Usado da semana

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v

Meu nome é José Luís, tenho 23 anos e sou de Cornélio Procópio, norte do Paraná. A ideia inicial era comprar um sedan seminovo de categoria superior, como um Corolla ou um Civic ano 2010 ou 2011. No entanto, devido ao meu perfil (23 anos, solteiro e com residência próxima a uma rodovia), o valor do seguro destes modelos acabou ficando fora do meu orçamento.


Somando-se a isso, encontrei certa dificuldade para encontrar carros bem conservados, visto que a maioria destes modelos já tinha uma quilometragem em que estariam próximos a, pelo menos, cobrar alguma manutenção preventiva, como revisão dos freios, suspensão e em breve uma troca de pneus. Se no carro 0km paga-se caro pela depreciação, no usado paga-se pela troca de peças que vieram desgastadas pelo antigo dono.

Como o preço do seguro me desanimou de pegar um seminovo de categoria superior, comecei a pesquisar opções de carros novos com preços entre 40 e 50 mil, entre eles:

Honda Fit: É um carro que não acho bonito, mas acho interessante por ser um carro fácil de dirigir e muito bom para uso urbano. Como não faço longas viagens, o motor 1.4 seria suficiente para os trechos de até 250 km que normalmente percorro. No entanto, o que me fez desistir desse modelo foi o preço. Na época da compra, por 47 mil comprava-se a versão EX, que sequer tinha freios ABS. Muito caro para um compacto com motor 1.4.


Honda City: O City repetiu o problema do Fit: o preço exagerado. Acho o City um pouco estranho nas versões de entrada, ele vem com pneus de largura estreita que esteticamente ficam desproporcionais quando observadas as dimensões do carro. A versão de entrada do City (DX), sem freios ABS e rádio, estava por R$ 50.990. Apesar de ser um pouco fã das motorizações da Honda, não considerei este preço compatível com o que o carro oferece. Caso viesse com ABS na versão de entrada e custasse uns 5 mil a menos, talvez hoje estivesse na minha garagem.

Polo Hatch 1.6: Sempre gostei do Polo, desde quando foi lançado no Brasil. Admito que atualmente o design deste modelo já esteja bastante ultrapassado, mas ainda acho legal. Fiz um teste drive na concessionária Volkswagen e foi possível perceber que o Polo continua sendo um carro muito agradável de dirigir. O câmbio é muito bem ajustado ao motor e transmite até certa esportividade na condução, com marchas bem dimensionadas. Todavia, pensando pelo lado racional, dois pontos negativos pesaram contra o Polo: o motor 1.6 de 101 cv da Volkswagen que já é um dinossauro e está muito defasado tecnologicamente em relação a seus concorrentes, chegando atualmente até a brigar com o 1.4 da Chevrolet – e os indícios de que a Volkswagen tirará o modelo de linha em breve, o que implica em uma desvalorização maior que o normal do carro depois de usado. Convenhamos também que o preço que a Volkswagen pediu pelo Polo não foi nada atrativo: R$ 46 mil em um carro que, em minha opinião, tem design e motorização defasados, embora eu ainda o considere um bom carro.

Voyage Comfortline 1.6: Considerei o acabamento do Voyage muito fraco. As saídas de ar no painel são praticamente as mesmas que tinha no meu Gol G4. A qualidade dos plásticos utilizados no interior não me agradou nem um pouco e me fez até reconsiderar a possibilidade de comprar um Polo, visto que o hatch tem um acabamento que me pareceu bem melhor. Ainda pesando contra o Voyage, além do acabamento, o motor 1.6 que considero defasado para um carro 2013, rendendo somente 101 cv e com consumo próximo a outros 1.6 com melhor desempenho. Sinceramente, acredito que o Voyage venda bem graças ao preço reduzido na versão 1.0. Mas na versão 1.6 é bem difícil acreditar que alguém que tenha testado até mesmo um Grand Siena 1.4 venha a preferir o carro da Volks. O Grand Siena tem acabamento bem melhor, tem maior número de itens de série e, quando dentro de um, parece até um carro de categoria superior quando comparado ao Voyage, que tem todos os elementos do carro popular do qual se originou, o Gol.

Chevrolet Prisma: Achei legal o design do novo Prisma e fiz um teste drive antes de fechar negócio no Grand Siena 1.6. Gostei do acabamento do carro, mas não muito do design externo. Aliás, nem do próprio Grand Siena eu gosto muito do design exterior. O que me desagradou no Prisma acabou sendo o preço. A versão LTZ com motor 1.4 ficou pelo mesmo preço do Grand Siena 1.6. Ainda assim, o Prisma tinha alguns itens de série a mais, como sensor de estacionamento e o sistema MyLink. O motor 1.4 do Prisma tem um bom rendimento, mas perde velocidade em quinta marcha no topo de uma subida e pede redução para quarta. Ainda assim, gostei da sensação de dirigir e no test drive me pareceu mais esperto que o 1.6 do Voyage, mas ficou longe do 1.6 do Grand Siena. Se você está interessado em um carro 1.4, acredito que a versão LT do Prisma o atenda até melhor que o Attractive 1.4 do Grand Siena.

