Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

A Volkswagen Amarok 2021 é uma das mais variadas opções de picapes médias à disposição dos consumidores brasileiros. O modelo se sobressai pelo motor V6 de 258 cavalos que equipa as configurações mais caras. Com ele, a Amarok 2021 se posiciona como a mais potente da categoria.


Além disso, o modelo da Volkswagen é recomendado para aqueles que buscam por uma picape para uso predominantemente urbano. Afinal, o veículo tem ajustes de direção e suspensão que priorizam o conforto ao rodar no asfalto. Em determinadas situações off-road, a Amarok 2021 também pode se sair bem com o uso da tração integral 4Motion.

Atualmente, a Volkswagen Amarok 2021 pode ser encontrada nas versões de acabamento Comfortline e Highline (com motor 2.0 TDI turbo e apenas venda direta) e as opções Highline e Extreme com motor 3.0 V6 biturbo. O câmbio é sempre automático de oito marchas nos modelos V6, com tração 4Motion.

Conforme mostra o configurador da VW, a picape tem preços que partem de R$ 243.290. Confira abaixo todos os detalhes do modelo:

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

Volkswagen Amarok 2021 – detalhes

Por fora, a Volkswagen Amarok 2021 tem um estilo muito conservador e simples, especialmente porque o modelo é vendido sem acessórios, exceto na versão Extreme. Assim, sem estribos laterais, santântonio, barras de teto ou capota marítima, o modelo mais parece um veículo de frota de serviço, mesmo na versão Highline.

A atualização recente incorporou LEDs diurnos, por exemplo, mas quando completa tem faróis bi-xênon, para-choque traseiro cromado, rodas de liga leve aros 18, 19 ou até 20 polegadas, bem como retrovisores cromados ou em preto brilhante.

No interior, o painel da Volkswagen Amarok 2021 é igualmente simples e funcional, contando com novos difusores de ar, acabamento em materiais resistentes, mas não evoluiu em termos de qualidade percebida.

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

O quadro de instrumentos apenas dispõe de um display colorido, mas cumpre bem seu papel. O volante semelhante ao do Golf já poderia ter sido mudado, mas não é ruim.

Quanto à multimídia, a Volkswagen Amarok 2021 oferece a Discover Media, que tem sistemas do Google Android Auto, Apple Car Play e MirrorLink para aparelhos LG, Samsung e HTC. Na versão Highline, câmera de ré e navegador GPS, mas uma tela maior seria interessante.

Outro ponto fraco é fonte USB, tendo apenas uma num carro tão grande.

A Volkswagen Amarok 2021 tem caçamba com material abrasivo e resistente, acompanhando mudanças no segmento, onde já pudemos ver algo semelhante na Nissan Frontier.

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

Volkswagen Amarok 2021 – novidades

A linha 2021 da Volkswagen Amarok foi bem esperada pelas mudanças anunciadas no motor V6, que passou de 225 para 258 cavalos e de 56,1 kgfm para 59,1 kgfm. O que já era interessante ficou ainda melhor nessa opção da picape.

Junto com essa mudança, porém, a VW decidiu tirar as versões 2.0 TDI, deixando-as apenas para as vendas diretas nas versões Comfortline e Highline. Com isso, o preço inicial da Amarok está acima dos R$ 240 mil.

Visualmente, a única alteração foi a chegada do pacote Black Style, que é composto por rodas de 20 polegadas escurecidas, estribos laterais e para-choque traseiro pintados de preto e outros detalhes visuais internos e externos na mesma tonalidade.

Veja abaixo as mudanças na linha anterior:

A última novidade da linha Volkswagen Amarok foi a chegada do novo motor 3.0 V6 TDI a gasolina, que está disponível nas versões Highline e Highline Extreme. Trata-se do propulsor mais potente usado atualmente em uma picape média.

O 3.0 V6 TDI é dotado de injeção direta common-rail e turbocompressor de geometria variável. Ele consegue desenvolver 225 cavalos de potência, entre 3.000 e 4.500 rpm, e torque de 56,1 kgfm, disponível entre 1.500 e 2.500 rotações.

Em comparação com o 2.0 TDI biturbo dos modelos Trendline e Highline automáticos, o ganho é de 25% em potência (45 cv) e de 31% no torque (13,3 kgfm).

