História Kia SUVs

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)
Kia Sorento 2018

Atual utilitário-esportivo mais caro da Kia Motors no mercado brasileiro, o Kia Sorento iniciou sua história por aqui no ano de 2004.

O modelo estreou com um atraso de um ano e meio em relação à sua primeira aparição no Salão do Automóvel de São Paulo e foi ainda o primeiro automóvel mais refinado ofertado pela fabricante sul-coreana em nosso País.


Kia Sorento – história no Brasil

Ele chegou mais precisamente em abril de 2004 com preço inicial de R$ 157,9 mil. Ou seja, uma cifra bastante elevada ainda hoje, quanto mais para a época.

Todavia, o modelo competia com o Jeep Cherokee Sport, que custava a partir de R$ 156.690 também em sua versão com motor a gasolina, com o Mitsubishi Pajero Sport HPE, que tinha preços a partir de R$ 142.990, e com o “primo” Hyundai Santa Fé, por R$ 120 mil iniciais.


Logo em seu primeiro ano de vendas, o Kia Sorento conseguiu se posicionar como um dos destaques da marca no mercado nacional.

Ele foi responsável por 17,5 por cento das vendas da empresa em 2005 e contribuiu para um crescimento expressivo de 191,2% em relação ao volume de unidades registrado em 2004.

Atualmente o Kia Sorento está em sua terceira geração. Todavia, sobretudo por conta dos preços elevados, o modelo é praticamente um figurante na gama da marca sul-coreana.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

No primeiro semestre deste ano, o SUV não conseguiu se posicionar nem entre os 40 mais vendidos da categoria, sendo superado por modelos como Toyota SW4 e Chevrolet Trailblazer, embora esses últimos sejam mais “rústicos” por usar base de picapes.

Kia Sorento – detalhes

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

A primeira geração do Kia Sorento estreou em meados de 2004 para competir com modelos como Mitsubishi Pajero, Nissan X-Terra, Land Rover Discovery 3, Toyota Land Cruiser Prado, Hyundai Santa Fe, Jeep Cherokee e Land Rover Freelander.

O modelo contava com um design agradável para a época, com conjunto óptico com seta integrada, grade dianteira em sintonia com as linhas do capô, para-choque dianteiro com faróis de neblina integrados, bagageiro de teto, laterais sem muitos vincos, frisos na cor da carroceria, lanternas traseiras verticais, entre outros.

Já o interior trazia como destaque as amplas janelas, além do acabamento com aço escovado e cromado.

Entre os equipamentos, o carro contava com ar-condicionado de duas zonas, computador de bordo com CD e MP3 player, vidro do porta-malas com abertura independente, entre outros.

Além disso, a marca dava ênfase à segurança do carro, com cinco estrelas nos testes de impactos frontal e lateral do NHTSA nos EUA.

O SUV tinha 4,56 metros de comprimento, 1,86 m de largura e 1,72 m de altura, com entre-eixos de 2,71 m. O porta-malas oferecia capacidade para 441 litros.

Segunda geração

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

A segunda geração, por sua vez, chegou apostando no visual, conforto e custo benefício. O novo Kia Sorento começou a ser vendido em 2010 e tinha como destaque o design assinado por Peter Schreyer (ex-designer da Audi).

Além disso, ele trazia preços competitivos a partir de R$ 96,9 mil, mirando em modelos como Captiva, Santa Fe e Journey.

O design do carro seguia a nova identidade visual da Kia, com uma nova grade frontal “nariz de tigre” e faróis mais espichados.

Já as laterais passaram a ostentar linha de cintura ascendente e mais elevada e vincos marcantes na lataria. A traseira, por sua vez, adotou lanternas em LED que invadem a tampa do porta-malas.

Na cabine, o carro passou a dispor de um acabamento ainda mais refinado, com soleiras iluminadas.

Além disso, o espaço ficou mais amplo, passando a acomodar até sete pessoas, enquanto o porta-malas tinha capacidade para até 1.047 litros de bagagem.

