Brasil Europa Populares Renault Sedãs

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Apresentado no mercado nacional em 2009, o Renault Symbol veio como uma opção diferente de carroceria em cima do finado Renault Clio Sedan.

O modelo era uma opção de sedan mais em conta antes do Renault Logan ganhar seu papel de sedan oficial de entrada da Renault.


O Renault Symbol do mercado brasileiro nada mais era que uma variante do Renault Clio de segunda geração, que ficou entre nós entre 1996 e 2017, e que por aqui só conhecemos com a carroceria do Clio sedan remodelada.

No exterior, é um modelo com várias gerações, também vamos falar dele aqui nessa matéria.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)


Renault Symbol no Brasil

No caso do Renault Symbol vendido por aqui ele não teve a mesma sorte que seu irmão europeu.

Mas explico: a Renault resolveu trazer o Renault Symbol em 2009 como uma solução ao finado Renault Clio Sedan e uma alternativa mais “requintada” ao do Logan.

O problema estava que além disso o modelo tinha que ocupar uma faixa de preço entre o Clio Sedan e o Mégane – que já foi o suprassumo da Renault por aqui – e com essa lacuna tão grande o Symbol veio preparado para atacar, mas não levou todas as armas para o combate.

A concorrência ao Renault Symbol na época do seu lançamento era vasta e bem diversificada, contava com players como Ford Fiesta Sedan, Volkswagen Voyage, Peugeot 207 Passion, Volkswagen Polo Sedan, Chevrolet Corsa Sedan e Fiat Siena para citar apenas os mais relevantes.

E ainda tinha o fogo amigo dentro da própria casa depois de algum tempo com o Logan, mesmo com o Symbol tendo mais requinte e acabamento mais caprichado, o Logan ganhava os consumidores pelo seu amplo espaço interno e baixo consumo de combustível.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Chamado por alguns de “Clio Requentado” o Renault Symbol até agradava com seu desenho próprio, mas um olhar mais atento já bastava para denunciar que o modelo era um Clio remodelado.

Uma das críticas mais ouvidas de clientes do Renault Symbol era que ele deveria ter faróis duplos assim como o Clio que saíra de linha. E que sua traseira era simples e até careta demais. Por muitas vezes vários consumidores falavam que o modelo tinha design sem sal e pouco harmônico.

Para tentar chamar mais a atenção dos consumidores a Renault equipava o Symbol com bons materiais no interior e dois pacotes de equipamentos bem recheados para convencer que ele valia mais que o Renault Logan e era mais barato de manter que o Mégane.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Ambas as versões – Symbol Expression e Symbol Privilège – já vinham equipadas com vários itens como:

Ar-condicionado, direção hidráulica assistida, vidros elétricos dianteiros, air bags frontais, banco do motorista e volante com regulagem de altura, luz de neblina traseira, repetidor de seta nas laterais, travas elétricas e alarme.

Para a versão mais cara Privilège, eram acrescentados no Renault Symbol o computador de bordo, ar-condicionado automático, retrovisores com regulagem elétrica, vidros traseiros elétricos, bancos revestidos em veludo, volante e pomo do câmbio revestidos em couro, rádio com MP3, comandos de rádio e computador de bordo no volante, faróis de neblina, rodas de liga leve de 15 polegadas e pneus 185/55.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

A motorização escolhida para o Renault Symbol no mercado nacional foi o valente 1.6 litro com 16 válvulas flex com 115 cavalos com etanol e 16 kgfm de torque e 110 cavalos com gasolina e 15,2 kgfm de torque. Este motor atendeu bem o modelo enquanto fora vendido.

Aliado com a direção hidráulica, o Renault Symbol tinha um rodar bem macio para um sedan compacto.

Por compartilhar o mesmo conjunto de suspensão do Clio – McPherson na dianteira e de eixo de torção na traseira o Symbol era bastante firme no rodar – mesmo em nossas ruas de aspecto lunar – mas ao rodar em velocidades maiores, o rodar ficava extremamente leve e instável, o que em alguns casos alguns achavam até mesmo perigoso.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Com pretensões altas o Renault Symbol amargou em vendas, mesmo tendo a seu favor bons argumentos como bom pacote de equipamentos e preços competitivos.

