História Sedãs Volkswagen

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0
Jetta TSI

Comercializado no mercado brasileiro desde setembro de 2006, o Volkswagen Jetta está em sua segunda geração para nós e na sexta geração no mercado mundial. E um dos destaques da “vida” do carro é justamente o Jetta TSI, primeira versão com motor turbo na linha do modelo.

Jetta 2.5: primeira geração por aqui em 2006

O Jetta teve a sua primeira geração introduzida por aqui sob importação da planta da marca em Puebla, no México. Na realidade, foi a segunda geração do carro por aqui, visto que a primeira chegou como Bora, que foi mantida com o Jetta até 2011.

Ele era um modelo mais refinado que o exemplar vendido atualmente, tanto é que na época fazia frente a veículos de categorias superiores, como é o caso do Ford Fusion.

A primeira versão do carro tinha visual marcado por formas ovais, além da carroceria ampla. O VW Jetta da geração anterior mede 4,55 metros de comprimento, 1,78 m de largura e 1,46 m de altura, com distância entre-eixos de 2,57 m. O porta-malas, por sua vez, tem capacidade para 527 litros.


O motor era um 2.5 litros de cinco cilindros a gasolina, capaz de gerar até 150 cavalos de potência e 23,3 kgfm, com um câmbio automático Tiptronic de seis marchas.

A VW dizia que o Jetta alcançava os 100 km/h em 9,6 segundos e velocidade máxima de 205 km/h. Porém, tempos depois essa unidade foi reajustada para 170 cv e 24,5 kgfm.

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Apesar de todos esses pontos fortes, o Volkswagen Jetta de primeira geração não conseguiu se destacar mais que o Volkswagen Jetta TSI.

(Também temos uma reportagem completa falando do Jetta atual, com todas as suas versões, confira também esta informação.)

Jetta TSI chega em 2011

Trata-se da versão topo de linha da segunda e atual geração do sedã médio, que chegou ao mercado nacional em março de 2011.

Dá para dizer que o novo Jetta tinha dois extremos. O inferior ficava com a versão de entrada Comfortline e seu antiquado motor 2.0 litros flex de quatro cilindros e oito válvulas, o mesmo da antiga geração de sedãs da VW na década de 1990. Este propulsor rendia somente 120 cv, se posicionando como um dos sedãs mais fracos do segmento.

Já o extremo superior ficava com o topo de linha Jetta TSI, ofertado na configuração Jetta Highline. O Jetta TSI foi o primeiro sedã médio de marca tradicional a dispor de uma motorização turbo com injeção direta no Brasil.

A unidade em questão é a 2.0 TSI, que na época entregava potência máxima de 200 cv. Sobretudo por esta versão, o carro viu suas vendas disparar, passando de 4 mil unidades para 15 mil exemplares anuais.

Atualmente, o Volkswagen Jetta TSI tem vendas razoáveis. Ele fechou o primeiro semestre de 2018 como o quinto sedã médio mais vendido no País, com 2.279 vendas, atrás do Toyota Corolla, Honda Civic, Chevrolet Cruze e Ford Focus Fastback.

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Jetta TSI – detalhes

Muitos dizem que o Volkswagen Jetta TSI perdeu a sua personalidade na troca de gerações. E podemos concordar com essa afirmação, visto que o carro tinha na época praticamente a mesma cara do VW Fox, por exemplo, um carro inferior e mais barato da marca.

Todo o conjunto visual do Jetta TSI é marcado por formas horizontais. A dianteira, por exemplo, traz uma grade mais afilada que forma conjunto com os faróis trapezoidais. Já o para-choque conta com um desenho mais limpo, exibindo como destaque a tomada de ar que abriga os faróis de neblina e também um spoiler estilo “bandeja”, com formato mais pronunciado.

As laterais, por sua vez, contam com linha de cintura elevada e um vinco marcante que começa no para-lama dianteiro e vai até a lanterna traseira. Os retrovisores foram herdados do irmão de luxo Passat CC.

Porém, o carro não abusa das formas e traz uma aparência mais limpa praticamente em todos os ângulos.

Já na traseira, o Jetta TSI se sobressai com as lanternas horizontais que invadem a tampa do porta-malas e são interligadas ao suporte de placa. O para-choque segue praticamente o mesmo desenho da peça dianteira.

