Hatches História Matérias NA Nissan Sedãs

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O Nissan Tiida era um modelo compacto em variantes sedã e hatch, que foi vendido no Brasil entre 2008 e 2013, tendo uma carreira internacional de muito sucesso. Fabricado em vários países, o produto foi um dos protagonistas do desespero de uma marca (que não era a japonesa) e ganhou vida nova na China e sobrevida temporária na Europa.


Desenvolvido sobre uma plataforma compartilhada com a Renault, a global “V” e dentro de aliança estratégica das duas montadoras, o Nissan Tiida foi um carro inteligente, que soube aproveitar a imensa estrutura organizacional da japonesa para expandir-se em diversos mercados, incluindo o brasileiro, onde acabou ficando abaixo do Sentra no portfólio da Nissan.

Aliás, esse posicionamento sempre foi algo estranho e confuso em diversos países, pois se trata de um carro do segmento B (compacto) com porte do segmento C. Ou seja, esteve sempre acima de March e Versa, por exemplo.

Mas, apesar de ter existido como sedã, foi o hatchback que acabou durando mais e é fabricado até hoje, em geração recente.


Por aqui, após sua saída, a Nissan não colocou nenhum sucessor, já que de fato não havia, pelo menos para o hatch. No caso do Tiida Sedan, seu sucessor foi o Versa, que tem o mesmo porte que o antigo três volumes importado do México.

Sim, o modelo jamais foi feito por aqui, tendo sido fabricado no país latino, além de Japão, Angola, China, Malásia, Taiwan e Tailândia.

Nissan Tiida – o nascimento

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Nomeado com a palavra “sol” no dialeto de Okinawa, Japão, o Nissan Tiida surgiu inicialmente como um conceito chamado C-Note em 2003, iniciando a produção do mesmo em 2004. Demorou quatro anos para que o modelo chegasse ao mercado nacional, onde se posicionou como carro mais barato da Nissan, visto que o Sentra estava mais acima.

Nessa época, não existia March e Versa por aqui, sendo a Nissan uma marca de carros japoneses atuando numa faixa mais elevada, como as demais de mesma origem.

Feito sobre a plataforma B da Renault-Nissan, o Nissan Tiida tinha um porte de Volkswagen Golf, mas sua base serviu tanto ao Renault Mégane quanto ao Clio de terceira geração.

Medindo 4,295 m de comprimento, 1,695 m de largura, 1,545 m de altura e 2,600 m de entre eixos, o Nissan Tiida em versão hatch tinha 289 litros no porta-malas e outros 52 no tanque. Pesando em torno de 1.200 kg e tinha um bom coeficiente aerodinâmico de 0,29.

Algum tempo depois de chegar como hatch, veio o Tiida Sedan com 4,472 m de comprimento e 1,547 m de altura, sendo similar nas demais medidas.

Nissan Tiida – estilo

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O Nissan Tiida era um carro bem diferente da maioria. Ele era alto, mais do que os carros de segmento semelhante no mercado. Além disso, tinha uma boa área envidraçada, chamando atenção para as colunas A com pequenas vigias integradas.

As colunas C era grossas e os retrovisores apoiavam-se nas portas. Lembrava muito o Honda Fit da época.

O capô era curto e curvado, mas a frente tinha um pequeno prolongamento, servida por faróis grandes monoparabolas com a mesma disposição de luzes que na minivan da Honda. A grade tinha detalhes cromados e frisos pretos, enquanto o para-choque tinha um visual adequado, sem exageros e dotado de dois faróis de neblina.

Na traseira, a vigia descia para o centro da tampa do bagageiro, que tinha um vistoso puxador. As lanternas eram bem proeminentes e possuíam lentes internas circulares. O para-choque era bem limpo, tendo apenas vincos sulcados na cor do carro.

As rodas de liga leve aro 15 tinham belo desenho, além de serem montadas com pneus 185/65 R15.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Por dentro, o Nissan Tiida chamava atenção para o bom espaço e altura, especialmente para quem ia atrás. O hatch tinha banco traseiro bipartido e bom aproveitamento do volume disponível. Os bancos eram destaque por serem largos e envolventes, especialmente o traseiro, que tinha apoio de braço central.

