

        • Zergling

          6 marchas?

    • Pedro Henrique

      o pai de um amigo meu tem uma CR-V também.. o único porém que ele diz do carro é que ele é uma nave, então qualquer saída da garagem, manobrada, é um avião, todo cuidado é pouco… (eu sei que ele gosta de pisar então entendo que outro motivo é o motor/cambio)

  • Bruno Brasil

    Minha próxima troca com certeza, hoje tenho um civic q ja rodei mais de 130mil/km em 5 anos e sou apaixonado pelo carro, agora quero pegar uma SUV de vdd dessas, a cada relato mais me apaixono !

    Agora, 100mil ainda é pouco para um carro como esse, vc passa tranquilamente isso sem maiores problemas, mas claro q quanto menos rodado é melhor.

    Parabéns pelo carro !

  • Rodrigo

    Eu tenho uma CR-V 2007! Adquiri em janeiro de 2013 com 60mil km. Hoje está nos 100mil e não apresenta nenhum ruído em portas, nem painel. O motor ainda não reclama e não altera performance.
    Excelente carro! Espaçoso, confortável, e dá pra dizer, não é caro hoje em dia!
    Creio que não exista versão sem o VSA (controle de estabilidade)!
    A minha consome 8,5 km/L em trecho misto. Meço da mesma forma, no abastecimento.
    Já vi muitas “avaliações” que levam em conta o computador de bordo, que obviamente não traduz a realidade.
    Parabéns pela avaliação e por compartilhar sua experiência!
    Foi uma excelente compra!
    Eu planejo trocar a minha pelo modelo 2012, quando estiver em conta como este modelo está hoje!

    • AndreiVieira

      Vixe, cuidado, daqui a pouco aparece um daqueles haters das japonesas (inconformados com a qualidade destas) dizendo que você foi burro, que poderia ter comprado uma captiva 6cc que faz 3 km/l e záz!!

      • Bruno_O

        Segundo vários fóruns gringos que andava lendo quando ia sair do país, nos EUA e Canada o pessoal considera Toyota/Honda/Mazda/Subaru mais confiáveis do que o trio alemão de luxo. Vi mta gente falando que teve Audi, MB e BMW e teve vários problemas com o carro, no fim voltavam todos para as japas.

        • Piantino

          ah tá….

        • Netovski

          O mini foi considerado um dos carros mais problemáticos do mercado americano se não estou enganado naquele consumer reports.

      • Rodrigo

        Além dos japa haters há os SUV haters, que por algum motivo misterioso odeiam este tipo de carro… vai entender!

        • AHSOliveira

          No geral SUVs são ineficientes, peso elevado, centro de gravidade alto, aerodinâmica pouco favorável, Raio de giro ruim… O que acaba prejudicando a dinâmica de condução, estes fatores eram piores no primeiros SUVs, por isso o seguimento pegou a fama de ruim, apesar de muitos nem saberem claramente os motivos. Eu vejo que é um seguimento que tem evoluído e melhorado algumas deficiências. Um Civic Perua seria mais eficiente que um CRV? SIM! Mas é o que o mercado quer?!

          • AndreiVieira

            Um Civic perua teria o meu espaço interno do sedan,já a CRV é muiiiito, mas muito maior! Sua teoria é furada! Se vocês se preocupassem, ou ao menos tentassem entender os motivos que leva as pessoas a terem gostos diferentes, metade dessas discussões inúteis não existiriam!

            • AHSOliveira

              “Muito maior”, mas não quer dizer que possua um layout mais eficiente na utilização do espaço, só por curiosidade a distância entre eixos do Civic é levemente maior que a do CRV e tirando a altura as diferenças das demais dimensões são relativamente pequenas.
              As bases para esta “teoria furada” é discutida dentro das publicações de uma tal de SAE, Entidade a qual sou associado. E não foi exatamente uma discussão, foi um simples complemento ao comentário do Rodrigo. Você pode entrar no site da SAE e procurar no acervo por publicações mais antigas, sem a necessidade de ser associado. Aí você pode chegar a alguma conclusão com argumentos mais sólidos.

        • Netovski

          O ódio que as pessoas têm é de crossovers, porque tomaram o lugar dos SWs no nosso mercado oferecendo menos por mais, sem nenhuma funcionalidade extra senão a altura em relação ao solo, já que tem pouco ou nenhum potencial offroad de forma geral em suas variantes à gasolina com tração dianteira.

          Nunca vi alguém falar mal de uma Range Rover por ex.

  • Baralho

    “Suspensão sincera”, motor deprimido, bancos carinhosos, porta malas folgado, cambio contido e visibilidade exuberante!!!!!

    • junior

      Review fofo kkkk

      • Baralho

        Se um dia fizer uma avaliação de um carro com suspensão dura, vou dizer que ela é sincera!!! kkkkk
        Ainda mais se for Honda ou Toyota que ninguém pode falar a verdade por que já te chamam de hater!!!! rsrsrsrs

    • Netovski

      Porta-óculos mimoso

  • Maycon Farias

    Parabéns, fez uma ótima compra. Eu compraria de olhos fechados.

  • Kenny

    Parabéns pela compra, e pelo achado. Já tentei algumas vezes achar um CR-V usado e nunca encontrei disponível, quanto mais um em tão bom estado. A única vez que encontrei um, já estava vendido.

