Crossovers Fiat História SUVs

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil
Fiat Freemont

O Fiat Freemont foi um SUV lançado pela Fiat no Brasil em 2011.

Mas antes disso, o desempenho da Fiat entre os automóveis médios de passeio no mercado brasileiro não foi lá dos melhores. No passado, alguns carros maiores da marca italiana até conseguiram registrar volumes de vendas consideravelmente bons – o que inclui o Tipo, Tempra e Marea.


Para se ter uma ideia, o próprio Fiat Tipo conseguiu se posicionar como o importado mais vendido da época. Em janeiro de 1995, ele foi capaz de desbancar o Volkswagen Gol como o líder do mercado, posto ocupado pelo compacto alemão por quase uma década.

Todavia, boa parte deles tiveram suas imagens equipadas devido à uma série de problemas graves, como o Tipo que teve diversos casos de exemplares incendiados devido a um problema no vazamento do fluído de direção. Houve também o Fiat Stilo, que se destacava por ser um dos carros mais modernos da época.

Ainda assim, na última década da Fiat seguiu investindo no segmento. Lançou o Linea, que nada mais era que a versão sedã do Punto, o Bravo (com um atraso de mais de quatro anos em relação ao mercado europeu) e também o Freemont. Este último foi o primeiro utilitário-esportivo de verdade lançado pela empresa em nosso País.


O Fiat Freemont chegou por aqui em 2011 para se posicionar como o carro topo de linha da empresa por aqui. Na verdade, o carro era praticamente um “clone” do primo Dodge Journey, já que ambas as marcas pertencem ao grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

A propósito, o Freemont foi um dos primeiros frutos da FCA.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

O modelo estreou em nosso mercado sob importação do México e, apesar de ser quase o mesmo carro, tinha diversas diferenças em relação ao Journey. O visual e o interior tinham algumas características próprias, embora o formato da carroceria fosse o mesmo.

Por a partir de R$ 81,9 mil, ele entregava uma lista de equipamentos mais enxuta que a do Dodge, bem como a motorização, que era composta por um um 2.4 litros de quatro cilindros e transmissão automática de quatro velocidades ao invés do 3.6 V6 de até 280 cv, com câmbio automático de seis marchas e tração AWD do Journey.

Por outro lado, ao contrário de seus antecessores, o Fiat Freemont conseguiu sim vender consideravelmente bem nosso mercado, mesmo com a falta da tradição da marca no mercado de carros mais caros e também no de crossovers/SUVs. Em diversos meses, o carro chegou a emplacar 1 mil unidades.

Parte desse “sucesso” foi alcançado devido à boa relação custo benefício entregue pelo carro.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Fiat Freemont – detalhes

Como comentamos acima, o Fiat Freemont tinha poucas mudanças visuais em relação ao Dodge Journey. Tanto é que os mais desatentos costumavam reparar o carro como um modelo da marca norte-americana. O desenho não impressiona, já que é o mesmo do “primo” lançado por aqui em agosto de 2008.

A dianteira do Freemont tinha como exclusividade a grade com filetes cromados e o logotipo vermelho da Fiat em destaque no centro. Até o para-choque era o mesmo entre ambos os modelos, como uma tomada de ar central inferior com desenho tipo colmeia e os faróis de neblina circulares envolvidos por uma moldura em plástico preto.

O capô, com vincos marcantes nas extremidades e na parte central, e os faróis, com formato mais quadrado e espichado, também eram idênticos.

Nas laterais, o Freemont deixava evidente que era um utilitário-esportivo com certo apelo familiar. Isso por conta da ampla janela na coluna “C”, garantindo também uma boa visibilidade no habitáculo. Havia também linha de cintura elevada e ângulos mais agudos.

Já a traseira destacava as lanternas horizontais invadindo a tampa do porta-malas, com direito a iluminação em LEDs.