Ele ficou 95 mm maior, 15 mm mais baixo e 19 mm mais perto do chão, enquanto o entre-eixos diminuiu 10 mm. O peso do carro, em contrapartida, teve redução de 215 kg.

O Sorento recebeu ainda novos recursos, como rodas de 18 polegadas, teto solar panorâmico, faróis de xênon com lavador, entre outros.

Terceira geração

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Em outubro de 2015, foi a vez da terceira geração do Kia Sorento. O modelo seguiu evoluindo e trouxe um visual totalmente novo, também alinhado aos novos padrões da marca, além de uma cabine mais espaçosa e refinada e um novo motor 3.3 V6 de 270 cv.

No design, o carro manteve a grade “nariz de tigre”, mas com formato mais amplo e encorpado, conectada aos novos faróis com recorte mais agressivo.

O carro recebeu ainda um capô mais longo, teto mais baixo, linha de cintura mais elevada e carroceria com formas mais marcantes.

A traseira ganhou novas lanternas com desenho retangular.

O interior adotou novos matérias de acabamento macios ao toque e apliques em couro.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

As novas medidas também contribuíram para um espaço mais amplo, com 95 mm a mais no comprimento, 5 mm a mais na largura e 80 mm no entre-eixos, enquanto a altura foi reduzida em 5 mm.

O porta-malas acomoda até 2.067 litros com as duas fileiras rebatidas, 1.076 l com a terceira fileira rebatida e 319 l com as três fileiras erguidas.

Fora isso, ele ficou mais equipado, com direito a itens como detector de ponto cego, faróis dianteiros com facho direcional adaptativo, abertura elétrica da tampa do porta-malas por aproximação, entre outros.

Kia Sorento – novidades com o passar dos anos

Novo motor a diesel em 2008

Em maio de 2008, a Kia Motors anunciou a chegada de uma nova opção de motorização para a gama da primeira geração do Sorento.

O carro passou a contar também com um novo motor 2.5 litros turbodiesel de quatro cilindros, dotado de injeção direta com common rail e comando duplo de válvulas no cabeçote.

Este novo propulsor era capaz de desenvolver até 170 cavalos de potência, a 3.800 rpm, e 40 kgfm de torque, a 2.000 rpm, e contava ainda com uma transmissão automática de cinco velocidades e sistema de tração nas quatro rodas.

A linha contava também com o 3.8 V6, com alimentação por injeção eletrônica sequencial, comando de válvulas variável (CVVT), tipo DOHC com 24 válvulas, que entregava 267 cavalos de potência a 6.000 rpm e torque máximo de 36,0 kgfm a 4.500 rotações por minuto.

Chegada da nova geração em 2010

A segunda geração do Kia Sorento começou a ser vendida pela fabricante sul-coreana no fim do primeiro semestre de 2010.

O modelo evoluiu em todos os sentidos e foi ofertado em cinco versões de acabamento, com duas opções de motorização e interior com cinco ou sete lugares.

Em comparação com a geração antiga, o carro ficou 95 mm mais comprido, mesma largura, 15 mm mais baixo e 215 kg mais leve.

A versão mais cara do novo Sorento era dotada de airbags frontais, laterais e de cortina, teto solar panorâmico elétrico, banco do motorista com ajustes elétricos, chave presencial, lanternas em LED, ar-condicionado para as duas últimas fileiras, câmera de ré, retrovisor fotocrômico, sensores de luz e chuva, retrovisores com rebatimento elétrico, computador de bordo, rodas de liga-leve de 18 polegadas, sistema de som com comandos no volante e entrada USB, acabamento interno em couro, entre outros.

Ele contava com um motor 2.4 litros de quatro cilindros a gasolina, de até 174 cv, ou um 3.5 V6 de 278 cv.