Pulando para o interior, o Volkswagen Jetta TSI também não impressiona. O painel do carro é quase que totalmente revestido com material emborrachado e evidencia o console central mais elevado e as saídas de ar retangulares.

Além disso, os passageiros contam com maior espaço para as pernas no banco traseiro. O espaço foi ampliado em 6,7 centímetros, chegando a 96,7 cm no banco traseiro. Isso por conta das dimensões maiores em relação ao Jetta de primeira geração.

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Em comparação com o modelo antigo, o Jetta TSI passou a contar com 4,64 metros de comprimento, 1,45 m de altura e 1,78 m de largura. Já o porta-malas teve uma leve redução, passando a acomodar 510 litros.

No mês de fevereiro de 2015, a Volkswagen anunciou a nova linha do Jetta TSI com retoques visuais. O carro ganhou um estilo semelhante ao do irmão maior Passat.

A dianteira passou a exibir faróis redesenhados com opção de luzes diurnas em LED no modelo Highline 2.0 TSI, aliados à nova grade com desenho mais amplo. Já o para-choque recebeu um desenho mais encorpado e tomada de ar também maior, dividida por uma barra horizontal na cor da carroceria.

A traseira adotou lanternas redesenhadas, com um recorte inferior mais angulado e opção de iluminação em LED. A tampa do porta-malas ficou mais larga na extremidade inferior para facilitar o acesso ao compartimento.

No interior, o painel recebeu dois tipos de acabamento. Houve ainda a introdução de um novo painel de instrumentos com dois copos, um para o velocímetro e outro para o conta-giros, além da tela LCD do computador de bordo no centro.

O volante multifuncional, que antes era o mesmo do Passat CC (e de toda a linha da VW), foi substituído pelo mesmo volante do Golf e Passat.

Além disso, todas as versões passaram a contar com suspensão traseira do tipo multilink, substituindo o antiquado eixo de torção do modelo 2.0 8V aspirado.

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Jetta TSI – novidades

Lançamento em março de 2011

A nova geração do Volkswagen Jetta chegou ao mercado brasileiro no dia 23 de março de 2011. O carro foi ofertado em três configurações: Comfortline com motor 2.0 8V e câmbio manual, Comfortline com câmbio automático e Highline com motor 2.0 TSI e transmissão DSG de dupla embreagem.

O novo Jetta chegou com preço de R$ 67.755 para o Comfortline MT, R$ 69.990 para o Comfortline AT e R$ 89.520 para o Highline DSG, este último sendo o Jetta TSI 2.0.

Linha 2013 com novos opcionais

As primeiras novidades do Volkswagen Jetta chegaram como linha 2013. O sedã médio foi apresentado no Salão de São Paulo de 2012 e trazia mudanças no pacote de opcionais do Highline, que custava a partir de R$ 84.990.

O Jetta Highline 2.0 TSI 2013 passou a dispor de opção de faróis bi xênon direcionais com filete em LED por R$ 3.790 e partida do motor e destravamento das portas por cerca de R$ 1,7 mil.

Ele podia receber ainda rodas de 17 polegadas diamantadas por R$ 284, sistema multimídia com navegador GPS por R$ 2.369, banco do motorista com ajustes elétricos por R$ 2.748 e teto solar elétrico por R$ 2.834.

Upgrade de potência no motor 2.0 TSI

A melhor novidade implementada na linha do Jetta TSI 2.0 foi um upgrade de potência para o motor. O 2.0 TSI passou a contar em meados de 2014 com uma versão mais potente do motor com 11 cv a mais, passando a desenvolver 211 cavalos de potência, enquanto o torque subiu para 28,6 kgfm.

Para chegar a esse número, o carro recebeu alguns aprimoramentos eletrônicos na mecânica. Com isso, o tempo de aceleração de 0 a 100 km/h teve redução de 0,1 s, passando a ser realizado em 7,2 segundos. Já a velocidade máxima subiu de 238 km/h para 241 km/h.

O preço do Jetta TSI 2.0 na época era de R$ 88.290.

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Facelift e mais equipamentos na linha 2015

Conforme citado acima, o Jetta TSI recebeu um facelift no visual externo e também no interior para a linha 2015. As novidades ficaram por conta da adoção de novos faróis, grade dianteira, para-choques dianteiro e traseiro, rodas de liga-leve, lanternas e algumas novidades na cabine, como um novo painel de instrumentos e o volante multifuncional herdado do Golf.