Junto a ele está uma transmissão automática de oito marchas, a mesma já usada nas outras versões da picape. Há ainda o sistema de tração permanente nas quatro rodas 4Motion.

De acordo com dados da Volkswagen, a nova Amarok V6 2020 consegue acelerar de 0 a 100 km/h em oito segundos e atinge velocidade máxima de 190 km/h.

Entre os equipamentos, há freios a disco nas quatro rodas com diâmetro de 332 mm na frente e 300 mm atrás e sistema de freios “Post- Collision Brake” (sistema de frenagem automática pós-colisão) que aciona os freios automaticamente numa batida para reduzir a energia cinética residual.

Ainda entre os itens, a picape dispõe de indicador de perda de pressão dos pneus, airbags frontais e laterais, Isofix, faróis bi xênon com luzes de condução diurna em LED, faróis de neblina com luz de conversão estática, volante multifuncional em couro com paddle shifts, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, ar-condicionado digital Climatronic com duas zonas, sensores de luz e chuva, bancos em couro “Vienna” com ajustes elétricos nos dianteiros, entre outros.

Outra novidade da linha Amarok 2020 é justamente a volta da versão especial Highline Extreme, agora somente com o 3.0 V6 de 225 cv, transmissão automática de oito marchas e tração 4Motion.

Esta opção se diferencia pelas rodas de liga-leve de 20 polegadas com acabamento diamantado, calçadas com pneus 225/50 R20, estribos laterais de alumínio, santantônio esportivo com o nome da versão, tapetes internos em carpete com o logotipo da versão e bancos revestidos em couro exclusivo.

Há também a opção de pintura da carroceria na cor metálica Azul Ravenna, exclusiva desta versão. Há ainda a tonalidade sólida Branco Cristal, as metálicas Cinza Indium e Prata Sirius e a perolizada Preto Mystic.

Em breve, a linha da Amarok vai ganhar uma opção ainda mais potente de seu motor V6, com 258 cv e 59,1 kgfm de torque. Essa novidade era esperada para o fim de 2019, mas atrasou e vai ser lançada apenas em 2020. O motor será o mesmo 3.0 V6, que poderá chegar a 272 cv por alguns segundos com a função Overboost. O câmbio será o mesmo automático de oito marchas.

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

Volkswagen Amarok 2021 – versões

A atual linha da Volkswagen Amarok 2021 está disponível nas seguintes versões:

  • Volkswagen Amarok Comfortline CD 2.0 TDI AT 4×4 2021 (apenas venda direta)
  • Volkswagen Amarok Highline CD 2.0 TDI AT 4×4 2021 (apenas venda direta)
  • Volkswagen Amarok Highline CD 3.0 V6 TDI AT 4×4 2021
  • Volkswagen Amarok Extreme CD 3.0 V6 TDI AT 4×4 2021

Volkswagen Amarok 2021 – equipamentos

Volkswagen Amarok Highline V6 2021

ITENS DE SÉRIE: Alerta de pressão dos pneus, ar-condicionado automático de duas zonas, assistente de partida em rampas, banco do motorista com regulagem elétrica, bloqueio eletrônico do diferencial traseiro, câmera de ré, computador de bordo, computador de bordo colorido, controle automático de descida, controle de tração e estabilidade, direção hidráulica, engate removível, faróis bixenon com luzes diurnas em LEDs, faróis de neblina, frenagem pós-colisão, iluminação na caçamba, lanternas escurecidas, piloto automático, protetor de caçamba, retrovisor interno fotocrômico, retrovisores externos com rebatimento elétrico, retrovisores externos cromados, rodas de 18″ com pneus 255/60 de uso misto, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema multimídia Discover Media com GPS integrado e espelhamento, volante com aletas para trocas de marchas e volante com regulagem de altura e profundidade e acabamento em couro.

OPCIONAIS:

  • Capota marítima e estribo lateral – R$ 2.975
  • Rodas de liga leve de 19 polegadas com pneus 255/55 R19 (estepe de 18 polegadas) – R$ 3.460

Volkswagen Amarok Extreme V6 2021

ITENS DE SÉRIE: itens acima + estribos laterais planos, interior com colunas e teto em preto, rodas de 20″ com pneus 255/50, santantonio esportivo com a inscrição Extreme, sensores de luz e chuva e pedaleiras esportivas.

