*Destaque Manutenção

Como conhecer o real estado de molas e amortecedores?

molas-amortecedores-4 Como conhecer o real estado de molas e amortecedores?

Conhecer o real estado de molas e amortecedores é bastante complicado. Balançar o veículo na altura dos para-malas com as mãos nem sempre dá a resposta que o proprietário ou pretendente à dono deseja, pois não se sabe exatamente a resistência do conjunto ao movimento em cada carro. O teste verifica se a suspensão continua subindo ou descendo após tirar as mãos.



No entanto, é necessário uma investigação maior para saber em que pé anda a suspensão do automóvel. O conjunto de suspensão parece simples, mas não é. Molas e amortecedores têm um papel muito importante no automóvel e negligenciar seu estado acarretará em um custo alto, tanto em termos financeiros quanto em segurança.

molas-amortecedores-4 Como conhecer o real estado de molas e amortecedores?

Sinais de problema

Uma volta rápida no veículo pode indicar que as coisas não andam boas. Oscilações exageradas em curvas, perda de estabilidade, balanço em acelerações e frenagens ou saltitar do veículo durante a condução podem denunciar problemas, assim como vibrações, ruídos e batidas secas. A verificação do estado dos pneus e desgaste excessivo de componentes da suspensão também indica isso.

As molas – normalmente helicoidais, pois apenas picapes utilizam ainda os conhecidos feixes de molas, sejam parabólicas ou semielípticas – têm a função de sustentar o carro e ajudam na absorção de impactos. Os amortecedores possuem a tarefa de controlar o movimento das molas. Quando estas começam a perder a eficiência, alguns sinais visuais aparecem no veículo, tais como suspensão arriada ou baixa demais com carga. Isso sem contar o “dar bloco”, quando os elos da mola se encostam, finalizando o curso.

Nesse caso, é necessário uma inspeção visual para se verificar o estado das molas, que não podem apresentar oxidação, deformação ou falhas de pintura. No caso dos amortecedores, deve-se observar se há vazamentos e deformações nos tubos, buchas, fixações e no guarda-pó. Nestas condições, os fabricantes recomendam a troca de molas por igual, mesmo que apenas uma delas esteja ruim.

molas-amortecedores-4 Como conhecer o real estado de molas e amortecedores?

Mantendo em dia

Geralmente, no caso dos amortecedores, recomenda-se duas trocas a cada troca de molas. Os fabricantes recomendam uma inspeção a cada 40.000 km, mas a vida útil depende de outros fatores, tais como o modo de dirigir do proprietário, estado geral da suspensão e condições do piso onde geralmente se trafega. Em alguns casos, o conjunto mola/amortecedor dura mais de 100.000 km.

Por conta disso, manter a manutenção em dia significa adiar tais trocas, que podem ser bem custosas, dependendo da marca/modelo do veículo. Além disso, preserva-se outros componentes do veículo além dos braços de suspensão, tais como freios, direção e até mesmo a estrutura do carro, garantindo a manutenção da dirigibilidade original, bem como a segurança.

molas-amortecedores-4 Como conhecer o real estado de molas e amortecedores?

Máquinas de avaliação

Mas, mesmo assim, se o proprietário não estiver satisfeito com teste de balanço ou inspeção visual, existe outra forma de se detectar problemas em molas e amortecedores. Fabricantes como Nakata e Cofap, por exemplo, disponibilizam equipamentos que podem verificar o estado da suspensão com mais eficacia.

O Shocktester da Cofap é uma máquina que avalia as condições da suspensão e identifica as peças que estão com defeito. O teste dura de 10 a 20 minutos e é oferecido por oficinais, centros automotivos ou em eventos itinerantes. Geralmente é gratuito, mas alguns estabelecimentos podem cobrar. No caso da Nakata, a máquina de avaliação testa o conjunto em 10 minutos, mas o serviço é cobrado e está disponível apenas nas oficinas de referência da empresa.

molas-amortecedores-4 Como conhecer o real estado de molas e amortecedores?

 

 

Fraudes

Embora muitos estabelecimentos trabalhem de forma correta e honesta, existem fraudes no mercado. Peças recondicionadas vendidas como novas é um risco para segurança e o bolso. Por isso, nota fiscal e certificado de garantia são imprescindíveis. Esses dois também são importantes no serviço de troca, pois oficinas desonestas podem trocar apenas um lado e cobrar o serviço completo. Vale lembrar da recomendação de se trocar os dois lados, mesmo que um esteja bom.

Quando o mecânico indicar que um ou mais amortecedores estão com vazamento, preste atenção se o lubrificante está sujo de poeira. Vazamento muito recente pode indicar uma fraude se o veículo foi erguido no elevador sem a presença do proprietário ao lado. Na dúvida, melhor não arriscar.

Outro ponto de observação é quando a oficina ou centro automotivo indica a troca de mola e amortecedor juntos, mesmo que não seja necessário. Às vezes, para convencer o cliente, alguns estabelecimentos colocam os amortecedores em promoção e tiram a diferença nas molas e outras peças, que muitas vezes são de qualidade inferior aos demais componentes.