    [OFF topic]
    O configurador da Jeep está disponibilizando os preços do Renegade, seus opcionais e pinturas. Um Trailhawk chega a 156mil se totalmente equipado. E o Compass subiu de 89 pra 104mil.

  • Chega_de_Ignorância

    Muito bom.
    Eu só ficaria com a pulga atrás da orelha em razão desse intervalo de 3 anos para revisar, entre os 10 e os 20 mil quilômetros, se não foi trocado óleo nesse período.
    O meu Civic 2009 já está batendo os 120 000 km e desejo trocar, pois tendem a aparecer novas manutenções agora (4 discos e fluido, embreagem já deu o que tinha que dar faz tempo, talvez amortecedores traseiros, quem sabe alguma coisa de coxim/buchas, óleo da caixa MT, velas, mais uma regulagem de válvulas, logo logo novos pneus e por aí vai) e eu desejo permitir que fiquem de presente para o futuro dono.
    No mais, esses carros (assim como os Toyota) fazem jus à fama… São racionais, porém estão mesmo um degrau acima em qualidade/durabilidade em relação ao que estamos acostumados aqui no Brasil, seja VW, seja Chevrolet, seja Fiat, seja Ford, seja Renault/Nissan e Peugeot/Citroen.

    • Bruno_O

      Segundo vários fóruns gringos que andava lendo quando ia sair do país, nos EUA e Canada o pessoal considera Toyota/Honda/Mazda/Subaru mais confiáveis do que o trio alemão de luxo. Vi mta gente falando que teve Audi, MB e BMW e teve vários problemas com o carro, no fim voltavam todos pras japas.

    • CorsarioViajante

      Durabilidade num carro de 30.000km? rs Acho que neste caso ainda falta rodar muito para enaltecer a durabilidade, apesar da idade.

      • Chega_de_Ignorância

        É verdade, tem razão! Acho nem carro chinês estraga, hehehe

        • CorsarioViajante

          EU sei que pareço chato por bater nesta tecla, mas canso de ver gente falando que vale a pena pagar uma fortuna a mais pela “robustez” dos japoneses… E vender o carro com 50.000km ou 2 anos.

          • Chega_de_Ignorância

            Pois é, uma excelente questão a se pensar.
            De fato a pessoa precisa avaliar as suas necessidades na hora de escolher o carro…

            • Netovski

              Exatamente às vezes o carro é espetacular mas depois de conhecer pessoalmente e em uma análise mais fria a pessoa observa que o carro oferece diferenciais dos quais ela não faz questão e deixa de oferecer aquilo que ela realmente deseja. Em suma, “não é o carro pra mim”.

            • CorsarioViajante

              Sim! Se o cara vai ficar vários anos com o carro, rodar uns 200.000km com ele, poxa, vale a pena pagar mais caro! Senão será que não valia mais a pena optar por uma opção menos espartana em conveniência ou motorização? Sei lá. Ao mesmo tempo sempre aplaudo uma marca conquistar tantos fãs pelo pós-venda, ainda que facilitado pela falta de modelos de maior volume de vendas.

          • Netovski

            Uma hipótese, mas essa robustez faz com que com os mesmos 70 mil que pagariam um carro de outra montadora ou segmento mais completo ele tenha que abrir mão de uma série de itens de conforto e conveniência e comprar um carro mais básico, e depois desses 2 anos ele passa a não agüentar mais a falta daqueles itens e prefere inteirar 30 ou 40 mil na troca por um 0km mais equipado.

            • CorsarioViajante

              É isso. Compram carro para o segundo dono. Daí não conseguem ficar um ou dois anos com o carro, já passam para a frente, e compram outro carro para o segundo dono, e assim em diante.

          • iCardeX

            Eu questionei uma cliente porque é que ela estava vendendo um Civic com 60.000km rodados se estava tão novo. Ela prontamente responder: “daqui para frente é só dor de cabeça, todas as revisões serão caríssimas!” Ela anunciou no OlX, o telefone dela travou de tanta ligação….

            • CorsarioViajante

              É isso que acho engraçado. O cara gasta a mais para comprar um carro que “não dá dor de cabeça” e vende com 60.000 para não ter dor de cabeça.. Vai entender.

        • Marcos Souza

          donos de lifan 320 discordam…rs

      • Vagnerclp

        Isso é verdade, o meu sandero com 33 mil km ainda não desmanchou como dizem alguns entendidos que carro francês não presta (eu sei que pandero não é francês, mas me refiro a marca). Já que vai desmanchar logo, vou esperar isso acontecer pra vender kkkk.

      • Wanderson Perin

        Meu CRV já está com 130mil, nunca fiz nada além de revisões.

