Home Marcas Citroen Relato: problemas sérios com Citroen C4 Pallas


citroen c4 pallas chumbo 2 Relato: problemas sérios com Citroen C4 Pallas




Olá, Bom Dia Eber.

Sou um leitor assíduo do seu maravilhoso blog a quase um ano, e preciso lhe parabenizar pelo ótimo trabalho no site, graças a ele eu posso me manter informado a respeito das novidades sobre carros e ainda abrir o olho para este mercado que muitas vezes vem a lesar o consumidor.

Eu sou um dono de um Citroen C4 Pallas Exclusive, comprei o carro no dia 21/02/08. Estou aqui para recorrer à este blog, que é um meio de comunicação e informação de altíssima qualidade, para descobrir se vocês poderiam ajudar um cliente injustiçado pela citroën e abrir o olho de outros ou futuros clientes na mesma situação.

Comprei o pallas na data citada acima, e no dia 29/02 com apenas uma semana de uso o carro deu problema, ficando imprestável. Tenho aqui um relato de toda a situação inclusive com o descaso da concessionária onde compramos o veiculo. Espero algum contato de vocês me enviando uma carta verde para que eu possa enviar o relato, que contém dados do veiculo e da concessionária, para uma análise sendo que vejam se a historia esta adequada para ser publicada.

Estarei no aguardo, espero que me ajudem nesta divulgação e que assim privem futuros clientes deste desrespeito.

Mauricio

(O N.A. RESPONDE PARA O LEITOR, QUE ELE PODE NOS MANDAR O RELATO E QUE PUBLICAREMOS NO SITE)

Obrigado Eber, este será um meio para divulgar e abrir os olhos de outros consumidores. Enquanto à resolução do problema, já colocamos na justiça a citroen, a concessionária, a financeira e a seguradora. Eu e minha familia estamos muito abalados, e meu pai proprietario do carro ja foi internado 2 vezes no hospital devido aos aborrecimentos causados por este problema do carro. Foi um investimento de 80mil reais praticamente jogado no lixo.

Segue em anexo o relato, ele é um pouco grande, sinta-se à vontade para edita-lo e resumi-lo se preciso. Se precisar de alguma informação complementar basta me mandar um email.
PS: Retirei os nomes dos envolvidos.

Atenciosamente,
Mauricio

(AGORA VAMOS AO RELATO EM SI)

citroen c4 pallas chumbo 3 Relato: problemas sérios com Citroen C4 Pallas

Depoimento de Jose, proprietário do carro.

Seguem os dados do veículo: marca Citroën, C4 Pallas, 2.0, Exclusive BVA 16V, a gasolina, 4 cilindros, passageiro, ano 2007/2008.

O veiculo Citroën C4 Pallas 2.0 Exclusive, tem preço de tabela R$ 78.710,00 com frete incluso para Salvador, mas a concessionária de Salvador-Bahia, o vende para por um preço médio R$84mil sem emplacamento incluso, lesando-os. Eu após uma conversa com a vendedora e o gerente o comprei por aproximadamente R$ 79.635 com emplacamento incluso. Peguei o carro no dia 21 de fevereiro e no dia 29 do mesmo mês às 11:40horas quando trafegava pelo vale do canela, ao subir a ladeira sentido bairro da graça, o veículo parou na ladeira sem força para subi-la, ou seja deslizando. Fui obrigado a parar no local, pois o mesmo só deslizava.

A partir de então, telefonei para a concessionária comunicando à vendedora o fato que estava acontecendo e a mesma passou-me um numero, 0800, para fazer contato. Liguei e alguém me atendeu dizendo que em 2 horas um reboque estaria no local para atender-me; aguardei ate as 15horas e nada, então retornei a ligação para a mesma vendedora a qual a transferiu para o gerente pós-venda, o qual me garantiu que ele iria ao local com o mecânico e o guincho, então permaneci no local ate as 17horas e o mesmo não compareceu.