Preços do Kia Sorento em 2010

Sorento EX S.253 2.4 4×2 com 5 lugares: R$ 96.900
Sorento EX S.357 2.4 4×2 com 7 lugares: R$ 115.900
Sorento EX S.457 2.4 4×4 com 7 lugares: R$ 120.900
Sorento EX S.559 3.5 4×2 com 7 lugares: R$ 119.900
Sorento EX S.659 3.5 4×4 com 7 lugares: R$ 124.900

Nova central multimídia com GPS integrado em 2012

Em maio de 2012, o Kia Sorento de segunda geração recebeu um novo sistema multimídia, dotado de navegador GPS integrado, CD e MP3 player, entradas USB e para iPod, tela sensível ao toque, Bluetooth com comandos no volante, câmera de ré, calculadora e conversor de unidades.

Este novo recurso foi ofertado na configuração com motor 3.5 V6 a gasolina, câmbio automático, tração 4×4 e interior para sete ocupantes.

O Kia Sorento dotado da nova central multimídia partia de R$ 130,9 mil.

Mudanças visuais em 2013

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

A segunda geração do Kia Sorento passou por suas primeiras mudanças visuais em maio de 2013.

Entre as novidades, o utilitário-esportivo recebeu para-choques redesenhados, faróis e lanternas traseiras com novo layout interno e iluminação em LED, grade frontal com novo formato, novas rodas de liga-leve, central multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas, novo teto solar panorâmico e novos detalhes de acabamento no interior.

Na ocasião, o Sorento 2014 foi ofertado com preço de R$ 109.900 para o modelo com motor 2.4 litros, podendo atingir os R$ 149.900 na configuração topo de linha dotada de um propulsor 3.5 V6.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Entre os principais equipamentos, o SUV entregava sete lugares, seis airbags, freios ABS, controles de estabilidade e tração, piloto automático, faróis de xênon, sistema de som com Bluetooth e navegador GPS, teto solar elétrico, entre outros.

Estreia da terceira geração em 2015

Em setembro de 2015 foi a vez da estreia da terceira geração do Kia Sorento.

O modelo evoluiu e passou a dispor de um visual alinhado com os lançamentos mais recentes da Kia Motors, além de um interior mais amplo e refinado, novos recursos de entretenimento, conforto e segurança, carroceria mais rígida para oferecer maior segurança e um novo motor 3.3 V6.

Por a partir de R$ 183,9 mil, o carro oferecia um propulsor capaz de entregar até 270 cavalos de potência, atrelado a um câmbio automático de seis velocidades com opção de troca sequencial e sistema de condução eco drive, sport e normal.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Retorno do modelo EX com motor 2.4 e novo visual em 2018

A primeira novidade da linha 2018 do Kia Sorento foi anunciada em janeiro.

O carro voltou a ofertar a versão de entrada EX com motor 2.4 litros de quatro cilindros, capaz de entregar 172 cavalos de potência máxima e 22,5 kgfm de torque máximo, combinado a um câmbio automático de seis marchas e tração 4×2.

“O modelo foi vendido no país até 2015, mas, durante o Inovar-Auto, optamos por reduzir o número de versões de toda a nossa linha de veículos por uma questão estratégica”, revelou o diretor de vendas da Kia Motors na época, Ary Jorge Ribeiro.

“Agora, esta versão retorna ao Brasil com visual renovado, incorporando as novidades do novo Sorento recém-lançado no exterior”.

O carro passou a dispor ainda de um visual retocado, com direito a novos faróis, para-choques dianteiro e traseiro redesenhado e nova ponteira de escape. O Kia Sorento EX partia de R$ 166.990.

Novas versões com tração AWD em 2018

Já em maio de 2018, o Kia Sorento recebeu a opção de tração integral AWD para os modelos 2.4 e 3.5 V6. Esta nova configuração podia ser encontrada nas revendas por a partir de R$ 169.990.

Kia Sorento – versões

Kia Sorento S.152: equipado com seis airbags, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, ar-condicionado digital de duas zonas com saída de ar traseira, chave presencial, partida por botão, computador de bordo no painel de instrumentos, console central com descansa-braço, porta-objetos e porta-copos, descansa-braço no banco traseiro com porta-copos, indicador de marchas, piloto automático, sistema de som com 4 alto-falantes e dois tweeters e volante ajustável em altura e profundidade.

