História Matérias NA Mercedes Benz

Quem inventou o carro?

Quem inventou o carro?

Desde tempos imemoriais, o ser humano busca locomover-se sobre a terra, seja para transporta-se, seja para carregar algo de um ponto a outro. Do primeiro “carro” rústico puxado por animais, passando pelas mortais bigas de guerra até as luxuosas e elegantes carruagens, o homem sempre conseguiu andar sem suas próprias pernas.


Mas, isso tudo sempre com ajuda de animais ou do próprio homem, como o riquixá asiático. Porém, tudo mudou quando um estranho veículo movia-se por conta própria, ou melhor, através de um mecanismo que o fazia andar independentemente de animais ou homens para sua propulsão. Assim nasceu o automóvel, nosso popular carro.

Então, quem inventou o carro? A resposta para essa pergunta é complexa, pois ao invés de uma pessoa, existiram algumas personalidades que em seus trabalhos unidos ou em separado, conseguiram colocar nas ruas o veículo que todos nós amamos. Porém, há sim, o registro da patente do que é considerado o primeiro carro.

Antes da famosa patente de Mannheim, os primórdios do carro começam mais exatamente em 1678 com o padre Ferdinand Verbiest, que teria desenvolvido um veículo terrestre movido a vapor para o imperador da China.


Quem inventou o carro?

Era bem primitivo, sendo feito em madeira, mas com um tacho de ferro, onde o fogo aquecia uma esfera de mesmo material com água, que ao ferver, fazia o vapor sair por um funil e assim mover uma roda, que através de um diferencial, movia duas das quatro rodas.

Quase cem anos depois, o igualmente francês Nicolas-Joseph Cugnot, desenvolveu uma carruagem a vapor.

Esta, cuja réplica existe hoje e é operacional, tinha pendurado na frente uma caldeira com mecanismo para movimentar a única roda dianteira. As outras duas ficavam mais atrás e ajudavam na estabilidade do veículo. Podia mover a 4 km/h e carregar 4 toneladas.

Então, houve um limbo enorme após 1771.

Quem inventou o carro?

Motor de combustão interna

Por mais de 100 anos, o carro teve seu desenvolvimento estagnado. Com o século 19, o uso do vapor como forma de propulsão já não era assim tão viável para veículos terrestres, exceto as locomotivas. Foi por causa delas que os projetos de carro atrasaram por meio século no Reino Unido, onde uma lei real dizia que um homem deveria ir à frente do veículo avisando de sua passagem.

Este tinha de portar uma bandeira vermelha, sendo essa uma exigência imposta pelo governo mediante pressão da indústria ferroviária, que temia concorrência. A tal lei só perdeu a validade quando os carros já circulavam pelo mundo, inclusive pelo Brasil, em 1896. Como em muitos lugares fora do Reino Unido não havia proibição, os engenheiros e mecânicos não correram atrás do carro.

Eles preferiram desenvolver um tipo de engenho para substituir o vapor, que era a maneira como as locomotivas e navios de época começaram a adotar. Siegfried Markus, em Viena, Áustria, desenvolveu o motor de quatro tempos em 1874. Um ano depois, a França recebia o registro do nome “automóvel” para identificar veículos de autopropulsão.

Quem inventou o carro?

Carl Benz, o inventor do carro

Nikolaus August Otto, um conde alemão, patenteou um novo motor de 4 tempos movido por gasolina, álcool ou gás. A partir daí, o desenvolvimento de motores a combustão interna se acentuou na Alemanha. Nos anos seguintes, Karl Friedrich Michael Vaillant (nome de nascimento) já se chamava Karl Benz e iniciou um trabalho de metal-mecânica em Mannheim, junto com August Ritter.

Inicialmente Benz e Ritter tiveram muita dificuldade no negócio e o sócio do famoso engenheiro alemão não era confiável o bastante para que a empresa seguisse em frente. Então, a ainda noiva e futura Bertha Benz, usou o dinheiro que recebeu de dote para o casamento e comprou a outra parte, tirando o sócio de lado e assumindo uma sociedade com o Karl, que renderia bons frutos no futuro.

Quem inventou o carro?

A partir de 1878, Karl Benz começou a desenvolver motores de combustão interna, assim como se fazia na época em algumas partes da Europa Central. O engenheiro parecia correr contra o tempo pois um projeto de motor de dois tempos movido a gasolina só ficou pronto no último dia de 1878, sendo patenteado logo no começo do ano seguinte.

