*Destaque *Featured Linha 2018/2019 Pickups SUVs Toyota

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

A Toyota está oferecendo no mercado brasileiro a Hilux 2018/2019. A picape agora conta com três novas versões, totalizando 11 configurações disponíveis, enquanto o SUV SW4 passa a ser comercializado com duas novas variantes, chegando a sete modelos.

Os preços partem de R$ 108.990.


Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

Toyota Hilux – história

Em março de 1968, a Toyota apresentava ao mundo a Hilux ou Hi-Lux. A picape nasceu como uma substituta para as similares derivadas de automóveis da marca, tais como Crown, Corona e Corona Mark II.

O motivo é que esses modelos estavam sendo promovidos para níveis acima e por isso era necessário que se desprendessem de suas variantes comerciais.


A primeira geração geração tinha apenas cabine simples e caçamba, além de motores que iam de 1.5 à 2.0 litros. Alcançou no máximo 109 cv no 2.0 em 1972, ano em que surgiu a segunda geração.

O aspecto não mudou muito, mas a Hilux ganhou uma versão longa de 4,68 m ante a padrão com 4,27 m. Foi ela que chegou ao mercado americano e seus motores a gasolina se resumiam em 1.8, 2.0 e 2.2 litros, este último com 98 cv.

De 1978 a 1983, surgiu a terceira geração da Hilux, que pela primeira vez ganhou tração 4×4 e cabine dupla. Começando a se parecer uma picape maior, o modelo da Toyota também ganhou seu primeiro motor diesel, um 2.2 de 63 cv.

Ela inaugurou o câmbio automático de três marchas na gama de picapes da marca japonesa.

Na geração seguinte, que foi de 1983 a 1988, a Toyota Hilux ampliou bastante seu lineup e a gama de motores era extensa, incluindo três opções diesel. Foi nessa época que ela deu origem ao 4Runner, um SUV derivado direto dela. Além do Japão, só foi produzida no Uruguai. O modelo também ficou famoso por aparecer no filme “De Volta Para o Futuro”.

A quinta geração da Hilux, de 1988, foi interessante pois, pela primeira vez, a Toyota fechou um acordo com uma montadora europeia para produzir picapes e nesse caso era a Volkswagen, que lançou a Taro, nunca vendida no Brasil.

Também a picape japonesa se expandiu de forma muito rápida, passando a ser feita também na Argentina, Alemanha (VW), Colômbia, Filipinas, Tailândia, Nova Zelândia e EUA, na antiga NUMMI, onde hoje é a Tesla.

Pela primeira vez durou uma década ante os cinco anos de vida comercial das gerações anteriores. A sexta geração ganhou contornos arredondados, mas ainda ostentava uma cabine bem quadradona.

Chegou a ser fabricada na Venezuela e teve uma versão V6 com 193 cv e abastecida com gasolina. Embora não tenha durado dez anos, esse modelo ampliou a fama do produto e deu espaço para a sétima geração, com linhas verdadeiramente mais elegantes e um visual que até hoje recebe elogios. Passou a ser feita na África do Sul.

Na atual geração, o motor diesel anterior, com 3.0 litros e 171 cv foi substituído pelo 2.8 GD de 177 cv e por um 2.4 em alguns países. Com design agressivo, a atual geração é feita apenas na Argentina, Tailândia e Paquistão. Ela recebeu melhorias profundas e tornou o modelo mais confortável e conectado, embora mantendo a robustez e a confiabilidade de sempre.

Em abril, a Toyota abriu uma chamada para recall da Hilux. Foram 176.866 da picape Hilux (feitas entre outubro de 2011 a dezembro de 2014). O chamamento é por conta dos airbags produzidos pela Takata.

Pode haver a degradação do deflagrador do airbag do motorista dos modelos envolvidos após longos períodos de exposição a altas temperaturas, grandes variações de temperatura e alta umidade.