O painel de instrumentos era amplo, com um console central largo, dotado de difusores de ar verticais, sistema de som 2din com CD Player e comandos físicos de ar condicionado. Havia ainda um porta-objetos sobre o som e detalhes prateados no acabamento.

O volante era bem simples, sem comandos, também com apliques em prata. O cluster era analógico e tinha computador de bordo semelhante ao do March, mas o velocímetro vinha com centro em milhas.

A alavanca de câmbio era alta e havia bons porta-copos e garrafas no túnel e nas portas. As maçanetas circulares das entradas chamavam atenção pelo design. Sem adornos exagerados, sendo bem funcional e prático, o Nissan Tiida agradava pelo bom conjunto.

No sedã, a diferença era o porta-malas maior, com a traseira saliente.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Neste, a tampa era muito curta e envolvente na parte superior e um aplique cromado sobre a placa queria dar um ar mais premium ao Nissan Tiida Sedan. As lanternas eram triangulares, mas o para-choque seguia a mesma receita do hatch. As rodas de liga leve tinha um desenho diferenciado no modelo 2011.

Aliás, nessa época, a grade mudou, ganhando frisos estilizados e faróis com piscas em lente branca. Da mesma forma, também recebeu rodas de aço aro 15 polegadas com calotas. Seu porta-malas tinha 467 litros, o que não era tão ruim.

O acabamento praticamente não mudou durante o tempo de vida por aqui, mas a dupla tinha como item de conforto diferenciado, o teto solar elétrico.

Também chegou somente com direção elétrica, que depois geraria reclamações dos clientes da Nissan por causa de ruídos na parte mecânica do sistema. Aliás, falando nisso, o Nissan Tiida tinha suspensão dianteira McPherson e traseira por eixo de torção.

Os freios eram a disco na dianteira e tambor na traseira.

Nissan Tiida – motor

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O Nissan Tiida teve uma gama interessante de motores no exterior, tendo 1.5, 1.6 e 1.8, incluindo ainda um 1.5 diesel. Mas, no Brasil, ele chegou com motor 1.8 MR18DE. Esse propulsor de quatro cilindros, 16V e duplo comando de válvulas no cabeçote acionado por corrente.

Tinha 81,1 mm de curso dos pistões e 84 mm de diâmetro dos mesmos. A taxa de compressão era de 9,9:1 e deslocava 1.798 cm3.

Movido por gasolina e equipado com injeção eletrônica do combustível, o 1.8 do Nissan Tiida entregava 124 cavalos a 5.500 rpm e 17,5 kgfm a 4.800 rpm. Por sua característica, tinha bom torque apenas em rotações mais altas, mas garantia ao hatch um bom desempenho, sendo oferecido com transmissão manual de seis marchas.

Era um recurso importante, assim como câmbio automático de quatro marchas com conversor de torque, diferente do Sentra com o CVT XTronic. Apenas no exterior, o modelo teve essa opção, infelizmente.

No manual, ia de 0 a 100 km/h em 10,6 segundos com máxima de 192 km/h. O consumo era de 10,5 km/l na cidade e 12,9 km/l na estrada.

No automático, o Nissan Tiida fazia o mesmo em 11,9 segundos com máxima de 181 km/h, mostrando como o automático de 4 marchas era bem ruim em desempenho. No consumo, porém, as relações longas compensavam e ele acabava fazendo quase o mesmo que o manual: 10,2 km/l na cidade e os mesmos 12,9 km/l na estrada.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Em 2010, o Nissan Tiida ganhou tecnologia FlexFuel da Nissan, fazendo com que o MR18DE passasse a oferecer 125 cavalos na gasolina e 126 cavalos no etanol, mas ambos com o mesmo torque de 17,5 kgfm a 4.800 rpm.

No manual, o tempo de 0 a 100 caiu para 9,6 segundos e o consumo com gasolina não se alterou, fazendo altos 7,0 km/l na cidade e 8,7 km/l na estrada, ambos com etanol.

Com câmbio automático, o Nissan Tiida Flex fazia 6,9/9,1 km/l no etanol, respectivamente cidade e estrada, e os mesmos números anteriores com gasolina. Ia até 100 km/h em 11 segundos e tinha máxima piorada em 178 km/h, apesar do ganho em aceleração.