Em realidade, não era segredo para ninguém que os desenvolvimentos e patentes de motores de combustão interna estavam avançando muito rápido e quem patenteasse mais projetos, poderia garantir um futuro promissor com os direitos de propriedade.

Mas, o gênio de Benz se mostrou superior à média e logo ele estava patenteando diversas tecnologias ainda hoje utilizadas.

Na lista de patentes de Karl Benz, temos carburador, vela de ignição, ignição por centelha energizada por bateria, controle de cruzeiro, radiador de água, transmissão com marchas e embreagem.

Ou seja, em poucos anos, o alemão já tinha praticamente registrado quase tudo o que compõe um motor moderno. Mas, ainda faltava o essencial, o carro.

Quem inventou o carro?

Das Motorwagen

Mas, apesar de todo o desenvolvimento, patente e projetos, Karl e Bertha Benz estavam bem endividados.

Como seus processos industriais eram de alto custo, logo os bancos de Mannheim começaram a restringir o crédito e ele acabou tendo que se associar com um comerciante de queijos e um fotógrafo para obter crédito na praça.

Porém, a nova empresa Gasmotoren Fabrik Mannheim tinha Benz apenas com 5% das ações e o cargo de diretor. Saiu um ano depois da associação, em 1883.

Na contagem do relógio, o engenheiro estava bem próximo de entrar para a história, mas o que chama atenção é que isso só deu por causa das bicicletas…

Em 1883, Karl Benz formou uma nova empresa, a Benz & Companie Rheinische Gasmotoren-Fabrik, que se dedicava à produção e manutenção de bicicletas. Ali, o engenheiro começou a motorizar bicicletas e então as carruagens “sem cavalos”.

Então, a partir de um triciclo, ele desenvolveu um veículo com rodas de arame, motor de 4 tempos  a ar e um bobina na distribuição.

Quem inventou o carro?

Por ter sido um invento na qual foi projetado desde o início para ser um automóvel e não uma mera adaptação, Karl Benz entrou para a história ao registrar em Mannheim o documento “Benz Patent Motorwagen”, criando assim o primeiro veículo a ser considerado como um carro autopropulsado.

Foi registrado no serviço alemão de propriedade industrial em 29 de janeiro de 1886 sob o código DRP-37435.

Financiado por Bertha Benz, que depois fez a famosa e histórica viagem “secreta” com dois de seus filhos, o Motorwagen de Karl Benz de tornou a primeira de várias patentes que a Alemanha registrou até 1893, num total de 25.

Mas a primazia cabe ao engenheiro, que mais tarde formaria com Gottlieb Daimler um conglomerado automotivo e industrial que chegou a ser a maior empresa da Alemanha.

Quem inventou o carro?
Nota média 5 de 4 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • AcuraLexusInfiniti

    a China é a mais velha no mundo

  • Washington Silva

    Bertha Benz, linda, inteligente e capitalista. Entrou para a história do mundo moderno por isso. Sem vitimismo, sem mimimi, há mais de 100 anos atrás, quando as coisas eram realmente difíceis. É difícil entender que, depois de tanto tempo e tecnologia, ideias vitimistas tão fartamente refutadas e infrutíferas ainda encontrem eco. Por mais Bertha Benz no mundo…

    • MauroRF

      Já escutei de um psicólogo que esse mimimi, vitimismo etc. é justificativa para o “fracasso” de uma pessoa. Do tipo “eu transfiro os meus problemas para os outros e as outras coisas e está tudo bem”. Justamente como faz a turma dos vermelhos.

    • Mas tem os dois lados. Quantos homens e mulheres tentaram fazer algo na história e nunca conseguiram? A sociedade só enxerga quem chegou ao topo, e não tem como todos conseguir chegar ao topo ou fazer algo que marque a história. Aliás muitas pessoas de vanguarda só foram reconhecidas após a morte, algumas vezes muitos anos depois. É como futebol, é fácil olhar pro Neymar e dizer que ele lutou e conseguiu chegar ao topo, mas quantos jovens igualmente tentaram e não chegaram? E não se esqueça que temos grandes gênios, incluindo mulheres , que literalmente foram queimados na fogueira na nossa gloriosa história da humanidade.

      • Washington Silva

        Meu caro, diariamente bilhões de pessoas acordam cedo ao redor do globo e trabalham por seus objetivos. A maioria esmagadora jamais entrará para a história mundial, mas entrará ao menos para a história de seus filhos, de sua família, caso lutem dignamente. Não se trata unicamente de ser reconhecido, mas de lutar e vencer seus próprios limites, sem choramingar, sem se vitimizar. Ninguém precisa inventar nada pra ser vencedor, basta não atribuir os próprios insucessos aos outros, às condições sociais, ao gênero ou cor. Realmente, existem dois lados, o lado de quem luta pelo que acredita, que cai mas levanta e que assume os próprios fracassos no caminho e aprende com eles e o lado daqueles que nunca fazem nada, reclamam dos que fazem e culpam os outros pela própria incompetência. Bertha Benz se sobressaiu correndo riscos, investindo o que tinha e o que não tinha, teve insucessos, mas não consta em nenhum registro que ela tenha atribuído isso ao fato de ser mulher, ou porque a sociedade era machista. Como ela há bilhões de mulheres que sustentam e educam seus filhos sozinhas, sem choro, com honra. E diferente dela, algumas que nunca tiveram coragem de usar o próprio cérebro saem por aí, tirando a roupa em protestos, fazendo chororo, gritando que a culpa de tudo é de todos, exceto delas mesmas. É disso que eu tô falando, e é por isso que eu digo: por mais Bertha Benz no mundo!

        • Max Peixoto

          com certeza, falou tudo, isso que era uma mulher de verdade, essas feministas de hoje não dão valor nenhum pra nada, nem para os homens trabalhadores , nem pros filhos, são extremamente egoístas, só pensam nelas e no próprio umbigo, pessoas descartáveis, como uma atriz que foi fotografada na praia com um pano de prato designando a genitália feminina, atitude deplorável, mas enfim, tem uma lenda que diz que a senhora Benz, tinha que ficar parando nas farmácias da época para abastecer o veículo, pois era movido a éter e querosene, coisa engraçada, os primeiros postos eram farmácias rsrsrsrs!!!

          • VINÍCIUS FREITAS DE SOUZA

            Até hoje me espanta pessoas tão evoluídas não saberem a diferença entre Feminista e Femista

            • Max Peixoto

              realmente é espantoso, tirando como exemplo a própria senhora Benz, ainda bem que ela passava longe dos dois estereótipos, que ao meu ver estão cada vez mais sendo deturpando por essa geração perdida e descartável em todos os sentidos, a senhora Benz era uma mulher de verdade, um exemplo a ser seguido, sempre estava ao lado do marido, nos altos e baixos da vida, respeitando e valorizando seu trabalho e seus ideais, inclusive tolerando suas inúmeras falhas e manias, isso é ser companheira, é dava valor na família, que inclusive é umas das poucas coisas boas mas femistas, levando seus filhos para irem rever a avó, mesmo que fosse na base de uma grande aventura inédita, que está marcada na história como conceito automobilístico, entusiástico e de grande valor familiar, afinal ela poderia ter escolhido qualquer outro destino e ter ido sozinha!!!!!!!!

            • Renato Duarte

              pelo que eu ando vendo nos dias de hoje,, no comportamento delas,, na baixaria e decadência,, acho que as duas palavras tem um só significado.

          • Renato Duarte

            e ela foi a primeira pessoa na história a fazer a manutenção de um automóvel,, já que ela descobriu que o motor estava com entupimento na passagem de combustível,, e resolveu usar a agulha de tricô que ela levava em sua viagem para limpar esse entupimento.

        • Incitatus

          WS você esquece que no Brasil o segundo colocado é o primeiro perdedor? Se eu estou fora do Brasil e alguém vem falar dos irmãos wright eu mando praquele lugar. Inventaram um avião que não voou e suas testemunhas eram seus empregados. A réplica que fizeram para comemorar 100 anos não voou, micou. Santos Dumont fez um que voava, o fez em praça pública e ainda abriu mão da patente. E não bastasse ainda fez o demoiselle, formato usado na maioria dos aviões. Já o 14 bis, com elevador frontal é base dos jatos de combate e do fantástico Avanti Piaggio.

      • Renato Duarte

        Você não concorda que exigir reconhecimento sem ter alcançado o sucesso,, significa ganância?? Infelizmente a sociedade só irá reconhecer quem justamente alcançar o objetivo e chegar ao topo,, isso é natural do homem. Agora se ela se esforçar e ter dignidade,, as pessoas próximas dela irão enxergar o resultado, não importando se é de grande ou pequena proporção.

  • Bruno Alves

    Não entendo porque todo mundo diz que o Benz Patent-Motorwagen é um carro sendo que tem três rodas. Foi o primeiro triciclo do mundo, mas carro não foi.

    • Washington Silva

      Talvez porque a definição de carro não se dê pelo número de rodas, Bruno. É uma dúvida que tem uma margem enorme de discussão mesmo. Há carros de três rodas e veículos com quatro que não são carros, como os quadriciclos e tratores. O dicionário apenas se limita a dizer que carro é um veículo que se locomove sobre rodas, para transporte de passageiros ou de cargas, geralmente com quatro rodas. A própria origem da palavra lança mais dúvidas que conclusões, carro vem do Latim carrus, que era a definição dos “carros” de batalha romanos, que tinham duas rodas. Enfim, dentre os critérios para definir o que é carro, a quantidade de rodas parece não ser fator preponderante.

      • Pai Nosso

        Muito bem, caro Washington. Carro é simplesmente um veículo que se desloca em terra firme sobre rodas (1, 2, 3, 4 ou mais). Para movimentar-se utiliza força de um humano, de um animal ou de uma máquina (a vapor, elétrica, de combustão interna). Também funciona com o vento, a gravidade, os dispositivos elásticos. A revolução industrial ensejou a criação de inúmeros tipos de veículos com rodas que receberam denominações diferentes para facilitar sua identificação. Assim surgiram as bicicletas, os patinetes, os motociclos, as locomotivas, os bondes etc; todos são verdadeiramente carros. Contudo, no linguajar brasileiro, o termo “carros” veio a designar apenas os veículos motorizados para transporte pessoal.

      • Incitatus

        Isso mesmo WS. Minha biga tem duas (aro 60) é prova disso. O powertrain é animal.

    • Renato Duarte

      Então quer dizer que um quadriciclo, por ter 4 rodas, tem a obrigatoriedade de se chamar carro?

  • Da forma que o texto está escrito da a entender que Carl Benz tinha como único objetivo lucrar com o projeto, tipo criar o motor antes dos outros e patentear a idéia em primeiro para depois lucrar. Do meu ponto de vista muitas descobertas tinham mais paixão do inventor do que propriamente intenção de lucrar. Naturalmente não há como voltar no tempo e confirmar se de fato o objetivo era unicamente dinheiro ou se tinha algo mais nobre.

    • Zé Mundico

      De um modo geral, as pessoas que visam lucro com suas invenções ou métodos, são as que mais trazem benefícios para a sociedade. A História está cheia de exemplos para provar isso. Ok, há exceções, mas a regra sempre foi essa.
      Se o Carl Benz queria ganhar dinheiro com o talento e com o esforço dele, parabéns para ele! Fiquem certos que ele deve ter ganho muito dinheiro e também fez muita gente ganhar dinheiro.
      E ter paixão por inventar não exclui a necessidade ou vontade de ganhar dinheiro. As duas coisas podem e devem vir juntas. Até mesmo porque se não fosse ele, seria outro que ganharia no lugar dele!

    • Renato Duarte

      Ora,, se ele teve a ideia, teve inteligência para desenvolver testar e materializar o sonho,, nada mais justo que ele tenha a atitude de defender seus projetos e possivelmente ganhar com isso. Estamos caindo na conversa fiada de que empreender e lucrar é feio/errado. Naquela época era importantíssimo registar a patente,, afinal esperteza vem desde os tempos primitivos,, a história mostra muito bem o resultado de não se registrar uma patente.

  • Luis Burro

    Acho q o a vapor nem era carro ainda,parecia mais um trem.Se contar o vapor tinha q ver as histórias britânicas tbm.

  • th!nk.t4nk

    É o mesmo caso do avião: não teve um único inventor, e sim dezenas de pessoas trabalhando simultaneamente na ideia ao redor do mundo. Teve apenas quem tenha sido o primeiro a juntar todas as invençoes num produto final, mas é exagero atribuir o título de “inventor” do veículo como um todo a um único sujeito (e isso vale particularmente pra Santos Dumont, embora ninguém queira admitir).

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email