Para se ter uma noção, na época do seu lançamento, sua versão mais cara custava R$ 44.490 – na versão Privilège sem opcionais – ante seus concorrentes que já mencionamos aqui anteriormente.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Fim de linha do Symbol

Após 3 curtos anos e apenas 7 mil unidades vendidas desde seu lançamento, o Renault Symbol deixava o nosso mercado sem fazer muito alarde.

Com uma concorrência de peso, que agora contava com nomes como Chevrolet Cobalt e Nissan Versa, o Renault Symbol foi amargurando as vendas até o final de sua vida.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Durante os últimos meses de vendas do Renault Symbol – em 2012 – foram produzidas cerca de 574 unidades, em versão única, a Privilège, com preços que começavam em R$ 38.270 e com todos os opcionais – freios ABS, ar condicionado digital e retrovisores elétricos o preço saltava para R$ 40.360 reais.

Um valor bem abaixo dos concorrentes, mesmo assim ainda sem conquistar o coração e a garagem deles.

Atualmente é possível encontrar o Renault Symbol em revendas e sites de carros usados com preços que variam entre R$ 16.000 reais e podem chegar até R$ 24.900 reais na versão Privilège 1.6 16 válvulas e cerca de 50 mil km rodados.

Logan, Wolverine

Para não deixar uma lacuna tão grande, a Renault apresentava em meados de 2014 o Logan atualizado que agora recebia um design totalmente revisto, com aspecto mais moderno e desenho mais harmonioso que sua primeira encarnação.

Com o passar dos anos o modelo ganhou até mesmo uma versão com câmbio automático de 4 velocidades e novidades no painel de instrumentos e pequenas atualizações de conteúdo.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Atualmente o Logan é o modelo mais vendido da marca, e já espera pelo seu facelift de meia vida.

Já na Europa o modelo recebeu recentemente uma variante Stepway – com roupagem aventureira assim como ocorre com o Sandero Stepway.

Existem rumores que uma terceira carroceria já esteja em gestação e que deve ter um design mais centrado no estilo atual da Renault e menos da Dacia – sua verdadeira mãe.

Por aqui ainda devemos esperar por mais um tempo antes de recebermos a nova geração do modelo. Existe uma possibilidade do modelo reestilizado ser apresentado durante o Salão do Automóvel de São Paulo que acontece no São Paulo Expo em novembro deste ano.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Primeira geração do Renault Symbol no exterior, 1999 a 2008

A primeira geração do Renault Symbol era na verdade um Clio sedan vendido na Turquia com esse nome ou vendido como Renault Thalia.

Esteticamente a primeira geração do Renault Symbol era idêntica ao Clio sedan, que era vendido no nosso mercado, com a mesma aparência do Clio de segunda geração.

O desenho em si era agradável com suas linhas arredondadas e o terceiro volume bem delineado. Mas ainda assim ele tinha aquele aspecto de que fora enxertada uma traseira no hatchback.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Na Europa, o Renault Symbol contava com apenas duas opções de motorização, sendo a primeira 1.4 litros de 8 válvulas com 75 cavalos e outra variante 1.4 com 16 válvulas e 98 cavalos.

Para o mercado argentino, o modelo usava um motor 1.6 16 válvulas movido à gasolina e tinha 100 cavalos.

Havia também uma versão movida a diesel 1.9 litro – sem turbo – de 65 cavalos.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

O facelift do Renault Symbol veio em março de 2002, que deixou o modelo com a dianteira mais harmoniosa, com direito a molduras pretas nos para-choques dianteiros e novos faróis maiores e com desenho mais triangular.

Junto com esse facelift, o Symbol recebeu novos motores, sendo um deles o 1.5 litros a diesel de 65 cavalos e 1.6 litros com 16 válvulas e 105 cavalos.

O mesmo facelift foi aplicado no Renault Symbol vendido no nosso mercado, mas com o nome de Clio Sedan, em 2003, que foi descontinuado em meados de 2009 quando o modelo de segunda geração entrava no nosso mercado importado da Argentina.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Um segundo facelift chegou ao Symbol em meados de 2005, onde ele perdia as molduras pretas do para-choques dianteiro, o que o deu um ar mais leve.