OPCIONAIS:

  • Capota marítima – R$ 1.170
  • Kit Black Style (Pneus 255/50 R20, Capas dos retrovisores externos na cor preto Ninja sem cromado inferior, Grade dianteira em preto brilhante com frisos horizontais inferiores e verticais cromados, Moldura do painel de instrumentos em preto brilhante, Para-choque traseiro com estribo integrado e Rodas de liga-leve de 20″) – R$ 1.880

Volkswagen Amarok 2021 – preços

Confira abaixo os preços da linha Volkswagen Amarok 2021:

  • Volkswagen Amarok Comfortline CD 2.0 TDI AT 4×4 2021 (apenas venda direta) – não informado
  • Volkswagen Amarok Highline CD 2.0 TDI AT 4×4 2021 (apenas venda direta) – não informado
  • Volkswagen Amarok Highline CD 3.0 V6 TDI AT 4×4 2021 – R$ 243.290
  • Volkswagen Amarok Extreme CD 3.0 V6 TDI AT 4×4 2021 – R$ 256.390

*Preços com base no configurador online da Volkswagen em dezembro de 2020.

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

Volkswagen Amarok 2021 – motor

As versões mais baratas da Volkswagen Amarok 2021. que agora estão disponíveis apenas na venda direta, são equipadas com o motor 2.0 litros TDI a diesel, que consegue entregar 180 cv e 42,8 kgfm com transmissão automática de oito marchas.

Já as versões mais caras, e as únicas disponíveis para o público em geral, vem com o propulsor 3.0 V6 TDI, que é capaz de entregar 258 cavalos de potência e 59,1 kgfm de torque, associado a um câmbio automático de oito velocidades e tração integral 4Motion com diferencial Torsen.

Volkswagen Amarok 2021 – desempenho

  • Volkswagen Amarok CD 2.0 TDI AT – 10,9 segundos e 179 km/h
  • Volkswagen Amarok CD 3.0 TDI AT – 7,4 segundos e 190 km/h

A Volkswagen Amarok 2021 tem uma posição de conduzir muito confortável, dotada de bancos elétricos ergoComfort com acabamento em couro garante um conforto extra, envolvendo o corpo de forma excelente e garantindo melhor dirigibilidade.

Rodando a 110 km/h, o “polêmico” propulsor roda a 1.800 rpm, o que gera conforto e economia. Na condução, o propulsor 2.0 TDI de 180 cv e 42,8 kgfm garante boa performance à picape, entregando disposição mesmo nas retomadas mais agressivas, assim como nas saídas fortes.

A Volkswagen Amarok 2021 tem direção leve e precisa, além de suspensão com ajuste bem mesclado entre conforto e estabilidade. O câmbio automático de oito marchas – da Aisin – continua com mudanças suaves e em dia com as prestações apresentadas pelo 2.0 TDI. Os freios são suficientes e o conforto ao rodar é o mais próximo de um automóvel entre as picapes.

Diferentemente de outras, a Amarok 2021 tem tração 4×4 permanente, a chamada 4Motion. Toda a gestão de tração é eletrônica e permite ao modelo transpor vários obstáculos no fora de estrada com força de sobra e controle de tração devidamente ajustado para cada situação.

As opções adicionais são o bloqueio do diferencial traseiro e controle de descida.

Sem ser bruta, a Volkswagen Amarok 2021 tem boa dirigibilidade e aptidão para o fora de estrada. A versão Extreme é um “up” a mais para quem deseja uma picape personalizada, mais focada no lazer.

Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes

Volkswagen Amarok 2021 – consumo

Cidade

  • Volkswagen Amarok CD 2.0 TDI AT – 8,9 km/litro no diesel
  • Volkswagen Amarok CD 3.0 TDI AT – 8,2 km/litro no diesel

Estrada

  • Volkswagen Amarok CD 2.0 TDI AT – 9,2 km/litro no diesel
  • Volkswagen Amarok CD 3.0 TDI AT – 8,6 km/litro no diesel

Volkswagen Amarok 2021 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Custo

Quilometragem

Preços 2.0 TDI (apenas venda direta)

Preços 3.0 TDI

10.000 km

R$ 990,83

R$ 1.086,11

20.000 km

R$ 1.385,62

R$ 1.703,38

30.000 km

R$ 990,83

R$ 1.086,11

40.000 km

R$ 1.385,62

R$ 1.703,38

50.000 km

R$ 990,83

R$ 1.086,11

60.000 km

R$ 1.385,62

R$ 1.703,38

Volkswagen Amarok 2021 – ficha técnica

Motor

2.0 TDI

2.0 TDI

3.0 TDI

Tipo

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Dianteiro, longitudinal, Turbo e Diesel

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

6 em V

Cilindrada em cm3

1968

1968

2967

Válvulas

16

16

24

Taxa de compressão

16:1

16:1

17:1

Injeção eletrônica de combustível

Direta

Direta

Direta

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Diesel: 140 cv @ 3500 rpm

Diesel: 180 cv @ 4000 rpm

Diesel: 258 cv @ 3250 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Diesel: 34,7 kgfm @ 1600 rpm

Diesel: 42,8 kgfm @ 1750 rpm

Diesel: 59,1 kgfm @ 1400 rpm

Transmissão

Amarok

Tipo

Manual 6 marchas

Automática 8 marchas

Automática 8 marchas

Tração

Tipo

4×4

4×4

4×4

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Disco ventilado

Direção

Amarok

Tipo

Hidráulica

Hidráulica

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Traseira

Eixo rígido

Eixo rígido

Eixo rígido

Rodas e Pneus

Rodas

Aço 16 polegadas

Liga leve aro 18 polegadas

Liga leve 19 polegadas

Pneus

245/70 R16

255/60 R18

255/55 R19

Dimensões

Amarok

Comprimento total (mm)

5254

5254

5254

Largura sem retrovisores (mm)

1944

1944

1944

Altura (mm)

1821

1834

1834

Distância entre os eixos (mm)

3097

3097

3097

Capacidades

Porta-malas (litros)

1280 / 1814 (cabine simples)

1280

1280

Tanque (litros)

80

80

80

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

1134 / 1139 (cabine simples)

1134

1156

Peso em ordem de marcha (kg)

2036 / 1901 (cabine simples)

2036

2036

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,42

0,46

0,46

Volkswagen Amarok – história

Nascida em 2010, a Volkswagen Amarok não foi a primeira picape média da marca, como muitos acreditam. Em janeiro de 1989, a empresa anunciava na Alemanha um novo produto, bem diferente do que os europeus estavam acostumados, a picape Taro.

O produto tinha como missão ser um intermediário entre a multivan Caddy e o furgão Transporter. Mas, havia um detalhe importante, não era um VW em essência.

A Volkswagen Taro era a quinta geração da Toyota Hilux, já que a VW não tinha uma picape e a japonesa precisava entrar no mercado europeu. Assim, a parceira entre as duas empresas durou até 1997.

Nesse período, a picape recebeu motores a gasolina de 1.8 a 2.4, além de duas opções diesel com 2.4 e 3.0 litros. Ela teve versões com cabine simples ou estendida, bem como dois tamanhos, chegando a ter 3,095 m de entre-eixos na versão 4×4. Ela nunca foi vendida no Brasil.

Após 13 anos de ausência do segmento, eia que a Volkswagen retoma seu lugar na categoria com um novo produto, chamado Amarok. Coincidentemente ou não, a nova picape tem a mesma distância entre-eixos da Taro 4×4.

Com design assinado por Walter de Silva, o produto foi endereçado para produção na Argentina e na Alemanha, embora recentemente tenha ganhado uma linha de montagem na Argélia.

O projeto havia surgido em 2005 e durou cinco anos em gestação. Quando surgiu, foi avaliada pelo Euro NCAP e ganhou quatro estrelas. A produção em Wolfsburg começou depois da argentina, feita em General Pacheco.

Assim como a concorrência, a Volkswagen considerou o uso de motor a gasolina para a Amarok, mas apenas um 2.0 TSI de 160 cv e 30,5 kgfm foi disponibilizado para o modelo na Europa. Nos demais casos, o propulsor era o 2.0 TDI.