No caso do Nissan Tiida Sedan, ele já chegou flex, fazendo de 0 a 100 km/h em 10,5/11,0 segundos, respectivamente manual e automático. O consumo para o hatch era praticamente a mesma coisa.

Ambos tiveram um bom desempenho com o MR18DE, que serviu na mesma época às minivans Livina e Grand Livina, derivadas do Nissan Tiida. O hatch ainda chegou a testar o sistema elétrico do Leaf antes do lançamento deste, que ocorreu em 2009.

A plataforma de ambos era a mesma.

Nissan Tiida – versões

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O Nissan Tiida chegou ao Brasil em duas versões, sendo S a de entrada e SL a topo de linha. O hatch sempre foi um carro bem completo, trazendo de série ar condicionado, direção elétrica, vidros elétricos nas quatro portas, travamento central elétrico, retrovisores com ajustes elétricos, rodas de liga leve aro 15 polegadas, freios ABS com EDB, airbag do motorista, bancos em tecido, sistema de áudio com MP3, lavador e limpador do vidro traseiro, coluna de direção ajustável, banco do motorista com ajuste de altura, ajustes de altura dos cintos dianteiros, ajuste elétrico de altura do farol, banco traseiro bipartido, computador de bordo, entre outros.

Nas primeiras unidades, o airbag do passageiro era opcional, mas depois passou a ser de série.

Na versão SL, o Nissan Tiida vinha com piloto automático, teto solar elétrico, bancos em couro, apoio de braço no banco traseiro, sistema de áudio com CD Player e MP3, faróis e lanterna de neblina, airbag duplo, ar-condicionado digital, comandos de áudio no volante, entre outros.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Com o passar do tempo, o Nissan Tiida ganhou mais itens, sendo que a SL em 2010, recebeu chave inteligente com entrada e saída sem uso de unidade física e botão de partida, bem como novas rodas de liga leve aro 16 polegadas.

Em 2011, porém, o Tiida Sedan passou a ter airbags como opcional, já que chegou sem opção da bolsa inflável. Ar-condicionado automático e comandos de áudio no volante também foram inseridos posteriormente. O sedã também não tinha rodas de liga leve de série, sendo de aço com calotas.

O motivo era claro, a presença do Sentra em versões mais baratas, coibiam o Tiida Sedan de ir muito longe em conteúdo. Entretanto, na linha 2013, a marca japonesa finalmente se rendeu e adicionou de série as tais rodas de liga leve.

Algum tempo depois, passou a dispor de freios ABS e câmbio automático. Isso ocorreu na linha 2013, mas em meados de 2012.

No fim desse mesmo ano, o Nissan Tiida Sedan sai de cena. Por fim, mais seis meses depois, é a vez do Tiida hatch ir embora de vez. Já era o ano de 2013 e a Nissan já dispunha dos modelos March e Versa por aqui.

O modelo não deixou muitas saudades, pois teve o problema crônico da direção elétrica, que vibrava e fazia barulho. Ele também passou por um recall dos airbags em 2012.

Dodge Trazo C

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O Nissan Tiida passou apenas cinco anos no mercado brasileiro, sempre importado do México, embora pudesse ter sido feito em Curitiba, no complexo Ayrton Senna, da Renault, onde a Nissan fabricou as minivans Livina e Grand Livina, além da picape Frontier da geração anterior.

Mas, antes que o Tiida Sedan chegasse oficialmente ao Brasil, ele quase desembarcou com outra marca. Em 2008, a crise mundial estava em seu auge e as montadoras americanas estavam sob risco.

A Chrysler buscava a qualquer custo, reverter a queda nas vendas para manter-se viva por mais algum tempo.

Então, a montadora de Detroit se associou com a Nissan para vender o Tiida Sedan como Dodge Trazo C em mercados da América do Sul.

No Salão do Automóvel de 2008, onde o NA esteve presente pela primeira vez, a marca americana criou um enorme estande fechado com direito a cortina de fumaça interativa para atrair possíveis interessados no carro, que estava dentro.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O objetivo da Chrysler era tentar elevar as vendas na região com um sedã compacto que seria barato e de alto volume. O produto, no entanto, não possuía a marca Dodge e sim, simplesmente Trazo. Então, C era o modelo.

