Manutenção Matérias NA Vídeos

Qual é a função dos aditivos de radiador?

Qual é a função dos aditivos de radiador?

O radiador é um dispositivo de troca de calor, ajudando a manter a temperatura adequada de funcionamento. Porém, o líquido de refrigeração do propulsor, normalmente água, precisa de um produto para tornar menos eficiente a troca de calor.


Esse item extra é conhecido como aditivo.

Então, qual é a função dos aditivos de radiador?

Como já dito acima, o radiador que ajuda a retirar o calor do líquido de arrefecimento, que circula dentro do motor, deixando o motor com uma temperatura de funcionamento ideal. Entretanto, a circulação de água dentro do motor ocasiona alguns inconvenientes.


Qual é a função dos aditivos de radiador?

Qual é a função dos aditivos de radiador?

A própria água, pura e simples, não atende de forma correta essa função de resfriamento do motor. Em um circuito fechado, a circulação da água acarreta alguns problemas.

Um deles é a corrosão. Além disso, o ponto de ebulição natural da água é outra preocupação, assim como em locais frios, a água pode simplesmente congelar, impedindo sua circulação. Então, os aditivos entram em cena para resolver estas questões, sendo feitos à base de etileno glicol.

Corrosão

Qual é a função dos aditivos de radiador?

A corrosão é natural em sistemas de circulação de água sob alta temperatura e pressão. A ausência de um produto que proteja as partes metálicas do circuito, acarretará em um acúmulo de detritos, que chegam a formar borras.

Isso reduzirá a capacidade de troca de calor do líquido de refrigeração, assim como contribuirá para o impedimento da livre circulação com o entupimento do radiador e mesmo gerando dificuldade no funcionamento da bomba d´água.

Nesse caso, haverá aumento expressivo da temperatura da água no sistema e possíveis danos ao motor ocorrerão se não houver uma intervenção externa. Como boa parte dos motores ainda possuem blocos de ferro fundido, estes são mais suscetíveis à corrosão apenas com o uso da água.

Assim, a corrosão provoca a destruição de alguns itens do sistema de refrigeração, como dutos, tubos e selos, que podem simplesmente romper, provocando vazamento.

As mangueiras também são afetadas, já que apenas a água não garante a hidratação das mesmas e o ressecamento pode provocar vazamento através de rachaduras. Partes plásticas do radiador, ressecadas da mesma forma, podem se romper com a vibração do motor.

Os aditivos de radiador possuem propriedades químicas que protegem essas partes do sistema de refrigeração. Dessa forma, eles evitam a corrosão e mantêm o bom funcionamento do propulsor, evitando assim os temíveis superaquecimentos e os vazamentos fatais.

Temperatura de ebulição mais alta

Qual é a função dos aditivos de radiador?

Como se sabe, é claro, a temperatura de ebulição da água é de 100°C. Mesmo num circuito fechado de refrigeração, isso não muda. Porém, para que o motor possa trabalhar numa faixa de temperatura adequada (até 90°C) sem o risco de um superaquecimento, os aditivos de radiador são recomendados.

Nesse caso, o produto possui uma propriedade química que permite à água evaporar em temperaturas mais altas, variando de 110°C a 115°C. Apesar isso, em circuitos fechados, onde a pressão é de 2 atmosferas, pode chegar a 120°C em ponto de ebulição. Obviamente isso dá mais segurança no funcionamento do motor, especialmente sob regimes mais severos. Também reduz a entrada da ventoinha do radiador, o que economiza também energia e, por sua vez, o consumo de combustível.

Temperatura de congelamento mais baixa

Qual é a função dos aditivos de radiador?

Da mesma forma que evapora aos 100°C, a água simplesmente congela em 0°C. Acontece que, mesmo no Brasil, são verificadas temperaturas abaixo de zero, embora com pouca frequência. Mesmo assim, em alguns países, níveis até -30°C são verificados com alguma frequência.

Por isso, é necessário que o ponto de congelamento da água seja reduzido, para que o líquido de refrigeração continue circulando, mesmo muito abaixo de zero.

Substituição do aditivo

Qual é a função dos aditivos de radiador?

Os fabricantes de veículos usam e recomendam os aditivos de radiador. Estes devem ser substituídos em média a cada 30.000 km, sempre com todo o líquido de arrefecimento do propulsor.

No caso de proprietários de carros usados, após a compra, é importante trocar o aditivo para ter mais segurança na refrigeração, já que nem sempre se sabe exatamente quando o produto foi trocado.