Por dentro, você conseguia notar que o Freemont realmente não era um carro originalmente da Fiat – pelo menos aos olhos de quem estava acostumado com os carros nacionais da marca. O acabamento era de um nível superior, com direito a materiais emborrachados nos painéis.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Fora isso, o carro contava com um ótimo aproveitamento de espaço, com diversos porta-objetos bastante amplos, inclusive debaixo dos bancos e do assoalho. Nas linhas mais recentes, o utilitário-esportivo passou a trazer também alguns recursos mais modernos, como o sistema de entretenimento com tela sensível ao toque de 8,4 polegadas.

Esta central multimídia maior só não foi oferecida desde o lançamento devido a um problema com um fornecedor de origem japonesa da Fiat. Na época, o país asiático sofria com o terremoto e o tsunami. De início, ele contou com um sistema multimídia com tela de somente 4,3 polegadas.

A versão topo de linha do Fiat era equipada com sete lugares, sendo que a modulação da terceira fileira era realizada ao toque de um botão ou puxando uma haste para rebater ou levantar um banco. Na segunda fileira havia ainda uma espécie de elevação dos bancos para criar um apoio para crianças, dispensando a cadeirinha.

O porta-malas tinha capacidade que variava de 145 litros a 2.301 litros, neste último caso com as duas últimas fileiras rebatidas.

Apesar de contar com alguns equipamentos a menos que o Journey, o Fiat Freemont trazia uma boa dose de itens de série. Na configuração mais cara, o carro era dotado de banco do motorista com regulagem elétrica, airbags frontais, laterais e de cortina, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração e assistente de partida em rampas.

Havia ainda retrovisor interno antiofuscante, retrovisores externos com função antiembaçamento, bancos revestidos em couro, painel de instrumentos com display central colorido, ar-condicionado automático digital com regulagem independente para o motorista, o passageiro da frente os ocupantes dos bancos de trás (três zonas), teto solar elétrico, entre outros.

Para ser comercializado no mercado nacional, o Fiat Freemont recebeu reforços estruturais e ainda uma suspensão retrabalhada para encarar as buraqueiras das ruas brasileiras.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Fiat Freemont – novidades

Lançamento em 2011

O Fiat Freemont foi apresentado aos brasileiros no dia 10 de agosto de 2011. Ele tinha preço inicial de R$ 81,9 mil na versão Emotion e R$ 86 mil na configuração Precision, esta última com mais equipamentos e ainda capacidade para levar até sete pessoas em seu interior.

Na ocasião, a expectativa da marca era comercializar entre 1 mil e 1,5 mil exemplares do Freemont. Ele tinha como principal concorrente o Honda CR-V, que partia de R$ 85,7 mil, além do Chevrolet Captiva por a partir de R$ 90,3 mil e do Hyundai ix35, que custava R$ 85 mil iniciais.

Novo câmbio automático e mais equipamentos

A principal novidade de toda a “vida” do Fiat Freemont no mercado nacional foi a chegada da nova transmissão automática de seis velocidades. Com a antiga caixa automática de quatro marchas, o carro tinha comportamento inadequado, visto que a transmissão “amarrava” o motor e ainda aumentava o consumo de combustível.

Esse câmbio foi herdado do Journey. Com isso, de acordo com números oficiais divulgados pela Fiat, a aceleração de 0 a 100 km/h baixou de 12,9 segundos para 12,3 segundos, ao passo que a velocidade máxima se manteve em 190 km/h.

O desempenho só não ficou melhor por conta do porte do carro, que resultava num peso de cerca de 1,8 tonelada.

Além do novo câmbio, o carro passou a contar com mais equipamentos. O Fiat Freemont Emotion passou a contar com novas rodas de liga-leve de 17 polegadas, sensor de estacionamento traseiro e barras transversais no teto (estas um opcional de R$ 1 mil na linha anterior).

Já o Fiat Freemont Precision adotou uma central multimídia com tela sensível ao toque de 8,4 polegadas.

Porém, os preços também foram alterados. O Fiat Freemont Emotion passou de R$ 87.160 para R$ 95 mil, ao passo que o Fiat Freemont Precision encareceu de R$ 93.160 para R$ 102 mil.