[Fonte: Revista Quatro Rodas]

COMPARTILHAR:
  • Louis

    O maio problema nesse ramo é que tem muito picareta tentando passar a perna no cliente. Já troquei amortecedores e depois tive a certeza que o cara da loja em “empurrou” a troca, assim como a cambagem.
    Hoje só troco quando tenho a certeza da necessidade, ou se o meu mecânico de confiança disser que é necessária. Meu último carro troquei com 150 mil km.
    O mais difícil hoje é encontrar gente séria no mercado. Não é a toa que a High Torque está fazendo tanto sucesso.

    • Camillo Celio

      Cambagem nao se faz, o propio carro nao tem ajustes de cambagem,o que eles fazem é um “jeitinho brasileiro” de ciborgar e puxar na marra a suspensao. Se o cara fez cambagem em um conjunto novo de amortecedor, isso é um erro grave.

      • KOWALSKI

        Depende do carro amigo, têm carros que possuem sim o ajuste de cambagem. Já ”ciborgar” é pra carro que sofreu algum sinistro grave e desalinhou os pontos da carroceria, ficando sem geometria.

        • KOWALSKI

          “Cambagem não se faz”. Não generalize, carros não são todos iguais.

          • Edson Fernandes

            Eu tive que fazer em um C3 que não havia sofrido batida, mas tinha sofrido com alguns buracos que peguei…. e digo… melhorou muito porque o carro estava pessimo para dirigir diante dos buracos que peguei(era uma via que estava para recapear, estava pessima)

      • afonso200

        suspensao independente nas 4 rodas meu Azera tem sim essa regulagem

        • Ediomar

          Vectra B também tem regulagem traseira,alias essa suspensão tem que ser revisada por quem entende,senão a dor de cabeça é grande

    • Pelo menos aqui na minha região, não se deve fazer revisão de suspensão e pneus em centros automotivos. Todos eles passam a perna no cliente e trocam muitas coisas desnecessárias. Já levei o carro para trocar pneus uma vez e não sei como inventaram um orçamento de R$ 2.000. Por isso que apenas confio isso ao meu mecânico de confiança. Se ele disser que tem que ser trocado, troco com ele. Se ele não faz o serviço, levo no centro automotivo e peço que seja feito só aquilo e mais nada.

      • Rodrigo

        Fuja daquelas oficinas em mercados que vc ganha alinhamento e balanceamento caso compre os pneus nele. Oficina Brasil só tem picareta e mechânicos.

      • Louis

        Exatamente, hoje se eu levar carro em centro automotivo dessas redes, já estou “vacinado” e vou recusar qualquer serviço em que eles “encontrem” o problema na hora. Talvez só para trocar pneus, alinhamento e balanceamento, mas nas últimas vezes mandei para meu mecânico de confiança mesmo.

      • Janduir

        Ao menos a Dpaschoal aqui do Centro de SBC não tenho o que reclamar. O único carro que levei e eles recomendaram a troca do amortecedor realmente estava vazando óleo. De resto, a 4 anos levo meus 2 carros pra alinhar anualmente (e vez ou outra troco pneus) e não tenho do que reclamar…

    • Renato Cestari

      Sou técnico e possuo centro automotivo e tem muito motorista picareta também. Já troquei pneu de cliente com amortecedor vazando óleo – e mesmo ciente do problema veio reclamar do desgaste ondulado depois. Quem perdeu foi ele, pois ganhei uma boa indenização na justiça. Existe lugares desonestos, mas existem lugares que trabalham com seriedade, nao concordo generalizar.

      • KOWALSKI

        Tem muito cara que não sabe nada de porra nenhuma mas que explicando bem entendem direitinho, já outros são p@u N# C*’s que gostam de tirar vantagem dos reparadores. Eu recuso serviço desses tipos quando pisam na oficina, mesmo que batam o pé e saiam relinchando.

      • Louis

        Concordo que gente aproveitadora tem em qualquer lugar, empresas, clientes…

      • Fernando S.

        O problema é que em cada 10 centros automotivos, 7 querem empurrar coisas desnecessárias ao cliente. Infelizmente parece o caso dos políticos, existem os bons? Claro que existem, mas a regra é ser picareta.

      • Edson Fernandes

        Sabe qual o problema? É quando vc acaba de fazer uma determinada revisão e o cara quer condenar uma peça que vc colocou.

        Aconteceu com minha irmã que trocou na concessionaria amortecedores de um Corsa em epoca. Ela foi depois trocar os pneus e o centro automotivo disse que eles estavam estourados. Para piorar, JOGARAM oleo para demonstrar o vazamento.

        Como minha irmã me ligou, eu disse para ela pegar os pneus novos, guardar no carro e leva-lo na concessionaria. Os caras limparam, testaram o carro e ainda fizeram o serviço de colocação dos pneus gratuitamente (com alinhamento e balanceamento).

        Picaretagem pura desse centro automotivo que para variar era novamente de supermercado.