A troca é feita mediante uma porção do produto, determinada por cada fabricante, diluída em outra de água. Algumas marcas utilizam aditivos de radiador já diluídos (podem ser comprados também), numa mistura que permite ao sistema trabalhar por muito mais tempo em circuitos fechados.

Recomenda-se também a observação do nível do líquido no reservatório, nunca excedendo máximo ou mínimo. A complementação, no entanto, altera a proporção colocada anteriormente. Então, o ideal é verificar porque existe essa perda de líquido no sistema, através de um técnico.

Qual é a função dos aditivos de radiador?
Nota média 4.5 de 2 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Louis

    Esse é um dos itens que não se deve economizar. Trocar o fluido de arrefecimento é relativamente barato, e evita muitas dores de cabeça.

    • Diego Sampaio

      Por falta de conhecimento já fui muito relaxado com o uso do aditivo e já tive sérios problemas com a válvula termostática.

      • Eddie

        Só medir periodicamente a densidade do liquido e vc nunca terá problemas.

    • SDS SP

      Sistema de arrefecimento à maioria não costuma dar bola e só vai ser dar conta quando o carro superaquece e de preferência, em uma rodovia com congestionamento. Nesta época do ano é bastante comum ver carros nos acostamentos.

    • sigma7777777

      Trocar a cada 2 anos. Aproveitar e já trocar também o fluido de freio.

      • Louis

        Acho que tem carro que usa para alta KM, mas não sou especialista pra ter certeza. Lembro que tive um Fit que recomendava a troca somente aos 140 mil km, deveria ter algo diferenciado naquele fluido e no sistema.

        • Geraldo Xavier

          Aditivo sintético dura muito mais que os orgânicos. Um bom aditivo sintético custa 3 vezes mais que esses orgânicos mais baratos

        • Victor Eduardo

          Honda de uma forma bem generalizada. Meu civic é 10 anos ou 100kkm. Galão de 3.5L Litros custa – R$60 reais nas CSS.

    • Eddie

      Rodei com um carro por 4 anos e meio sempre mantido em Css. Cada seis meses mediamos a densidade do liquido de arrefecimento evitando assim, uma troca prematura. O mesmo foi feito com o fluido de freio medindo a higroscopia, que precisou see substituído no quarto ano. Como também mediamos a carga da bateria que no quarto ano precisou duma carga lenta. Procedimentos simples que levam a alguma economia e principalmente, vc não vai ficar na beira da estrada.

  • Eng Turbo

    NUNCA coloque água de torneira no sistema de arrefecimento! Os sais minerais irão atacar as paredes e tubos do radiador e o prejuízo é certo. Fora outros tantos problemas decorrentes de oxidação.

    • vicegag

      Pelo que eu vi até hoje, não é toda esta tragédia, utilizar água da torneira ( o que não se deve fazer é usar água mineral ), o melhor sempre é utilizar água desmineralizada, mas até quem pretende só usar a água sem minério, acaba tendo que ter um pouco de água de torneira no sistema, pois é muito difícil retirar toda água da lavagem do sistema, se a pessoa tiver um aparelho que gere vácuo no sistema, daí pode se colocar no sistema a água sem minério.

      • th!nk.t4nk

        Desculpe corrigir, mas água desmineralizada ou deionizada jamais deve ser usada em motores. Isso porque água pura é corrosiva (seu PH é abaixo de 6). Sim, eu sei que muita gente usa em sistemas de arrefecimento, mas é errado. O método correto é pegar água deionizada e adicionar pelo menos carbonato de sódio, pra neutralizar o PH (no Google acha-se facilmente o cálculo da quantidade necessária pra isso). Ou, o que considero mais fácil: comprar a água pro radiador já pronta com os aditivos (é mais caro, mas é mais garantido).

        • vicegag

          Apesar não ter citado, nunca deve ser usada somente água ( seja de qualquer tipo ), como o post é de aditivos, subentende-se que na água deve ter aditivos, aditivos estes que protegerão da corrosão.

        • Eddie

          Eu penso que a melhor maneira é pegar água potável da torneira deixando descansar em recipiente aberto a luz do sol por uma hora pro cloro degradar e depois fazer a mistura do aditivo na proporção recomendada.

          • MKB

            Solução caseira e ineficaz. 1 litro de água própria para radiadores custa em média 5 reais.

        • MKB

          Nem é tão mais caro assim a água para radiador… custa em média 5 reais o litro.

      • Eddie

        Permita me uma correção. Água desmineralizada é água destilada ou filtrada livre de minerais em solução e outros compostos. Minério é outra coisa, é rocha formada por mineral minério, isto é, minerais com valor econômico que compõe essa rocha, contudo é uma rocha.