Há ainda vidros com sistema antiesmagamento, maçanetas externas cromadas, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, luzes de posição em LED, retrovisores externos com rebatimento elétrico e setas em LED, rodas aro 18, seletor de modos de condução, central multimídia com tela de sete polegadas, Android Auto e Apple CarPlay, sete lugares, acabamento interno em couro, retrovisor interno eletrocrômico, Isofix, banco do motorista e do passageiro com ajustes manuais,  entre outros.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Kia Sorento S.172: itens do modelo anterior, mais tração AWD.

Kia Sorento S.254: agrega motor V6 com câmbio de oito marchas, banco do motorista com ajustes elétricos, faróis e lanternas em LED, rodas de 19 polegadas, teto solar duplo panorâmico, seletor de modos de condução com modo Smart,, sistema Auto Hold, entre outros.

Kia Sorento S.275: traz tração AWD, tampa do porta-malas com abertura elétrica por aproximação, banco do passageiro com ajustes elétricos, assistente de tráfego, detector de ponto cego, entre outros.

Kia Sorento – preços

  • Kia Sorento EX 2.5 Diesel MT AWD: de R$ 42.600 (2006) a R$ 47.784 (2009)
  • Kia Sorento EX 2.5 Diesel AT AWD: de R$ 41.458 (2004) a R$ 50.584 (2009)
  • Kia Sorento EX 3.5 V6 AT AWD: de R$ 33.070 (2003) a R$ 37.858 (2006)
  • Kia Sorento EX 3.8 V6 AT AWD: de R$ 37.898 (2006) a R$ 41.887 (2009)
  • Kia Sorento LX 2.5 Diesel MT AWD: de R$ 37.134 (2005) a R$ 38.830 (2006)
  • Kia Sorento LX 2.5 Diesel AT AWD: de R$ 39.160 (2005) a R$ 40.920 (2006)
  • Kia Sorento 2.4 AT: de R$ 57.508 (2011) a R$ 146.404 (2018)
  • Kia Sorento 2.4 AT AWD: de R$ 58.376 (2011) a R$ 155.404 (2018)
  • Kia Sorento 3.3 V6 AT: de R$ 143.854 (2015) a R$ 191.499 (2018)
  • Kia Sorento 3.5 V6 AT: de R$ 60.315 (2011) a R$ 179.302 (2018)
  • Kia Sorento 3.5 V6 AT AWD: de R$ 65.585 (2010) a R$ 194.600 (2018)
  • Kia Sorento S.152 2.4 AT: R$ 159.990 (0 km)
  • Kia Sorento S.172 2.4 AT AWD: R$ 169.990 (0 km)
  • Kia Sorento S.254 3.5 V6 AT: R$ 199.990 (0 km)
  • Kia Sorento S.275 3.5 V6 AT AWD: R$ 218.990 (0 km)

(valores com base na tabela Fipe em julho de 2018)

Kia Sorento – motor, câmbio e desempenho

O Sorento dispõe de uma vasta gama de motores, que variam conforme o ano e versão.

Os primeiros exemplares do Kia foram importados com um motor 3.5 V6, capaz de desenvolver 197 cavalos de potência, a 5.500 rpm, e 30,1 kgfm de torque, a 3.000 rpm, acoplado a um câmbio automático de quatro marchas e tração nas quatro rodas.

Com este aparato, o carro conseguia acelerar de 0 a 100 km/h em 12 segundos e atingir velocidade máxima de 185 km/h.

Logo depois o SUV ganhou a opção do motor 2.5 litros turbodiesel de quatro cilindros, que entregava até 140 cv, a 3.800 rpm, e 32 kgfm, a 2.000 rpm, atrelado a uma transmissão automática de quatro marchas e tração nas quatro rodas.

Ele era capaz de atingir os 100 km/h em 15 segundos e velocidade máxima de 162 km/h.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Em 2007, o Kia recebeu um motor 3.8 V6 a gasolina, com câmbio automático de cinco relações e tração integral.

Esta unidade entregava potência máxima de 267 cavalos, a 6.000 rpm, e torque máximo de 36 kgfm, a 4.500 rpm. Ele acelerava de 0 a 100 km/h em 9 segundos e alcançava máxima de 190 km/h.