        • 4lex5andro

          Off topic (ou nem tanto): foi descoberto nas investigações da Lava-jato, desvios de propinas pagas a oderbrecht, sim, roubo do dinheiro que tava sendo roubado em pagamentos de grandes obras do governo.

          Daí se depreende o que o domínio de arrecadação mediante um serviço especializado (tanto uma grande obra licitada para o estado, como um carro levado pra conserto na oficina, do maior orçamento ao menor) é tentador, mas parece tentador só no Brasil, mesmo o pagamento sendo generoso e seja condizente (ou até superdimensionado) em relação ao serviço prestado.

          O Brasil é o país do ”levar vantagem”, é crônico no pensamento do país.

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      O meu ta com 155 mil km e ainda não troquei, ando a semana toda sozinho e carro vazio, vou trocar o carro esse ano sem ter que trocar os amortecedores. Antes que falem que sou imprudente, ja fui em mecânicos bons e falaram que os de trás estão bons e os da frente agora que começaram a vazar um pouquinho, mas não está comprometida a dirigibilidade nem segurança, mas não compensa eu gastar agora se vou trocar o carro.

      • Fernando Oliveira

        Você é o típico brasileiro… A bomba está para estourar, vai passar pra frente e o coitado que pegar seu carro que se lasque. Imagino como deve estar as outras partes… Se vender para um “garagista”, o mesmo vai dar aquela “maquiada básica” e assim “picaretagem” continua. O povo tem o governo que merece, sem nenhuma dúvida.

        • Gorpo de Etérnia

          Discordo do seu comentário. O colega acima não vai passar nenhuma bomba pra frente. Os amortecedores estão bons, claro, desgastados, mas não estão pondo a segurança de ninguém em riso. E outra, quem compra um carro com 155 mil km, já deve estar ciente que deve revisar certas pessas, nessas inclusas, componentes da suspensão.
          Se o garagista vai maquiar o carro, isso nada tem a ver com o proprietário que vendeu o carro.

          • Fernando Oliveira

            Amigo, fica difícil acreditar que esta “bomba” não estourará na mão do próximo proprietário e te explico os motivos:

            1) O cidadão deixou bem claro, que os amortecedores começaram a vazar. O mesmo também afirmou que usa o carro todos os dias. Ora, se o ele mesmo admitiu que não irá trocá-los, com esta frequencia de uso, em que estado não estará estes amortecedores, quando finalmente vender o carro? Dificilmente este vazamento não terá piorado;

            2) Manutenção preventiva. Já ouviu falar? Neste caso, nem será mais preventiva e sim corretiva. Quem possui carro e tem um mínimo de experiência sabe que a manutenção corretiva é bem mais cara que a primeira, o que neste caso será herdada pelo “coitado” do comprador. O cara usa o carro todos os dias e não pode trocar os amortecedores? Se não pode ter carro, ande de ônibus. Sai mais barato.

            3) Concorde comigo, que o trecho “…mas não está comprometida a dirigibilidade nem segurança, mas não compensa eu gastar agora se vou trocar o carro.”, está claramente sugerindo que o cidadão não vai fazer a devida manutenção, não por que não pode, mas porque não quer. O que seria “não compensa” senão, deixar para o próximo proprietário a “surpresinha” ? Mais uma vez, ele está exercitando sua “brasilidade”, só pensando em si e que os outros se danem…

            4) Óbvio, que o atual proprietário não tem nada a ver se alguém maquiar o carro após a venda, no entanto, convenhamos que se a manutenção estiver em dia (o que claramente não é o caso) a possibilidade de fraude é bem menor ? E quem garante que a quilometragem estará em 155K (quilometragem verdadeira), quando próximo desavisado cair neste embuste ?

        • Hugo Leonardo Dos Santos

          Falei, sempre tem um pra encher o saco, valeu Anjo 😇 Fernando estrangeiro

  • expoJapãoAcelLondrina

    buraqueira

  • Fernando S.

    Isso é muito relativo e tem ligação direta com o dono do carro. Quem “voa” por lombadas, valetas, buracos e tartarugas, além de subir em guias altas com força excessiva, com certeza terá problemas com essa parte de molas-amortecedores antes dos 50 mil km rodados, quem sabe dirigir com prudência leva esse mesmo veículo acima de 120 mil rodados.

    E é muito importante o dono ter algum conhecimento de veículo (ou ter algum amigo/parente que conheça) e suas peças pra não ser “engolido” por auto-centers que gostam de empurrar trocas ou serviços desnecessários.

  • Flávio Salazar

    Prestador de serviço é um problema, isso em qualquer área. Muitos tentam te empurrar serviços desnecessários. Por exemplo, dizem que sai mais caro recondicionar um amortecedor usado do que produzir um novo. Então porque tem tanto recondicionado pra vender no mercado? Será porque trocam o amortecedor antes da vida útil acabar, depois dão uma “ajeitada” e revendem? Deve ser um negócio muito lucrativo, não?

  • Contador

    Troquei os amortecedores no tempo certo.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email