Este motor diesel inicialmente foi oferecido com 122 cv nas versões de acesso e 163 cv nas mais potentes. No entanto, a Volkswagen Amarok ganhou uma atualização de motor que permitiu subir esses números para 140 cv e 180 cv, respectivamente.

Mas, em setembro de 2015, estourou o escândalo do Dieselgate nos EUA e após os 475 mil carros TDI acusados de burlarem os testes de emissão, a empresa confessou que 11 milhões de carros estavam adulterados, entre eles sua picape média.

Como o 2.0 TDI virou o pivô da história, a Volkswagen decidiu retira-lo do portfólio de motores da Amarok em alguns mercados da Europa. A única alternativa foi usar o V6 3.0 TDI, que também esteve envolvido em caso semelhante com carros da Audi, Porsche e da própria VW nos EUA.

No entanto, sua correção é mais fácil que no 2.0 TDI. Por isso, o enorme motor passou a ser oferecido com potências entre 163 cv e 224 cv.

Diferentemente das concorrentes, a Volkswagen Amarok foi projetada para se aproximar muito de um automóvel em sua condução.

Por conta disso, além da maciez ao rodar e do conforto, a picape não utiliza um sistema tradicional de tração 4×4 com reduzida, mas um dispositivo de acoplamento integral com distribuição de força controlada eletronicamente, não exigindo que se faça a mudança de 4×2 para 4×4 manualmente.

Há somente um bloqueio de diferencial para manter 4×4 em situações de off road. Com câmbio Aisin de oito marchas, a primeira serve como reduzida em casos mais exigentes. Na versão manual, o sistema também permanece da mesma forma.

Ainda assim foram adicionados controle de descida e demais assistência tanto para asfalto quanto para uso em terra ou lama. Todo o trabalho é gerenciado eletronicamente.

Volkswagen Amarok 2021 – fotos

Leonardo Andrade
Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

47 comentários em “Amarok 2021: preço, consumo, motor, revisão, versões, detalhes”

  1. Coincidentemente ou não vi uma propaganda da Amarok recentemente na tv(o que não é comum deste tipo de carro), deve ser para pagá-la que aumentaram o preço. rs

  2. Fanjos chega na sexta a noite, dia de tomar uma gelada e comer um petisco, mais não, ele prefere aumentar até 4k em uma Pickup que acho linda mais o povo insiste em dizer que não presta.

  3. A melhor caminhonete que já tive até o momento (já tive todas, exceto a frontier e a ranger). Faz curva como um sedã, anda muito, tem câmbio muito suave e é silenciosa. Realmente só troco por outra.
    Não usando muito severamente como um caminhão 3/4 pra carregar 1 ton de saco de cimento todo dia e revisando direitinho, é a melhor de todas sem comparação.

    • Faz sentido, a Toro não é tão ”parruda” como as picapes médias (isso é meio óbvio), no entanto, a versão topo dela custa o mesmo ou o menos do que as versões super básicas dessas picapes médias… pra quem SÓ usa picape pra trabalho, essas versões pé-de-boi das médias até são boas, agora, pra quem usa para leve trabalho e passeio, a Toro é uma escolha bem melhor por ser muito equipada, e ter o motor 2.0 a Diesel que até é bom, assim a pessoa usa o conforto dela para o dia-a-dia e a forcinha do motor 2.0 para levar algumas coisas na caçamba de vez em quando e ir pra roça…
      Agora as Toro 1.8 são meramente ilustrativas, pois o 1.8 diferente do 2.0 a diesel, é bem lerdo para um carro como a Toro

  4. Ta vendendo bem, aumenta mais um pouco.
    Ja começou a maior ofensiva da história, achei que estavam exagerando, daqui a pouco os carros da VW pegam outra fama: carros que passam muito tempo em pátio (resseca borrachas, desagrega pneus, acumula poeira, oxida peças)… rsrsrsrs

  5. Bonita, mas não é para trabalho…quem ainda insiste que é “forte” sugiro pesquisar no youtube a brincadeira do cabo de guerra. A Amarok perde em TODAS. Motor não é forte, não traciona bem, no barro então deixa muito a desejar. Picape de Shopping.