Como comparação, o Dodge Journey custava na época a partir de R$ 109,9 mil, podendo chegar a R$ 122,9 mil na versão topo de linha. Apesar da diferença de preço, o modelo americano compensava pelo motor V6 de 280 cavalos de potência e o sistema de tração nas quatro rodas.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Linha 2015 com novas cores e preços mais altos

Logo no mês de janeiro, a Fiat anunciou a chegada da linha 2015 do Freemont, que inclusive foi a última a chegar com novidades para a gama do modelo.

O utilitário-esportivo recebeu pouquíssimas novidades, que se resumiam a apenas uma nova paleta de cores, com as opções Branco Caldo (sólida), Prata Nimbus (metálica), Preto Provocatore (metálica) e Branco Gioioso (perolizada).  Antes, ele contava também com a cor Vermelho Brilhante.

Outra alteração foi na tabela de preços do Fiat Freemont. Todas as versões do carro ficaram mais caras em R$ 2 mil. O Freemont Emotion passou a ser comercializado por a partir de R$ 98.530, enquanto o topo de linha Freemont Precision chegava a R$ 105.950.

Fim de linha

Numa tacada só, a Fiat anunciou o fim de linha de cinco carros em janeiro de 2017 no mercado brasileiro. Além do Freemont, a Fiat deixou de comercializar os modelos Palio Fire, Idea, Linea e Bravo.

Na verdade, o Fiat Freemont teve sua importação descontinuada em outubro do ano anterior, mas somente meses depois a marca oficializou o fim do carro em terras tupiniquins.

O fim de linha do Freemont se deu pelas baixas vendas. Em quatro anos, o carro conseguiu emplacar mais de 22 mil exemplares em nosso mercado, sendo que metade deste volume foi alcançado em apenas um único ano. Porém, no ano de 2016 menos de 1 mil unidades do Fiat foram vendidas por aqui.

Na época, o grupo FCA já vendia os inéditos Jeep Renegade e nova geração do Jeep Compass.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Fiat Freemont – versões

Fiat Freemont Emotion: versão de entrada do carro, a Emotion saía de fábrica com airbags frontais, freios ABS com EBD e BAS, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, ar-condicionado digital de duas zonas, piloto automático, volante multifuncional em couro com ajuste de altura e profundidade, faróis de neblina, sensor de pressão dos pneus, alarme, rodas de liga-leve de 16 polegadas, sistema multimídia Uconnect com tela de 4,3 polegadas sensível ao toque, Bluetooth e comandos de voz, entre outros.

Fiat Freemont Precision: para ser o mais caro da linha, o Precision recompensava com equipamentos. Trazia a terceira fileira de bancos, além de ar-condicionado automático digital com três zonas de temperatura, airbags laterais e de cortina, sensor de chuva, faróis com acendimento automático, barras de teto longitudinais e transversais ajustáveis, banco do motorista com ajustes elétricos, rodas de liga-leve de 17 polegadas, sensor de estacionamento traseiro, retrovisores externos com rebatimento elétrico, destravamento das portas e partida do motor sem chave, retrovisor interno antiofuscante, retrovisores externos com antiembaçamento, entre outros. Como opcional, podia receber bancos com revestimento em couro e teto solar elétrico.

A partir da linha 2014, o Freemont Precision adotou a central multimídia com tela de 8,4 polegadas e navegador GPS, além do opcional das rodas de 19 polegadas com superfície cromada.

Fiat Freemont – preços

Fiat Freemont ou Precision 2.4 AT: de R$ 54.475 (2012) a R$ 91.006 (2016)

(preços com base na Tabela Fipe em julho de 2018)

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Fiat Freemont – motor, câmbio e desempenho

Independente da versão ou do ano, o Fiat Freemont traz um motor 2.4 litros de quatro cilindros a gasolina. Esta unidade é dotada de comando duplo de válvulas tipo variável na admissão e no escape (Dual VVT), 16 válvulas e bloco e cabeçote em alumínio.

Ele consegue desenvolver 172 cavalos de potência, a 6.000 rpm, e 22,4 kgfm de torque, a partir 4.500 rpm. As primeiras unidades do carro contavam com um câmbio automático de quatro marchas e sistema de tração nas rodas dianteiras. Esta caixa era a mesma do antigo Chrysler PT Cruiser, bem como o motor de quatro cilindros.