      • MKB

        Na verdade é o contrário. Água de torneira é pior pois contém cloro e flúor, que são aditivos que podem reagir com os elementos do sistema de arrefecimento. Água de torneira também contém minerais, aliás.

    • Eddie

      Concordo plenamente com vc, mas duvido que hoje as oficinas,mesmo as Css, não usem água de torneira. Anos atrás eu encontrava nas oficinas destiladores instalados para este fim. Nunca mais vi um destilador e duvido que as oficinas comprem água destilada que não é barata pra alimentar radiadores. Lamento, mas se eu estiver errado me corrijam por favor.

    • Emanuel Schott

      Numa emergência é o que sobra. Mas no meu caso sempre ando com uma garrafa de líquido de radiador no porta malas. É bem barato, vale a pena deixar guardado pra imprevistos.

  • V12 for life

    Eu tinha essa dúvida, então mesmo no Brasil o aditivo contém anticongelante.

    • th!nk.t4nk

      Tem que ter mesmo. Nas cidades mais frias do Brasil a temperatura chega a -10 °C. Mesmo no litoral catarinense já peguei na faixa de zero, que dirá nas áreas mais altas (planalto e serra).

      • Retrato do Papai

        não sou especialista na área, mas pelo pouco que sei me parece que o anticongelante é algo dispensável por aqui, são raríssimas as situações em que ele será útil de fato, e somente em localidades muito específicas… só que tem um detalhe interessante: por natureza ele prejudica a capacidade de troca de calor do líquido de arrefecimento, coisa que nos é muito mais útil, já que temos muito mais calor do que frio… em testes de água pura vs etilenoglicol, com o carro parado em marcha lenta, a diferença é gritante: o etilenoglicol chega a ficar o dobro do tempo com a ventoinha ligada, demonstrando que o sistema fica mais sobrecarregado e não consegue reduzir a temperatura tão facilmente… um produto que apenas proteja os metais da oxidação e aumente o ponto de ebulição da água nos é suficiente…

        • Marcelo Alves

          O etileno glicol também ataca os plásticos, que com o passar to tempo vão ficando “podres” e quebram ou furam.. A Koube e a Radiex vendem no mercado um aditivo a base de polímeros que promete melhorar a troca térmica (por ter menos etilenoglicol) e preservar os plásticos por mais tempo.
          Porém creio que seja impossível ver esse tipo de aditivo em países do hemisfério norte por causa das temperaturas locais, mas fazendo uma pesquisa rápida já encontrei um fabricante que produz e vende esse tipo de aditivo na Índia e parece ser usado não só em carros, mas na área industrial também.

          • Retrato do Papai

            já li um pouco sobre esses aditivos de base polímeros, me parece um produto mais adequado à nossa realidade

        • th!nk.t4nk

          O sul todo experimenta temperaturas abaixo de zero, de tempos em tempos. São 26 milhoes de habitantes nessa regiao. Tá longe de ser algo dispensável viu. Eu mesmo já peguei temperaturas negativas em praticamente todo o sul (incluindo áreas baixas viu).

          • Retrato do Papai

            grande parte da nossa frota roda com aditivo vencido, ou até mesmo com apenas água no sistema… se a situação fosse tão crítica assim seriam bastante comuns os relatos de motores danificados devido ao congelamento do sistema (sinceramente nunca ouvi falar de um único caso no brasil)

  • RPM

    Recentemente vendi meu Civic 99,com 160 mil Km originais…..o sistema de arrefecimento dele sempre usou o líquido original Honda…SEMPRE.
    Aos150 mil Km,tive que trocar a válvula termostática,quando a retiramos,brilhava como nova….se desse,colocava fotos aqui. Se as pessoas soubessem da importância de se usar o líquido de arrefecimento correto….enfim

    • Tosca16

      Infelizmente irão dizer que “Honda é Honda” pra justificar a durabilidade, sendo que muitos dos populares tem donos que não cuidam bem do carro, ao contrário de proprietários de modelos acima, tal como seu Civic… Sem generalizar, mais eu que acompanho o grupo do QQ fico meio que triste ao vê postagens que falam que trocaram o da marca azul, por um da marca verdade, que esse aqui pronto uso é mais barato, que usaram o que o frentista mandou, e por aí vai. Sempre no mais “barato” ou bonitinho de cor.