Grand Siena Attractive 1.4: Não cheguei a fazer o test drive no Grand Siena 1.4. O carro não tem vários itens que são de série no Essence 1.6. Por exemplo, ao adicionar o ar condicionado no Attractive 1.4 chega-se a um valor próximo do Essence 1.6 que já vem com um maior número de itens de série, como rodas de liga leve aro 16 e faróis de neblina.

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v

Grand Siena Essence 1.6 16v: Foi o carro que mais bem atendeu às minhas expectativas. Queria um carro confortável, com boa motorização e bom espaço interno. Ao conhecer internamente tive a impressão de que era o ideal para o que eu queria, oferecendo um bom espaço interno para que quatro adultos viajem com conforto. No test drive, a melhor impressão ficou por conta do motor Etorq 1.6 16v que tem um desempenho muito superior aos 1.6 da Volkswagen e 1.4 da Chevrolet. A suspensão é muito bem ajustada e me lembrou muito o comportamento da suspensão do Corolla, que praticamente não inclina nas curvas, mas sem ser tão baixa quanto é a suspensão do Civic. A estabilidade é um ponto muito forte do carro.

Como ponto negativo, percebido ainda antes da própria compra, ficou o acabamento com exagero de plásticos, um problema que parece inevitável em todos os carros desta categoria. A qualidade do revestimento dos bancos não chega a ser ruim, mas poderia ser bem melhor. Não gostei do tecido do revestimento que parece ser básico e não muito resistente. Apesar disso, as costuras são boas e não parecem rasgar com facilidade.
Enfim, por R$ 42 mil foi a melhor opção de compra levando em consideração a boa motorização, o comportamento seguro do carro nas curvas em estradas e a relativamente boa lista de itens de série que estão disponíveis na versão Essence.

O carro foi adquirido nos primeiros dias de março de 2013. Agora vamos às opiniões depois de 30 dias com o carro, 20 dias efetivos de uso, já que o carro ficou mais de uma semana parado esperando pelo emplacamento. Neste momento meu Grand Siena está com 900 km rodados.

Pontos positivos

Motorização: O motor Etorq rende até 116 cv e nas primeiras voltas com o carro em uma rodovia fica bem claro que existe aquela “sobra” de potência. Por não ser um carro tão pesado, o motor 1.6 o deixa ótimo para manter uma boa velocidade de cruzeiro em marcha constante, mesmo quando enfrenta subidas mais íngremes. As retomadas são boas e, quando engatada a quarta marcha, os giros sobem e é possível perceber a diferença positiva que fazem as 16 válvulas, deixando o carro muito esperto para ultrapassagens.

Consumo: Até o momento não abasteci o carro com álcool, tenho utilizado somente gasolina. O consumo urbano, com velocidade média de 35 km/h ficou em 10.6km/l e o consumo rodoviário, com velocidade média de 98 km/h ficou em 16.8 km/l nas últimas medições que fiz. Nas medições o carro esteve carregado com duas pessoas e ar condicionado ligado todo o tempo, fazendo trajetos de ida e volta pelo mesmo caminho a fim de evitar a interferência do relevo sobre o teste. Como o motor ainda está com menos de mil quilômetros rodados, pode ser que o consumo ainda melhore. No entanto, estou bastante satisfeito com o consumo, não esperava que um carro 1.6 pudesse ser tão econômico na estrada quanto os 1.0 que eu já tive. Na cidade o consumo é um pouco maior.

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v

Espaço interno: O Grand Siena em nada lembra o antigo Siena que tinha um espaço interno bastante reduzido. No Grand Siena há espaço interno de sobra para transportar com conforto até quatro pessoas. Não há cinto de segurança de três pontos para um quinto passageiro. Mesmo com as poltronas dianteiras deslocadas para trás, ainda sobra um bom espaço para as pernas para quem viaja nas poltronas traseiras. O encosto da cabeça das poltronas traseiras alcança uma boa altura e mesmo pessoas com 1,80 de altura não rasparão a cabeça no teto. O porta-malas é muito bom, sendo possível acomodar a bagagem de quatro pessoas com tranquilidade.

Estabilidade: Frequentemente viajo na BR369 entre as cidades de Cornélio Procópio e Londrina. É um trecho de pista simples em que praticamente não há retas, somente curvas. Por isso, a estabilidade é um ponto que considero muito importante em um carro. Com o Grand Siena é possível fazer curvas a mais de 100km/h sem qualquer desconforto. O carro inclina muito pouco e transmite muita segurança para quem está ao volante, ajuste que até então só havia percebido em carros de categoria superior, como o Toyota Corolla, Honda Civic e Ford Fusion.