Além disso, o carro adotou novos equipamentos. A lista de itens de série passou a incluir controle eletrônico de tração para o modelo de entrada Trendline.

Já o intermediário Comfortline recebeu volante multifuncional com revestimento em couro e paddle shifts, piloto automático e sistema multimídia com tela sensível ao toque de 6,5 polegadas. O Highline recebeu direção elétrica.

Os preços do Jetta TSI com facelift variavam de R$ 78.230 a R$ 103.990.

Novo motor 1.4 TSI e produção nacional

A última grande novidade na linha do Volkswagen Jetta foi a mais esperada de toda a linha do sedã. O velho motor 2.0 8V foi substituído pelo 1.4 TSI, o mesmo usado no Golf. Esse propulsor bebe somente gasolina e consegue entregar potência máxima de 150 cavalos e torque máximo de 25,5 kgfm.

O novo Jetta TSI 1.4 estreou em março de 2016 nas versões de acabamento Trendline e Comfortline, com transmissão manual de seis velocidades ou automática Tiptronic de seis marchas.

Além disso, o VW Jetta TSI passou a ser produzido na fábrica da marca alemã em São Bernardo do Campo (SP). No entanto, somente a versão intermediária Comfortline 1.4 TSI ganhou produção nacional, mantendo o Trendline 1.4 TSI e o Highline 2.0 TSI importados do México.

O preço inicial do Jetta TSI 1.4 era de R$ 78.230.

Jetta TSI – versões e equipamentos

Volkswagen Jetta Highline 2.0 TSI: equipado de série com seis airbags, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, bloqueio eletrônico do diferencial, sistema de som com oito alto-falantes, ar-condicionado digital de duas zonas, porta-luvas refrigerado, piloto automático, sensores de estacionamento dianteiros e traseiro, banco do motorista com ajuste de altura e do apoio lombar e direção elétrica.

Há ainda computador de bordo com display colorido, retrovisores externos com aquecimento, Isofix, lanternas traseiras em LED, regulagem do facho do farol, bancos em couro sintético, rodas de liga-leve de 17 polegadas, sistema multimídia Composition Media com tela sensível ao toque de 6,5 polegadas e App-Connect, volante multifuncional em couro com paddle shifts, trio elétrico, indicador de perda de pressão dos pneus, entre outros.

Opcionais: teto solar elétrico (R$ 4.647); Pacote Exclusive (R$ 5.464 com aquecimento dos bancos dianteiros, bancos em couro, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos com rebatimento elétrico, faróis com acendimento automático, sensor de chuva e porta-revistas no encosto dos bancos dianteiros) e Pacote Premium (R$ 12.194 com os itens do pacote anterior, mais banco do motorista com ajustes elétricos, câmera de ré, faróis bi xênon com luzes de condução diurna em LED, regulagem dinâmica de altura e conversão dinâmica, sistema multimídia Discover Media com navegador GPS e destravamento das portas e partida do motor sem chave).

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Jetta TSI – preços

  • Volkswagen Jetta Trendline 1.4 TSI MT: de R$ 67.113 (2016) a R$ 71.066 (2017)
  • Volkswagen Jetta Trendline 1.4 TSI AT: de R$ 71.798 (2016) a R$ 78.585 (2017)
  • Volkswagen Jetta Comfortline 1.4 TSI AT: de R$ 80.353 (2016) a R$ 88.991 (2018)
  • Volkswagen Jetta Highline 2.0 TSI DSG: de R$ 52.094 (2011) a R$ 100.020 (2018)
  • Volkswagen Jetta Highline 2.0 TSI DSG 2019: R$ 111.770 (0 km)

(preços com base na Tabela Fipe e no configurador online da Volkswagen em agosto de 2018)

Jetta TSI – motor, câmbio e desempenho

O motor mais forte da linha do Volkswagen Jetta é o 2.0 TSI (sigla da marca para motores de combustão com injeção direta e sobrealimentação de ar). Este propulsor é movido a gasolina e dotado de turbocompressor, sistema de injeção direta de combustível, quatro válvulas por cilindro, comando de válvulas variável, entre outros

Nos primeiros anos, este propulsor era capaz de desenvolver 200 cavalos de potência, a 5.100 rpm, e 28,5 kgfm de torque, disponível já a partir de 1.700 rpm.