A Nissan já tinha um acordo com a Chrysler no México, onde vendia carros japoneses com a marca Dodge.

Mas, aqui no Brasil, a ideia de vender um Nissan Tiida Sedan como um Dodge não caiu bem e nem deu tempo da Chrysler tentar a sorte, pois a empresa entrou no Capítulo 11 da Lei de Falências dos EUA e sucumbiu, sendo salva pelo governo Obama, que concedeu à Fiat o controle da companhia.

Dois anos depois, a Nissan finalmente traria ao mercado nacional o carro que teria sido um Dodge por aqui.

Foi uma medida desesperada, que poderia ter manchado a imagem do sedã, visto que não salvaria a Chrysler de um fim certo. A marca americana já havia tentado até vender um Chery Face como Dodge Breeze, dado o desespero para salvar-se da pior crise de sua história.

Nissan Tiida – o mais barato da “América”

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Em 2006, o Nissan Tiida chegou ao mercado norte-americano. Nos EUA, a marca colocou o hatch como Versa e também vendeu o sedã. Com preço inicial de apenas US$ 9.990, ele se tornou o carro mais barato daquele país, superando o Hyundai Accent.

O modelo sempre foi vendido com motor 1.8 por lá, assim como aqui no Brasil. O Nissan Tiida em versão americana tinha como característica a disponibilidade de três câmbios. Um manual de seis marchas, o automático de quatro velocidades e uma opção CVT.

A mesma oferta foi posteriormente disponibilizada no Versa atual, que mantém o título de mais barato dos EUA.

Nissan Tiida elétrico

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

O Nissan Tiida é um carro que deu origem a alguns outros, como já mencionado. O hatch compacto da marca japonesa chegou a ter um conceito, classificado como protótipo, totalmente elétrico.

O veículo foi batizado de EV-11 e tinha motor de 110 cavalos e 28,5 kgfm, posicionado no cofre original do motor a combustão e tendo tração dianteira.

O Tiida EV-11 tinha baterias de lítio de 24 kWh, que forneciam autonomia de 160 km. Todo o conjunto testado no veículo foi aproveitado no Nissan Leaf, que compartilha a mesma plataforma e possuía design diferenciado na primeira geração, que inclusive foi fornecida a taxistas e órgãos públicos no Brasil.

Nissan Tiida – nova geração

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Em 2011, a Nissan apresentou a segunda geração do Tiida, mas apenas na China. Diferente do primeiro, o segundo Nissan Tiida surgiu como um hatch médio, medindo os mesmos 4,295 m de comprimento, mas com largura de 1,760 m de largura e 2,700 m de entre eixos.

Na altura, ainda era alto com 1,520 m.

O novo Nissan Tiida chinês logo começou a ser produzido no Japão, assim como Taiwan e Tailândia. O modelo foi oferecido apenas com câmbio automático de cinco marchas ou CVT. O modelo foi equipado com motores 1.6 aspirado, 1.6 Turbo com 163 cavalos e 1.8 de 133 cavalos, bem como uma variante diesel 1.5 litro.

O sucesso do Nissan Tiida chinês acabou por influenciar a decisão da montadora em lançar um hatch médio no mercado europeu. Porém, a marca alterou o design do carro, rebatizando-o de Pulsar. Mas não foi apenas isso, pois a plataforma V do modelo da China, foi trocada pela modular CMF.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013

Lançado em 2015, o Pulsar foi produzido na Espanha e também na Rússia, onde foi vendido como Nissan Tiida. Por sua vez, o modelo chegou ao mercado chinês com o mesmo nome. Com 4,387 m de comprimento, 1,768 m de largura, 1,520 m de altura e 2,700 m de entre eixos, o hatch teve motores 1.2 DIG-T de 113 cavalos e 1.6 DIG-T com 190 cavalos, além de um diesel 1.5 com 104 cavalos.

Apesar da proposta estar de acordo com o segmento na Europa, as vendas do Pulsar não corresponderam como desejado pela montadora e acabou saindo de linha na Espanha, em junho de 2018.

Na Rússia, a produção acabou em dezembro. Atualmente é feito apenas na China e com design diferenciado.

Nissan Tiida: os detalhes do modelo vendido no Brasil de 2008 a 2013
Nota média 5 de 3 votos

  • Ricardo

    Como a marca que fez o Skyline faz um carro tão feio assim!