Freios: o sistema de freios transmite total confiança mesmo em condições de frenagens bruscas, apesar de contar com freios a disco apenas nas rodas dianteiras. Ao contrário da versão de entrada do Honda City, vem equipado com ABS e EBD.

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v

Posição de dirigir: Como disse no começo da matéria, quando comecei a pesquisa para troca de carro, queria um sedan de categoria superior à do Grand Siena. Ao fazer o primeiro test drive no carro da Fiat, constatei que a dirigibilidade e o conforto ao dirigir não ficavam distantes daqueles que percebi nas vezes que dirigi um Corolla. Claro que o Corolla tem bancos de couro e um motor mais potente, mas, guardadas as devidas proporções, o Grand Siena tem uma posição de dirigir que não traz fadiga ao motorista, ao contrário do que acontece com a maioria dos carros populares. Os retrovisores são muito bons e proporcionam um bom campo de visão.

Pontos negativos

Ruído no plástico do painel: Mesmo estando novo, percebo que há um ruído na região central do painel, onde há as saídas dos canais de ar condicionado. Basta o carro passar por alguma irregularidade no asfalto para ouvir um ruído de plástico vindo lá de dentro. Infelizmente estes problemas com ruído vindo do acabamento são inevitáveis nos carros desta categoria, onde é tudo montado “na pressa”. O ruído é ocasional, mas não é legal ter um grilo dentro do carro quando ele está com os vidros fechados, ar ligado e som desligado.

Reflexo do painel no vidro: Quando o carro enfrenta o sol baixo pela frente, o reflexo da luz solar sobre o plástico do painel bate no vidro e prejudica a visibilidade. Não sei se esse é um problema comum em carros com o painel maior, mas é o primeiro carro que tenho em que percebo este problema.

Qualidade do revestimento das poltronas: Até o Palio Economy com kit Celebration do meu pai tem revestimento com uma qualidade aparentemente melhor. O revestimento das poltronas parece ser feito com tecido barato e de baixa qualidade, embora até o momento não tenha queixas em relação à durabilidade do mesmo. A espuma das poltronas é mole demais, mas como sou magro (66 kg), achei que mesmo assim acomodam bem o corpo. Tenho dúvidas se uma pessoa com peso maior que o meu não irá afundar na espuma e achar as poltronas desconfortáveis devido a essa característica do material.

Falta de esportividade: O Grand Siena Essence 1.6 é um carro calibrado para o conforto e não para esportividade. Não é um carro para quem gosta de sair em primeira marcha cantando pneus. No trânsito urbano ele não é um carro dos mais ágeis. Isto se deve ao fato do motor 16v entregar sua potência em rotações mais elevadas. Logo, em baixas rotações o carro não responde com a mesma agilidade que um 1.0 ou até mesmo 1.4 responderia. Li pela Internet algumas reclamações sobre a potência deste motor em baixas rotações, mas acredito que seja uma questão de costume do motorista. A maioria dos carros populares responde rápido na primeira e segunda marcha, o que não acontece no Grand Siena 1.6. Para quem pretende usar o carro apenas em trajetos urbanos, talvez a versão Attractive 1.4 seja uma escolha mais acertada.

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v

Dicas para quem está comprando um Grand Siena Essence 1.6 16v

Câmbio Dualogic: O câmbio Dualogic tem suas virtudes, mas não é totalmente bem aceito pelo mercado. Desde quando foi lançado, surgiram muitas reclamações de problemas em carros equipados com este câmbio, além de existirem relatos de que a manutenção do mesmo é muito cara. Particularmente, não gosto de câmbios automatizados como o Dualogic da Fiat e o i-Motion da Volkswagen. Minha sugestão é para que prefira o carro com câmbio manual. O câmbio manual tem embreagem macia e alavanca com encaixes fáceis e precisos. Se você sabe dirigir economicamente, com certeza fará melhores médias de consumo com um câmbio manual do que com um automatizado.

Sistema de som original: Eu não gosto do sistema de som original que vem de fábrica nos carros da Fiat. Até mesmo os alto-falantes não tem uma qualidade que me agrada. Minha sugestão é comprar o carro sem sistema de som e posteriormente instalar um som de sua preferência, como um Pioneer ou um Sony. Meu carro veio sem som justamente por esse motivo. A vantagem é que, além de contar com um som melhor e mais moderno, você ainda economiza, pois sai mais barato comprar um som avulso e instalar em uma loja especializada do que comprar o original de fábrica.

Kit Emotion 2: Recomendo este kit de opcionais para dar um aspecto melhor ao interior do carro, vindo com uma faixa decorativa escura de lado a lado no painel e apoia-braço central no banco do motorista. O apoia-braço valoriza visualmente o interior do carro e traz um conforto interessante para o motorista e passageiro da poltrona da frente.

Quem se interessa pelo Grand Siena, acompanhe o Blog do Grand Siena no endereço e veja mais fotos e reviews sobre o carro em uso no dia a dia.

30 dias com um Fiat Grand Siena Essence 1.6 16v
Nota média 4 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email