      • Eliezer Junior

        Concordo demais. É fato que alguns modelos japoneses (principalmente Toyota, como Prado, Hilux e Corolla) são exaltados pela mecanica robusta e tal, mas fico pensando daqui, com projetos tão antigos e espartanos, será que não fica mais fácil? Moro num lugar onde todo mundo exalta o Uno por sua robustez, que “não bate” e etc e tal, mas com uma rápida olhada voce percebe que aquela porta de geladeira não tem o que bater! Agora, o que é fato é que eles têm um pós-venda muito mais maduro que outros que vemos por aí, mas tambem não é “selo de qualidade Japão”, vide Mitsubishi, por exemplo, que eu ouço mais reclamações ate do que dos franceses. Então, resumimos a história a Honda e Toyota com seus “tanques de guerra” que até pouquíssimo tempo atras não possuiam nem ao menos um acionamento automático dos vidros e se o seu dedo estivesse no percurso dos mesmos, podia se considerar um adeus ao seu membro (até o Gol ja tem anti-esmagamento há muito tempo). Aí é aquela história de gente que paga ate R$ 20 mil a mais num carro muito mais simples que os concorrentes pra vender no máximo com 60 mil km se exaltando que sua máquina é inquebrável…
        Vou lhes relatar minha experiência com o CR-V: Compramos um 2008 acima dos 80 mil km (hoje la pros seus 130) para uso estritamente familiar, basicamente urbano e com pouco peso. Estou vendo médias tão absurdas aqui nos comentários que nem parecem ser do mesmo carro. Sempre ouvi dizer que o olho do dono que engorda o porco, mas tem gente exagerando demais. Não sei o que vocês consideram uso urbano, mas no nosso caso, com lombadas, ladeiras e trechos de no máximo 60km/h, o consumo da na média 6,5 sendo generoso (usando o carro normalmente, se voce descer e o empurrar ele deve dar 8 mesmo, mas penso que voce da os limites ao carro e não ele a você). Na estrada, de bom humor e pé não muito apertado, da pra conseguir uma média muito boa de 12,5/l. Com o pé MUITO folgado ja vi marcar 14,5, mas só pra mérito de conversa de boteco mesmo… Quanto á robustez? Depois dos 100 mil km, o carro começou a se despedaçar. TODAS as travas automáticas deram problema (ao custo de mais de R$900 cada), o coxim do motor quebrou (?) sendo que a UNICA PEÇA DISPONÍVEL NA BAHIA custava R$1500 (!!!!!) e estava a quase 900 km de distancia e, pra completar o rol de grandes despesas, como se não bastasse, o compressor do ar condicionado quebrou. Custo na autorizada? Não faço a menor ideia, depois do susto do coxim, nunca mais passei perto de uma, mas mesmo no mercado paralelo, uma boa não saiu por menos de R$1000. Sem falar das miudezas, custos menores como lâmpadas, faróis de milha e empurroterapia, como quando a minha mãe foi fazer uma revisão e ela custou mais de R$3000. E mesmo com tudo isso, pra mim o carro tem um defeito mais grave ainda: Eu nunca achei uma posição de dirigir que me agradasse por mais de 1h. Nem sou tão grande assim, meço 1,85 (talvez um gigante para os japoneses), mas sempre os pedais estão muito perto ou o volante está muito longe, ja que o ajuste de profundidade do volante tem um curso de uns 3 milímetros. Esse é imperdoável.

        • CorsarioViajante

          Obrigado pela paciência de escrever este texto, li e gostei.

          • Eliezer Junior

            Que bom, cara! Acho que vou replicar ele la em cima pra ter mais opiniões, raramente escrevo um texto sobre carros, apesar de serem minha maior paixão!

        • Tiago Cassiano da Silva

          alguns anos atrasados , mas sai de uma corolla 2003 com 240mil rodados(130 em casa ) e troquei um pivo dianteiro direito, peguei uma crv 2010 com 98 mil que estou a um ano, ja tive problemas em lanternas, ar quente, catalizador, sonda lambda e suspensao traseira, bandeja quebrou na estrada , fora o assalto… chegando agora aos 140 descubro o cambio patinando custo medio de 5 mil, detalhe que todas as revisoes na honda onde foi comprado e em dia , enquanto o corolinha so trocava oleo e alinhava e tome pau, resumindo a honda empresta a robustez da toyota por ser do mesmo japao, é parecido mas nunca igual …. e quanto aos comentarios que vi acima são parcialmente verdadeiros, dificil um toyota ter problemas de acessorios porque eles nao tem nenhum! ar vidro direcao trava e se contente com isso e um painel que parece de um monza 92. ou sejatoyotas sao belos por fora miseraveis por dentro e com um puta projeto mecanico de dar inveja a qualquer montadora

          • Eliezer Junior

            Concordo contigo, suspensão ja estourou duas vezes e agora foi o alternador, sem falar na bateria de celular que sempre descarrega, cadê a confiabilidade?

    • Antonio Pacheco

      O último “opinião do dono”, foi de um proprietário de Nissan Sentra com 160 mil km rodados sem maiores problemas. Está certo que Honda e Toyota fizeram jus à fama que conquistaram, mas creio que a Nissan também tem um powertrain confiável. Tanto é verdade que essa mecânica do Sentra é a mesma de vários outros carros vendidos nos EUA e Europa, sem histórico de problemas.

      • Wanderson Perin

        Mas Nissan também é japonesa, tão bom como Toyota e Honda.

    • Netovski

      Depois dessas manutenções qual o intervalo para as próximas? Acredito que à exceção da necessidade de retífica, caso haja, você roda mais uns 40.000 só trocando óleo e filtros, não?