As lanternas traseiras recebiam um detalhe translucido nas luzes de indicação de seta e de ré, e o logo na tampa do porta malas ficava em maior evidencia, uma vez que ficava junto com a maçaneta de abertura.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

O Renault Symbol de primeira geração sai de cena no início de 2008, depois de cerca de 600 mil unidades vendidas em todo o mundo – incluindo as variantes Nissan Platina, Renault Clio Sedan, Thalia e Symbol.

Renault Symbol de 2008 a 2013

A segunda geração do Renault Symbol lá fora foi apresentada em agosto de 2008, durante o Salão do Automóvel de Moscou e trazia um design totalmente diferente do modelo anterior.

Por falar na geração anterior, o novo Symbol usava a mesma base e tinha a mesma distância entre eixos do modelo que agora deixava o mercado.

Agora ele tinha 4,26 metros de comprimento e mantinha o mesmo entre eixos de 2,47 – sendo apenas 7 centímetros maior que o antigo Clio Sedan, ganhando inclusive mais espaço no porta malas, que agora podia comportar 506 litros.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

O novo Renault Symbol foi projetado em conjunto com a matriz na França e os centros de design fixados na Turquia, Romênia para os mercados da Europa Ocidental, Central, Rússia, Turquia, Norte da África e alguns mercados do Golfo Pérsico.

Antes de vir para no nosso mercado, o Renault Symbol também foi fabricado em Santa Isabel na Argentina, de onde vinha sem imposto de importação.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

No quesito design, o novo modelo contava com faróis maiores que se estendiam até as laterais do carro, com parábola simples e bem destacada dentro do farol.

Uma barra cromada ficava bem destacada na dianteira, acima do logotipo que ficava “flutuando” sobre uma grade de tamanho diminuta com filetes pretos. Já no para choque dianteiro, os faróis de neblina ficavam nas extremidades separadas por um “sorriso” de plástico preto.

Na lateral, o Renault Symbol se assemelhava com a antiga geração do Clio Sedan, exceto pela inclusão da terceira janela na coluna C, que fazia com que o modelo parecesse maior do que realmente era.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Na traseira, o Symbol tinha um design mais conservador e até poderia ser considerado uma “evolução” do desenho tradicional do Clio Sedan.

As lanternas eram triangulares e invadiam as laterais. Na tampa do porta malas, o nome “Symbol” era escrito em caixa alta e fixado logo abaixo do losango da Renault. Já na base do porta malas, outra faixa cromada que vinha com a inscrição “Renault”.

Logo abaixo, ficava o porta placas que tinha um desenho mais tradicional.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

No interior, havia ainda muitas semelhanças com o Clio Sedan, mas era apenas por questão de custos, mas o restante do desenho do painel era novo e com materiais de boa qualidade.

Na versão vendida como Renault Thalia, apenas a combinação de cores e um novo desenho do computador de bordo eram as únicas diferenças visíveis em ambos os modelos.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Em termos de segurança, o novo Renault Symbol vinha com airbag do motorista, airbag do passageiro, dois airbags laterais – dependendo da versão – sistema de travagem antibloqueio (ABS) e distribuição eletrônica da força de travagem (EBD), reforço anti-intruso nas portas dianteiras e traseiras, cintos de segurança dianteiros com ajuste de altura, direção assistida e sensores de estacionamento traseiros.

No mercado europeu o modelo vinha com motorizações 1.2, 1.4 e 1.6 litros a gasolina e 1.5 litro movido a diesel. No mercado nacional o modelo vinha com a opção 1.6 16 válvulas adaptado para rodar com etanol e gasolina.

Renault Symbol de terceira geração: 2013 até hoje

A terceira geração do Renault Symbol, vinha ao mundo como a segunda geração do nosso conhecido Renault Logan e fora apresentado durante o Salão do Automóvel de Istambul na Turquia.

