Home Marcas Honda Carro da semana, opinião de dono: Honda Civic LX 2005

honda civic 2005 usado da semana 1 Carro da semana, opinião de dono: Honda Civic LX 2005




OBS.: Se você tem interesse em nos enviar um relato para o carro usado da semana, nos mande uma mensagem pela seção de Contato do site. Precisamos de um relato bem completo, inclusive contando os pontos negativos de seu carro, juntamente com pelo menos 3 fotos com no mínimo 740 pixels de largura cada uma, então iremos analisar a possibilidade de publicar seu relato!

Vamos então ao relato do nosso leitor Thiago, que fala tudo sobre seu Honda Civic LX 2005:

Meu nome é Thiago Lamim e sou dono de um Honda Civic LX 1.7L 16v 2005. Comprei-o usado a 8 meses e estou apaixonado pelo carro. Sempre quis ter um Civic e todos estranhavam que nunca quis um New Civic, sou apaixonado na 6ª e 7ª geração (2ª e 3ª no Brasil) e aconteceu. Tentarei fazer um review sem muita paixão.

PRIMEIRA VISTA – Mês 06 de 2011 apareceu esse Civic com uma placa de venda (05 / banco de couro / particular / telefone) onde eu trabalho. Um preto brilhante, bem conservado e poucos arranhões (a tinta rachada no pára-choque da frente é proveniente de uma encostada já em minhas mãos). Já logo liguei para o camarada. O carro tinha 72.000 km, mecânico, bancos em couro, era o 2º dono há pouco tempo, segundo ele venderia por causa de dívidas.

PRÉ -AVALIAÇÃO – Na fase de negociação, o levei para avaliação do mecânico e de um lanterneiro. O mecânico fez uma avaliação bem básica (algo que me matou de raiva, mas era o mecânico que a família “confiava”), tirou a tampa do óleo, olhou, acelerou forte ouvindo o motor e verificou se saía fumaça no escapamento e fomos para uma volta, única coisa que foi notada foi um ruído na pastilha de freio.

Já o lanterneiro me disse que o carro já levou uma leve pancada na traseira (nada demais, nada afetou) e que os para-choques, tanto da frente como de atrás, foram pintados. De resto nada mais, nenhuma outra batida, nem reparos.

NEGÓCIO FEITO – Depois de tempos negociando acabamos fechando. O negócio foi uma troca, um GM Celta 1.0 VHC 4P 2005 c/ AR + R$ 11.000,00 algo em torno de R$ 28.000,00 e o sonho era meu.

honda civic 2005 usado da semana 2 Carro da semana, opinião de dono: Honda Civic LX 2005

REVISÃO MECÂNICA – Algumas semanas após a compra foi para uma revisão minuciosa no sistema de freio, correias e suspensão. Foi feita a troca das correias, todas, do comando de válvulas e de acessórios que são duas. (de forma preventiva)

Correia Dentada – R$ 79,30
Correia da Direção – R$ 42,80
Correia do Alternador – R$ 39,00
Mão de obra – R$ 140,00

Troca do par de pastilhas de freio (estavam realmente bem gastas)
Par de Pastilhas – R$ 124,80
Mão de Obra – R$ 40,00

E uma descoberta, o amortecedor dianteiro esquerdo estava vazando óleo e junto com a descoberta, a facada, cada amortecedor dianteiro custa R$ 467,00. Demorei 6 meses para poder compra-los e agora estão encomendados, mas foi até boa a demora por que a Honda fez uma “promoção” de um KIT com Amortecedor Dianteiro + Mola + Coifa + Batente + Coxim por R$ 638,00 cada.

Depois desse reparo o carro só me fez parar para trocar óleo (eu troco a cada 5.000 km e sempre uso óleo mineral HONDA SAE 10W30 – R$ 20,00/Litro) e para esticar a correia de acessórios que afrouxou e começou a cantar alegremente quando ligava o ar condicionado.

CONCESSIONÁRIA – Essas trocas de óleo eu acostumei a fazê-las na concessionária Honda Oriental (ao custo de R$ 178,00 – 4 Litros de óleo (R$ 80,00) + Arruela de dreno (R$1,12) + Filtro de Óleo (R$ 31,80) + Mão de Obra (R$ 69,00)) da minha cidade, mas desisti e agora só compro as peças lá e troco em outro lugar.