Junto a ele está o câmbio automatizado DSG (DQ250) de seis marchas e dupla embreagem banhada a óleo, que oferece opção de trocas manuais por meio da alavanca no console ou por paddle shifts atrás do volante.

Com este aparato, o VW Jetta TSI é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em somente 7,3 segundos e atingir velocidade máxima de 238 km/h.

Porém, atualmente o Jetta TSI 2.0 consegue desenvolver até 211 cavalos de potência, disponível a 5.500 rpm. Já o torque é de 28,6 kgfm, entregue a 2.000 giros. A transmissão é a mesma DSG de seis velocidades e dupla embreagem.

Com este upgrade de potência e torque, o Jetta TSI 2.0 agora atinge os 100 quilômetros por hora em somente 7,2 segundos. A velocidade é limitada a 241 km/h.

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

O novo 1.4 TSI, da família EA211, também oferece turbocompressor, injeção direta de combustível, bloco e cabeçote feitos de alumínio, coletor de escape integrado ao cabeçote, duplo comando de válvulas variável na admissão e no escape, entre outros.

Ele tem força suficiente para despejar 150 cavalos de potência, a 5.000 rpm, e 25,5 kgfm de torque, disponível a 1.500 rpm. Os primeiros exemplares podiam ser combinados ao câmbio manual de seis marchas ou automático Tiptronic de seis velocidades. Agora ele está disponível somente com a caixa automática.

Independente da transmissão, o Volkswagen Jetta TSI 1.4 pode acelerar de 0 a 100 km/h em 8,6 segundos. A velocidade máxima do sedã médio com esta motorização é de 203 km/h.

Ambos os propulsores usados pelo Volkswagen Jetta TSI seguem o conceito de downsizing (alta performance com baixa cilindrada e baixo consumo de combustível).

Vale lembrar que o Volkswagen Jetta foi comercializado também com o motor 2.0 8V herdado do falecido Santana. Ele entregava até 120 cavalos de potência, a 5.000 rpm, e 18,4 kgfm de torque, a 4.000 giros, atrelado ao câmbio manual ou automático Tiptronic de seis marchas.

Para se ter uma ideia, com a transmissão automática, o Jetta 2.0 8V atingia os 100 km/h em quase 12 segundos, segundo dados oficiais da Volkswagen.

Jetta TSI – consumo

Volkswagen Jetta TSI 1.4 MT

11,3 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada (sempre com gasolina)

Volkswagen Jetta TSI 1.4 AT

10,4 km/l na cidade e 13,8 km/l na estrada (sempre com gasolina)

Volkswagen Jetta TSI 2.0 DSG (200 cv)

8,9 km/l na cidade e 12,1 km/l na estrada (sempre com gasolina)

Volkswagen Jetta TSI 2.0 DSG (211 cv)

9,4 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada (sempre com gasolina)

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0

Jetta TSI – manutenção e revisões

Conforme consta no site da Volkswagen, o Jetta TSI 1.4 tem revisão de 10 mil km por R$ 214,31, 20 mil km por R$ 562,90, 30 mil km por R$ 480,10, 40 mil km por R$ 562,90, 50 mil km por R$ 480,10 e 60 mil km por R$ 562,90. Ao todo, são R$ 2.863,21.

Já o Jetta TSI 2.0 possui revisão de 10 mil km por R$ 279,50, 20 mil km por R$ 637, 30 mil km por R$ 554,50, 40 mil km por R$ 637, 50 mil km por R$ 554,50 e 60 mil km por R$ 637. Ao todo, são R$ 3.300.