      • Chega_de_Ignorância

        Se trocar: embreagem, 4 discos, 4 pastilhas, fluidos gerais (motor, caixa, arrefecimento, freio, DH), amortecedores traseiros (um está “suado” de fluido), revisar embuchamento da susp. e coxim do motor, velas (ainda originais do carro, pode ser que estejam presas no cabeçote de alumínio), correia acessórios (não tem dentada) e regulagem de válvulas, eu não vejo razões pra não rodar mais uns 80 ou 100 mil sem precisar se esquentar com nada, além do básico (pastilhas, óleo, filtros, palhetas e pneus)… Talvez uma carga de gás, pois eu uso muito A/C e nunca foi revisado nada… A suspensão desse carro é durável, os meus amortecedores traseiros eu temo que tenham zoado numa pancada muito forte que eu dei há uns 6 meses num buraco, bem do lado do amortecedor que está com um pouco de óleo. Mas a suspensão em si está OK, alinhamento perfeito e nenhum barulho.
        Os defeitos crônicos desse carro são o coxim do motor (o meu ainda está OK mas pode estourar a qualquer hora), a embreagem dos MT (a minha está péssima) e algumas coisinhas de DH, que também podem dar pepino a qualquer hora.
        No mais é só óleo e filtros… Com regulagem de válvula a cada 50, 60 mil pelo menos.
        Só que essa manutenção que eu digo tem que ser com peças genuínas e numa oficina boa, porque trocar embreagem tem que ser serviço bem feito. Também tem que cuidar desse cabeçote na hora de tirar as velas, que estão lá desde 2009 sem ver a luz do sol. Não sai barato… E também é hora de um carro mais moderno, afinal são 6 anos de convivência.
        Mas dá pena de trocar… Só tem uma repintura no parachoque traseiro por essas raspadas comuns de estacionamento… Tanto é original a pintura que tem até um queimado na tinta na porta do passageiro…
        Retífica de motor nem pensar. Sempre trocado óleo com 8, 9 mil e no prazo máximo de 1 ano, conforme determina o manual…

  • Bruno Wendel Marcolino

    Parei de ler aqui:
    “Considero o CR-V uma station-wagon disfarçada.”

    Até então o relato estava bom.

    • Rodrigo

      É mesmo, pois é bem melhor que uma station wagon! :p

      • Bruno Wendel Marcolino

        Ai vai do gosto, eu já prefiro perua.

        Não que a CR-V seja ruim, longe disso, mas dizer que é uma SW disfarçada acaba como qualquer texto…kkk

    • Zoran Borut

      Mas faz sentido, já que a base é de um sedã, e não de um utilitário com longarinas e tal, projetado para enfrentar off-road pesado do tipo que sujeita o carro a várias torções na carroceria.

      Aliás, o nosso primeiro EcoSport era vendido na Europa como Fusion, uma versão mista de minivan com perua do Fiesta, sem aquele estepe “vejam, sou off-road!!!” na traseira.

  • Alvaro Guatura

    Esse carro impressiona, não ao olhar a ficha técnica ou lista de ítens de série, mas o projeto e prazer ao dirigir agradam muito. Só estando dentro de um pra saber

  • nightwishjp

    Galera, queria uma ajuda de vocês. Vou alugar um carro pra mim e mais quatro amigos para uma viagem de 18h, na locadora o preço que dá é o grupo G, que tem Ideia e Sandero. Ideia 1.4 e Sandero 1.6. Qual o melhor dos dois? Penso que seja o Sandero, mas o Ideia é um carro mais de família e coisa e tal. Tô na duvida.

    • Bruno_O

      Vai de Sandero, pq espaço vai ser importante com 5 no carro.

      • nightwishjp

        Valeu demais. Infelizmente como não tenho como escolher, vou forçar isso.

    • Bruno Wendel Marcolino

      passa bem longe do Idea.

  • Brave_Jaguar

    uma das traseiras mais feias que já vi (mais ainda é um bom carro).

    • Peraldiano

      Ok, mas como eu ando na frente, não me preocupo com traseiras….

  • Félix

    “Quatro adultos podem fazer uma viagem de 2 horas sem reclamação”…. ?!?!?!

    • Gustavo73

      Viagem de 2 horas? Até em um compacto isso não é difícil. Diria 4 sem problemas.

      • Netovski

        Eu já tive compacto peladão, um clio authentique do qual gostava muito e, na minha opinião, como motorista, a única coisa que realmente cansa no carro em viagens de 8 a 14 horas é pisar no acelerador por horas a fio e só um cruise control pra resolver isso. Não adianta ser um médio sem piloto automático, vai cansar do mesmo jeito.

        • Gustavo73

          Já fiz viagens longas (acima de 8 horas) em médios e compactos. O que incomoda é ficar sentado na mesma posição por longos períodos. E ter que estar atento o tempo todo. Para não fazer uma M tipo do vídeo do post sobre a distração. Depois de um tempo cansa. Requer paradas. Mas com 4 pessoas acho que Up, Celta, Uno podem ser incômodos para qiem está no banco traseiro.

          • Netovski

            Algo que cansa um pouco é segurar o volante por 6, 10 ou 14 horas a fio.