Já em 2008, a primeira geração do Kia Sorento passou a dispor de um 2.5 turbodiesel mais moderno, agora com até 170 cv, a 3.800 rpm, e 40 kgfm, a 2.000 rpm, combinado a um novo câmbio automático de cinco velocidades e tração nas quatro rodas.

Com ele, o SUV passou a acelerar de 0 a 100 km/h em 12,3 segundos. A velocidade máxima era limitada a 182 km/h.

A segunda geração do Kia Sorento estreou com um motor 2.4 litros de quatro cilindros a gasolina, com até 174 cavalos de potência, 6.000 rpm, e 23 kgfm de torque, a 3.750 rpm.

Junto a ele estava uma transmissão automática de seis marchas e tração dianteira ou integral.

O Kia conseguia alcançar os 100 km/h em 12,6 segundos e velocidade máxima de 181 km/h.

Ele ofereceu ainda a opção do 3.5 V6 a gasolina, com potência máxima de 278 cavalos, a 6.300 rpm, e torque máximo de 34,2 kgfm, a 5.000 rpm, combinado a um câmbio automático de seis velocidades e tração nas quatro rodas.

Segundo dados informados pela marca, com este conjunto o Kia Sorento acelerava de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos. A velocidade máxima era de 190 km/h.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

A terceira e atual geração do Kia Sorento estreou há dois anos com um novo motor 3.3 V6 a gasolina, que desenvolvia potência máxima de 270 cv, a 6.400 rpm, e torque máximo de 32,4 kgfm, a 5.300 rpm.

Ele traz ainda um câmbio de seis marchas e tração dianteira.

O Sorento 3.3 V6 2016 alcança os 100 km/h em 8,5 segundos e velocidade máxima de 200 km/h.

Na linha 2018, o modelo dispõe do mesmo 2.4 litros de quatro cilindros a gasolina, agora com 172 cv, a 6.000 rpm, e 22,5 kgfm, a 4.000 rpm, com câmbio automático de seis marchas e tração dianteira ou nas quatro rodas.

Este modelo vai de 0 a 100 km/h em 11,5 segundos e alcança 188 km/h.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Há também o 3.5 V6 a gasolina.

Este propulsor consegue desenvolver 280 cavalos de potência, a 6.300 rpm, e 33,6 kgfm de torque, a 5.000 rpm, e está combinado a uma transmissão automática de oito velocidades e sistema de tração nas quatro rodas.

O atual Sorento mais forte da linha acelera até os 100 quilômetros por hora em 8,5 segundos. Já a velocidade máxima é de 200 km/h.

Kia Sorento – consumo

Kia Sorento 3.5 V6 AT AWD 2004
4,7 km/l na cidade e 7 km/l na estrada

Kia Sorento 2.5 Diesel AT AWD 2005
8,6 km/l na cidade e 10,3 km/l na estrada

Kia Sorento 3.8 V6 AT AWD 2008
4,3 km/l na cidade e 5,9 km/l na estrada

Kia Sorento 2.5 Diesel AT AWD 2009
6,8 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada

Kia Sorento 2.4 AT AWD 2011
6,8 km/l na cidade e 8,2 km/l na estrada

Kia Sorento 3.5 V6 AT AWD 2014
6,3 km/l na cidade e 7,7 km/l na estrada

Kia Sorento 3.3 V6 AT 2016
7,2 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada

Kia Sorento 2.4 AT AWD 2018
7,5 km/l na cidade e 9,8 km/l na estrada

Kia Sorento 3.5 V6 AT 2018
7,2 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada

Kia Sorento – manutenção e revisões

Conforme consta no site brasileiro da Kia Motors, o Sorento 2018 e Sorento 2019 contam com pelo menos três revisões a preço fixo.

Os modelos dispõem de garantia de cinco anos ou 100 mil quilômetros rodados.

No caso do Kia Sorento 2.4, a primeira revisão a 10 mil km inclui a substituição do filtro de óleo, anel bujão e óleo ACEA C3 5W30, com mão de obra gratuita, e custa R$ 248,25.

