História Honda Motos

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)
Honda Lead

Pelo fato de se posicionar como a fabricante de motocicletas com o maior número de concessionárias espalhadas pelo território nacional e ainda por diversos outros fatores – como mecânica de concepção simples e manutenção barata –, a Honda costuma se posicionar como líder em vendas em quase todos os segmentos. E isso acontece entre os scooters desde a chegada do Honda Lead.

O scooter Honda Lead fez a sua estreia no mercado brasileiro na metade de 2009 e pegou uma época um tanto quanto morna da categoria, que naquele ano contava com o Suzuki Burgman 125 como principal representante. O modelo da Suzuki, inclusive, registrava boas vendas – ele fechou o ano de 2008 com 21,5 mil exemplares comercializados.


Este foi o primeiro scooter da Honda disponibilizado aos brasileiros. Antes, a marca tinha a Honda Biz e também a Honda Pop (esta última mais tradicional na região nordeste do País) como opções mais acessíveis e práticas para o dia a dia.

Como todo scooter, o Lead 110 trouxe como diferencial a transmissão automática do tipo CVT, algo inexistente até então na linha da Honda por aqui. No caso da Biz, há até hoje um câmbio semiautomático, que dispensa o acionamento de embreagem para trocas de marcha.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)


Honda Lead – história

A história do Honda Lead 110 teve início em nosso mercado no mês de junho de 2009, quando ele foi anunciado pela marca japonesa por aqui. Um mês depois, em julho, o scooter começou a ser vendido na rede de concessionárias em versão única de acabamento, com preço sugerido de R$ 6.250 e quatro opções de cores: bege metálico, prata, preto e vermelho metálico.

Na época, o Lead se posicionava ainda como o scooter mais vendido da Honda no mercado global!

O modelo comercializado em nosso mercado foi apenas uma das mais recentes gerações da linha do scooter da Honda. A história do Honda Lead lá fora teve início em 1983 com os scooters da série NH, que foram comercializados nos Estados Unidos com o nome Aero.

O nome Honda Lead passou a ser utilizado pela marca somente em meados de 2003, quando ele estreou como Honda SCV 100 Lead no mercado europeu. O modelo oferecido no velho-continente era produzido na Índia, onde o Lead era oferecido como Honda Dio.

Este modelo SCV 100, como o próprio nome indica, era dotado de um motor SOHC, de quatro tempos, refrigerado a ar, com duas válvulas e 102,1 cm³, capaz de desenvolver 7 cavalos de potência e 0,76 kgfm de torque, com um câmbio automático.

O SCV 100 Lead já contava com algumas soluções interessantes, como o tanque de combustível e um compartimento de bagagem posicionados sob o assento.

No ano de 2007, a Honda anunciou a chegada do NHX 110 Lead, a nova geração da linha do scooter. Este modelo foi uma das principais atrações da marca no Salão de Milão, em novembro daquele ano na Itália.

Ele passou a contar com um motor SOHC, de quatro tempos, com refrigeração líquida, duas válvulas e deslocamento de 108 cm³, capaz de entregar 9 cavalos de potência e 0,94 kgfm, agora com injeção eletrônica PGM-FI.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

De acordo com a Honda, este novo conjunto (que integra ainda um novo sistema de escape mais silencioso) foi adotado para cumprir as novas legislações de emissões de poluentes dos principais governos mundiais e ainda melhorar o desempenho do scooter.

Ao contrário da geração anterior, que tinha sistema de partida a pedal ou elétrico, o novo NHX 110 Lead passou a contar somente com a partida elétrica – um recurso mais moderno e prático.

Além disso, ele incorporou novas soluções, como o bocal do tanque de combustível posicionado no assoalho (entre os pés do piloto), o que permitiu um aumento no compartimento de bagagens. Com isso, o espaço passou para bons 35 litros, o suficiente para acomodar até dois capacetes.

Ainda entre os recursos inéditos, a nova geração do Lead trouxe freio a disco na roda dianteira (agora com 12 polegadas de diâmetro), aliado ao freio a tambor na roda traseira. Junto a eles, o novo sistema de freios combinados CBS (Combined Brake System), herdado de motocicletas maiores da Honda. Este recurso permite acionar os freios dianteiro e traseiro simultaneamente ao acionar o manete do freio traseiro.