    • Whering Filho

      Não sabemos.

    • Fernando Gabriel

      A Toyota fez o Corolla e depois o etios, então, teria lógica.

      • Ricardo

        Não acho o Supra bonito.

  • Louis

    Ô loco, e esses comentários de 11 anos atrás KKKKKK

    • Whering Filho

      NÉ ISSO!!!???

    • RPM

      Kkkk….eu pensei que tinha voltado a ser vendida essa versão antiga aqui no Brasil….

    • O Coringa

      Kkkkkkkk, também buguei quando vi…

    • Prova viva daquele ditado, nada esta tão ruim que não possa piorar kkk. Se a 11 anos tava ruim hj tá pior.

    • Pedrov154 #17 🇧🇷

      Imagina a galera desse tempo vendo o que a gente compra com 53 mil atualmente huahuahauha!

      • Dherik

        Mas até para aquela época, 53 mil reais era muita grana para o Tiida rs

  • Ricardo

    Acho que o Tiida é de categoria superior ao Clio, é bem maior.

    • Whering Filho

      Essa matéria tem 11 anos…estranho…

  • Whering Filho

    O interior do Stilo é muito mais bem-resolvido.

  • Whering Filho

    11 anos depois a realidade é a mesma: parece que a Nissan está aqui somente a passeio.

  • Paulino Lino

    Uma pena a Nissan não ter trago a “nova” geração aqui pro Brasil! …. me lembro que a primeira vez que vi um Tiida Hatch aqui na minha cidade eu dei a volta no quarteirão pra observar novamente porque não conhecia o carro.

  • Tive um SL Hatch 2011. Comprei usado, preço bem atrativo pelo o que oferecia, andava relativamente bem, um bom carro pros padrões BR.

  • Gabriel M. Vieira

    Essa matéria é do #10yearschallenge (mas com 11 anos de diferença) hahahaha

  • Zé Mundico

    Campeão, em que país desse mundo o dolar caiu 40% nos últimos 2 anos?

    • Washington Silva

      A reportagem é, estranhamente, de 11 anos atrás

  • Pedrov154 #17 🇧🇷

    E esses comentários de 11 anos atrás LOL

  • Pedrov154 #17 🇧🇷

    Vim do futuro dizer que o Uno chegou a custar 63 mil reais hauahuahauau.

  • Pedrov154 #17 🇧🇷

    Vim do futuro dizer que mudou sim.

    • Kibão

      Kkkkkkkkk
      Cara não tava entendendo nada disso aqui. Só sei q o tempo passa e as reclamações continuam as mesmas

  • Pedrov154 #17 🇧🇷

    Os caras reclamando do Mille de 23 mil KKKKKKKKKKK Gente, hoje Mobi completo bate nos 53 mil KKKKK

  • Maxnoob

    Agora 53 mil BRL vale 14 mil USD hahahaha

  • Joao Victor

    Pelos comentários antigos percebe-se que o mercado Brasileiro e os consumidores reclamões nao mudaram nada 😁😁😁

  • Cincinato

    Boa matéria, se for umas duas por semana fica perfeito.

  • Pete Alves

    Como será que estão essas pessoas que comentaram aqui há 11 (onze) anos? Deve ter até gente que já morreu kkk

  • Pete Alves

    Não melhorou não meu amigo do passado, só piorou

  • Pedrov154 #17 🇧🇷

    Hoje com 40 mil vc compra Uno pelado, que tal?

  • zekinha71

    Sempre que vejo um Tiida me vem a imagem do seriado Heroes, o carro do Hiro.

  • R.C.B.

    Como você reclamou, agora temos Mobi por até 55 mil reais..kkk

  • kkkkkkkkkkkkkkkk e daqui a 11 anos vai esta mais caro kkkk

  • Willian C.

    Eu gosto demais desse carro, além daquele sensor de presença que abre a porta por botoes sem inserir chaves, mas não sei em qual versão tem isso, o banco traseiro tem trilho pra ir pra frente e pra trás, muito legal a proposta e o consumo/manutenção são bons..

  • frolicks

    carrinho muito bom nao entendo a Nissan porque parou de fazer esse carro

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email