História Matérias NA Mitsubishi SUVs

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Pajero Full: este é atualmente o modelo topo de linha da gama mundial da Mitsubishi.

Com 12 anos de mercado internacional, o Pajero Full é ainda um modelo desejado por muitos, especialmente com motor diesel.


Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Porém, seu futuro é incerto, pois até agora nenhuma proposta de geração foi colocada em execução e não há veículos em teste que comprovariam que o Pajero Full em breve mudará.

Mas, enquanto isso, ele continua sendo o produto clássico da marca, que tem o DNA originário dos anos 80.


Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Como se sabe, a gama de utilitários esportivos da Mitsubishi não tem apenas o Pajero Full, mas sim utiliza o nome Pajero em quase todos os modelos (apesar do mesmo ser chamado Shogun em países de língua espanhola).

Exceto os crossovers Eclipse Cross, ASX e Outlander. O produto vai de um singelo kei car até um SUV de porte do Pajero Sport, derivado da picape L200 Triton Sport.

Nenhum destes dois produtos segue a linha de evolução original do produto, sendo que apenas os Pajero Full e Pajero Full 3D evoluíram para a atual quarta geração, que nessa matéria você vai conhecer um pouco melhor.

Pajero Full: o nascimento

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Em 30 de setembro de 2006, a Mitsubishi mostrava no Salão de Paris o Pajero Full.

Tratava-se da quarta geração do utilitário esportivo nascido em 1982. Com carroceria volumosa e robusta, o novo SUV da marca japonesa era bem imponente e vinha obrigatoriamente com duas variantes.

O Pajero Full chegou ao mercado internacional como geração V80, sendo que as anteriores eram L040, V20 e V60.

O veículo tem duas carrocerias, sendo que a menor é a chamada 3D. A maior, de até sete lugares, não tem uma denominação em particular.

O Pajero Full de sete lugares mede 4,90 m comprimento, 1,89 m de largura, 1,90 m de altura e 2,78 m de entre-eixos.

Pelo porte, ele é ainda maior que o Pajeto Sport da nova geração. Pesando 2.385 kg, o Pajero Full tem 200 litros de porta-malas com os sete assentos erguidos, mas o volume fica bem maior com o rebatimento das duas fileiras.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

O tanque tem 88 litros e a suspensão dianteira é independente com dois braços sobrepostos, enquanto a suspensão traseira tem multibraços com os semieixos de tração. Falando nisso, o Pajero Full tem o sistema Super-Select II 4WD, herdado da geração anterior.

Logo de cara, o Pajero Full surgiu com capacidade de transposição de cursos d´água de 700 mm, bem como ângulo de entrada de 36,6°, ângulo de saída de 25° e ângulo de vão central com 25,2°.

A capacidade de reboque sem freio é de 750 kg e com freio, alcança 1.800 kg.

Além disso, o Pajero Full foi equipado pela Mitsubishi com motor diesel 3.2 MIVEC turbo diesel 4M41 com 165 cavalos a 3.500 rpm e 38,1 kgfm a 2.000 rpm.

O câmbio é automático de cinco marchas até hoje, o que permitia ao SUV ir de 0 a 100 km/h em 13,4 segundos e ter máxima de 174 km/h.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Junto com o diesel, surgiu um V6 3.8 MIVEC a gasolina, que entregava 280 cavalos, mas no Japão, por causa da legislação local, o propulsor era outro, um V6 3.0 litros.

Em 2009, o V6 3.0 deu lugar ao 3.5 nesse mercado, assim como em países onde o anterior era usado. A potência ficou em 192 cavalos com 31 kgfm.

Na atualização mecânica de 2011, o Mitsubishi Pajero Full ganhou um 3.2 turbo diesel mais potente, entregando assim 200 cavalos e 44,7 kgfm. Nesse caso, a mudança também resultou em atendimento à norma Euro V.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

No mesmo ano, o V6 3.8 MIVEC pulou para 250 cavalos e 33,4 kgfm. Em 2015, todos os V6 foram atualizados para reduzir a emissão de poluentes. Mas, a caixa de mudanças continua a mesma de cinco marchas e automática.

Apesar de ser um dos carros mais antigos ainda em produção no mundo e sem data para a geração vigente sair de cena, o Pajero Full se mantém um carro íntegro no que diz respeito à segurança, tendo obtido 5 estrelas no ANCAP (Austrália) em 2013.

Pajero Full 3D

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

O Pajero Full tem uma versão curta, o Pajero 3D.

Esse modelo de cinco lugares é herança do modelo original de 1982, mas hoje não tem nada a ver com produtos como Pajero Dakar, Pajero Sport, Pajero Mini ou Pajero iO, por exemplo.

Pequeno, o Pajero 3D tem duas portas, mas lá fora a terceira é a tampa do bagageiro, daí o termo “3D” ou “3 Doors”. Ele mede 4,385 m de comprimento, 1,895 m de largura, 1,880 m de altura e 2,545 m de entre-eixos.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

O diminuto porta-malas tem 200 litros e mais 85 litros no tanque. O modelo tem colunas B reforçadas e vigias laterais elevadas, assim como a vigia traseira e as lanternas são maiores.