As únicas diferenças entre o nosso Renault Logan e o Symbol, ficam por conta dos para-choques dianteiros que não contam com as peças cromadas que ligam os faróis de neblina e a parte de baixo tem desenho diferente.

Na traseira, o Renault Symbol turco conta com um desenho diferente nas lanternas bem como um desenho levemente diferente no painel.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Atualmente o Renault Symbol conta com a mesma identidade visual que o Logan recebeu em seu recente facelift, que lhe rendeu um ar mais moderno e com direito até a luzes diurnas de LED na dianteira, nas versões mais caras.

A traseira conta com um novo desenho para as lanternas e a placa saiu do para choque. Por falar no para choque, o modelo ganhou um falso extrator de ar, para dar uma sensação de esportividade.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

No interior, novos materiais e um volante com desenho exclusivo.

No demais a mesma e boa ergonomia já encontrada no Logan que conhecemos por aqui.

Por falar no Logan, um novo facelift deve deixar ele com a mesma aparência que o modelo turco e deve ser apresentado durante o Salão do Automóvel de São Paulo em novembro deste ano, como falamos anteriormente.

Renault Symbol: anos, versões, modelos, motor (e equipamentos)

Renault Symbol – Ficha técnica

ARQUITETURA
Carroceria sedan, monobloco, 3 volumes, 4 portas, 5 passageiros
MOTOR
K4M Hi-Flex – Quatro tempos, flexálcool e/ou gasolina, quatro cilindros em linha, 16 válvulas e refrigeração por circuito de água sob pressão
Dianteiro, transversal, 1.6 litros, 4 cilindros em linha, 16 válvulas; hi-flexálcool e/ou gasolina; acelerador eletrônico

(drive by wire)