Este fato torna o componente mais suscetível de romper-se inadequadamente, no caso de colisão do veículo, o que pode provocar a dispersão de pequenos fragmentos de metal da carcaça do deflagrador, juntamente com a bolsa, e causar danos materiais, lesões físicas graves ou até mesmo fatais ao motorista e ocupantes do veículo.

A marca começou a substituir o deflagrador do airbag do motorista a partir do dia 19 de junho para a Hilux.

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

Toyota Hilux 2018/2019 – detalhes

Com inspiração no novo estilo global da Toyota, que foi impresso no Corolla, a Hilux 2018/2019 parece bem maior do que realmente é. Em realidade ela cresceu 7 cm apenas e continua sendo menor que a S10 cabine dupla.

Essa impressão vem da nova frente, cuja grade é bem proeminente e devidamente cromada.

O para-choque tem aspecto mais aerodinâmico e proporciona grande ângulo de ataque (33°) por conta de seu desenho. Os faróis são integrados ao estilo da grelha, tendo LEDs diurnos e projetores de LED.

As rodas de liga leve aro 18 com pneus 265/60 R18 têm desenho esportivo e agradam. Faróis de neblina completam o conjunto. Os estribos laterais são muito úteis no dia a dia. Na traseira, as lanternas horizontais são grandes e bem delineadas. A caçamba de carga agrega câmera de ré e maçaneta no corpo central cromado.

No interior da Toyota Hilux 2018/2019, o habitáculo se destaca pelo cluster com iluminação azul e instrumentação analógica bem resolvida, assim como o útil e completo computador de bordo.

Com sete polegadas, a multimídia Toyota Play reproduz DVD, CD, MP3 e tem câmera de ré, além de navegador. O sistema de som conta com seis alto-falantes, enquanto entrada e partida se fazem sem uso da chave, que tem desenho sofisticado.

Logo abaixo do botão de partida há o comando de tração 4×2, 4×4 e 4×4 com reduzida. Ao lado, o ar condicionado automático. O volante multifuncional é muito prático e tem boa pegada, contando ainda com múltiplas regulagens e a famosa haste do piloto automático, que continua pouco ergonômico.

Mais abaixo, bloqueio eletrônico do diferencial traseiro, controle de descida, entrada USB e auxiliar, além de duas tomadas de 12V.

Ao lado da alavanca de câmbio, que tem opção de mudanças manuais, há os comandos dos modos Eco e Power. Há uma tomada de energia para aparelhos de até 100 watts sob o apoio de braço central. O porta-luvas é duplo, sendo o superior refrigerado.

Os bancos em couro são confortáveis, sendo que o do motorista tem ajustes elétricos. O acabamento geral é muito bom, sendo que as portas possuem mesclas de couro, plástico e tonalidades, tendo maçanetas cromadas, frisos de cor cinza e base dos comandos dos vidros em preto brilhante.

Atrás, mais espaço que a Hilux anterior, tendo também saídas de ar condicionado e ganchos retráteis para sacolas. O assento leva três e conta com conjunto completo de cintos e apoios, bem como Isofix. O encosto não é muito vertical, o que ajuda em viagens longas.

Um apoio de braço central com porta-copos escamoteável dá mais conforto e comodidade para dois ocupantes. A caçamba tem bom tamanho e a tampa não é até leve, facilitando as operações de carga e descarga.

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

 

Toyota Hilux 2018/2019 – novidades

Na linha da Hilux 2018/2019, a versão SRX da Hilux agora sai de fábrica com faróis de neblina dianteiros em LED. Outro destaque é a série especial SR Challenge, que tem como base o modelo SR diesel com motor 2.8 de 177 cv, câmbio automático de seis marchas e tração 4×4.

Entre os diferenciais, o modelo oferece pintura preta nas rodas de liga-leve aro 17, capa dos retrovisores, maçanetas das portas, estribos laterais e grade frontal, além de adesivos exclusivos, molduras nas caixas de roda, protetor de para-choques, faróis com máscara negra, lanternas escurecidas, entre outros.

O interior, por sua vez, recebe bancos e painéis de porta com tecidos com costuras vermelhas, tapetes com o emblema Challenge e painel preto com friso vermelho.

O modelo é equipado com sistema multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas e DVD player, computador de bordo, volante multifuncional revestido em couro, trio elétrico, câmera de ré, entre outros. A Toyota Hilux SR Challenge pode ser encontrada somente nas cores Branco Polar e Vermelho Metálico.

Há ainda a nova versão Hilux SR Flex 4×2 com câmbio manual, dotada de itens como direção hidráulica progressiva, ar-condicionado manual, volante ajustável em altura e profundidade, banco do motorista regulável em altura, computador de bordo monocromático, controle de cruzeiro, faróis de neblina dianteiros, modos de condução Eco e Power, protetor de caçamba, retrovisores externos na cor preta com indicadores de direção, trio elétrico, rodas de liga-leve aro 17 e sistema multimídia com DVD player e Bluetooth. A Hilux 2018/2019 passa a dispor também da variante Narrow Cabine Dupla diesel 4×4 com câmbio manual, disponível somente para venda direta.

Toyota Hilux 2018/2019 – versões

SR 4×2 M/T flex Cabine Dupla
SR 4×2 A/T flex Cabine Dupla
Chassi 4×4 M/T diesel Cabine Simples
Cabine 4×4 M/T diesel
SRV 4×2 A/T flex Cabine Dupla
SRV 4×4 A/T flex Cabine Dupla
STD 4×4 M/T diesel Narrow Cabine Dupla
STD 4×4 M/T diesel Cabine Dupla
SR Challenge 4×4 A/T diesel Cabine Dupla
SRV 4×4 A/T diesel Cabine Dupla
SRX 4×4 A/T diesel Cabine Dupla

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

Toyota Hilux 2018/2019 – equipamentos

Toyota Hilux SR 4×2 Flex – De série com airbags frontais, airbag de joelho (para motorista), freios ABS com EBD, sistema de alarme perimétrico, sistema universal para cadeira de criança Isofix, ar-condicionado manual, banco do motorista com ajuste de altura, chave tipo canivete, computador de bordo monocromático, controle de velocidade de cruzeiro, direção hidráulica, modos de condução ECO e Power, protetor de caçamba, sistema Multimídia com tela de 7” traz GPS, TV Digital, DVD, rádio com CD Player/MP3, câmera de ré, Bluetooth, conexão USB e AUX, quatro alto-falantes e volante com comandos integrados, retrovisor externo na cor preta com regulagem elétrica e rodas de liga leve aro 17 polegadas.

Toyota Hilux SRV 4×2 / 4×4 Flex/Diesel – Itens acima, mais ar-condicionado automático com saída de ar central para os bancos traseiros, estribos laterais na cor preta,computador de bordo com tela de 4,2 polegadas de TFT, seis alto-falantes, retrovisor externo cromado, revestimentos dos bancos de couro e material sintético, assistente de reboque , assistente de subida, controle eletrônico de estabilidade, controle eletrônico de tração e sistema de alarme volumétrico, banco do motorista com ajuste elétrico de distância, inclinação e altura.

Toyota Hilux SRX 4×4 Diesel – Itens acima, mais acendimento automático dos faróis, faróis de LED, rodas de liga leve aro 18 polegadas, faróis de neblina dianteiros de LED, entrada e saída sem chave e botão de partida.

Toyota Hilux 2018/2019 – preços

Hilux SR 4×2 M/T flex Cabine Dupla: R$ 108.990
Hilux SR 4×2 A/T flex Cabine Dupla: R$ 115.000
Hilux Chassi 4×4 M/T diesel Cabine Simples: R$ 119.550
Hilux Cabine 4×4 M/T diesel: R$ 123.520
Hilux SRV 4×2 A/T flex Cabine Dupla: R$ 124.380
Hilux SRV 4×4 A/T flex Cabine Dupla: R$ 135.090
Hilux STD 4×4 M/T diesel Narrow Cabine Dupla: R$ 135.780
Hilux STD 4×4 M/T diesel Cabine Dupla: R$ 136.280
Hilux SR Challenge 4×4 A/T diesel Cabine Dupla: R$ 161.990
Hilux SRV 4×4 A/T diesel Cabine Dupla: R$ 171.260
Hilux SRX 4×4 A/T diesel Cabine Dupla: R$ 193.270

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

Toyota Hilux 2018/2019 – motor

A Toyota Hilux 2018/2019 utiliza dois propulsores no Brasil, sendo que o motor de entrada é o mesmo da antiga geração. Trata-se do Dual VVT-i Flex 2.7 com 163 cv de potência a 5.000 rpm, quando abastecidos com etanol, e 159 cv, também a 5.000 rpm, com gasolina. O torque máximo é de 25 kgfm, tanto com etanol quanto com gasolina, mas sempre a 4.000 rpm.

A outra motorização é o novo motor diesel 2.8 1GD com 177 cv e 45,9 kgfm, que vem com transmissão automática de seis marchas com modos Eco e Power, bem com opção manual de seis marchas.

Toyota Hilux 2018/2019 – desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h e velocidade máxima final

  • Toyota Hilux CD 2.7 Flex AT 4×2 – 15,0 segundos e 165 km/h
  • Toyota Hilux CD 2.7 Flex AT 4×4 – 15,0 segundos e 165 km/h
  • Toyota Hilux CD 2.8 Diesel AT 4×4 – 11,8 segundos e 180 km/h
  • Toyota Hilux CS 2.8 Diesel MT 4×4 – 11,8 segundos e 180 km/h

A Toyota Hilux 2018/2019 vem com melhorias no chassi (20% mais rígido) e carroceria (44% mais rígida), assim como na geometria da suspensão, especialmente a traseira. O motor 1GD 2.8 diesel entrega 177 cv a 3.400 rpm e 45,9 kgfm a 1.600 rpm.

O propulsor tem funcionamento mais suave que o anterior, além de mais disposição em baixas rotações.

A caixa de transmissão também é nova e tem seis marchas. As relações são bem adequadas à proposta. As respostas ao acelerador são interessantes, mas o modo Power não acrescenta tanto quanto se espera dele.

No uso normal, funciona perfeitamente, sem trancos ou grandes oscilações nas trocas.

Ajudando a economizar combustível, o modo Eco retem um pouco de força, mas pode passar despercebido em um motorista pouco habituado com picapes médias. Rodando a 110 km/h, o propulsor marca 1.600 rpm.

A dirigibilidade, típica de picapes, melhorou bastante em relação ao modelo anterior. A direção elétrica é leve o suficiente e tem boas respostas a mudanças rápidas de direção. Já os freios possuem atuação razoável e dão conta do recado.

A estabilidade é boa e não é mérito dos dispositivos de segurança. O conjunto de suspensão tem um bom ajuste e o bom é que a traseira agora pula menos quando vazia. Na traseira, a geometria do eixo foi alterada, assim como seu curso, presando mais o conforto e a estabilidade.

No fora de estrada, a Toyota Hilux 2018/2019 se aproveita dos bons ângulos de ataque (33°) e saída (26°), que ajudam muito na transposição de valas e outros obstáculos pelo caminho da Hilux SRX.

O controle de tração ativo A-TRC, que controla as saídas de traseira com acionamento leve dos freios, é outro destaque. A picape da Toyota vem ainda com controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, controle de descida, frenagem de emergência e controle de reboque.

Na versão Flex, as retomadas são medianas e em velocidade cruzeiro de 110 km/h, o motor marca 2.000 rpm, o que garante um ruído quase mínimo na cabine e contribui para o consumo, mas não muito, pois é bem elevado.

A transmissão de seis velocidades tem trocas eficientes e no ECO Mode, as trocas são lentas e até meio pedal, as mudanças acontecem em até 2.500 rpm. Em esportividade, com o modo Power ativado, o motor 2.7 Flex de até 163 cv e 25,0 kgfm não responde no exato momento que pedimos a troca de marcha.

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes

 

Toyota Hilux 2018/2019 – consumo

Cidade

  • Toyota Hilux CD 2.7 Flex AT 4×2 – 4,8 km/litro no etanol e 6,9 km/litro na gasolina
  • Toyota Hilux CD 2.7 Flex AT 4×4 – 4,8 km/litro no etanol e 6,9 km/litro na gasolina
  • Toyota Hilux CD 2.8 Diesel AT 4×4 – 9,0 km/litro no diesel
  • Toyota Hilux CS 2.8 Diesel MT 4×4 – 9,3 km/litro no diesel

Estrada 

  • Toyota Hilux CD 2.7 Flex AT 4×2 – 5,6 km/litro no etanol e 8,1 km/litro na gasolina
  • Toyota Hilux CD 2.7 Flex AT 4×4 – 5,6 km/litro no etanol e 8,1 km/litro na gasolina
  • Toyota Hilux CD 2.8 Diesel AT 4×4 – 10,5 km/litro no diesel
  • Toyota Hilux CS 2.8 Diesel MT 4×4 – 11,2 km/litro no diesel

Toyota Hilux 2018/2019 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Custo

Quilometragem

Preços 2.7 Flex

Preços 2.8 Diesel

10.000 km

R$ 332

R$ 522

20.000 km

R$ 775

R$ 950

30.000 km

R$ 634

R$ 1.018

40.000 km

R$ 1.552

R$ 1.571

50.000 km

R$ 634

R$ 809

60.000 km

R$ 1.133

R$ 1.105

Toyota Hilux 2018/2019 – ficha técnica

Motor

2.7 Flex

2.8 Diesel

Tipo

Dianteiro longitudinal, Etanol e Gasolina

Dianteiro longitudinal, Turbo e Diesel

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

Cilindrada em cm3

2694

2755

Válvulas

16

16

Taxa de compressão

12:1

15:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Direta

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 159 cv @ 5000 rpm / Etanol: 163 cv @ 5000 rpm

Diesel: 177 cv @ 3400 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 25,0 kgfm @ 4000 rpm /Etanol: 25,0 kgfm @ 4000 rpm

Diesel: 45,9 kgfm @ 1600 rpm

Transmissão

Tipo

Manual 6 marchas / Automática 6 marchas

Manual 6 marchas / Automática 6 marchas

Tração

Tipo

4×2 / 4×4 com reduzida

4×4 com reduzida

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Tambor

Direção

Tipo

Hidráulica

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Braços sobrepostos, barra estabilizadora

Traseira

Eixo rígido

Eixo rígido

Rodas e Pneus

Rodas

Liga Leve aro 17 polegadas

Aço / Liga Leve aro 17 / 18 polegadas

Pneus

265/65 R17

225/70 R17 / 265/65 R17 / 265/60 R18

Dimensões

Comprimento total (mm)

5260

5330

Largura sem retrovisores (mm)

1835

1855 / 1800 (cabine simples)

Altura (mm)

1860

1815 / 1795 (cabine simples)

Distância entre os eixos (mm)

3085

3085

Capacidades

Porta-malas (litros)

1036

1000 / 1580 (cabine simples)

Tanque (litros)

80

80

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

730

1000 / 1020 (cabine simples)

Peso em ordem de marcha (kg)

1805 (4×2) / 1830 (4×4)

2090 / 1980 (cabine simples)

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

ND

Toyota Hilux 2018/2019 – fotos

Hilux 2018/2019: preço, consumo, revisão, fotos, motor, detalhes
Nota média 5 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email