A motorização do Pajero Full 3D é a mesma do irmão maior, sendo que no Brasil era oferecido V6 3.8 a gasolina com 250 cavalos e diesel quatro cilindros 3.2 com 200 cavalos.

O sistema de suspensão e tração também é igual, assim como o câmbio automático de cinco marchas, o que já se tornou bem limitado.

Pajero Full: estilo

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Com porte avantajado, o Pajero Full chama atenção pelo porte grande e grande área envidraçada.

O SUV da marca japonesa tem frente dotada de grandes faróis quadrados com projetores duplos circulares no interior, sendo um layout presente desde o lançamento.

Inicialmente a grade com frisos cromados era bem horizontalizada e menos robusta que na atualidade, onde o Pajero Full ostenta um conjunto com barras cromadas verticais nas extremidades, com dois frisos largos horizontais e conexão com a grade inferior, presente no para-choque.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Falando nele, o desenho básico também pouco mudou em 12 anos, tendo anteriormente faróis de neblina circulares e agora um conjunto de LEDs diurnos junto aos faróis auxiliares, destacando mais o veículo nas ruas, além de um protetor central inferior, sob a grade da placa.

O Pajero Full chama tem capô curto, tendo saídas de ar laterais e colunas não tão espessas, sendo as “A” retas e pouco inclinadas, com das “D” mais grossas, dando uma impressão de maior robustez.

As janelas são grandes e a linha de cintura é pouco elevada, o que privilegia a visibilidade.

A base das janelas sobe suavemente em direção à traseira, enquanto as portas possuem proteções laterais bem avantajadas, talvez numa tentativa de compensar a linha lateral pequena.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

O teto é bem reto e obrigatoriamente vem com barras longitudinais. Na traseira, uma característica marcante do Pajero Full e que deve ter inspirado modelos como o Ford EcoSport é o estepe preso na tampa do bagageiro.

O pneu reserva vem com uma capa protetora bem envolvente, que agrega a placa de identificação do veículo. Inicialmente, apenas a parte central era coberta, mas hoje somente a parte inferior do pneu é exposta pela cobertura.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Como a tampa traseira tem abertura lateral, o estepe fica bem apoiado nela e não torna seu manuseio difícil. Outro item que não mudou foi formato e tamanho das lanternas, que são pequenas e agora possuem lentes transparentes.

A vigia na tampa do porta-malas do Pajero Full é grande e ajuda bem nas manobras.

Já o para-choque sempre teve aspecto robusto na atual geração, tendo um acabamento que imita barras e com ele aos refletores, pois a luz de neblina fica na capa do estepe e a luz auxiliar de freio na parte superior da tampa, onde há um pequeno defletor de ar.

No Pajero Full 3D, as vigias laterais são grandes, assim como as portas, mas o layout geral é o mesmo da versão maior. Ambos apresentam rodas de liga leve aro 20 polegadas com pneus 265/50 R20 de aspecto moderno.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Por dentro, o Pajero Full também pouco mudou. O painel tem aspecto simples, com difusores de ar pequenos, porta-objetos na parte superior, porta-luvas de dimensões razoáveis e alguns pequenos compartimentos no console central.

Um aplique central imitando metal ajuda a compensar o tempo de projeto, mas não esconde sua idade.

É antigo. O cluster é totalmente analógico e conta com dois grandes mostradores com nível de combustível e temperatura da água, sendo que o conta-giros vem ainda com indicador de marcha.

A instrumentação do Mitsubishi Pajero Full reflete também o peso do tempo com um display digital bem arcaico, com grafismos e apresentação de anos atrás.

Mas, mesmo a L200 Triton Sport da atualidade, ainda exibe um layout parecido, o que ajuda a aliviar a pressão sobre o jipão 4×4.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Falando nisso, o túnel central exibe outra característica do Pajero Full, a alavanca de engate do sistema 4×4 com as posições 4×2, 4×4, 4×4 reduzida e 4×4 com bloqueio. Ao lado, a alavanca da caixa automática de cinco marchas.

O volante multifuncional tem aspecto bom, apesar de ser e parecer antigo, tendo quatro raios e comandos para mídia, telefonia e piloto automático.

Na parte central, a multimídia atual tem tela de sete polegadas sensível ao toque com hot spot Wi-Fi e os sistemas Google Android Auto e Apple Car Play.

Ela também reproduz imagem da câmera de ré e tem conexões Bluetooth e USB, bem como aplicativos diversos, incluindo o útil Waze e um GPS nativo, que não tem dados de tráfego.

O layout é moderno e intuitivo, contrastando muito com os primeiros rádios usados pelo Pajero Full, bem mais simples.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

O ar-condicionado automático é o mínimo que o Pajero Full poderia oferecer, sendo que um sistema dual ou trio zone é necessário, embora tenha comandos de ventilação no banco traseiro e difusores de ar no teto, o que ajuda no conforto de quem vai atrás.