O Honda Lead foi comercializado em versões de 50, 80, 100, 110 e 125 cilindradas. O “nosso” Lead 110 foi oferecido em meados como Canadá e Estados Unidos, nestes casos com o nome “Honda Elite” estampado no documento.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

Honda Lead – detalhes

Uma das diversas características que fez o Honda Lead vender bem no mercado brasileiro foi o seu visual mais tradicional. As linhas do scooter, mesmo se tratando de um modelo europeu, se assemelham bastante com os da Honda Biz, a motocicleta mais vendida da Honda no Brasil.

Podemos dizer isso pelo menos do conjunto frontal do Lead. Lá, o scooter exibe um escudo com setas com lentes multi-reflexivas integradas na parte inferior da peça. Ela, inclusive, se estende até na região dos pés do condutor.

Além disso, há uma carenagem superior que abriga o farol que também lembra bastante o da CUB da Honda. Uma solução diferente utilizada pela Honda é o para-lama frontal, que não conta com um prolongamento na parte traseira – há somente essa peça vermelha visível nas fotos mesmo.

Merece destaque ainda o assoalho totalmente plano, que permite ainda acomodação de pequenos objetos entre as pernas do piloto. Ainda no escudo, há um compartimento com tampa e tranca com chave e também um gancho como suporte para sacolas. O scooter oferece ainda pedaleiras de alumínio retrateis para o garupa.

Porém, a traseira do Honda Lead 110 é do tipo “ame ou odeie”. O conjunto traseiro é “avantajado” demais e não forma uma boa harmonia com a frente do scooter. Ele abriga um enorme bagageiro em alumínio, que integra também as alças para o garupa, e uma lanterna com piscas integrados e recorte diferenciado. Logo abaixo, o suporte de placa.

O painel de instrumentos do Lead conta com velocímetro, marcador do nível de combustível, indicador da temperatura do motor, hodômetro total e luzes-espia da injeção eletrônica, piscas e farol alto.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

O assento do modelo é em dois níveis e conta com 740 mm de altura do solo. Embaixo dele, há um compartimento que pode ser aberto pela chave de ignição e dispõe de capacidade para acomodar até dois capacetes.

Assim como os demais scooters presentes no mercado, o Lead 110 se sobressai até hoje pelo conforto (embora seja alvo de reclamações pelas rodas pequenas demais, por exemplo), conjunto mecânico eficiente capaz de entregar bons números de consumo, boa capacidade de armazenamento de carga, itens de segurança relevantes (como freio a disco dianteiro e sistema CBS de freios combinados), entre outros.

Diferente da Biz, por exemplo, que tem o tanque de combustível posicionado também sob o assento, o Honda Lead dispõe deste item sob a plataforma onde o piloto apoia os pés. O bocal é protegido por uma capa e aberto com chave.

Um fato curioso é que, nos primeiros anos, o Honda Lead não contava com descanso lateral (o famoso pézinho), item existente em praticamente todas as motocicletas à venda no Brasil. A Honda alegava que este equipamento poderia causar acidente caso o piloto iniciasse o percurso sem recolher o item.

Todavia, ainda assim a marca comercializava o descanso lateral com acessório em sua rede de concessionárias. Depois de muita insistência por parte dos consumidores, o equipamento passou a ser de série a partir da Honda Lead 2012.

No mercado, o Lead fazia frente a outros scooters como os tradicionais Suzuki Burgman 125 e Yamaha Neo 115, além do Dafra Smart 125 e Kasinski Prima 150.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

Honda Lead – novidades com o passar do tempo

Série especial para celebrar um milhão de unidades vendidas

A primeira novidade na linha do Honda Lead 110 no Brasil foi a série especial batizada de… Special Edition. Esta configuração foi anunciada para comemorar o número de um milhão de unidades do Lead vendidas em todo o mundo.