Jetta TSI – ficha técnica

Motor

1.4 TSI

Tipo

Dianteiro, transversal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

1.395

Válvulas

16

Taxa de compressão

10:1

Injeção eletrônica de combustível

Injeção direta

Potência Máxima

150 cv a 5.000 rpm

Torque Máximo

25,5 kgfm a 1.500 rpm

Transmissão

Tipo

Manual ou automática de seis velocidades

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, multibraço

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 16 ou 17 polegadas

Pneus

205/55 R16 ou 225/45 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.659

Largura (mm)

1.778

Altura (mm)

1.473

Distância entre os eixos (mm)

2.651

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

514

Tanque (litros)

55

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.298

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,3

 

Motor

2.0 TSI

Tipo

Dianteiro, transversal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

1.984

Válvulas

16

Taxa de compressão

9,6:1

Injeção eletrônica de combustível

Injeção direta

Potência Máxima

211 cv a 5.500 rpm

Torque Máximo

28,6 kgfm a 2.000 rpm

Transmissão

Tipo

Automatizado de embreagem dupla banhada a óleo

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, multibraço

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 17 polegadas

Pneus

225/45 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.659

Largura (mm)

1.778

Altura (mm)

1.473

Distância entre os eixos (mm)

2.651

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

514

Tanque (litros)

55

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.376

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,3

Jetta TSI – galeria de fotos

Jetta TSI: confira todos os anos, versões e detalhes do 1.4 e do 2.0
Nota média 5 de 3 votos

  • Lucas

    Carro fantastico, comprei um em 2016 por 62 mil no desconto pcd, e vendi agora por 67 mil, pena que não pude comprar outro jetta tive que ir pro renegade, o governo bom kkk

    • Maycon Farias

      Conseguiu acostumar saindo de um sedã para um SUV? Eu só tive sedãs e quando trabalhei para o estado tinha um Tucson que eu dirigia todo dia, era estranho sair do trabalho e sentar no meu sedã, sentia como se tivesse no chão, e quando eu entrava no Tucson era como escalar rsrsr.

    • zekinha71

      O carro era fantástico mas só ficou 2 anos com ele. Porque?

      • Verdades sobre o mercado

        Porque ele é inteligente. Como ele compra com isenção de impostos é vantagem ficar apenas 2 anos. Ele vende usado e com o dinheiro compra outro 0km igual sem precisar colocar dinheiro em cima (ou coloca pouco dinheiro em cima)

        • Christian Balzano

          Porque ele é brasileiro e adora tirar vantagem em tudio

          • Verdades sobre o mercado

            Ele fez algo de errado para conseguir a isenção? Se fez concordo contigo, mas se não fez ele está no direito dele e é inteligente.

          • fsjal

            O que a gente puder fazer pra não ser assaltado pelo Estado, tem que fazer

        • Ricardo

          O famoso “espertão”!

  • kravmaga

    Esse carro tem um custo-benefício fantástico. Tenho um 2.0 TSI 211cv modelo 2015 e simplesmente vou ficar com ele mais alguns anos porque custo-benefício igual só outro Jetta.

    • catucadão

      esse carro anda muito… é bom

    • Everton Junior

      Ótimo carro

    • AlbertoNeto

      Realmente, também tive um TSI e foi um dos melhores carros que já tive… a MB/BMW mais básicas não sentia nem o cheiro! Um carro forte, bom consumo e muito seguro!

    • PrGirafales

      nao tem outro no mercado neste momento no mesmo custo beneficio, tive um em 2012, vendi em 15 e peguei um golf, acabei de vender o golf e voltei para outro jetta 18, (precisava de porta mala), as ultimas unidades da versao atual e pretendo ficar um bom tempo com ele agora, pq pegar o 2.0 na nova geração completo vai custar bem caro com certeza, pelo valor que paguei nao existe nenhum no mesmo nivel de acabamento/mecanica e custo…

  • Eduardo Nasi

    Correçao foi lançado 1,4 tsi em março de 2016 e nao em novembro 2016 Tirei o meu em abril de 2016 da revenda

  • thi

    esses TSI são espetaculares

  • Speed Racer

    Esse carro é maravilhoso! Tenho um 2.0 T Higline. Não há viagem que eu faça que ele não me arranque sorrisos, se não é numa ultrapassagem é no consumo que é bom. Recomendo.

    • AlbertoNeto

      Tive um também, o torque dele impressiona qualquer um que nunca teve um carro mais “forte”.. a sensação de colar no banco é nítida!

  • Bruno Silva

    Viajei com um 1.4 blindado e 4 pessoas semana passada, esse carro é um espetáculo!! Em alguns momentos estiquei um pouco para acompanhar o carro da frente, chegava a 140km/h com facilidade incrível. E na cidade é muito ágil pra fazer manobras rápidas. Gostei muito, já tinha dirigido um 2.0 Tiptronic e não tinha me agradado tanto, esse TSI já tá me fazendo planejar, quem sabe um dia…

  • Victor Hugo

    Por dúvida todos os Jettas Highline sempre tiveram direção elétrica não ?