Durante este período de espera, recebi uma ligação de um funcionário da empresa de pré-nome informando-me que não poderia mandar o reboque porque tinha sido informado que estava chovendo bastante e que eu voltasse a contactar com a concessionária situem e então liguei novamente para vendedora e, mais uma vez ela transferiu a ligação para o funcionário que reforçou não poder fazer nada.

Tomei a iniciativa de ligar o carro e ainda que apresentando o mesmo defeito dirigindo-me à minha residência na orla quando o veiculo voltou a parar já no bairro da Amaralina, já era então 20horas. Neste momento então recebi uma ligação do 0800, pedindo-me mais uma vez que aguardasse no local, momento em que lhe forneci o novo endereço em que me encontrava, então me disse ele que chegaria ali em ate as 22horas, esperei e nada.

Neste ínterim trafegava no local uma viatura policial que parou e o policial me advertiu o perigo daquela avenida, daí tomei a iniciativa de sair do lugar de qualquer jeito, mesmo o veiculo deslizando consegui chegar em casa no bairro de patamares após as 0horas.

No dia seguinte, sábado 1º de março de 2008, o funcionário José voltou a me ligar pedindo-me desculpas por não ter comparecido para socorrer-me pois não havia rebote à disposição: “que o gerente da concessionária tinha por obrigação prestar-me seguro”.

Na segunda feira, dia 3 de março de 2008, mais ou menos às 07h30min da manha a vendedora ligou-me informando ter conversado com o diretor da empresa senhor e o mesmo comprometeu-se a mandar um mecânico com um reboque ate as 8horas da manhã, só que este mecânico só chegou na minha residência às 10horas da manha num veiculo da empresa de sem o reboque. Após examinar o carro este mecânico conduziu o veiculo em questão, citroën C4 Pallas, para a concessionária onde o veiculo se encontra. Não houve mais contato neste intervalo.

Após a saída do mecânico eu e minha esposa, nos dirigimos ate a financeira Finasa, e conversamos todo o ocorrido com o funcionário do atendimento e este nos informou da possibilidade do cancelamento do contrato junto à financeira, porém essa transação teria que ser feita com a promotora de vendas, a qual apareceu para conversar conosco reafirmando esta possibilidade de cancelamento e, ainda nos informou que não pagássemos à primeira parcela pois sem o pagamento da mesma facilitaria o cancelamento do contrato. Em seguida pediu que nos encontrasse-mos antes das 12h15min horas na empresa citroen para resolvermos o problema pois ela, teria que decidir com certa brevidade pois estava transferindo esta função na empresa para outro colega.

Ao chegarmos na concessionária fomos recebidos pela funcionaria que nos vendeu o carro, e nos encaminhou à promotora e ela nos informou que o cancelamento do financiamento dependia apenas do diretor da citroen, pois o contrato já tinha sido pago e segundo ela, o diretor da concessionária se negou a desfazer a operação. Então a mesma nos orientou que enviássemos uma carta à financeira finasa solicitando o cancelamento do contrato e comunicasse que o veiculo se encontrava no pátio da concessionária. Durante a nossa permanência na concessionária fui encaminhado à oficina da mesma pelo funcionário do atendimento que me comunicou que o veiculo estava em perfeito estado e que eu trouxesse o mesmo para casa. Então o encarregado da oficina disse-me que: “o carro não pode sair pois esta com defeito no cambio e ao engrenar a primeira marcha o carro não se movimenta e estando numa ladeira ele não sobe.” Durante a conversa o senhor gerente da oficina interpelou o mecânico dizendo: “Você abriu o cambio?” então o mecânico respondeu: “Não, pois o senhor não autorizou.” Daí então, fomos encaminhados ao diretor da empresa que me fez a seguinte pergunta: “Você passou em alguma poça de água?” Respondi: “Sim, pois choveu e é normal a cidade ter água, alem do mais um carro pode passar numa poça pois ele não é descartável.” Resposta do diretor da concessionária: “Não trocaremos o carro pois o problema no cambio não é defeito de fabrica e pode ser consertado.” Respondi: “Estou nos meus direitos e o defeito ocorreu no veiculo com apenas 7 dias de uso e o carro tem 3 anos de garantia”. Daí ele propôs que autorizasse-mos fazer o serviço e acionasse o seguro que não pagaríamos nada nem mesmo a franquia e que durante o período ele liberaria um veiculo reserva. Mesmo sobre grande pressão na presença do diretor, do funcionário da oficina, da vendedora, não aceitamos a proposta e não assinamos absolutamente nada, mantivemos nosso posicionamento de recebermos outro carro novo ou o cancelamento do contrato. Criou-se o impasse. Falei então dos meus direitos de recorrer à justiça então ele muito grosseiramente respondeu-me: “que não aceitaria o cancelamento do contrato e que não entrássemos na justiça pois a citroen é uma empresa internacional e não perde nada em juízo e que era melhor fazer um acordo para não perder tudo”. Rebati, não aceito suas propostas e saímos.

Logo após a funcionaria nos chamou para nos induzir a aceitar a proposta do diretor. Ao chegar lá a proposta tinha sido modificada e ele disseme-me que: “a concessionária arcaria com os custos de mão de obra e envio da peça para São Paulo, que eu arcaria com as peças e que para ter direito ao carro reserva eu teria que acionar o seguro”. E ainda quiseram induzir-me a mentir para o seguro alegando problema no carro e que eles ajudariam na concretização dessa estória.

Fatos ocorridos no dia 10/03/2008

Após as 11h30min da manha recebemos telefona do senhor, representante da seguradora solicitando que contássemos toda a verdade sobre o caso do Pallas, pois a versão que conhecia, fora passada pela concessionária Citroën se eximindo da culpa e nos acusando.

Relatamos tudo e ele chegou a conclusão que a seguradora não se responsabilizaria pois o defeito do carro é de fabrica. Às 12h20min horas desse esmo dia nos ligou outro senhor também representante da seguradora, e basicamente conversamos sobre a mesma coisa que seu antecessor e fez questão de ouvir novamente nossa versão. Este reafirmou que um carro 0KM com 7 dias de uso, jamais poderia entrar água no cambio e apenas ocorrendo uma situação de muita água poderia entrar pelo menos no motor mas não no cambio.

Mais ou menos entre 16:30 e 16:40 de hoje recebemos a ligação do diretor da concessionária querendo saber o que tínhamos decidido pois o carro encontra-se na oficina da empresa e ele quer saber o que fazer. Queria saber se eu não concordaria com o concerto do carro assumindo as despesas, pois a empresa não vai trocar o carro, e que caso não concordasse receberia do departamento jurídico da Citroën uma correspondência me obrigando a tomar as medidas convenientes a eles.

Disse-me também que eu procurasse um mecânico da minha confiança para que acompanhasse o trabalho de abertura do cambio que seria executado pelo funcionário da citroen.

Respondi: se tivesse um mecânico de confiança não compraria um carro novo com 3 anos de garantia, compraria um usado pois ele o consertaria.

Já no final da tarde recebemos outra ligação da seguradora nos informando que havia conversado com o diretor da concessionária, e a partir das informações passadas chegara à conclusão que a Alfa Seguradora não tem responsabilidade nenhuma com o carro neste caso.

Comentários:

1- O diretor da concessionária quase explodiu de raiva quando o mecânico informou que era defeito de fabrica, e acabou desmentindo-o dizendo que havia entrado água no cambio, mas pergunto-me como ele afirma que entrou água no cambio se por lei ele só pode abrir o cambio e mexer no veiculo com a autorização do proprietário?

2 – A audácia do diretor da empresa, tentando inibir-nos de procurar a justiça.

3 – Todas as 3 empresas tirando “o seu da reta”, uma jogando o problema pra outra.

4 – O conserto do cambio custa cerca de 11mil reais.

5 – Esta matéria que saiu no site da citroen, vangloriando seus carros por serem pouco vulneráveis a alagamentos: http://www.citroen.com.br/_v2/Noticias/#cesvi .

O que você, leitor do NA, acha desse caso????


Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.