Eles erraram duas vezes comigo, colocaram 4 litros de óleo no motor (são 3,2L com filtro), e o pior que só percebi no dia seguinte que fui conferir na vareta, ai tive que em casa mesmo retirar o óleo para não danificar o motor ligando ele novamente, na segunda eu avisei que tinham errado anteriormente, mas segundo o cara ele tava acostumado com o New Civic que são 4L, ai voltaram com o carro lá pra baixo e tiraram só 0,5L, tive que ainda tirar mais 0,3L em casa.

Problema também é o preço da mão de obra da concessionária coisa de R$ 230,00 a hora. Me deixa bem revoltado esse tipo de erro em concessionária que deveriam ter técnicos especializados em todos os veículos da marca (mesmo sendo uma concessionária nova que não chegou a vender esse modelo de Civic, é inadmissível).

ACESSÓRIOS – Esquecendo a parte mecânica, os acessórios do carro estão funcionando perfeitamente e ficam todos a mão, todos de configuração/utilização intuitiva, o ar condicionado gela bem e sem odores, tem umas 8 velocidades do ventilador.

O radio ainda original funciona bem, mas só toca CDs originais (por isso a “gambiarra” do transmissor FM) o som é nítido e ligeiramente alto (são 4 alto-falantes “s/ inscrição de marca”) os vidros elétricos funcionam bem e tem a função onetouch somente para o motorista (nos vidros tenho que colocar grafite frequentemente, que sempre apresentam barulho para abrir/fechar), a função de desativar o controle dos vidros traseiros é ruim, pois trava os vidros de trás e o do carona e nem na botoeira do motorista eles funcionam.

As travas funcionam bem (peca em travar após alguns segundos de chave virada e não com o movimento) com exceção da trava da porta dianteira esquerda que não funcionava, ainda era original, levei para um eletricista e realmente atestou ela como queimada, ele disse que colocaria uma paralela (original custa R$ 295,00, só o atuador da trava) e que ela funcionaria perfeitamente e sem fazer gambiarra para coloca-la (maldito seja) quando fui olhar o serviço pronto ele tinha furado a lata da porta por dentro do forro (nada que apareça, realmente está perfeito), mas dentro do forro está lá aquele parafuso maculando a porta.

Os retrovisores elétricos são fáceis de regular e estão à mão caso seja necessário regular rapidamente andando. No painel de instrumentos temos o ponteiro da temperatura, o conta giros do motor, velocímetro, o marcador de combustível e um tanto de luz espia, aviso de porta-malas aberto, aviso de portas aberta e o aviso de cinto de segurança do motorista, o marcador de combustível é um tanto impreciso às vezes baixa muito rápido ou de um dia pro outro ele sobe novamente.

A iluminação é simples, mas de bom gosto, verde nos números e ponteiros vermelhos com potenciômetro para controlar a luminosidade (que controla também a luminosidade do radio e dos botões do painel.). O hodometro tem 2 parciais “trip A” e “trip B”, dá para marcar uma viagem e fazer cálculo de consumo no outro. O airbag duplo é de série. Realmente falta um computador de bordo. O alarme é Positron e não levanta os vidros quando acionado (nem mesmo travando a porta pela chave eles sobem).

honda civic 2005 usado da semana 14 Carro da semana, opinião de dono: Honda Civic LX 2005

DESIGN – Acho bastante bonito o carro em geral, o filete cromado em volta das janelas e a coluna central em preto fosco ainda tem seu charme. A frente é agressiva e esportiva, a traseira acho bacana, bem estilosas essas lanternas com duas bolas, mas conheço bastante gente que acha de gosto duvidoso essa traseira.

A lateral é bem clean com um vinco que vai do para-lamas, passando pelas maçanetas até morrer na lanterna traseira. As rodas são de liga leve, bonitas, estrela com 10 pontas. Os faróis são excelentes, desenho bonito, dupla parábola e um foco excelente. O farol de neblina foi instalado (pelo antigo dono) e existe originalmente só no modelo EX.