  • Natán Barreto

    Esse motor TSI conseguiu colocar carros VW novamente como objeto de desejo, coisa que não acontecia há muitos anos.
    O desempenho excelente e o baixo consumo fazem desse motor um dos melhores disponíveis no Brasil hoje.

  • Ediomar

    Se existe um carro difícil de comprar usado é o Jetta,numa pesquisa rápida juntando alguns exemplares e fazendo um checkauto,a maioria tinha algum tipo de sinistro tipo P.T ou media monta,fora recuperados de finan,sem contar que olhando pessoalmente da pra ver o estado lastimável que alguns se encontram,a maioria ja foi chipado e ou rebaixado,carro pra comprar no máximo segundo dono e se conhece desde 0 km.

    • zekinha71

      Uma coisa que já percebi que qualquer TSi só se compra zero, usado vai ter alguma surpresinha, afinal falam que todos os carros TSi são maravilhosos, mas porque com pouco uso já estão a venda.
      Tá cheio de pessoas que elegiam o up! mas fala que vendeu com 1 ou 2 anos de uso, se é tão bom porque vendeu logo.
      Meu carro segundo os especialistas de teclado chega a ser medíocre, mas estou com ele 4 anos e quero chegar nos 10 ou quando completar 100K kms.

      • thi

        não sei da onde vc tirou esses dados..foi no “achometro” ??..texto tipoco e inteligente pra desmerecer o carro.

        • É… tem muito Jetta impecável por aí pra vender. Como todo carro de desempenho diferenciado, sim, tem algumas unidades que acabam nas mãos dos “manolos”, que chipam, estragam muito o carro com uso fora do normal. Mas a grande maioria está mesmo nas mãos de pais de família.

      • Paulo Figueredo

        ótimo carro… até dar os primeiros problemas: câmbio, injetores diretos, etc… aí nego se espanta com a manutenção!

  • Eduardo

    O JETTA está na sétima geração.

  • Não consegui me acostumar com esse face-lift de meia vida do Jetta. A versão original é bem mais acertada visualmente, em minha opinião. Externamente o carro deu uma sensação de ter ficado “menor”, ou “mais simples”.

    • PrGirafales

      por dentro nao mudou nada em relação ao desenho do painel, mudou volante, os instrumentos.. que achei que ficaram bem melhores … de resto é mesma coisa do lançado em 2011…. e por fora, achei que melhorou muito o face lift, na frente mudou o parachoque e os milhas que na minha opinião ficaram mais bonitos que os antigos redondos… na lanterna traseira da versao 2.0 tsi em led gostei demais, ja a do 1.4 eu nao gostei dela quando acessa, ficou bem meia boca na minha opiniao … mas é questao de gosto de cada um

  • fsjal

    Excelente carro. Em casa já passaram 3, dois 2.0 Comfortline e um TSI.
    Mesmo com o 2.0 aspirado é um carro bom de dirigir (o tiptronic disfarça a defasagem), confortável e confiável.

    Mas o acabamento é sofrível e feio. Painéis da porta totalmente de plástico, os 3 apresentando barulhos de acabamento no interior e que a rede não conseguiu resolver.
    Uma pena, pois o Jetta da geração passada era muito bonito por dentro.

  • Flavio Bongiovanni Ferreira Li

    os 211cv vieram em 2013, o meu é 13;13 do final de 13 já tem o motor de 211cv.

    • Lukoh

      CORRETO… o motor 211cv começou a ser montado em meados de 2013 (o meu comprei em agosto/13 e já veio 211).