Já a segunda, a 20 mil km, inclui ainda a troca de filtro de ar e do filtro de ar-condicionado, com mão de obra por R$ 330, totalizando R$ 934,33.

Por fim, a terceira revisão segue o padrão da primeira, mas com mão de obra por R$ 300, chegando a R$ 548,25.

No caso do Kia Sorento 3.5 V6 2018 e Kia Sorento 3.5 V6 2019, as revisões incluem os mesmos itens do modelo 2.4 e são realizadas nos mesmos intervalos.

A revisão de 10 mil sai por R$ 343,13, enquanto a de 20 mil km custa R$ 1.029,21 e a de 30 mil km, R$ 643,13.

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)

Kia Sorento – ficha técnica

Motor

2.4

Tipo

Dianteiro, transversal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm³

2.359

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Eletrônica sequencial

Potência Máxima

172 cv a 6.000 rpm

Torque Máximo

22,5 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de seis velocidades

Tração

Tipo

Dianteira ou integral

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco sólido (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, multi-link

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 18 polegadas

Pneus

235/60 R18

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.800

Largura (mm)

1.890

Altura (mm)

1.690

Distância entre os eixos (mm)

2.780

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

547

Tanque (litros)

71

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.870

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,333

 

Motor

3.5 V6

Tipo

Dianteiro, transversal e monocombustível (gasolina)

Número de cilindros

6 cilindros em “V”

Cilindrada em cm³

3.470

Válvulas

24

Taxa de compressão

10,6:1

Injeção eletrônica de combustível

Eletrônica sequencial

Potência Máxima

280 cv a 6.300 rpm

Torque Máximo

33,6 kgfm a 5.000 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de oito velocidades

Tração

Tipo

Dianteira ou integral

Freios

Tipo

Disco ventilado (dianteira) e disco ventilado (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Traseira

Independente, multi-link

Rodas e Pneus

Rodas

Rodas de liga-leve de 19 polegadas

Pneus

235/55 R19

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.800

Largura (mm)

1.890

Altura (mm)

1.690

Distância entre os eixos (mm)

2.780

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

514

Tanque (litros)

71

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.943

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,333

Kia Sorento – galeria de fotos

Kia Sorento: preços, motores, consumo, equipamentos (e detalhes)
Nota média 3.7 de 3 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Fanjos

    Esse é o carro que quase faz mais litros por km do que km por litro

    • Luis Burro

      Pra mim esta é a principal diferença das coreanas pras outras mais antigas.A carroceria e acabamento até podem estar no nível,mas a motorização ainda está um pouco atrás.Msma coisa deve ser as chinesas,vão alcançar bem mais rápido a qualidade e acabamento do q na mecânica.

  • Paulino Lino

    A última geração é espetacularmente linda! Já tive experiência em dirigir o carro e é muito bom e atende bem em retomadas e subidas. Único problema é o consumo ( na minha opinião, um carro desse volume precisa ter motorização a diesel)….. porque na gasolina haja bolso.

  • Lucas Guimaraes

    Quando aluguei um Sorento 2.4 nos EUA já foi doído manter a gasolina (3,80 dólares – 3,5l na California), imagina manter ele por aqui…

  • REDDINGTON

    A traseira mais bonita pra mim é o de 2013. A atual é muito sem sal.

    • Thiago

      Que coisa… Eu já prefiro a traseira do 2012 que a do 2013. Apesar de ser ofuscante, acho as lanternas da traseira 2010-2012 com mais personalidade do que a que a sucedeu.

      • REDDINGTON

        Meu compadre tem uma V6 2012…a gás mas tem kkkkk

        • Thiago

          Esse motor de 2010 a 2012 (o primeiro 3.5), que é o do carro do seu compadre, é um canhão. Bebe, mas o carro na estrada é uma delícia de acelerar, melhor que o 3.3 que o sucedeu. O pessoal fala que é um absurdo o consumo, não concordo muito. Tive uma 2011 que se você controlasse o pé fazia 10 na estrada. Para o porte do carro e cilindrada do motor, não acho um absurdo não. Já tive 4 cilindros que não se sai muito melhor.