VERSÕES – As diferenças entre o LX, LXL e EX são basicamente mecânicas, os três ofereciam câmbio AT (EX somente AT), freios a disco na dianteira e tambor na traseira nos três modelos (ABS somente no EX) que contava também com painel diferenciado. LXL e EX têm motores com o sistema VTEC (Variable Valve Timing and Lift Electronic Control), que é o comando de válvulas variável, que coloca mais 15 cv de potencia e 0,6mkgf de torque.

DIRIGINDO – Dirigindo o carro ele é muito gostoso, as marchas tem engates precisos e muito macios, a embreagem é macia e leve (mas tem aquele barulho característico de todo Civic MT, mostrado até pelo ADG em seus vídeos), também tem um descanso de pé muito bom para longas viagens, só o acelerador que é bem firme, mas não chega a incomodar, os freios são eficientes (sem ABS, outro pecado.) e barulhentos se não utilizar as pastilhas originais Honda, nas curvas o carro está sempre “na mão”, mérito da suspensão independente e das rodas aro 15’’ com pneus 185/65 que deixam a estabilidade incrível, só que para isso copia bem as imperfeições do asfalto, o carro fica grudado no chão. A direção é bem leve em baixas velocidades e firme nas altas.

DESEMPENHO – O motor 1.7L 16v de 115cv a 6.100RPM e 15,2mkgf a 4.500RPM, como todo 16v, tem falta de torque em baixas mas nada que incomode ou obrigue a reduzir marchas a todo tempo, fora isso, o motor trabalha manso e vai até as 7.000RPM fácil sem trabalhar áspero.

Para quem gosta de acelerar e sempre andar em alto giro é uma delicia, 1ª vai a 60km/h, 2ª a 100km/h, 3ª a 140km/h. As relações parecem ligeiramente “longas”, mas a 100km/h em 5ª o giro esta na casa dos 3.100RPM, apesar de não ajudar na economia (coisa que já não se pode reclamar) ajuda nas ultrapassagens, tirando a necessidade de qualquer redução. Considerando que é um sedan de 1.145kg e relação peso potencia de 9,95kg/cv e 75,32kg/mkgf com 0 a 100 km/h em +- 11s, acho honesto.

CONSUMO – Já falando em consumo, foi umas das coisas que mais me surpreenderam nesse carro, na cidade a pior média que consegui foi 10 km/L, a melhor foi 12 km/L e na estrada a pior foi 14,3 km/L e a melhor incríveis 21,2 km/L, nem mesmo acreditei quando fiz os cálculos.

Foi em uma viagem de Volta Redonda – RJ até Angra dos Reis – RJ (Praia da Vila Residencial de Mambucaba) viagem de 248,6 km em região serrana, enchi o tanque até a bomba desarmar de gasolina tipo c comum da Ipiranga, fui e voltei e no mesmo posto e bomba enchi até a bomba desarmar couberam 11,75 litros cerca de R$ 35,13, esta foi feita com 2 ocupantes, somente bagagem de mão com trafego ruim na subida de serra e sem AC.

Com AC ligado não é visível o aumento no consumo e nem a perda de potência. Meu antigo GM Celta 1.0 VHC não passava de 10km/l na cidade e sempre ficou na casa dos 14km/l na estrada, acredito que culpa minha de ter pé nervoso e também do cambio super curto dele.

POR DENTRO – Dentro tem muito espaço, tanto na frente como atrás, e os materiais são de boa qualidade, a parte de cima é de um material emborrachado e macio, tanto no painel quanto nas portas as partes em cinza claro são de plástico duro, mas até então não apresentou barulhos ou frestas, apesar de simples é muito bem acabado.

Os painéis de porta têm um pedaço em couro próximo ao encosto de braço, que é de material firme. O volante tem desenho com 4 raios (clássico Honda) e boa empunhadura. Os bancos de couro (vieram com poucos defeitos, o banco do motorista que está um pouco mais sofrido com o couro bem danificado) são firmes sem serem duros, os ajustes são fáceis e rápidos, o ajuste do encosto lembra o do Fiat Mille, mas sem ser tão molenga e para o motorista existe ajuste de altura no banco e no volante.

Na traseira sobra espaço para as pernas (mérito do assoalho plano sem o túnel central) e para cabeça dos ocupantes, peca em não ter encosto de cabeça nem cinto de 3 pontos para o quinto passageiro. A luz cortesia é de boa iluminação e temporizada para desligar após o fechamento da porta, também há luzes “para leitura” que servem muito bem para procurar objetos, iluminam muito. Os para sol são bons e contam com espelho nos dois com uma tampinha protegendo e mantendo-os limpos.