Número de válvulas por cilindro4; DOHC (duplo comando de válvulas no cabeçote)
Diâmetro x curso79,5 x 80,5 mm
Cilindrada1.598 cm3
Potência máxima (cv / rpm) (ISO/ABNT)110 / 5.750 (gasolina)
115 / 5.750 (álcool)
Torque máximo (kgfm / rpm)15,2 / 3.750 (gasolina)
16,0 / 3.750 (álcool)
Taxa de compressão10
Sistema de alimentaçãoInjeção eletrônica multiponto sequencial
TRANSMISSÃO
Câmbio manual de 5 marchas; tração dianteira
Relação das marchas
1a marcha – 3,361
2a marcha – 1,861
3a marcha – 1,321
4a marcha – 1,031
5a marcha – 0,821
Ré – 3,551
Redução do diferencial4,07
DIREÇÃO
Tipo pinhão e cremalheira com assistência hidráulica
SUSPENSÃO
DianteiraIndependente, tipo McPherson, com triângulos inferiores, amortecedores hidráulicos telescópicos e molas helicoidais
TraseiraRodas semi-independentes com eixo de torção, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos verticais e barra estabilizadora
FREIOS
SistemaDuplo circuito “X”
Dianteirosdiscos ventilados
Traseirostambores
RODAS / PNEUS
6.0J x 15″ polegadas, em liga leve / 185/55 R15
TANQUE DE COMBUSTÍVEL
50 litros
CAPACIDADE DO PORTA-MALAS
506 litros
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento4.261 mm
Largura1.672 mm (com espelhos retrovisores
Altura1.439 mm
Distância entre eixos2.473 mm
Bitola dianteira1.406 mm
Bitola traseira1.386 mm
DESEMPENHO
Velocidade máxima186 km/h (gasolina)
187 km/h (álcool)
Aceleração de 0 a 100 km/h10,1 s (gasolina)
9,9 s (álcool)
CONSUMO CIDADE / ESTRADA (KM/L) (*)
ND
PESO (EM ORDEM DE MARCHA)
1.045 kg
LISTA DE EQUIPAMENTOS DE SÉRIE E OPCIONAIS
* ABS OP
* Acelerador eletrônico Série
* Acendedor de cigarros e cinzeiro Série
* Air bags do motorista e passageiro Série
* Alarme sonoro de advertência de luzes acesas Série
* Alarme perimétrico Série
* Alças de segurança no teto (1 dianteira e 2 traseiras) Série
* Apoios de cabeça traseiros (2) reguláveis em altura Série
* Apoios de braço nas portas dianteiras e traseiras Série
* Ar condicionado manual com 4 velocidades ND
* Ar condicionado digital Série
* Ar quente Série
* Banco do motorista com regulagem em altura Série
* Banco traseiro rebatível Série
* Bancos com revestimento em tecido ND
* Bancos com revestimento em veludo Série
* Bloqueio de ignição por “transponder” Série
* Bolsas do tipo “canguru” atrás dos encostos dos bancos dianteiros Série
* Bratke light Série
* Cintos de segurança dianteiros e laterais traseiros retráteis de 3 pontos Série
* Cintos de segurança central traseiro subabdominal Série
* Coluna central com adesivo na cor preta Série
* Comando de abertura das portas por radiofrequência Série
* Computador de bordo Série
* Console central do painel com acabamento na cor “alumínio” Série
* Conta-giros Série
* Desembaçador do vidro traseiro Série
* Direção hidráulica Série
* Faróis de neblina Série
* Grade dianteira e tampa do porta-malas com acabamento cromado Série
* Indicador de temperatura externa Série
* Iluminação do porta-malas Série
* Luz de neblina traseira Série
* Luz interna na dianteira do teto com desligamento automático Série
* Maçanetas externas na cor alumínio Série
* Maçanetas internas na cor alumínio Série
* Manopla de alavanca do câmbio em couro Série
* Para-choques dianteiro e traseiro na cor da carroceria Série
* Porta-luvas com compartimento para cartões, óculos e canetas Série
* Porta-objeto no console central dianteiro Série
* Porta-objetos nas portas dianteiras Série
* Pré-disposição para som básica com antena Série
* Retrovisores externos na cor da carroceria e com regulagens elétricas Série
* Retrovisores externos na cor preta e com regulagem manual ND
* Protetor inferior do cárter Série
* Rádio CD-Player MP3 com comando satélite na coluna de direção Série
* Repetidores laterais Série
* Revestimento completo do porta-malas Série
* Rodas de aço aro 14 com pneus 175/65 R14 ND
* Rodas de liga leve aro 15” com pneus 185/55 R15 Série
* Sistema CAR – travamento automático das portas a 6 km/h Série
* Temporizador de iluminação interna Série
* Temporizador do limpador do para-brisa Série
* Travas elétricas das portas Série
* Trava para crianças nas portas traseiras Série
* Vidros dianteiros elétricos ND
* Vidros dianteiros elétricos (sistema “one touch” de descida para motorista) Série
* Vidros traseiros elétricos Série
* Vidros verdes Série
* Volante com regulagem de altura Série
* Volante em couro com aro interno cromado Série
LEGENDAOP = OPCIONAL
Série
ND = Não disponível
OP PACK = Opcional disponível em pacote
CORES
SólidasBranco Glacier e Vermelho Vivo
MetálicasPrata Étoile, Bege Angorá, Preto Nacré, Azul Crepúsculo, Cinza Acier e Vermelho Fogo

Fonte: Renault

Avatar

Kleber Silva

  • T1000

    Não sabia que era o 1.6 16V.
    Um sleeper então :-)

    • Edson Fernandes

      Totalmente! Carrinho super estavel inclusive. Engana gente grande.

    • Danillo Barros

      Eu tinha um… comprei por que era o unico que vinha com air bag e abs ( que me salvou de uma batida)… me deu muita raiva esse carrinho, mas toda vez que ele passava de 3000 rpm o sorriso no rosto aparecia… saudade desse k4m…

      • catucadão

        esse motor é fantástico tive um clio com esse motor anda bem mesmo

    • Ricardo

      Já vi um andando muito subindo a serra. Anda muito bem!

    • Glauber Girotto

      Não era um carro ruim, mas faltavam algumas coisas. O câmbio de 5 marchas pedia uma sexta na estrada, ficava em rotação muito alta e acabava com o consumo, mas andava muito bem para a sua proposta, de fato. Alguns deslizes no acabamento, o som integrado era em plástico pintado de cor cinza e depois de um tempo descascava, ficava com aspecto horrível. Mas era bem silencioso, bancos muito bons também. Foi um carro negligenciado pelo marketing da Renault, seus equipamentos e demais atributos tinham tudo para o tornar competitivo.