    • Marcelo Alves

      Meu Polo ficou 10 anos com o aditivo original VW, o G12 que veio de fábrica (porém, apenas 54 mil km rodados nesses anos todos), o líquido ainda estava limpo e como novo, apesar de estar começando a aparecer uma “poeira” de ferrugem no fundo do reservatório (bem pouco), então recentemente mandei fazer uma limpeza e colocar um aditivo de base polímeros (sem etilenoglocol) e quero ver como vai se comportar (se eu ficar mais uns anos com esse carro, irei descobrir hehe), o motivo principal que escolhi testar um aditivo sem etilenoglicol é para preservar os plásticos, já que o etilenoglicol com o tempo “corrói” os plásticos, um conhecido que tem um Polo 2003 sempre usou o G12 original, mas recentemente o carro dele teve vazamentos em várias peças de plástico, o etilenoglicol simplesmente corroeu as peças por dentro até elas furarem.

  • Thiago André

    Eu tenho um Siena um 1.0 Fire 2011. Não sei desconectar as mangueiras, posso colocar o aditivo direto no radiador?
    Comprei da marca PARAFLU com 1 litro sem necessidade de diluir. Essa marca é boa? E Quantos litros devo usar caixa do radiador? Me desculpa, mais tiro todas as minha dúvidas aqui com vcs!

    • vicegag

      Paraflu já foi a marca de óleos e aditivos original da Fiat ( não sei se continua sendo ), você não deve colocar o aditivo, sem retirar a quantidade de água que já está no sistema, pois existe um limite de líquido de arrefecimento, você precisa ver no manual do veículo, a quantidade, o ideal é fazer a sangria,depois a lavagem com água limpa, para depois colocar a água com aditivo.

      • Retrato do Papai

        então, de uns anos pra cá o paraflu (petronas) foi renomeado para coolant… esse tal paraflu que é vendido hoje em dia não é o mesmo produto, é uma versão jabuticaba bem lixosa

    • th!nk.t4nk

      Se você comprou o líquido que já tem o aditivo diluído, então está pronto pra uso. Com 1 garrafa de 1 litro você só consegue completar o nível. Tà baixo? Pra completar o motor tem que estar ligado e quente (espera a ventoinha ligar, mas abra a tampa enquanto ainda estiver frio). Vai completando até ficar no meio das marcas. Não precisa e nem deve ir até o nível máximo, pra evitar o risco de pressão elevada no sistema. E antes de fazer isso tudo veja como tá a cor da água. Se tiver muito escura é melhor fazer a troca completa, e daí faça isso numa oficina, não em casa.

    • Retrato do Papai

      antigamente o aditivo original da fiat era o PARAFLU fabricado pela PETRONAS, porém a alguns anos esse produto foi renomeado para COOLANT… e o que aconteceu? um bando de empresários picaretas do br se aproveitaram da oportunidade e criaram esse novo PARAFLU JABUTICABA… resumindo: jogue esse produto no lixo… já vi dezenas de reclamações… pessoas dizendo que com menos de um ano de uso o sistema se deteriorou de forma agressiva… me parece que é só mais um daqueles produtos que só tem água, corante e açúcar (pra enganar o termodensímetro)…

      a minha recomendação é fazer a limpeza completa do sistema com uma máquina adequada (veja no youtube, é bem simples de fazer a limpeza, a máquina também é fácil de construir), e após aplicar um aditivo orgânico de boa marca (coolant, valeo, wurth etc)

  • Renato Pereira de Oliveira

    tive um santana que estava subindo temperatura, diagnostico do problema era que só estava usando água no arrefecimento; já estava aquela água marrom com lama de oxidação, fui inventar de fazer limpeza com aqueles aditivos próprios para limpeza, após limpo coloquei água com aditivo recomendado, foi só vazamento aparecendo após a limpeza, pois desobstruiu os furos que haviam no sistema. Resultado da historia, algumas mangueiras substituídas e fiquei sem ar-quente pois um dos furos foi no trocador de calor interno e fazia possa de água no assoalho do lado do passageiro, e aqui no interior do Paraná ninguém quis por a mão no problema, foi apenas isolado o trocador de calor.

    • Marcelo Alves

      Na verdade você fez o correto, quanto mais tempo ficar sem aditivo, pior seria a bomba que ía estourar na sua mão, pois com o passar do tempo os vazamentos apareceriam de qualquer maneira e o pior é que a junta do cabeçote também costuma ser corroída até chegar ao ponto de você ter que tirar o cabeçote para trocar a junta, porque começa a passar água para o óleo do motor ou vice-versa e também pode acontecer de passar água para dentro dos cilíndros, podendo levar até a um calço hidráulico no motor no momento da partida depois do carro ficar várias horas parado com o motor frio (aí o prejuízo é grande!).

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email