          • REDDINGTON

            Olha, nunca tive então não posso falar de consumo, mas ele trouxe de Ribeirão Preto aqui pra SC, andou 110 120 fez 7.5. Na cidade 4.5, ficou um mês com o carro e pôs o GNV. Muito bem acabado pelo ano do carro, com o GNV ele perdeu uma parte considerável do porta-malas e os 2 bancos extras. Como ele viaja MUITO pouco EU teria comprado o mais simples mesmo, SEM colocar gás. Mas vai de cada um. Gás em carro meu não entra.

            • Thiago

              7,5 realmente está bebendo muito! A minha nunca fez só isso na estrada, acho que convinha ele dar uma olhada nas velas e outros componentes que influenciam o consumo. E eu viajei bastante com ela. ..Tenho um colega de trabalho que ainda possui uma 3.5 V6 2012 4×4 e, segundo ele, fez 9,5-10 há poucos dias, viajando entre SC e RS. Ou seja, muito parecido com o que eu conseguia. Agora, colocar gás e ainda por cima inutilizar os 2 lugares extras, haja coragem, acho que ele terá dificuldades em vender (talvez retirando o kit).

              • REDDINGTON

                O carro era de um promotor de justiça, entregou na Toyota e pegou uma SW4 SRX. Ele trocou emails com ele, disse que o carro estava ótimo, sem histórico de batidas etc. Tinha todas as revisões na Kia, único dono e 8 mil abaixo da FIPE na Toyota. Ai ele saiu daqui pra pegar esse carro lá. Ir de SC até o RS dependendo de onde vc for é tudo reta, se for sentido Gramado vai pegar uma serra considerável até. Sei por que fiz o percurso em janeiro desse ano. Cara kit GNV é um atrativo acredita!! Quando vc anuncia que tem rapidinho vende rs rs. O uso de GNV aqui em SC é normal, muita gente tem.

                • Thiago

                  Sim, essa média realmente é em estrada que hoje é boa (BR101-SC/RS). Quanto ao GNV, questionei mais a inutilização dos dois assentos extras, vejo que muita gente compra a Santa Fé, Sorento e Journey justamente em razão dessa possibilidade… Mas como diz um amigo meu vendedor, cada sapato tem seu pé, sempre acha alguém para quem aquele carro serve :)

    • Luis Burro

      Vdd,elas tem um estilo mais ousado nas lanternas ao menos,agora tá muito genérica.
      Das atuais só curto aquelas q parecem retrô,o problema é q praticamente todas estão parecidas.😅

  • Bruno Silva

    Esse carro na versão 2.4 de hoje, poderia usar o motor 1.6 GDI do New Tucson com câmbio de dupla embreagem, iria ter um desempenho ótimo e na faixa dos 160mil se tornaria um forte oponente.

  • Chico Mineiro

    Viiixeee…Bebe mais que eu…. E como detesto concorrência esse não compro…

  • Gorpo de Etérnia

    Alguém sabe realmente qual o consumo aproximado desse carro na versão 2.4??

  • Marcelo Amorim

    O carro teve versão diesel desde o início das vendas aqui no país,nao somente em 2008 como dito na matéria.

  • TFSI

    Eu tenho uma sorento 2018/19 com motor diesel. Motor 2.2 de 200cv. Muito muito silencioso, sem vibração e muito econômico. Esse carro vem com um cambio de 8 marchas. Estou muito satisfeito com o carro. Algumas perguntas que tenho sobre ele seria: Por que que ao invés de vir com motor 2.4 16v ele não vem com um motor 2.0 turbo de 240cv do optima sx? Poderia reduzir a potencia desse mesmo 2.0t para 200cv na versão básica e a versão top deixar com 270 cv. Que era a potencia do optima sx quando começou a usar esse motor. depois do primeiro facelift reduziram a potencia para 240cv. Agora, por que não oferecem no Brasil o motor 2.2 Diesel?