  • Alberto Rigattoni

    O clio sedan era muito mais bonito.

    • Ford Opala Attractive 200TSI

      Na minha opinião, o Clio Hatch era bonito.
      No Clio Sedan, a traseira não combinava nem um pouco com o resto do carro.

      • Alberto Rigattoni

        não é dos piores não, em minha opinião.

      • Luis Burro

        Acho q era mais a falta da janela na coluna C,o Grand Siena tbm melhorou bastante com o artifício.

    • para mim o clio sedan é um dos mais feios que já vi na vida kkk

      • Alberto Rigattoni

        kkkk

    • Ricardo

      Nem ferrando!

      • Alberto Rigattoni

        kkk

  • a renault poderia ter feito um restyling do clio baseado no symbol, ou pelo menos ter adotado o interior do symbol no clio, dava uma atualizada sem custo ao invés de deixar o clio igual por 15 anos

    • Ric53

      Sim! vai entender..

    • Tommy

      Nessa época o Clio já tinha ido pra escanteio, perdido o motor 1.6 e até os airbags, virando um peladão pra concorrer com o Mille, se não tivéssemos tido o Sandero provavelmente o Clio teria esse facelift pra bater de frente com o 206 com facelift do 207 e cia

      • Edson Fernandes

        Até porque nas epocas de gloria do Clio, ele era superior de interior em relação ao Symbol.

  • Pete Alves

    A única razão de existir desse carro, foi para corrigir aquela coluna traseira bizarra e grotesca do Clio sedan.

    • Samluzbh

      Europeu gosta da 3° coluna larga, vide Golf.

  • Ford Opala Attractive 200TSI

    “Após 3 curtos anos e apenas 7 mil unidades vendidas desde seu lançamento, o Renault Symbol deixava o nosso mercado sem fazer muito alarde”

    Com certeza essa informação está errada, não é possível que tenha vendido tão pouco (menos de 200 por mês na média). Eu vi muitos aqui na minha cidade, na época.

    • Mr. On The Road 77

      Também achei estranho. Até hoje não é difícil achar um rodando por aí.

    • TchauQueridos

      Eu raramente vi e vejo um exemplar desses nas ruas.

      • Luis Burro

        Pois é só vi um.

  • MarcioMaster

    Ta na lista dos carros mais feios, com certeza.

  • Antonio Carneiro

    Carro que me deixou saudades. Peguei um dos últimos modelos Zero KM. Ar Digital, Airbags e ABS de série (antes de obrigação de tê-los). Tecido aveludado. Rodas 15. Motor 1.6 16v 110cv. Os únicos senão eram a direção e o engates de marchas “pesados” demais.

    • Luccas Villela

      Também tive um e curti demais. Fora o consumo de combustível, que era bem tranquilo. Excelente carro, acho bem bonito em todos os angulos, exceto de frente que acho meio inspirada no primeiro Sandero.

      • Lucas

        o meu 1.6/16V sempre gastou horrores

  • gabriel avila

    Ficou faltando mencionar o motor 1.6 8V que também equipou a versão expression do Symbol

  • Ricardo Santos

    Considerando que o ponto de partida era o Clio Sedã, a Renault fez um verdadeiro milagre estilístico com o Symbol.

  • Mr. On The Road 77

    Em outubro de 2012, quando comprei o meu Megane Grand Tour, ainda havia alguns em exposição na concessionaria. O preço era próximo ao do Megane, que custou 47.000 reais e o Symbol saía a 38.

    • Diógenes de Oliveira

      Bem próximo, apenas 9 mil de diferença.

      • wili

        Ou 23,68%

  • gabriel avila

    Um carro honesto, com bom acabamento e itens de série, mas era muito apertado no banco de trás e os limpadores eram terríveis (duravam nem 10.000 km e tinham encaixe específico, sendo muito difíceis de encontrar fora das CCS). A manutenção tbm não era das melhores, mas por compartilhar motores e outras peças com o clio e a linha sandero, as peças que não envolviam carroceria eram mais fáceis de encontrar, mas não dava muito problema. É um carro honesto, bom para um casal sem filhos ou com filhos pequenos. O porta-malas era um dos pontos muito fortes do carro.