          • iCardeX

            Rapaz, já viajei no Uno Fire, com mais 3 cuecas. O banco traseiro era um “deus nos acuda”. A disputa era para dirigí-lo. Era menos pior estar ao volante.

            • Gustavo73

              Não tenho lembranças, mas fiz algumas vezes Brasília – Rio – Brasília em um Fusca 1300 com meus pais e bisavó. A questão é sempre a referência que se tem. Óbvio que em um médio ou grande será mais confortável. Mas não impede nada.

              • iCardeX

                Sim, é claro. Mas no caso desse Uno Fire, o proprietário surrava demais o bichinho. E era viagem Brasilia/Foz/ Brasilia. Hoje ele vai F350……

      • Minerius Valioso

        Bom, pelo menos no Corsa, a anatomia dos bancos é horrível, o ruído interno é alto, e o veludo esquenta pra burro em dias quentes.

    • iCardeX

      Viagem para mim é no mínimo 4 horas. 2 horas, é bem ali na esquina….

  • Redpeak77

    Eu também tenho um CR-V. Peguei usado, ano modelo 2011. Além dos elogios do Peraldiano, tenho duas queixas: O estepe é tão visado quanto o tamanho dele. Já haviam me falado sobre isso e tive que pagar para “quase ver”. Quase porque a película antivandalismo na janela traseira inibiu o roubo.
    Por algum motivo, me dói a região lombar em viagens de mais de duas horas. Já tentei outros ajustes de banco sem sucesso e a minha esposa também disse a mesma coisa.
    Meu carro ainda está com baixa quilometragem, por enquanto não tenho nada mais o que reclamar. Espaço é superlativo nesse carro e motor atende para a proposta familiar.
    Uma curiosidade: Nunca tive um rádio de recepção tão boa, especialmente sendo original de fábrica. Os falantes originais também são muito melhores que a média.

    • Bruno Brasil

      Imagino q deva ser o mesmo sistema q o Civic q é antena elétrica.

    • Baralho

      Cara, tenho quase certeza que é altura do banco em relação ao assoalho que lhe causa este desconforto, este problema não tem solução devido ao projeto do banco e do carro, talvez uma almofada ou algum adaptador lombar possa ajudá-lo.

    • Eliezer Junior

      É IMPOSSÍVEL achar uma posição de dirigir confortavel! A lombar sempre vai doer e voce vai ter que ficar intercalando entre uma posição e outra…

      • Redpeak77

        Não sei nem se é relativo à posição, @eliezerjunior:disqus. Já tive carros com bancos muito mais difíceis de regular posição, mas que nunca me deram dores assim.
        Talvez seja a espuma do banco muito mole, sei lá.

  • VORTEC REDNECK

    Eu gosto desse carro. Muito confortável. Dirigi o da minha tia algumas vezes e pra mim a única falha do modelo é o desempenho pífio. É lenta essa CRV! Um carrão desse tinha que oferecer melhor desempenho, não entendo um carro familiar não ofertar desempenho. 5 pessoas e bagagem tornam a CRV um legítimo 1.0 dos mais fracos. Se vc pegar pista simples com tráfego meu amigo, prepare-se para passar apuro.

  • Pedro Rocha

    Conseguiu vender a Ranger a gasolina por 30K? Ela estava com kit gás? Qual a quilometragem?

    • Marcos Lopes

      desculpe ser entrometido mais passei pela mesma situação : a minha 2008 XLS cd com 90k km rodado ( com os 4 pneus careca , kit gnv e pintura um pouco marcada ) entreguei na ccs honda por 25,5k em ago/2014 . no particular poderia ter conseguido 28-30k mais preferi não ter dor de cabeça depois …

      • Pedro Rocha

        Não é nenhuma intromissão; muito pelo contrário. Fiz a pergunta porque na região onde nasci (interior do estado do Rio) dificilmente vocês conseguiriam vender picapes a gasolina por esse preço.
        Creio que a explicação é o preço absurdo – até para os padrões nacionais – dos combustíveis no Rio, que faz com que qualquer um passe longe de picapes que não sejam a diesel.

  • Felipe Meyer

    Não falar do motor completamente MANCO deste carro é no mínimo totalmente PARCIAL… Este carro anda menos que um Uno Fire… Um completo lixo. Amigo meu falou que ia comprar um, eu o alertei mas mesmo assim ele insistiu na compra. Em uma semana ele falou: “Como eu gostaria de ter te ouvido, o carro anda menos que uma carroça.”

    • Luciano J

      Aperte o botão “econ” ai o show esta feito, pra andar menos só andando de ré.

      • iCardeX

        kkk

    • Leandro

      Concordo, esse carro é considerado o 1.0 dos SUVS, o relato foi bom, mas o motor dele não da conta desse elefante, se arrasta na estrada. Falo por experiência própria, um amigo meu tem e reclama mutio disso, já viajei com ele me seguindo e pra esse carro chegar a 100km/h é um sufoco!!

      • CorsarioViajante

        Uma vez viajamos em “comboio”, uma parte num jetta tsi e outra num HRV… Pense numa humilhação! hahahaha

        • Leandro

          Imagino, hehehee. Mas vc tá com o lançamento da Honda na cabeça, foi CRV né? rsrsrs. Na época eu tinha um Bravo 1.8, que muita gente fala mal do motor, mas na verdade ele é ruim na baixa rotação, acima dos 3500/4000 o bichinho até que é bom!