Falta também paddle shifters no volante, assim como freio de estacionamento eletrônico, pois o mesmo continua a ser manual, tal como a troca de marchas apenas na alavanca.

Os bancos são amplos e revestidos em couro bege ou preto, sendo os dianteiros com ajustes elétricos e aquecimento.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

O banco traseiro bipartido é dobrável e ajustável longitudinalmente, o que ajuda na entrada para a terceira fileira e também na ampliação do bagageiro.

Para os dois últimos passageiros, o banco do Pajero Full é integrado e apenas dobrável, um recurso que não é tão bom quanto em concorrentes (em preço) como Toyota SW4 e Chevrolet Trailblazer, por exemplo.

O porta-malas do modelo japonês é grande, tendo um grande volume para bagagens com a terceira fileira dobrada e ainda mais com a segunda rebatida também.

O ambiente amplo tem boa claridade durante o dia e ainda goza de um teto solar elétrico, que não é panorâmico.

Pajero Full: equipado razoavelmente

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Em termos de conteúdo, o Pajero Full segue a cartilha de 12 anos atrás, sendo que a maior inovação de lá para cá seja de fato a multimídia. O SUV da Mitsubishi conta com faróis de xênon com lavador e LEDs diurnos.

Também vem com sensores de estacionamento traseiro, câmera de ré, freios ABS com EDB, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, frenagem de emergência, seis airbags, Isofix e keyless para entrada, partida e travamento sem uso de chave.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Por dentro, o sistema de som tem apenas seis alto-falantes.

Há luzes de leitura e alguns porta-objetos, além de apoio de braço centralizado para os bancos dianteiros e o da segunda fileira. A coluna de direção é ajustável apenas em altura e o volante é revestido em couro.

A direção é hidráulica e os retrovisores possuem rebatimento elétrico, assim como vidros e travas são elétricos, além de ter ainda sensor de chuva e crepuscular, alças para acesso ao interior e retrovisores com repetidores de direção embutidos. Um detalhe interessante é que as vigias laterais são basculantes tanto no Pajero Full padrão, quanto no menor 3D.

O futuro do Pajero Full

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

Como se pode notar, o Pajero Full oferece um conteúdo mediano e nível tecnológico ultrapassado, mas suas características de robustez e confiabilidade o mantém vivo ainda no mercado internacional.

Infelizmente, por enquanto, a Mitsubishi ainda não definiu como será seu sucessor. Se o já tem, ainda não o revelou.

A expectativa é que este chegue como um híbrido, mas sem perder sua capacidade 4×4, que pode até ser ampliada com mais tecnologia embarcada.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões

No mercado brasileiro, o Mitsubishi Pajero Full 2019 é vendido em versão única com motores V6 3.8 de 250 cavalos e diesel 3.2 com quatro cilindros e 200 cavalos, custando R$ 232.990 e R$ 251.990, respectivamente.

No caso do Mitsubishi Pajero Full 3D, a oferta compreende apenas a versão diesel 3.2 de 200 cavalos, câmbio automático e tração 4×4 com preço sugerido é de R$ 221.990.

Ambos continuam sendo importados do Japão, sendo os únicos da representante nacional que até hoje não foram nacionalizados, apesar do longo tempo de presença no mercado e potencial de vendas localizado.

Pajero Full: detalhes, motores, equipamentos e versões
Nota média 4.8 de 6 votos

  • Domenico Monteleone

    Enorme e desajeitado, parece que foram juntando o desenho de vários carros em um só.

  • MG

    É o atual carro do Lula, na cor preta.

    • pedro rt

      e faixas douradas. nao so dele mas de todos os q roubam nosso dinheiro

  • Renato Pereira de Oliveira

    é um carro para estar nadando de braçada no segmento, porem a mit simplesmente morreu. Começo dos anos 2000 pajero era pra que tinha muita grana, um carro grande, confortável e quase inquebrável, porém o ficou para trás, toda concorrência se atualizou e a pajero é o mesmo carro até hj

  • André

    Também tem o nome de MONTERO em alguns países. Continua sem novidades, mas é confortável e confiável.
    É uma DISCOVERY que não atualizou. Quem compra, deseja o conforto sem frecura e robustez; não um Jipe di luxo sendo transformado em “automóvel SUV”.

    • Cássio

      A definição parece bem pertinente: “É uma DISCOVERY que não atualizou”.
      Tenho o mesmo carro há mais de 12 anos, e é um sedã médio. Se eu tivesse grana sobrando, trocaria meu carro por uma Pajero Full a partir de 2009 e ficaria com ela por no mínimo uns 15 anos.
      Sei lá, para mim, esses SUVs grandes não saem de moda nunca. Acho bonitas até hoje uma Pajero Full 1998, SW4 2001 e uma Cherokee 95. Pegaria uma dessas, sem muita frescura de tela pra todo lado, e cruzaria a América do Sul.

  • Herbet Moreira

    Não é à toa que está tanto tempo no mercado… tenho uma a 2 anos e meio e só alegrias. 2009/2010 3.2 Diesel.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email