Usado da semana

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

Olá pessoal. Há um ano pensei em escrever minha experiência com meu atual carro, um Fiat Grand Siena Essence 1.6 2013, e agora com o carro com 150 mil km chegou a hora.


Comprei o carro zero em abril 2013. Possuía um cartão com pontos da Fiat com R$ 9 mil de desconto, e negociei um desconto extra de R$ 4 mil. No final o carro de R$ 48 mil (com alguns opcionais) fechou no pagamento a vista por R$ 35 mil com todos os descontos.

Atualmente está com 150.198 km, com predominância de uso em viagens (70%) entre Curitiba e interior de SP.

Fiat Grand Siena – carroceria e interior

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV


Acho o carro bonito. As rodas 16” o deixam com volume, e atualmente uso pneu 205/55, os originais eram 195/55.

Em relação a alinhamento das peças externas não percebi nada anormal. O para-lama direito tem um vinco causado por uma depressão do nosso asfalto lunar que atingi no caminho à Santa Catarina, e o amortecedor atingiu o fim do curso e a lata acusou o choque. A iluminação dos faróis é muito boa.

Na parte interna o painel onde fica o airbag do passageiro faz uns ruídos quando passa por asfalto mais rugoso. Iluminação dos instrumentos não cansa em viagem noturna, tendo controle de intensidade. O computador de bordo traz as informações comuns a outros modelos.

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

O carro também tem as alças de apoio dobráveis no teto, luz de cortesia para todos, e porta óculos. Também tem luz no porta luvas (que é meio pequeno aliás), e mais uma no porta malas. Quanto ao espaço praticamente uso somente com minha esposa, sem filhos, portanto não havia problema para nós neste quesito. O porta-malas é suficiente, apesar de ter instalado um cilindro de GNV de 21 m3.

Todas as portas têm revestimento em parte com tecido. A qualidade geral é razoável, mas claro que há alguns ruídos, afinal é um carro com 150 mil km.

Fiat Grand Siena – dirigibilidade e conforto

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

A suspensão achei justa entre conforto e estabilidade. Tive um Siena do anterior que a suspensão era mais pra confortável, deixando-o em curvas mais instável. Ajuda neste ponto, o pneu 205. A direção, apesar de ser hidráulica, é um pouco pesada em manobras, mas firme na estrada.

Os freios são bons, e não fiz nenhuma manutenção neles ainda, somente a troca do fluído de freio com 4 anos (2017). Na última revisão foi avisado que as pastilhas precisarão ser trocadas na revisão dos 150 mil km. Os limpadores do para-brisa são bons, varrem bem sem deixar resíduo de água.

O meu é sem retrovisor elétrico, portanto sem tilt down, que aponta o espelho para baixo ao engatar a ré, para não ralar a roda traseira na guia, pois o Grand Siena tem a traseira meio alta.

Os bancos até têm uma boa densidade e a padronagem do tecido é bonita. O ar condicionado gela bem, e tem 4 saídas de ar na parte central do painel. Os vidros do passageiro e motorista são do tipo um toque para subida e descida.

Adicionei ao carro uma central multimídia de tela retrátil, com GPS e TV digital.

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

Fiat Grand Siena – pontos negativos

O meu carro quando está no GNV tem uma queda acentuada de torque na faixa baixa de giros até 2.500 rpm, e após essa rotação melhora significativamente. Quando instalei o GNV (2013) acho que foi feito a regulagem do GNV para melhor consumo. Em serras quando muito extensas ou íngremes passo para o etanol para nem estressar. No etanol o motor tem boa força, suficiente para ultrapassagens seguras.

O motor é elástico, mas anda bem mesmo acima de 3000RPM, o outro carro que tive era um Siena com motor 1.8 GM, muito bom de torque em baixo giro, mas pouco elástico.

O que faz falta é a retomada de velocidade no GNV em giro baixo (2.000-2.500 RPM), e que no etanol este efeito minimiza muito, mas já me acostumei e basta reduzir uma marcha para dar conta do recado.

Mesmo com essa característica, utilizo o GNV normalmente em rodovias, ultrapassagens etc., único ponto que precisa prestar atenção é o giro do motor quando no GNV pela diferença de potência entre ele e o etanol. Maior parte das rotas que faço é em rodovias duplicadas.

Outro ponto negativo é a suspensão dianteira, que desde muito cedo começou a fazer uns estalos quando o carro está manobrando, volante virado. Não tem folga na suspensão, mas o barulho ocorre, mas também não fui atrás, pois vi em vários sites que era algo comum e aconteceu com muitos proprietários do Grand Siena.

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

Fiat Grand Siena – consumo

Sempre segui o manual quanto à manutenção, e faço troca de velas a cada 30 mil km, e cabo de velas a cada 60 mil km. Minha base de consumo é sempre com GNV, pois o etanol uso somente em situações pontuais, como ao ligar o carro com motor frio em que o sistema só passa para o GNV após motor atingir determinada temperatura, e em serras pelo motivo já explicado.

O GNV instalado é da Lovato 5ª Geração, e como exemplo prático; do posto de GNV de Curitiba a Santos são 411 km, e consigo chegar no destino sem usar etanol. Em média ele faz 20 Km por m³ de GNV, na rodovia. Cidade nunca efetuei medição, eu suponho que faça uns 14 – 15 km com m³.

Ainda sobre o GNV, instalei ele após a 1ª revisão obrigatória, com 17 mil km, 06 meses após a compra. Não exigiu até o momento manutenção extra, somente o filtro de óleo que esse kit tem é trocado anualmente, e a inspeção anual para poder licenciar o veículo. Em Curitiba o IPVA é de 1% para GNV.

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

Fiat Grand Siena – manutenção

Até a km atual foi feito somente a manutenção normal recomendada pelo manual quanto ao motor e câmbio, não houve nenhum problema extra.

A bateria é original ainda, e somente a suspensão traseira tive que trocar os coxins aos 100 mil km, não sei se o cilindro do GNV colaborou para o desgaste, pois durante uns 30 mil km utilizei a mola traseira original, somente após é que coloquei mola traseira de GNV.

Como dito, troco vela a cada 30 mil km e cabos de vela a cada 60 mil km. Óleo de motor conforme manual, sintético 5W30, e troco a cada 15 mil km. Com o GNV o óleo sai praticamente claro.

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV

A correia Poly V troquei com 120 mil km, não tinha nenhum desgaste aparente. Na parte elétrica nenhum problema. Somente uma lâmpada do farol esquerdo queimou.

Pneu original 195/55 Pirelli P7 durou na dianteira até 86 mil km, e os traseiros até 105 mil km, fiz rodízio algumas vezes, atualmente está com Michelin Primacy 3 205/55 nos quatro.

Escapamento também original, o GNV colabora para a durabilidade. Espero que tenham gostado do relato. Abraços a todos.

Por James B.

Carro da semana, opinião do dono: Fiat Grand Siena 2013 com GNV
Este texto lhe foi útil??

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email