  • André Lima

    Já tive duas experiências com Jetta:
    1) comprei, em 2016, um Jetta Highline 2013 (211 cv), pacote premium, então com 31.000 KM, ainda na garantia (carro faturado em outubro/2014). Exterior branco e interior bege. Carro excelente! Esse casamento do câmbio com o motor é um espetáculo.
    2) comprei, em 2018, outro Jetta Highline, ano 2016, também pacote premium, com 26.000 KM, também na garantia. Exterior prata e interior preto. Repete as qualidades do anterior, mas com algumas atualizações interessantes (volante, painel TFT, central multimídia e sensores crepuscular e de chuva).
    Antes da última compra, cogitei comprar um Civic Touring, mas a diferença de preço (no semi-novo) não justificava a compra.
    Também gosto mais do interior sóbrio do Jetta do que o dos concorrentes (questão de opinião). Apenas o acabamento das portas poderia melhorar… Por outro lado, mesmo após 60.000 KM, o carro não bate nada (salvo o barulho do câmbio, quando o carro está em calçamento, perceptível apenas com o vidro aberto). Além disso, a VW demonstra atenção com pequenos detalhes, o que dá um aspecto de premium ao carro.
    Como qualquer carro, não é perfeito, mas é, sim, uma excelente compra. Pode não agradar a alguns, visto que a suspensão é bem firme. Por outro lado, quanto aos que dizem que não possível encontrar semi-novo de qualidade, diria que é mais provável encontrar um Jetta em bom estado do que um Golf GTI. Em ambos os casos, por vezes é preciso ter paciência e persistência. Na minha segunda compra, peguei o carro a 500km da minha cidade.

  • Ricardo

    O Jetta atual é um ótimo e belo carro, mas não chega aos pés do Jetta anterior.

  • Allan Bohn Apter

    Tive um Jetta Confortline 2017 1.4 TSI por alguns meses, depois passei pra minha mãe que quase ia pegar um Virtus, conforme já postei aqui. Meu pai tem um IDENTICO ao que era meu, única diferença é que no dele não tem teto solar.

    O carro é fantástico em espaço interno, conforto e desempenho.
    O Consumo está muito errado aí! Na cidade realmente faz na faixa de 10 km/l, porém é na estrada que o bicho se destaca.

    Fiz uma viagem Curitiba – São Paulo – Curitiba, sozinho, pouca bagagem. Rodei cerca de 900 km entre ida e volta e o consumo ficou em 17,3 km/l. Velocidade cruzeiro em 110 – 120 km/h no piloto automático. Isso foi pouco antes de liberarem a serra do cafezal, ou seja, a estrada tinha pontos de gargalo.

    Depois, acabei fazendo uma outra viagem Curitiba – Floripa – Curitiba . Foram cerca de 750 km. Eu, minha esposa e uma amiga dela, porta-malas com 3 malas médias.
    De novo carro fez 17 km/l, porém poderia ter feito uns 18. Na ida o carro fez 19 km/l, porém na volta bebeu bastante (15 e pouco) pois teve um acidente e ficamos naquele anda-para por mais de 1h….

    Depois que entreguei o jetta pra minha mãe (cerca de 5 mil km), peguei uma Golf Variant. Embora mesmo motor (porém flex) e câmbio, parece que o jetta é mais bem acertado. O câmbio do golf dá mais “trancos” nas trocas, enquanto que no jetta estava mais suave, vou dar uma olhada na VW se existe alguma atualização de Software em breve. O consumo da variant também me parece ser um pouco maior, embora eu esteja utilizando alcool desde que peguei (tá com 2500 km agora).

    • Gorpo de Etérnia

      Podem falar o que quiserem, mas não acredito nesses números de consumo. Ainda mais com essa gasolina com quase metade de Álcool.

      • Allan Bohn Apter

        não acredita nos meus números? tenho foto para comprovar…

        • Gorpo de Etérnia

          Não acredito.

  • PrGirafales

    ta falando besteira, o dsg do 2.0 tsi banhado a oleo é excelente

  • Héctor

    Olá, gente boa. Compramos com minha esposa um Jetta 2.0 TSI 2013 e o estamos descobrindo. Saímos de um Honda Civic 2010 1.8 LXS e notamos uma diferen§a brutal. Que arrancada!!! E nas ultrapassagens, sobra máquina!!! Sendo da cor preta por fora, a cor do interior em couro beige é um toque de muito charme. No pouco que experimentamos ele na estrada, pareceu-nos que gasta mais se andamos com o piloto automático. De qualquer modo, já fizemos uma média de 13k/l na estrada, andando a uns 120 kph. Por longe, muitíssimo superior ao Civic que tínhamos, mais confortável e potente. Pretendemos ficar um bom tempo com ele.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email