  • ESouza

    Caramba.. que matéria comprida..

  • afonso200

    em 2003 era muita grana, tanto que uma Fielder AT 2005 top custava 85mil reais o que deve dar uns 190mil reais hoje

  • afonso200

    já tive uma Mohave V8 gasolina, por 6 meses… isso sim era SUV

    • Celio

      Tenho uma 2013 Diesel, 256 cv e 56 kgfm. Visual datado, mas como você disse, isso sim é SUV! Trocaria por um Sorento, mas só se tivesse opção a diesel.

  • Luis Burro

    Bonito desde a primeira geração,pra mim ainda está na segunda com várias reestilizações!
    Ele até parecia uma versão alongada do Sportage no começo da segunda.

  • Giovani Martins

    Tenho uma, excelente carro e o consumo está dentro do aceitável. Esse lance de carro a diesel já era! Pagar 15,20% a mais não justifica o preço na bomba. O diesel está caro e a autonomia em relação a gasolina não tem quase diferença.

    • Celio

      Depende. Pra quem não viaja muito, realmente não compensa pagar tanto a mais pelo diesel. No meu caso que ando muito (em torno de 40 a 60 mil por ano em estradas) só trocaria minha Mohave a diesel por outro modelo do mesmo combustível.

      • Giovani Martins

        Celio, faço em torno de 50.000 por ano, onde moro o diesel está R$ 0,40 centavos a menos que a Gasolina. Não vejo vantagem…
        Respeito a sua opinião, mas não compensa no meu ponto de vista.

    • Diego Carvalho Godinho

      A minha 2008 era a Diesel e fazia 14km/l na pista. Como não compensa?

      • Giovani Martins

        Diego, quantos CV’s tem a sua 2008?
        A minha 2011 tem 174 cv e a 120Km/h faz uma média de 09 a 10 km/l… Depende muito o peso que estou levando dentro do carro…
        Como mencionei acima para o Célio, na minha região Norte de SC, o preço do diesel é quase igual. Não vejo vantagem quando encho o tanque.

  • Mauro Banqueiro

    Conheço o Sorento desde a época que era SUV de verdade. Chassis de picape.
    Diesel, 4×4 com reduzida e tudo.
    Agora ele faz um off-road nas rampas dos shoppings só

    • Diego Carvalho Godinho

      A melhor versão é a 2008. Tive uma e falo com tranqulidade, SUV pau pra toda obra. Só não dava para encarar trilhas mais pesadas por causa da frente que era um pouco mais baixa que o normal (talvez pela estabildiade a engenharia deixou assim). Mas dava para brincar bastante na terra e o carro aguentava rindo.

  • Diego Carvalho Godinho

    A melhor versão, em termos de motor e câmbio, é a 2008. Motor a diesel espetacular, torque muito bom e pau para toda obra. Se não fosse a frente baixa, essa versão daria muitos problemas para SUV maiores e fora-de-estrada. O carro se sai bem em estradas off-road, mas não da para arriscar muito por causa de sua frente baixa que inviabiliza a condução em alguns trajetos. Fora isso da para, além de ir pro trabalho, curtir bastante na terra também.

    Adquiri uma Sorento 2008 em 2010 e infelizmente precisei vender, foram 8 anos só de alegrias (se manter as revisões preventivas em dia, que não é tão caro), curioso porque quando comecei a anunciar que estava vendendo muita gente nem sabia da existência da versão à Diesel, somente grupos de jipeiros onde alguns compram essas versões e fazem inúmeras adaptações e deixam o carro monstruoso, um amigo meu que comprou uma antes de mim foi para o Chile ida e volta e ainda passou pela Argentina para “brincar” na neve. Enfim, se alguem estiver pensando em um SUV a Diesel, a versão 2008 com certeza vale a pena.

  • Marquinho Silva

    Muitos querem que SUV faça 15/16 km/l, para gente, isso é uma SUV se querem carro econômico comprem 1.0, não da pra uma SUV fazer o mesma km/l que 1.0, pobre querendo ter carro de rico não dá mesmo.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email