    • Ela focou naquele consumidor que nunca vai colocar numa trilha. Uma grande parte dos proprietários usam na cidade mesmo.

      Quem procura um modelo mais on-road, está ai a picape idela.

  6. Isso aqui está virando um car.bos.t disfarçado? Amarok “ganha” aumento? Inserções subliminares foram criadas pelo governo stalinista. Jornalistas deveriam parar de inventar. Deveriam simplificar e sapecar sempre “Montadora X aumentou os preços do carro Y”. Sem firulas. Só car.bos é que a vw “aprecia”. Bom, nem é mentira, a vw aprecia os lucros dos seus preços altos. Por isso, acho que o slogan deveria mudar para DAS ALTO. Falo de boa porque tenho um vw na garagem, sou fã da marca, e ela não precisa nem desses preços, tão pouco de blogs pagos se fazendo passar por órgão de imprensa. Então, NA não use dos mesmos artifícios, são desnecessários. O cara chega na concessionário e não “aprecia”, tão pouco “ganha”. Ele paga, e caro.

  7. Meu parente tem loja de peças para veículos diesel no interior e ele diz que se fosse depender de vender peça pra Hilux, ele quebrava! Agora Ranger e Amarok ele ama! Ele disse que vende peça que nem sabia que existia.

  8. Estou na nona Amarok e não troco por nada, só vou continuar mudando de ano. Comprei a primeira em 2013 e me apaixonei. Para mim a melhor picape do mercado sem dúvida. Claro que tudo é uma questão de gosto. E gosto se discute.

  9. Vi muitos comentários aqui. Além de algumas analises técnicas cada um tem sua preferência.
    Já andei em todos os principais modelos das novas pic ups. A Toro está abaixo dessas que estamos falando. não pode nem entrar em discussão, apesar do designer e tecnologia , mas é um franksteim, nem piuck up e nem automovel e preço caro. A Ranger é uma boa opção, forte e com bons opcionais, mas não é nada econômica. A Hylux ainda é a campeã de vendas e com credibilidade por estar a tantos anos no mercado, mas ficou para trás, falta espaço interno e continua com aquele barulho característico, e ou melhor, alguns modelos encostaram de vez. A Frontier quando usava motor MWM tinha percentual de venda garantida agora descendo a ladeira… Falta espaço interno na parte traseira e opcionais. A L200 coitada , chiparam o motor pra dar potencia e ficou uma porcaria, continua no chassi antigo estreito , inconcebível.
    A Ram está num patamar acima, numa outra categoria, não dá pra comparar.
    Vejo a Amarok como a melhor escolha. Economica, silenciosa, macia de andar, bonita e com opcionais que faltam na maioria das camionetes.
    Levando-se em conta que a maioria dos usuários andam mais de 90% do tempo em asfalto, eu falei a maioria, ela se comporta muito melhor que as demais. Claro que há pessoas que usas a camionete exclusivamente no trabalho e ela dá conta do recado. Não vou discutir aqui quem anda com ela em estradas lamacentas e atoleiros do Pantanal ou Amazônia porque teríamos que colocá-las à prova. Só estou analisando o dia a dia da MAIORIA ABSOLUTA dos usuários
    Ops.
    Faltou a S10 que veio com tudo, se assemelha a Amarok em conforto e macies. Tem motor confiável e é econômica, boa estabilidade, uma boa opção

  10. Estou na minha terceira Amarok. Com as duas primeiras rodei cerca de 90.000 km em cada sem nenhum problema. Agora não resisti e comprei a V6 logo que saiu. O painel está agora bonito, o das outras duas era feio. Os bancos são muito confortáveis, o traseiro leva três pessoas com conforto em viagens longas. Viajei com a 2014 de Penedo-AL onde moro até Foz do Iguaçu com 05 pessoas a bordo com muito conforto. Lembra minha viagem de Penedo ao Rio de Janeiro em 1987 no meu Landau. Mesmo espaço, conforto semelhante, capô grande na frente e enorme espaço para bagagem. Já com essa nova, V6, adoro deixar para trás as hilux e sw4 com seus motores de máquina de costura. Meu pai dizia que quem gosta de motorzinho é dentista.

Deixe um comentário