Porta luvas é apenas bom, nada demais, tem dois porta copos no console central muito bom pra quem sempre sai tomando um café para ir trabalhar, ainda mais com trânsito. Ao lado do freio de estacionamento tem um porta objeto muito bom, sempre enfio minha carteira ali que fica certinho. Um pouco à frente tem um quadrado muito bom para se colocar o celular/moedas/chaves e em baixo do radio tem mais um porta objetos, um tanto sem uso porque as coisas ficam sempre “sambando” nele.

Abaixo desse porta objetos temos o cinzeiro (que também existe no final do console para os ocupantes do banco traseiro) sem uso para quem não fuma e não permite que fumem dentro do carro, no máximo, ficam umas balas lá dentro e o acendedor de cigarro poderia ser só uma tomada 12V com tampa, há também um “apoiador” de cigarros em baixo. As portas tem também porta treco. A abertura do bocal de abastecimento fica na lateral próximo a soleira da porta do motorista, simples, acionada por cabos de aço (única forma de abrir) que elimina a necessidade de tirar a chave do contato na hora do abastecimento, que a tampa do bocal não tem tranca.

Os tapetes estavam em mau estado quando comprei, o do motorista estava rasgado, os tapetes já eram de carpete, comprei um jogo novo (R$ 73,00), muito bonito, só dão muito trabalho para limpar.
Porta malas é grande, com 402L e também com abertura interna (que fica junto com a abertura do bocal de abastecimento) ou com chave e conta ainda com uma organização por baixo do carpete feita de isopor muito eficiente, para chaves, triângulo e ainda da para coloca coisas como um cabo para chupeta, lanternas e coisas assim. Falta uma forração para a tampa do porta-malas e as dobradiças podiam ser pantográficas para não invadirem a mala.

COMPARANDO – Bom, comparando com alguns carros de 2005 ele não tem muita tecnologia embarcada (o Fiat Stilo de um amigo (apesar de ser outra categoria) tem controle de tração, ABS, direção elétrica e hidráulica mais um bando de luz espia).

Na época pensei também em um Toyota Corolla XEI carro bacana também, tem mais mercado que o Civic (um pouco mais caro também), de qualidade, mas não tinha a paixão que o Civic me proporcionava. Acho que o Corolla é apenas bom, meio sem sal, melhor que o Civic em alguns aspectos, tipo motor mais forte…

Do Civic gosto bastante do design, motor, qualidade geral de acabamento e construção, baixíssimo consumo, desempenho, isto pelo lado da razão que é sempre necessária, não da para comprar um carro pensando apenas na emoção.

CONCLUINDO – Já tive um GM Celta 1.0 VHC 2005 e um VW Gol G3 1.0 16v 2001, mudei totalmente de categoria, já rodei 10.000 km com ele e estou muito feliz, é outro mundo comparado com um carro popular, um carro que me custou o preço de um popular 1.0 zero km, sendo um sedan médio (acho que vale muito a pena o mercado de usados, não tenho coragem de comprar um carro zero km no preço que está/pelo que oferece, as contas não batem), mas tudo na vida tem seus pesares e desse é o preço da manutenção (apesar da pouca manutenção, sendo um carro com 6 anos de uso) a troca de todos os componentes que já fiz é algo em torno de R$ 2.100,00, o que foi caro mesmo foram os amortecedores R$ 1276,00), o que em um popular estaria na casa dos R$ 700,00 no máximo).

Já tenho consciência que nada que for investido nesse carro terá retorno, nem mesmo o dinheiro pago nele (carro é bem de consumo, não investimento), e que será difícil a revenda e que vai desvalorizar bem.

Agora quero colocar uma central multimídia, achar um bom mecânico na região (que realmente entenda da mecânica desse carro) e ficar com esse carro por muito tempo. Ah! E também que as pessoas parem de lamber o para-choques traseiro entrando/saindo das vagas, aconteceu duas vezes já.

Desculpem a forma de escrita, é a primeira vez que faço um review, queria mesmo mostrar toda a experiência que tenho com esse carro.





Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.