    • Danillo Barros

      Todo mundo que via o porta malas do meu ficava impressionado… eu, esposa e filho pequeno era perfeito, como vc citou.

      • gabriel avila

        Eh, comigo era a mesma coisa, o que não tinha de espaço interno tinha de porta malas kkkk

  • Russel Riehle

    Eu tive um 2012 PRIVILEGE 1.6 16v tirado 0km.

    Foi um bom carro no que se propôs. O interior era exatamente igual a esse que está aí do europeu, com AC digital, computador de bordo e etc.

    • Gabriel Molina Pinheiro

      Só acho horrível essa combinação de cores que a Renault usava antigamente nos painéis. Parecia cor daqueles controles remotos xing ling bem sem vergonhas mesmo.

  • leitor

    Os carros da Renault sempre foram feios. Um ou outro, nunca na mesma época, apareceu apenas bonitinho. Você olha os estilos da BMW, Mercedes, Audi, até mesmo da VW, Ford, GM, Peugeot, Citroën, Fiat, Hyundai e Kia, em todos esses a característica da marca com uma tendência própria, algo mostrando uma evolução do que foi bonito um dia. Até os chineses entraram nessa. Mas com a Renault é assim, um carro feio aqui, uma remodelação qualquer, um modelo novo horroroso, uma remodelação deixando mais feio ainda e por aí vai. O carro não é ruim, mas tem uma plástica com muita lástima. Pra não ser tão negativo, ultimamente o Sandero e Logan melhoraram sensivelmente, o Duster é diferente e o brilho da pintura dos carros é legal.

    • wili

      Captur não tem nada de feia, inclusive é muito mais bonita que as outras SUV.

    • fschulz84

      Acho que a Renault (a original, européia) melhorou muito na questão design.

      Basta ver as atuais gerações de Clio, Mégane, Talisman, Captur, Kadjar e afins

    • Eric Locatelli Martini

      Tá falando do Brasil né? O Clio europeu é uma coisa linda!

  • Zé Mundico

    Foi a última tentativa da Renault de fazer um carro bom no país. Para quem teve os excelentes Clio, Scenic e Megane Grand Tour, foi o reconhecimento de que brasileiro não gosta de carro bom mas sim de carro grande.
    E tome Dacia na testa do freguês.

    • Eric Locatelli Martini

      Sim, a Renault chegou com força, oferecendo bons veículos a um bom valor. Lembro que quando lançou o Clio tinha air bag duplo, uma raridade até em modelos de categoria superior. Pena que foi percebendo que qualidade não gerava vendas…

  • Ricardo

    Acho legalzinho este carro!

    • catucadão

      esse carro é legal … ponto forte é motor 1.6 16v muito bom

      • Lucas

        o meu e 1.6/16V corre muito mais gasta muito tambem

  • Luis Burro

    Nossa pra ser diferente devia ao menos parecer outro carro!

  • Mesquita13

    Nesse período do Symbol, o Polo Sedan nacional, era imbatível.

  • Dod

    O Symbol é feiosinho e era mico quando zero mas hoje é uma ótima opção de usado para quem quer um sedã compacto. Mesmo a versão mais simples Expression 1.6 8v tem acabamento bom e já vem com o kit dignidade. O espaço para passageiros não é grande mas o porta-malas é bacana. É vendido a preço de banana e ladrão nenhum quer.

  • Rafael Fernandes

    Lembro que na época, embora o Symbol tinha todos esses concorrentes citados, ele estava em um patamar acima na prática. Tinha um preço muito bom para um veículo equipado com itens raros para sua faixa de preço, como o ar condicionado digital e ABS.

    Mas realmente a sua estética exterior era básica demais e não agradava…

  • Feio, caro e beberrão. Hoje em dia tem mais Kia Sephia nas ruas do que esse Verona da Renault.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email