O Lead Special Edition chegou em setembro de 2010 e não trazia nada de muito especial. Havia somente um novo esquema de pintura em dois tons, com a opção de pintura preta com detalhes vermelhos ou cinza com detalhes em prata. Na ocasião, tratava de uma tendência entre as motocicletas mais caras.

Outro atrativo do Lead Special Edition foi o preço, que sofreu redução frente ao valor cobrado anteriormente – algo bastante raro de se ver hoje em dia. O scooter passou dos R$ 6.062 anteriores para bons R$ 5.650.

Linha 2011 com novas cores

Em fevereiro de 2011, a Honda anunciou o novo Lead 110 2011 com novas opções de cores. O scooter passou a ser comercializado nas cores preto, vermelho metálico, amarelo metálico e rosa metálico. Além disso, ela manteve o preço promocional de R$ 5.690 (que havia sido reajustado em R$ 40 poucos meses antes).

Nova linha 2012 também com novas cores

O Honda Lead 2012 também foi marcado pela oferta de novas opções de cores. O scooter passou a ser ofertado na linha de 2012 com os novos tons verde metálico e cinza metálico, além do inédito preto fosco com detalhes em preto brilhante.

A cor vermelha metálica também seguiu sendo oferecida. Seu preço passou para R$ 5.690.

Mais cores na linha 2014

A última linha marcada pela introdução de novas cores foi a Honda Lead 2014. O modelo foi anunciado juntamente com outras motos da gama, como a Pop 100, Biz 100, Biz 125, NXR 125 Bros, NXR 150 Bros e CB 300 R, que também adotaram novas cores e preços reajustados.

No caso do Honda Lead 110 2014, a paleta de cores passou a contar com as novas opções azul fosco e preto. Além disso, o preço foi reajustado para R$ 6.100.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

Nova geração estreia no Vietnã

Em março de 2013, a Honda apresentou no Vietnã a nova geração do Lead (foto acima). O modelo recebeu um visual totalmente redesenhado, com linhas que se aproximaram do SH 125 oferecido na Europa.

Além disso, o Lead de nova geração adotou uma série de novas tecnologias, como farol e lanterna em LED e até sistema start/stop – que desliga o motor após três segundos parado e reativa-o no momento em que o piloto gira o acelerador.

O motor passou a ser um 125 cc, capaz de desenvolver 11,5 cavalos de potência e 1,18 kgfm de torque.

Fim de linha no Brasil

O Honda Lead 110 deixou de existir no catálogo de motos 0 km da marca japonesa no Brasil no início de 2017. O modelo foi descontinuado por aqui por, entre outros fatores, por não atender as exigências do Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (PROMOT 4) de emissões de gases poluentes.

Além do Lead 110, outra motocicleta descontinuada pela Honda no mesmo período foi a CB 1000R, que se posicionava com a naked mais cara e potente da empresa por aqui. Ambos os modelos foram descontinuados na linha de produção da empresa em Manaus (AM) no final de 2016.

Além disso, outro fator que pesou a favor do fim do Lead 110 foi a soberania do PCX 150, que começou a ser vendido por aqui em maio de 2013. Em 2016, o Honda Lead 110 não figurava mais entre as 10 motocicletas mais vendidas, enquanto o PCX 150 teve mais de 22,5 mil exemplares emplacados.

Sendo assim, hoje o scooter mais em conta da Honda é justamente o PCX 150, que tem preços que partem de R$ 11.272 (preço em novembro de 2018). Ou seja, quase o dobro do preço inicial cobrado pelo Lead 110 quando ele foi lançado por aqui.

Honda Lead – preços

Confira abaixo os preços do Honda Lead 110 no mercado de motos usadas:

  • Honda Lead 110 2010: R$ 4.527
  • Honda Lead 110 2011: R$ 4.747
  • Honda Lead 110 2012: R$ 5.200
  • Honda Lead 110 2013: R$ 5.636
  • Honda Lead 110 2014: R$ 6.101
  • Honda Lead 110 2015: R$ 6.342
  • Honda Lead 110 2016: R$ 6.699

*Preços com base na tabela Fipe em novembro de 2018.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

Honda Lead – motor

O motor utilizado pelo Honda Lead é um OHC (Over Head Camshaft), monocilíndrico, quatro tempos, com duas válvulas e arrefecido a líquido, com capacidade cúbica de 108 cm³ e abastecido somente com gasolina. Tal propulsor é dotado do sistema de injeção eletrônica de combustível PGM-FI, que é utilizada até hoje pelas motocicletas novas da Honda.

Ele consegue desenvolver 9,2 cavalos de potência, a 7.500 rpm, e 0,97 kgfm de torque, a 6.000 rpm. Junto a este propulsor está o câmbio automático V-Matic do tipo CVT, que proporciona maior conforto e uma pilotagem simples, visto que dispensa as trocas manuais de marcha: o sistema faz tudo sozinho e o piloto só precisa acelerar e frear.

Segundo dados, o Honda Lead 110 conseguia entregar consumo médio de até 35 km/l. Um número bastante interessante, o que garantia autonomia de até cerca de 230 km com um tanque de gasolina completo.

O conjunto inclui também chassi monobloco tipo underbone feito em aço tubular resistente, com entre-eixos de 1.274 mm e peso seco de 109 kg.

Na suspensão, há na dianteira um sistema com garfo telescópico com curso de 90 mm, enquanto a traseira tem um sistema monoamortecido com curso de 84 mm. As rodas são de 12 polegadas na frente e 10 polegadas atrás, dimensões um tanto quanto pequenas, sobretudo se formos considerar o padrão esburacado das ruas do nosso País.

O sistema de freios, por sua vez, é composto por disco simples com 190 milímetros de diâmetro na dianteira, com pinça de dois pistões, e tambor de 130 mm na traseira. Há ainda o sistema CBS de freios combinados, que aciona os dois freios de maneira simultânea, além do freio de estacionamento posicionado junto ao manete do freio traseiro.

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)

Honda Lead – manutenção e revisões

Por se tratar de uma motocicleta de concepção simples, o Honda Lead 110 tem manutenção e revisões descomplicadas. Assim como boa parte dos demais modelos da marca, é preciso fazer a manutenção periódica simples, que inclui, entre outros itens, a checagem de filtro de ar, fluidos da suspensão, vela de ignição, freios, pneus…

Além disso, caso você esteja interessado por um exemplar usado do Lead, é válido solicitar o manual do proprietário e checar se o antigo dono do modelo realizou as revisões conforme solicitado pelo fabricante. Isso indica que o scooter rodou com manutenção em dia, sem gerar muitas complicações mecânicas durante todo esse tempo.

Honda Lead – ficha técnica

Motor
TipoOHC (Over Head Camshaft), monocilíndrico, 4 tempos, 2 válvulas e arrefecido a líquido
Cilindrada108 cc
Potência máxima9,2 cv a 7.500 rpm
Torque máximo0,97 kgfm a 6.000 rpm
TransmissãoAutomática tipo CVT
Sistema de partidaElétrico
Diâmetro x curso50 mm x 55 mm
Relação de compressão11:1
Sistema de alimentaçãoInjeção eletrônica PGM-FI
CombustívelGasolina
Sistema elétrico
IgniçãoCDI/ECU
Bateria12V – 6 Ah selada
Farol35/35W HS1 x 1
Capacidades
Tanque de combustível/reserva6,5 litros
Óleo do motor0,7 litro
Dimensões
Comprimento x largura x altura1.838 x 673 x 1.125 mm
Distância entre-eixos1.274 mm
Distância mínima do solo115 mm
Altura do assento740 mm
Peso seco108 kg
Chassi
TipoUnderbone em aço
Suspensão dianteira/cursoGarfo telescópico/90 mm
Suspensão traseira/cursoBichoque/84 mm
Freio dianteiro/diâmetroDisco simples ventilado com pinça deslizante de 2 pistões/190 mm
Freio traseiro/diâmetroA tambor/130 mm
Pneu dianteiro90/90 – 12 44 J sem câmara
Pneu traseiro100/90 – 10 56 J sem câmara

Honda Lead – fotos

Honda Lead: tudo sobre o 1° scooter da marca no Brasil (2009-2016)
Nota média 5 de 5 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email