Com este aparato, o Fiat Freemont era capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 12,3 segundos na versão de entrada Emotion ou 12,9 segundos no modelo topo de linha Precision. Em ambos os casos, a velocidade máxima é de 190 km/h, com o conjunto operando a 6.250 rpm.

Porém, a partir da linha 2014, a Fiat passou a equipa-lo com uma transmissão automática sequencial mais moderna, de seis velocidades, herdada do Dodge Journey. Este câmbio foi adotado com o intuito de melhorar o comportamento do veículo e, assim, economizar o combustível. O motor, porém, não foi alterada.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

A nova caixa traz relações mais curtas nas três primeiras marchas, para melhorar o desempenho em cidades e aclives, e as três últimas marchas mais longas para fazer o motor trabalhar em rotações mais baixas e diminuir o consumo de combustível.

Por conta disso, a aceleração de 0 a 100 km/h baixou para 12,3 segundos no modelo topo de linha. A velocidade máxima seguiu sendo de 190 km/h.

No mercado europeu, a situação era diferente. Lá, o Fiat Freemont era oferecido com o mesmo motor do Dodge Journey, o 3.6 V6 Pentastar de até 283 cavalos de potência e 34,8 kgfm de torque, além de um 2.0 litros Multijet turbodiesel de quatro cilindros, que entregava até 170 cv e 35,7 kgfm.

Em ambos os casos, havia transmissão automática de seis marchas e tração dianteira ou opção de tração nas quatro rodas.

E por falar em Journey, o modelo com motor V6 (seis cilindros em “V”) de até 280 cavalos de potência e 34,9 kgfm de torque, atrelado ao câmbio automático de seis velocidades e tração nas quatro rodas, é capaz de alcançar os 100 quilômetros por hora em 8,9 segundos e atingir velocidade máxima 208 km/h.

Fiat Freemont – consumo

A respeito do consumo de combustível, de acordo com dados da marca, o Fiat Freemont 2.4 com transmissão automática de quatro velocidades conseguia entregar médias de 7,2 km/l na cidade e 10,8 km/l na estrada.

Porém, com o novo câmbio automático de seis marchas, os números melhoraram para 9,1 km/l e 15 km/l. Isso, reforçando, segundo informações divulgadas pela própria Fiat.

Ainda em comparação com o Journey, ele entrega médias de 6,1 km/l na cidade e 7,4 km/l na estrada, conforme os números divulgados pela Dodge.

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil

Fiat Freemont – manutenção e revisões

Atualmente, a Fiat não disponibiliza mais a tabela de revisões do Freemont em seu site. Porém, quando o modelo era comercializado, a marca oferecia revisões do carro a cada 12.500 quilômetros rodados. A garantia era de três anos, sem limite de quilometragem.

A primeira revisão do Fiat Freemont aos 12,5 mil km tinha preço de R$ 740. Já a de 25.000 km custava R$ 996. No caso da revisão de 37.500 km, o preço era de R$ 1.312. A de 50.000 km, por sua vez, era ofertada por R$ 1.192. Por fim, a revisão de 62.500 km era tabelada em R$ 1.424.

Há ainda poucos defeitos crônicos relatados pelos proprietários do Freemont.

Entre eles, uma vibração excessiva nos freios do automóvel, que pode ser solucionada com a substituição do conjunto, e ainda o desgaste prematuro do câmbio automático de quatro marchas, visto que o conversor do mesmo não suporta a carga de pressão exercida pelo rotor da turbina.

Fiat Freemont – ficha técnica

Motor

2.4

Tipo

Dianteiro, transversal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

2.360

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

172 cv a 6.000 rpm

Torque Máximo

22,4 kgfm a 4.500 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de quatro ou seis velocidades

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, multibraço

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 16 ou 17 polegadas

Pneus

225/65 R16 ou 225/65 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.888

Largura (mm)

1.878

Altura (mm)

1.750

Distância entre os eixos (mm)

2.890

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

531

Tanque (litros)

77

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.849

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,368

Fiat Freemont – galeria de fotos

Freemont: veja todos os detalhes do primeiro SUV da Fiat no Brasil
Nota média 5 de 2 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email