Hatches Peugeot

Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

peugeot-307-feline-1 Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

Dizem que a primeira impressão é a que fica, então minha impressão sobre o Peugeot 307 Feline é a melhor possível. Bancos em couro de qualidade, painel bem resolvido com direito a disqueteira, apliques cromados no painel, pedaleiras esportivas e teto solar.



Posicionei-me no banco do motorista e logo identifiquei o visor do computador de bordo bem posicionado e os instrumentos de fundo branco com um toque de esportividade. Tudo isso em um carro cheio de mimos. A um toque de botão os retrovisores rebatem eletricamente ou retornam à sua posição. Abro o teto solar elétrico e regulo os bancos e volante para o posicionamento perfeito. Em um carro com tantos predicados, confesso que senti falta de uma regulagem elétrica dos bancos. Sem problemas, a regulagem é feita de forma suave e progressiva. O volante é regulável em altura e profundidade, logo, encontrar uma boa posição para dirigir o 307 não é difícil.

peugeot-307-feline-2 Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

Câmbio automático tiptronic posicionado em “D”, inicio a marcha. O acelerador não é arisco, logo não assusta em manobras quem não está acostumado às dimensões do carro, que lembra uma minivan em vários aspectos, devido à amplitude da cabine, à largura do carro e o formato meio monovolume da dianteira. Por sinal, manobrar o carro não é uma tarefa muito fácil. O carro “engana” quanto às suas dimensões, ele é maior e mais largo do que parece e todo cuidado é pouco para não raspar a pintura. Com o banco “colado no chão” como é de minha preferência, saber aonde termina a frente do carro requer alguma prática. Para trás, o sensor de estacionamento foi meu amigo, pois os retrovisores apesar de possuírem lateral convexa, são um pouco pequenos para o tamanho do carro.

Em um ponto mais escuro da garagem, os faróis acenderam automaticamente, agradável. Liguei o rádio e logo me acostumei com os controles do comando satélite localizado em uma haste ao lado direito do volante. Ao lado esquerdo, na mesma posição, encontram-se os comandos do cruise-control. Já discorrer pelas funções do computador de bordo é tarefa para um botão simples na haste direita. Em um mundo que temos o volante multifuncional do C4 ou o volante multifuncional da VW com paddle-shift, fico até desanimado em deixar meus dedões com a única função de segurar o volante cru do 307.

peugeot-307-feline-3 Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

Sem problemas, volto a me animar quando baixo o apoio de braço individual posicionado ao lado do banco do motorista. O passageiro tem o seu e cabe a ele desfrutar dessa mordomia ou não. A posição do apoio é perfeita. Somando a isso o alinhamento perfeito entre banco, pedais e volante além do fato de tudo na cabine ser alcançado com facilidade e ainda o delicioso teto solar, tenho uma coisa a dizer sobre o conforto do 307: é o meu número.

Mas ainda faltava algo. Era levar os 151cv alcoolizados do motor 2.0 16V Flex para um galope. Meu cenário de teste era a Serra de Petrópolis, distante alguns km do meu ponto de partida. Antes do paraíso, havia o purgatório composto por um roteiro de cidade e trânsito agressivo até lá. Aliás, o purgatório acabou virando paraíso. A calibragem da suspensão é um pouco rígida, visto que a Peugeot levou a sério a proposta de esportividade do modelo. Como eu nunca me incomodei em chacoalhar nos bancos desde que o carro fosse deliciosamente estável, aquilo não era problema pra mim. A direção é leve e direta, com isso locomover-se no trânsito é fácil, mesmo com as dimensões do carro. Fiquei impressionado como o carro ainda chama atenção por onde passa, ainda mais com o teto solar aberto, mesmo com todos esses anos que o 307 acumula em nosso mercado.

peugeot-307-feline-4 Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

E o câmbio? Bem, não sou fã de câmbios automáticos de 4 marchas, mesmo com a opção de trocas sequenciais. E eu já li algumas reclamações sobre esse câmbio da Peugeot, aonde certos donos de 307 relatam o fato do câmbio “matar” o carro. Bem, no circuito urbano pude ver que o câmbio estava bem afinado, trocando as marchas com suavidade e sem me irritar. Sequer toquei na alavanca para comandar as trocas, deixei o câmbio escolher por mim. E em uma saída de sinal, dei uma acelerada mais forte e fui suavemente pressionado contra o banco, enquanto 307 partiu com dedicação avante. Como a rua era curta, pude ver também que os freios são bem calibrados e o pedal tem uma modulação exemplar. Vale um cuidado especial com a frente do carro que é bem baixa e raspa sem cerimônia caso o motorista se descuide.

Nos engarrafamentos pude curtir o conforto dos bancos de couro, o excelente ar-condicionado digital de duas zonas, com comandos bem claros e intuitivos e também o silêncio a bordo. Quanto ao som, uma ressalva, a Peugeot podia ter investido melhor no sistema de som do carro. Dá para ouvir uma música com qualidade, mas não chega nem perto do sistema de som original de um Polo, por exemplo. Há o que melhorar. E por falar em melhorias, cadê os air-bags laterais e de cortina? Acho que as montadoras consideram nós brasileiros motoristas mais prudentes que os europeus, afinal, só eles estão sujeitos a uma capotagem ou um impacto lateral, nós não. Lamentável a falta desses itens em um carro que custa mais de R$ 65 mil.

peugeot-307-feline-5 Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

Mas quando eu e o 307 chegamos à estrada, sequer me lembrei da minha queixa contra a falta de mais equipamentos de segurança. A 100km/h o motor gira suave em quarta marcha, não há ruído de rolagem no asfalto e o motorista se sente quase alheio ao mundo exterior. E a solidez do carro impressiona, basta um leve descuido com o acelerador e estamos a velocidades obscenas. Por isso, prefiro deixar o cruise control encarregado da velocidade. Mas basta um kick-down para o carro saltar à frente, fazendo o ponteiro do velocímetro se mover com pressa e decisão. E mesmo quando a tranquilidade foi interrompida por um caminhoneiro que não sabe olhar no retrovisor antes de querer ultrapassar um semelhante, os quatro freios a disco com ABS mostraram que sabem como cumprir seu papel. A desaceleração é vigorosa e segura, tanto que minha companheira de testes sequer acordou do seu sono.

Antes de subir a serra, parei em um posto para beber uma água, e completar o tanque com álcool. Eu costumo saber que estou dirigindo um carro de categoria superior quando o frentista me trata por “doutor”. Aliás, observando o 307 Feline de fora posso dizer que o carro é bonito. A Peugeot foi absolutamente feliz quando desenvolveu as linhas do carro que, mesmo com esses anos de exposição em nosso mercado, continua atual e agradável.

peugeot-307-feline-6 Avaliação completa do Peugeot 307 Feline

Inicio a subida da serra de forma agressiva, passo o câmbio para a configuração manual e, apesar das 4 marchas, o câmbio conversa bem com o motor e ambos conversam bem comigo, permitindo um ritmo de atleta na subida da serra, graças ao 151cv puro sangue. As curvas são feitas com primazia, os pneus e a suspensão bem calibrada trabalham para manter o carro sempre nas mãos do motorista, me impressionando a facilidade para manter a trajetória. A direção direta é uma delícia e a carroceria pouco inclina, mesmo nas curvas e frenagens mais fortes, trazendo um sorriso à minha face enquanto o percurso seguia.

Chegando ao topo, inicia-se a máxima do “tudo o que sobe, desce” e era a hora do prazer extremo. Pé no fundo na reta, subindo as marchas manualmente, motor girando alto e adrenalina escapando pelo teto solar. Aproximando-me da curva, pisei no freio e toquei o tiptronic para reduzir duas marchas, mantendo o motor cheio. Pé no fundo novamente, marcha subindo, prazer e diversão em níveis estratosféricos. Por mais forte que se entre nas curvas, pouco os pneus cantam, mostrando o equilíbrio do carro. Mesmo no limite extremo o carro não se mostrou inseguro, não chegando a assustar dois macacos que minha companheira jurou ver sobre a mureta da estrada. E os freios reagiram bem, sem demostrar fading algum, mesmo sendo exigidos ao extremo. Nota 10.

Com o fim da serra, eu e o 307 deixamos o cruise control dosar o ritmo da viagem em direção à civilização, em ritmo tranquilo. Minha companheira assumiu o volante na cidade e eu pude apreciar mais o conforto do carro, uma vez situado no banco do passageiro. Quando chegamos, verifiquei os bancos traseiros e fiquei muito satisfeito com o espaço encontrado, seja para as pernas ou para a cabeça. E o porta-malas é bem grande para um hatch, tornando-o perfeito para uma viagem a dois.

Já o consumo é obsceno, foram 6,8km/l de álcool medidos no computador de bordo após os 230km que rodamos. Mas posso creditar esse valor na conta da diversão, responsável por manter o acelerador sempre no fim do curso.

Concluindo, o 307 Feline é um carro confortável, bem acabado, potente, estável e tem bom espaço. O consumo não é bom, mas caso o motorista mantenha-se contido nas acelerações, dá para reduzir a conta do posto. No mais, o carro é feito para agradar e mimar seu motorista, fazendo valer o preço cobrado por ele e pela manutenção com fama de cara. Seus concorrentes também possuem boas armas, mas acho que antes de decidir por um deles, deve-se considerar um test drive no 307. Definitivamente ele é o meu número.

Pontos Fortes: Desempenho, estabilidade, conforto

Pontos Fracos: Consumo, preço das peças, câmbio de 4 marchas

Texto de Marcelo Silva – www.direcaoassistida.com

  • _Campus_

    Excelente review! Descreveu bem todo o carro sem ser cansativa. Mas confesso que achei um pouco exagerado os comentários sobre a esportividade do carro. O carro tem bastante massa e passa uma sensação de equilíbrio e estabilidade, mas está muito mais para confortável que esportivo. Sem contar que o desempenho da suspensão do 307 nunca foi destaque. Por outro lado, concordo plenamente com a eficiência dos freios. Nas situações delicadas que passei a bordo de um 307 ele respondeu de forma surpreendente…
    A dianteira é realmente muito baixa e raspa a toa. Mas que fique claro que apenas o pára choque – e seu defletor – sai prejudicado. Todos os demais componentes mecânicos (como peito de aço e escapamento) estão numa altura adequada.
    A “bagagem” do 307 é sua desvalorização acentuada e robustez discutível. A péssima assistência da marca só piora esse quadro. Mas ainda assim o Peugeot seduz por todos os ângulos e em cada detalhe.
    Um excelente carro que, apesar de estar aqui há algum tempo, pouco deve aos concorrentes e tem bom custo/benefício.

  • Muita propaganda, andar no carro dos outros é ótimo, mas vá falar com um dono… Alias, esse carro tem anos e anos no mercado e a Peugeot AINDA ñ resolveu um problema cruel nesse carro: a suspensão. É incrível como esse carro bate a suspensão dianteira, parece que colocaram um motor V8 em um popular de tão sensível que é a suspensão. Aliás, mal de francês, a 206 S.W de minha cunhada já estourou os amortecedores 3x em 2 anos…

  • Paulo_Freire

    Muita propaganda, andar no carro dos outros é ótimo, mas vá falar com um dono… Alias, esse carro tem anos e anos no mercado e a Peugeot AINDA ñ resolveu um problema cruel: a suspensão. É incrível como ele bate a suspensão dianteira, parece que colocaram um motor V8 em um popular de tão sensível que é a suspensão. Aliás, mal de francês, a 206 S.W de minha cunhada já estourou os amortecedores 3x em 2 anos…

    E o mais incrível ainda é que a propia Peugeot desvaloriza seus carros, é mais fácil vc conseguir bons preços na concorrência que a CSS da própia marca…

  • o único mal da peugeot, é a desvalorização e manutenção mais elevada……pois de resto, ela é superior as outras….
    olha o acabamento do 307…e olha dos carros da mesma categoria, ou até alguns de categoria acima….o da peugeot é mt bom……sem comparações…..
    quanto a fragilidade da suspensão é verdade msm…eles poderiam melhorar nesse aspecto, mas de resto ume xcelente carro…meu sonho de consumo……

  • Sou fã de Peugeot! E na linha 307, os preços são justíssimos!

  • Augusto

    Concordo com todas as palavras do autor.
    Eu tenho um 307 e o carro é sensacional !!!!
    Só trocaria por outro 307.
    No meu caso, o 307 é até econômico, consigo registrar 8/9km/l com gasolina na cidade e 13/14km/l na estrada….
    A única ressalva é que ele raspa em qualquer quebra-mola ou em locais muito íngremes.
    Tirando isso, muito bom carro !!

  • gabriel

    meu amigo eu tenho um .. os primeiros dias também foram assim…
    espere ( e reze ) para nao ter problemas.. o meu em 15 dias mandei 3 vezes de guincho para resolver problemas..
    um deles a mola da valvula do cabeçote estouro .. deixa meu motor uma simples BOSTA … isso sim .. no portugues bem claro…
    sorte com o carro …

    • Raul Rodrigues

      Bom eu acho o 307 um carro muito bonito, aqui em casa temos um novo Focus , carro que alias ja rodamos bastante e está aprovado! O 307 sempre me chamou atenção pelas sua linhas e acabamento, mais pelo visto tem muitos problemas mesmo, mais volto a dizer uma coisa , carroem parte é sorte, claro menos com GM kkk que é lixo. …

  • LCMJ

    Já andei em um 307 bem mal tratado. Acho que era 2002.
    O carro era completo, tinha ar digital, câmbio automático, teto solar, bancos em couro…

    Pois bem, o carro PARADO me impressionou positivamente, parecendo que era bem acabado.
    Mas ao rodar fui percebendo os problemas, já citados aqui: suspensão bate muito. O carro em questão não era bem cuidado e ainda por cima tinha rodas 17" , mas nem por isso devia bater tanto assim. Parecia uma escola de samba por dentro. Tampão e portas faziam parte da sinfonia.
    Eu que sou dono de um Gol G3 2002, que não é uma primazia em acabamento, me assustei.

    O computador de bordo sofre do mesmo problema dos Audi mais antigos: a tela queima ou deixa de apresentar algumas linhas e pra arrumar, só substituindo o conjunto inteiro…

    Pesquisando melhor, vc pode encontrar relatos negativos sobre o câmbio automático Tiptronic desse Peugeot. Trancos, central desregulada e quebras são comuns, e o custo é alto.

    Enfim, se for pegar um semi-novo, só de boa procedência e ainda por cima pesquisar a concorrência, pq a manutenção do 307 é bem salgada perto dos Stilo, Astra e Focus de mesma idade.

  • _Campus_

    Excelente matéria! Descreveu bem todo o carro sem ser cansativa. Mas confesso que achei um pouco exagerado os comentários sobre a esportividade do carro. O carro tem bastante massa e passa uma sensação de equilíbrio e estabilidade, mas está muito mais para confortável que esportivo. Sem contar que o desempenho da suspensão do 307 nunca foi destaque. Por outro lado, concordo plenamente com a eficiência dos freios. Nas situações delicadas que passei a bordo de um 307 ele respondeu surpreendentemente bem…
    A dianteira é realmente muito baixa e raspa a toa. Mas que fique claro que apenas o pára choque – e seu defletor – sai prejudicado. Todos os demais componentes mecânicos (como peito de aço e escapamento) estão numa altura adequada.
    A “bagagem” do 307 é sua desvalorização acentuada e robustez discutível. A péssima assistência da marca só piora esse quadro. Mas ainda assim o Peugeot seduz por todos os ângulos e em cada detalhe.
    Um excelente carro que, apesar de estar aqui há algum tempo, pouco deve aos concorrentes e tem bom custo/benefício.

  • ahmed

    Pode ser até preconceito de minha parte, mas nao boto muita fé nos franceses. Tivemos um de cada marca em casae posso dizer que a menos pior é a citroen. Os peugeot sao, sem dúvida bonitos. O autor deixa escapar nos comentários, o pensamento típico do brasileiro: o carro é caro, bebe bastante e a manutenção é alta, mas isso vale pelo "prazer de dirigir". Recomendo a todos que leiam a matéria aqui no site de um BMW diesel 2.0, com 163 cv que andou 1600km com um tanque de gasolina. É neste nível que estão os europeus. Exigem conforto, economia (ou eficiência) e bom preço (já q na europa bmw 3 é um carro comum). Ressalto que nao é uma visão apenas do autor, todo brasileiro acha q tem q pagar caro por um produto bom, ou que uma qualidade justifica tres ou quatro defeitos graves. No mais o texto está bem escrito.

  • Eu tenho um 307 Feline Tiptronic 2009, vai completar 1 ano e meio e o carro é show… Antes tive um Stilo 2007. Tive que trocar pois tive problemas no parabrisa, meu teto solar travou duas vezes (tive que ficar torcendo pra não chover), problema no cambio e parabrisa. O problema no teto me deixou quase 4 dias sem o carro. O do cambio fiquei duas semanas a pé (fiquei muito fu…. da cara). Troquei ano passado pelo 307 e é só alegria, o acabamento do carro é excelente (parece carro de luxo perto do Stilo), freio abs ( fora que no Stilo era a tambor na traseira), suspensão um pouco mais rígida, mais que da uma estabilidade excelente (pincipalmente na estrada, diversão pura), fora que o carro é muito mais silencioso e confortável (tem a desvalorização do carro que é maior que os outros, mais como não considero carro investimento e sim beneficio e conforto, acho que vale muito a pena). Fora o motor que é muito bom e potente. Não posso generalizar e dizer que a FIAT é uma droga, ou o Stilo é uma droga, pois tem muita gente que tem e nunca deu problema, mais eu não volto pra essa marca e pro Stilo nunca mais…

  • É claro que todo carro tem pontos negativos, mais mesmo assim ainda prefiro uma suspensão mais rígida (307) do que uma suspensão gelatina e o perigo de perder a roda por ai (Stilo)…

  • É claro que todo carro tem pontos negativos.

    Pra quem não gosta de suspensão rígida, isso é um ponto negativo no 307 ( Eu gosto).

    Mais mesmo assim ainda prefiro uma suspensão mais rígida (307) do que uma suspensão gelatina e o perigo de perder a roda por ai e todos os outros problemas que eu tive com o STILO.

  • É claro que todo carro tem pontos negativos.

    Pra quem não gosta de suspensão rígida, isso é um ponto negativo no 307 ( Eu gosto).

    Mais mesmo assim ainda prefiro uma suspensão mais rígida (307) do que uma suspensão gelatina e o perigo de perder a roda por ai e todos os outros problemas que eu tive com o STILO.

    Mais como diz, gosto é gosto né?? Vai de cada um…

  • Concordo com o que vc falou…

    O Carro é show, ja peguei estrada de São Paulo até Porto Alegre e o carro é muito estável, confortável, anda muito bem, e sua suspensão deixa o carro mais divertido ainda de dirigir…

    Mais ligar pra desvalorização é bem coisa de Brasileiro, pois o carro não é um investimento…

    Se o pessoal quiser investir, compre terreno, casa etc…

    Acho que o conforto, itens de segurança, robustez e o acabamento requintado vale muito mais que qualquer desvalorização…

    Obs: Reportagem muito boa…

  • Esse lance do teto do Stilo é bem simples, SUJEIRA. Entram grandes detritos entre os trilhos e eles travam [ó que esperar de 7 lâminas que correm umas sobre as outras?]. Qual o câmbio do seu ex-Stilo? Se for o Dualogic, é de se esperar que coisas do tipo aconteçam, pelo ano posso chutar que foi quando lançaram o Dualogic no mercado.

    O lance do acabamento, no mínimo arrancaram a parte de plástico emborrachado do seu pois ele ñ deve a nenhum carro da categoria nesse sentido. Se o seu Stilo tinha o 1.8 8V, de fato é uma porcaria p/ se andar, mas se já andou no 16V [como eu já] ñ se decepcionaria com o desempenho [o fods é que ele horrores, mas tb o motor é GM, perar o que…] e os freios traseiros são a disco.

  • Carro no Brasil só NÃO vai ser considerado investimento quando os preços forem baixos, aí pode-se comprar carro sem pensar na revenda.

  • Na verdade o teto solar deu um problema numa peça do motor, foi essa a justificativa pro carro ficar 4 dias com eles..

    Ele tinha o acabamento emborrachado na parte superior, que por sinal era viscoso demais, mais alguns detalhes como o acabamento do cambio, algumas partes da porta, porta malas, e a parte inferior do painel denunciava a qualidade bem inferior do acabamento comparado ao Peugeot. Fora o isolamento acústico que no Stilo deveria ser um pouco melhor..

    Ele era um Dualogic 1.8 8v, mais o modelo era 2008….

  • "Eu costumo saber que estou dirigindo um carro de categoria superior quando o frentista me trata por “doutor”."

    hahahahaahah!

    307 = Categoria Superior??? Não.

  • moisés

    nossssssssa….a mais pura propaganda

  • Amigo, carro nunca é investimento, a não ser o caso de quem precisa dele para o trabalho, digo não como locomoção ATÉ o trabalho, mas para trabalho mesmo.

    No mais, carro é prejuízo, seja um Uno ou uma BMW. Se você só pensa em revender carro, seja um garagista ou trabalhe numa concessionária… caso contrário, opte pelo que lhe da conforto e segurança e desfrute a vida.

    Se for investir, dou a sugestão de procurar comprar ações, montar uma empresa, comprar bois, casas para alugar, coisas do gênero.

    • Paulo_Freire

      Se vc tem condições de trocar de carro de mês em mês, parabéns, mas tem gente que sua p/ comprar seu carrinho e ñ quer vende-lo perdendo 80% do valor inicial.

  • investimento é comprar carro usado de 5 anos atrás, desvaloriza pouco se não demorar muito pra vender e se deixá-lo como novo capaz de até conseguir um preço superior ao q pagou (claro q depende de o quanto pagou nele).

    307 pra mim é o único peugeot q presta no brasil e outros de categoria superior.

    eu até hoje sou apaixonado pelo 406 coupé e o 607 mas o medo de quebrar na minha mão é maior q miha paixão…

  • Carro destinado ao uso pessoal de fato não é investimento. Mas assim como analisamos consumo/ revisões/ seguro antes de escolher a caranga, devemos levar em conta a desvalorização. Ela existe e é diferente em cada carro, é dinheiro saindo pelo ladrão e a gente só percebe depois.

    Não analisa desvalorização quem pretende ficar um longo tempo com o carro. Assim como quem vai rodar muito pouco não se preocupará com consumo/manutenção, e quem optar por não fazer o seguro não irá checar o valor do mesmo.

  • JosyMarildo…

    Compre o Novo Uno o o fiasco Triciclo Stilo e quem sabe vc consegue ser chamado de doutor…

    hahahahahahaha!

  • JosyMarildo…

    Compre o Novo Uno o o fiasco Triciclo Stilo e quem sabe vc consegue ser chamado de "doutor"…

    hahahahahahaha!

  • Guilherme D.

    Um ponto interessante para ressaltar, que é total mancada da marca, é o fato da concessionária Peugeot pagar extremamente pouco na hora da troca por outro Peugeot.

    A Fiat, Ford ou VW paga mais no Peugeot do que a própria marca…. isso desanima na hora de pegar um carro novo para se manter marca. Parece que o fabricante não valoriza o próprio carro e não se preocupa com a opção do cliente!

    • Concordo plena mente. A concessionária não dá nada pro próprio carro e quer que você compre outro. Pura ganância e uma péssima estratégia…

    • pedro

      Guilherme, isso acontece em todas! Como vc já tem o carro da marca, vc é cliente, e para o brasileiro, cliente não merece um puto centavo a mais de investimento. Assim se tu vais e vendes o 307 por exemplo na VW, consegue um preço melhor.

      QUando fui trocar meu Gol pelo 307, a VW foi de longe a que menos ofereceu para mim. Só para se ter uma ideia, ela depreciou o Gol em 40% em 3 anos! Vi isso, botei uma plaquinha de VENDE-SE no carro e em uma semana tava com o $$$ e fui comprar o 307.
      Acho que o preconceito com relação a suspenção depende de quem dirige o carro. Eu sou mais a favor de segurança e estabilidade e achei a suspenção do 307 muito boa para isso. Se vc quer vida mansa e "navegar" no carro, colocando aquela roda enorme e sem sentir um baque forte no seu carro, parta para outro pois o 307 não aceita bem isso.

      Enfim, assino embaixo o artigo pois tenho um 307 e quando fui ver os outros Hatchs médios de agora, ainda o 307 é a melhor opção, mesmo considerando os mais novos

  • fernando meier

    o pior de tudo é que quando chegar a"nova " geraçao, o 308 em julho de 2011(previsão), a marca na frança vai lançar o modelo totalmente reformulado no fim do ano que vem na europa,e mais uma vez nós brasileiros ficaremos p/ trás!!!!!!!!! A PEUGEOT DE HOJE É A GM DO BRASIIL DE AMANHÃ, podem apostar!!!!!!!11

  • Renato joia

    Gosto desse carro!Mais muitos donos reclamam da manutenção que muito cara.

  • Concordo, no vale apena arriscar a roda por alguns solavancos mais suaves…

    Mas esse painel com os numeros raidais, e que porcaria é essa de 30 50 70 km/h ???? façam o favor né pegeot… 20 40 60!
    Ficam ocupando espaço com numeração acima de 180 km/h, totalmente desnecessario… poderia ter mostrador 10 20 30 40 50…
    Enfim, os cramos não me agradaram tambem, ja os bancos de couro e isolamento acustico sao show mesmo

  • Rodrigo

    Eu tenho um. Sinceramente é um carro LINDO, mas o que os olhos não vêem o bolso sente. Tenha um 307 só se você tem muito dinheiro pra dar e doar e muito saco pra manter um. Haja paciência. Vou resumir minha vida com ele: hoje meu 307 tem 20000km rodados, provavelmente eu andei uns 1000km, só eu e o carro, os outros 19000km deve ter sido o mecânico. Logo na primeira semana, o carro saiu de guincho da garagem, na concessionária me disseram que eu não deveria ter colocado gasolina no carro já que eu tinha colocado inicialmente 100% de etanol, segundo a Peugeot meu 307 afogou com a gasolina, é como se tivessem oferecido leite de magnésia pra um bebum achando que era algum tipo de cachaça, o carro não quis e me deixou na mão. Flex pra quê então! Depois de uma boa desentupida, 1 dia na oficina, e meio tanque de combustível a menos, problema resolvido. Ao decorrer do tempo notei que falta um item de extrema importância no carro: igual ao medidor de combustível no painel, deveria ter um medidor de óleo no painel também, ao menos pra eu ficar lembrando que tenho de ficar colocando óleo no carro a todo instante. Entrei em contato com a Peugeot: " é normal " me disseram, após os 5000km ele pára com isso. Tá bom! Já deu 20000km, acho que já reabasteci o 307 umas 5 vezes ou mais com óleo, pois o computador de bordo me avisa que está faltando óleo sempre, acho então que o problema é o computador de bordo que é lelé-da-cuca. Enfim, " Maravilha (pensei) ", tenho um DKW VMAG 307 na garagem!!! Mas tranquilaço, a bíblia de boletos ainda veio totalmente grátis pra eu pagar todo mês, pelo menos alguma coisa de bom né mesmo. Bom, resumindo: álcool no 307, nem a pau, gasta o dobro da gasolina (com álcool um tanque de 60 litros dura 300km, com gasolina dura quase 600km). Com álcool eu tenho de encostar o carro na concessionária a cada 6 meses ou 5000km pra desentupir tudo, impressionante! Cada parada na concessionária vai R$600 pra casa do chapéu. E a culpa é sempre minha, é eu quem sempre coloco combustível adulterado e sujo pra segurança da minha família e conservação do meu caríssimo veículo zero km. Adorei as respostas da Peugeot, tive um ótimo atendimento, ganhei até um nariz de palhaço pra ver se eu me animo! Nunca mais compro outro Peugeot. É o segundo Peugeot que me dá dor de cabeça. O primeiro, só conto 1 detalhe: 1 ano de garantia, 1 dia depois da garantia, a 3ª marcha não funcionava mais. Incrível!!! Eu reclamava da GM por causa dos barulhos, caracas, deveria ter mordido a lingua. Ao menos antigamente eu andava de Chevrolet, e não de taxi ou guincho. Sinto muito Srs Peugeot, não vos recomendo, vocês não entendem nada de estradas brasileiras.

  • Batam a porta de um Focus e batam a porta de um 307. Vejam a diferença e entendam o porquê de eu achar que os carros franceses são até bonitos no visual, mas muuuuuuuuuuito aquém do desejado nos quesitos construção e mecânica.

    Andei em um, com 2 anos de uso. Deus do céu… nem o meu Escort 94 faz barulhos daquele jeito. Qualquer batida seca, é escola de samba vindo do painel e das portas. O dono do carro, colega meu, sem que eu comentasse nada, já foi até justificando os barulhos! rs

    No mais, achei o artigo bem escrito, gostoso de ler. Mas tem horas que a gente tem que reler o título, porque o autor nos dá a falsa impressão de estar dirigindo o carrinho do cavalinho rampante!!!!!! rs

  • Gustavo i30

    Materia paga…

  • Arthur

    Inveja de avaliação??? KKKKKKKKKKKKK!

    Na boa… Você só pode ser a mãe do cara que escreveu a avalição! KKKK!

  • leonai viana

    pow vcs me deixaram na maior duvida, troco ou nao por um 307 ????

  • James

    Tenho um peugeot 307 hatch completo para trabalhar, nunca vi um carro tão baixo na minha vida. Raspa em qualquer casca de banana. Tirei os plásticos restantes da frente pois um foi arrancado.Tirei os plásticos dos amortecedores pois enroscavam e causavam o maior barulho. Fiz alinhamento e balanceamento. Com 30.000 troquei os pneus pois estavam carecas. Acreditem num carro que foia dquirido O km. A suspensão é barulhenta que assusta. Unica coisa boa: Pucha bem.Na rodovia o danado corre bem, mas esquecam estradas buraquentas e chão! Voce leva a terra junta e faz o trabalho de uma motoniveladora.

  • theo

    Tenho um 307 feline seda, o carro é otimo

  • Marcos Roberto

    agora comparar um 307 com um estilo é foda… 307 é muito melhor nem se compara isso… quer gastar pouco compra um uno fire… caramba vcs querem carro com ABS, cambio automatico, couco, airbag etc.. e reclama que ta carro as peças? caramba… eu tenho um 307 com aro 16 e nao é baixo.. na minha casa tem uma decida que meu kadett patrolava… ele eu desço rapido e nao bate nada… a ar digital é muito bom gela rapido e bem… bancos de couro sao otimos… freios nem vamos falar… kkkk e o stilo oque ofece??? problemas kkkkkk

  • D'Aquino Freitas

    Estou pesquisando bastante para comprar um usado bom, o pacote do 307 parece bem atraente pelo custo, tenho um C3 2008 e penso em pular para um 307 Feline 2010 com 12 mil de diferença só, vou fazer um teste drive em um para ver se ele tem todos esses "defeitos graves" que vi relatos, mas pelo que ele tem a oferecer me parece positivo a troca. Quanto a defeitos e problemas, todo carro tem e sempre haverá pessoas satisfeitas e revoltadas, isso vale de Pálio à Mercedes, problemas todos tem e gosto, como diz o ditado, é que nem c…., cada um tem o seu. Quanto a matéria, achei alguns comentários exagerados, mas deu pra ter uma idéia do que me espera, suspensão dura e um pouco barulhenta, manutenção cara e assistência da css não muito boa, valor de revenda não contabilizo, pois minha escolha está baseada nisso, em comprar barato devido justamente a isso, então não posso esperar que na venda vou ganhar dinheiro. Muito boas as opiniões de usuários, muita coisa descobri com elas. Abraços. Ah., C3 para cidade tem um bom apelo e custo benefício, de 2008 a 2010, 11 pra cima ainda estão caros pelo que oferecem…………rsrs

  • Raphael28

    Tive um 307 2001 e agora tenho um 307 2006 … o carro é maravilhoso, conforto e potência caminham juntos, estabilidade incrivel, boa resposta na aceleração, é um carro completo! como diz o autor ”meu número” . só trocaria por bmw ou mercedes,

    no meu caso, nunca tive problema com a suspensão nem amortecedores, e o consumo na gasolina é em média 7km na cidade e 12 na pista, isso com ar ligado !

    quanto às críticas, brasileiros são mesquinhos, e querem andar com um super carro, nas mais adversas condições, sem dar manutenção, sem fazer revisões e tem medo de carros importados, principalmente os franceses!

    • LÉO

      TEnho um 307 griff ano 2007 carro fino demais,completão,realmente a suspensão é muito dura perto de outros modelos,más venhamos e convenhamos pelo valor que se paga em um carro desses nem se compara.preço de carro popular 1.0 lixo que só serve para andar pouco e achar um otário para te comprar novamente com a ilusão de que é venda certa.Se não tem grana para manter realmente compra um bosta de 1.0 e curta este lixo,e abra espaço que eu irei passar e tirar suspiros.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend