Avaliações Chevrolet Sedãs

Avaliação NA – Chevrolet Sonic 3 – Comportamento e consumo na cidade

Avaliação NA - Chevrolet Sonic 3 - Comportamento e consumo na cidade

O Sonic tem um motor 1.6 16v de até 120 cavalos, tanto em sua configuração hatch quanto sedã. Muito se falou na imprensa automotiva sobre este motor estar um pouco aquém do que seria adequado para o veículo. E realmente sentimos isso, mas apenas em alguns momentos específicos.


Ao sair da imobilidade e acelerar até umas 2.000 rotações, notamos sim uma certa falta de potência, mas isso é minimizado pelo câmbio automático com seis marchas, que consegue dar o seu melhor no sentido de elevar as rotações do motor mais rapidamente. Hoje sem dúvida não há mais espaço para câmbios automáticos de quatro marchas, como algumas marcas insistem em usar, como a Peugeot com seu recente 308.

Quando fizemos aquele teste de acelerar em uma subida, pudemos notar como o Sonic ganha rotação com rapidez. Mas, assim como aconteceu no caso do Cruze, com o Sonic vimos que o ruído do motor não é tão isolado da cabine, o câmbio automático faz com que o motor “grite” com vontade quando pisamos fundo.

E outro ponto em comum entre os dois modelos é que as trocas de marcha não são tão suaves, elas dão um pequeno tranco, isso parece ser uma característica dessa caixa da GM. Mas, voltando ao desempenho, que no caso de alguns é julgado como sendo ruim no Sonic, o que temos que fazer é comparar o modelo com seus concorrentes.


Concorrendo com o Sonic temos New Fiesta, JAC J5, City, etc. Algum desses modelos tem motor muito mais forte do que um Sonic? Não. A performance de todos eles está em um patamar semelhante, nivelado. Talvez o Honda City tenha desempenho pouca coisa superior, mas não muito. Vemos que o modelo foi colocado no mercado para se alinhar com esses outros modelos, pelo menos em performance.

Mas isso não significa que ele não tenha qualidades, claro que não. O Sonic tem um visual bem interessante na dianteira, um design agressivo, e isso agradará a muitos que querem um sedã compacto mas que não seja totalmente sem graça.

Se olharmos o Sonic apenas pelo seu visual agressivo na dianteira, concordamos que ele merecia um motor mais forte, mas é claro que ele não poderia ter o mesmo motor do Cruze, pois deixaria – mercadologicamente – de ser algo inferior ao seu irmão maior.

A suspensão do Sonic é firme, e os impactos causados por buracos nas ruas são mais fortes, até porque temos a ligação de uma suspensão firme com pneus de perfil não tão alto. O comportamento dele neste sentido é completamente diferente da dupla Cobalt e Spin, que são mais voltados para o conforto. Ele é mais parecido com o Cruze, entregando um pouco menos de conforto do que o sedã médio.

Sobre o consumo do Sonic, aferimos uma média de 7,5 km/l com álcool, sempre com o ar-condicionado ligado parte do tempo. No mesmo esquema, o consumo foi de 9,7 km/l com gasolina, um consumo que com certeza não faz do Sonic um modelo fadado a ser chamado de beberrão, como acontece com alguns modelos da Chevrolet.

 

Avaliação NA – Chevrolet Sonic 3 – Comportamento e consumo na cidade
Nota média 4.5 de 2 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email