          • CorsarioViajante

            Hahaha verdade, troquei os nomes… rs

      • Iran Borges

        Off topic: gostei do avatar hehe.

      • Eliezer Junior

        Ja postei todas as minhas reclamações do carro, mas a história do primo de um amigo do meu tio não cola. O carro da 160 brincando, o unico porem é que ele “grita” pra manter a velocidade e se estiver pesado, ate vai cair um tanto, mas nada de tão ruim, visto que o ganho com consumo é positivo. Pra você que é um Vettel da vida, serve mais uma Captiva v6, vai dar 2km/l, mas vai andar 20 km/h na frente do CR-V. Que tal? ;)

    • Peraldiano

      Ok, espero que seu amigo esteja contente com o Uno fire dele.

      • iCardeX

        kkkk

    • Minerius Valioso

      Um desastre criado por uma lei idiota chamada de “tributação sobre cilindrada”.

    • Wanderson Perin

      Não sei de onde você tirou isso, não é esportivo, porém tem torque em alta rotação…acelera pra ver…o povo fica com medo de acelerar com medo que vai beber…Eu não fico a traz de ninguém.

    • Eliezer Junior

      Ja postei todas as minhas reclamações do carro, mas a história do primo de um amigo do meu tio não cola. O carro da 160 brincando, o unico porem é que ele “grita” pra manter a velocidade e se estiver pesado, ate vai cair um tanto, mas nada de tão ruim, visto que o ganho com consumo é positivo. Pra você que é um Vettel da vida, serve mais uma Captiva v6, vai dar 2km/l, mas vai andar 20 km/h na frente do CR-V. Que tal? ;)

      • Leandro

        160 km/h brincado de que? De tartaruga né? Cara, o carro é lento. Aceite. Nas retomadas é lento, nas arrancadas é lento. É um carro alto e pesado, além do motor não dar conta, tem aerodinâmica ruim…

  • Almir

    Puxa, estou procurando uma cr-v pra comprar e seu relato chegou na hora certa.
    Em todo os sites que procurei opiniões sobre a crv, todos elogiam e a única reclamação é a potência fraca, mas hj em dia pra quê carro potentes se ficamos mais parados no trânsito do que correndo em vias livres né.
    Vc deu muita sorte de ter achado essa com baixa kilometragem e por apenas 43 mil reais, porque eu procuro e só acho acima de 65 mil rodados e quanto mais nova no ano mais rodada é.
    Parabéns pela ótima aquisição.

  • CorsarioViajante

    O maior defeito deste carro é a performance, muito lento mesmo, é algo que chama a atenção negativamente. Mas é compreensível pela proposta de ser bem familiarzão. De resto, um carro honesto, não me empolgou em nada quando viajei de carona em um, mas deve ser, como Corolla, um ótimo “carro invisível”.

    • Peraldiano

      Ok, concordo, mas é a proposta do carro, afinal ninguém pode exigir desempenho radical de um crossover como se fosse um hatch ou sedã…..

      • CorsarioViajante

        Sim. Se para a pessoa isso não é um problema, vá em frente. Para mim incomodou, e olha que hoje dirijo de forma extremamente moderada.

  • saosao

    Parabéns!!! Nunca cogitei uma SUV, mas se fosse para escolher, a CR-V estaria entre as primeiras.

  • Minerius Valioso

    “É nessa altura que começam os problemas com suspensão, transmissão, motor, vedações, correias, retentores, embuchamentos, rolamentos, cabos,módulos eletrônicos e outras miudezas que costumam ser caras, além de tomar tempo e mais paciência ainda.”

    Pô, mas a Honda e Toyota não são marcas que “não dão manutenção”? O que me dizem os mais experientes que têm os carros das fabricantes?

    No mais, gostei do relato. Faltou dizer sobre o desempenho.

    Lamentavelmente, as leis idiotas brasileiras impedem que este carro tenha o motor 2.4 litro, como é nos Estados Unidos.

    • Janduir

      Quase não apresentam problemas, mas quando quebra, prepare o bolso… por isso o dono fica com medo e passa pra frente.

      • Peraldiano

        Nem tanto por isso. Andei pesquisando preços de peças de reposição e estão dentro do razoável “sem sustos”.
        O problema é a mão de obra, quase geralmente desinformada e amadora.

        • Janduir

          Peças de reposição como pastilhas, correias, disco de freio, o preço é normal. A zica é quando quebra algo pouco comum. Exemplo, tive um Corolla SEG que precisou trocar um coxim do motor, paguei 800,00 na css. Nem tinha paralelo…

  • David

    Quando trocar o óleo troque o filtro junto. Não vale a economia inútil e preferencialmente use o óleo havoline(é o fabricante que envasa o óleo honda) recomendado ou superior(SN)

  • Freaky Boss

    Meu pai tem um, desse mesmo modelo. Acho que é 2008 também. Já bem rodado. > 100mil km!. Meu testemunho: Como todo japonês (nissan, honda, toyota) o carro tem uma robustez impecável. Não dá defeito nenhum, não queima nem lâmpada. Impressionante!
    De negativo, o que vários disseram: Coloque 4 pessoas e algumas malas, e o carro fica muito lerdo na estrada! Já viajamos várias vezes nele. Faz uns 15km/l (ótimo!), mesmo carregado, mas para ultrapassar parece que você está em um carro 1000! Tem que negociar bem as ultrapassagens!
    Mas eu compraria um para mim se explorasse esse nicho.

  • CharlesAle

    Trocar o filtro de óleo a cada duas trocas, o ideal seria sempre que trocar o óleo, pois o velho restante no filtro contamina o novo. Quanto ao carro, o acho “lerdo” demais em desempenho! Mas é um excelente carro urbano..

  • André Castan

    Parei de ler qdo disse que gostou do etios. Perdeu toda credibilidade.

  • Wagner Lopes

    Esse carro não me desperta a menor das emoções…quando vi o painel então…mas parabéns por encontrar algo que lhe satisfaça por um preço justo. Também utilizo os usados a muitos anos.

  • Pedro Filho

    esse lance de quilometragem do manual é bobagem, tem gente que roda 30mil e diminue 20mil para parecer ter rodado apenas 10mil e corre para concessionaria para fazer revisão e carimbar o manual…

    • Peraldiano

      Vivendo e aprendendo. Tem gente que faz isso, mesmo que nem saiba por que….
      Tenho quase certeza que muita gente aqui faz isso.
      Se você conhece alguém que faça isso, sorte sua.
      Mas fazer isso num carro com 30 mil km rodados, me parece forçar demais a barra.

      Mas vai de cada um….

      • Pedro Filho

        não é somente com 30mil amigo, é a cada 30mil…

        • Peraldiano

          A cada 30 mil…..
          Então o cara deve passar uma vida com o carro…..

          • Pedro Filho

            não precisa tanto, em 04 anos um carro de 120mil parece ter apenas 40mil…

    • CorsarioViajante

      Infelizmente é bem comum. Outra coisa que fazem, tristemente, é pedir uma “segunda via” do manual e carimbarem revisões falsas.

  • Netovski

    Review bacana mas acho que eu teria pesadelos à noite se tivesse um carro com consumo médio de 8 km/L.

  • Pietro

    Parabéns pelo carro e ótimo relato. Meu pai teve um e é um bom carro mesmo. Acho somente o motor inadequado para o peso, mas no geral o carro é bom. Uma boa escolha!

    Só não consegui compreender que achar pagar R$ 35 mil em um C3 Picasso automático é caro e quase conseguir se conformar com um Etios 1.5 por R$ 45 mil… mas… rsrsrs

  • WagnerSCS

    Nossa, que belo relato, como há muito tempo não lia!
    Excelente compra, além da maneira certa de escolher e procurar o carro ideal, sem ansiedade, sem afobação. Quem dera se outras pessoas comprassem carros dessa forma também… Parabéns mesmo!
    Confesso que não sou muito fã do CR-V, mas já andei em um como passageiro e, tenho que admitir: o carro é bom mesmo, nem mais, nem menos, apenas na medida para quem procura um carro bonito, espaçoso e confiável.
    Grande abraço e boa sorte com a nova aquisição!

  • Wanderson Perin

    Cara, vi você falando sobre esse recurso brake-hold…meu crv ano 2009 exl, não tem isso.. se eu tirar o pé do freio no Morro, ele volta… alguém mais aqui que tenha crv confirma isso?

  • Gostei do relato sobre o carro foi bem fiel. Quem gosta deste tipo de carro geralmente é quem tem família e precisa de espaço (Que é o meu caso) diga-se de passagem. Na minha próxima compra estou inclinado à dois modelos, que pode ser o CR-V ou o Mitsubishi Outlander. Sei que se parecem pouco, mas tem algumas coisas em comum, são japoneses e confiáveis, são espaçosos. Gostaria mesmo de ler um relato parecido de um proprietário de uma Outlander para formar melhor minha opinião. Se houver alguém aqui no forum que tenha, adoraria conhecer mais e quem sabe fazer um comparativo.
    Ah, vale lembrar que a Outlander tem duas opções de motorização (2.4 ou 3.0v6) e andei lendo que ambas são coerentes no quesito força motriz.

  • sergio augusto

    Muito bom esse carro, otima compra, Honda e Honda, boa sorte.!!!

  • Marcelo Jr.

    Parei de ler nessa parte:

    “A suspensão é sincera e não esconde as imperfeições do asfalto e
    transmite a sensação de “grudar” até em curvas fechadas. Exatamente o
    mesmo comportamento de um Bora 2006 que tive anteriormente.”

  • Gran RS 78

    Parabéns pela compra, especialmente por não ter comprando um carro Okm e alimentado essa corja das montadoras com o aval do nosso desgoverno. Realmente quem tem um carro automático, dificilmente comprar um carro manual no futuro. Aproveite bastante esse ótimo carro que é o CRV.

  • StationW

    Acho engraçado esses comentários do tipo “o carro é muito confiável, comprei 0km e vendi com 60km e não apresentou nenhum problema sério”. Ou então “carro já com 100km e o motor está bom”. Com essa km QUALQUER CARRO deveria ser confiável. Se dá problema são casos pontuais, na minha opinião. Com manutenção em dia nenhum motor abre o bico antes dos 200km e só acima dos 120~130km que aparecem as manutenções mais pesadas.
    Fica fácil dizer que civic é confiável se compra zero e roda 50km hahahahaha
    Parabéns pelo carro e pelo relato.

    • iCardeX

      Pois é, nunca vi um dono de Honda e Toyota abrir a boca para falar: “Tá aqui um carro confiável, 300.000km rodados e nada quebrou”. Eu já vi veículos de 425.000km rodando tranquilamento por aí….

  • David Zoëga

    O dono do carro escreve bem heim!! Podia mandar ele por G1. Tá precisando. Ah, e eu sou um fã dessa geração, do CR-V. Espero comprar o meu em breve.

  • Darwin Luis Hardt

    tenho um fit primeira geraçao ano 2008 cvt. Peguei com 60mil km, inteiraço, há dois anos. Já estou com 124 mil km, andei mais de 60 mil em apenas dois anos. Meu objetivo era ficar com ele até completar 10 anos também, mas entendi bem teu ponto sobre o que acontece quando passa dos 100 mil km. Já estou tendo que trocar peças por desgaste natural, vida útil acabando, rompendo algumas coisas e tal, e peça na honda nao é barato. Consigo poucas coisas confiáveis no mercado paralelo, mas sempre tem peças que só da honda presta, aí que vem a faca. Queria trocar por um CR-V 2008 também. Mas no fim também nao vale a pena pegar mais uma “tranqueira”. Já pensei também numa RAV4 2008. Mas agora que sairam o Jeep Renegade e Honda HR-V, quero ver se consigo um deles com 1 ano de uso e baixa quilometragem.

  • valmir

    Se contenta com pouco hein! carro beberrão. Sem comparar, meu HR-V faz 8,6 no Álcool e na cidade.

  • Eliezer Junior

    É fato que alguns modelos japoneses (principalmente Toyota, como Prado, Hilux e Corolla) são exaltados pela mecanica robusta e tal, mas fico pensando daqui, com projetos tão antigos e espartanos, será que não fica mais fácil? Moro num lugar onde todo mundo exalta o Uno por sua robustez, que “não bate” e etc e tal, mas com uma rápida olhada voce percebe que aquela porta de geladeira não tem o que bater! Agora, o que é fato é que eles têm um pós-venda muito mais maduro que outros que vemos por aí, mas tambem não é “selo de qualidade Japão”, vide Mitsubishi, por exemplo, que eu ouço mais reclamações ate do que dos franceses. Então, resumimos a história a Honda e Toyota com seus “tanques de guerra” que até pouquíssimo tempo atras não possuiam nem ao menos um acionamento automático dos vidros e se o seu dedo estivesse no percurso dos mesmos, podia se considerar um adeus ao seu membro (até o Gol ja tem anti-esmagamento há muito tempo). Aí é aquela história de gente que paga ate R$ 20 mil a mais num carro muito mais simples que os concorrentes pra vender no máximo com 60 mil km se exaltando que sua máquina é inquebrável…
    Vou lhes relatar minha experiência com o CR-V: Compramos um 2008 acima dos 80 mil km (hoje la pros seus 130) para uso estritamente familiar, basicamente urbano e com pouco peso. Estou vendo médias tão absurdas aqui nos comentários que nem parecem ser do mesmo carro. Sempre ouvi dizer que o olho do dono que engorda o porco, mas tem gente exagerando demais. Não sei o que vocês consideram uso urbano, mas no nosso caso, com lombadas, ladeiras e trechos de no máximo 60km/h, o consumo da na média 6,5 sendo generoso (usando o carro normalmente, se voce descer e o empurrar ele deve dar 8 mesmo, mas penso que voce da os limites ao carro e não ele a você). Na estrada, de bom humor e pé não muito apertado, da pra conseguir uma média muito boa de 12,5/l. Com o pé MUITO folgado ja vi marcar 14,5, mas só pra mérito de conversa de boteco mesmo… Quanto á robustez? Depois dos 100 mil km, o carro começou a se despedaçar. TODAS as travas automáticas deram problema (ao custo de mais de R$900 cada), o coxim do motor quebrou (?) sendo que a UNICA PEÇA DISPONÍVEL NA BAHIA custava R$1500 (!!!!!) e estava a quase 900 km de distancia e, pra completar o rol de grandes despesas, como se não bastasse, o compressor do ar condicionado quebrou. Custo na autorizada? Não faço a menor ideia, depois do susto do coxim, nunca mais passei perto de uma, mas mesmo no mercado paralelo, uma boa não saiu por menos de R$1000. Sem falar das miudezas, custos menores como lâmpadas, faróis de milha e empurroterapia, como quando a minha mãe foi fazer uma revisão e ela custou mais de R$3000. E mesmo com tudo isso, pra mim o carro tem um defeito mais grave ainda: Eu nunca achei uma posição de dirigir que me agradasse por mais de 1h. Nem sou tão grande assim, meço 1,85 (talvez um gigante para os japoneses), mas sempre os pedais estão muito perto ou o volante está muito longe, ja que o ajuste de profundidade do volante tem um curso de uns 3 milímetros. Esse é imperdoável.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend