C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

O Citroën C4 Cactus 2021 chega ao mercado nacional com proposta de ser o principal produto da marca para o segmento de SUV, ocupando o lugar do Aircross, que continua a ser vendido, mas na base de entrada.


Assim, com preços a partir de R$ 94.990, o modelo é vendido no Brasil sendo feito em Porto Real – RJ.

Feito sobre a plataforma PF1, a mesma do Citroen C3 e do Aircross, o Citroën C4 Cactus 2021 tem porte compacto com 4,17 m e 2,60 m de entre-eixos, oferecendo 320 litros no porta-malas.

Oferecido nas versões Live, Feel e Shine, além da série especial C-Series, o modelo tem cinco configurações de conteúdo, duas opções de motor e sempre com transmissão automática.

Na mecânica, o Citroën C4 Cactus 2021 vem com motor 1.6 VTi com a até 122 cv no manual e 118 cv no automático, que tem seis marchas e quatro modos. O 1.6 THP de até 173 cv, que vai 0 a 100 km/h em 7,3 segundos (com etanol) e tem máxima de 212 km/h.

Com ângulos de entrada e saída de 22° e 32°, respectivamente, ele tem altura livre do solo de 22,5 cm e calibração para enfrentar a dureza de nossas estradas com e sem pavimento.

O mix de vendas do crossover nas principais versões será de 25% na Feel Auto, 20% na Feel Pack e 20% na Shine THP.

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

Bem equipado, o crossover da marca francesa traz ao segmento sistemas de segurança ativa, tais como frenagem automática de emergência, alerta de mudança de faixa, alerta de colisão, detector de fadiga e aviso de descanso.

Além disso, na versão Shine, que tem motor 1.6 THP, o C4 Cactus 2021 traz o sistema Grip Control, que é um controle com modos de condução em terrenos de baixa aderência.

O Citroën C4 Cactus também traz multimídia com Android Auto e CarPlay, bem como painel digital, ar-condicionado automático, bancos em couro, rodas de liga leve aro 17 polegadas, faróis de neblina com função curva, assistente de partida em rampa, controle de estabilidade, controle de tração e assistente de partida em rampa.

Em termos de entretenimento, o Cactus 2021 também traz o sistema de som Arkamys Hi-Fi com Bluetooth, além de ser equipado com câmera de ré, sensor de chuva, sensor crepuscular, retrovisor eletrocrômico, sensor de pressão dos pneus, controle de cruzeiro com limitador, entrada sem chave e partida por botão.

Citroën C4 Cactus – nossa avaliação (evento de lançamento)

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

Ao volante, o Citroën C4 Cactus também teve pontos altos e baixos, mas pendendo muito mais para os primeiros.

Com direção elétrica extremamente, porém, progressiva, o crossover passa a impressão de ter menos que o peso declarado, ainda mais quando se começa a acelerar o 1.6 THP Flex, que tem 166 cavalos na gasolina e 173 cavalos no etanol.

Forte e casado com o câmbio Aisin de seis marchas, o propulsor impulsiona bem o Citroën C4 Cactus, rapidamente elevando o giro, mas em proporção desigual ao percebido ao volante.

Ou seja, mesmo que ele vá até 3.000 rpm, ele acelera vigorosamente mais rápido que isso, atingindo rapidamente 100 km/h. Oficialmente, o faz em 7,3 segundos.

Sem comentários quanto à capacidade do mesmo, o motor é (muito) mais do que suficiente para atender o Citroën C4 Cactus no que lhe for imposto.

Retomadas e desacelerações são muito boas, especialmente no modo Sport, mas mesmo no Eco, não se intimida na hora de responder. Basicamente o primeiro dobra a rotação, enquanto o segundo atenua 1/3.

No Drive, o câmbio sempre mantém o motor em no máximo 2.000 rpm, chegando mesmo a 1.500 rpm na estrada, mas com isso, uma incômoda ressonância com fortes graves no escape invade o habitáculo de trás para frente.

Usando o modo manual, consegue-se manter o motor um pouco mais cheio e com ruído adequado. Rodando a 110 km/h, ele mantém 2.000 rpm.

Em termos de dirigibilidade, o carro está sempre na mão com uma direção gostosa, mas a suspensão tem calibração muito macia e, apesar de absorver razoavelmente as imperfeições do solo, acaba tornando-o muito suscetível a oscilações indesejáveis.

Nas curvas, apesar disso, mantém-se até que bem, sem grandes inclinações, graças à largura maior e altura menor que o padrão.

Na terra, ele desenvolve muito bem, mas é preciso saber usar os modos de terreno para que a condição do local não afete a performance e a segurança do veículo. Os freios cumprem bem seu papel, tornando a condução mais ágil em situações que exigem sempre o pedal esquerdo.

Nesse primeiro contato, o Citroën C4 Cactus foi bem no que lhe foi proposto.

Citroën C4 Cactus 2021 – Detalhes

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

O Citroën C4 Cactus 2021 “brasileiro” – assim como na Europa – mede 4,170 m de comprimento, 1,714 m de largura, 1,534 ou 1,563 m de altura e 2,600 m de entre-eixos.

Pesando de 1.135 kg a 1.225 kg, o crossover tem 320 litros no porta-malas e mais 55 no tanque de combustível.

Na mecânica, o Citroën C4 Cactus 2021 tem o motor 1.6 16V VTi com 115 cavalos na gasolina e 118 ou 122 cavalos, respectivamente nas versões automática de seis marchas ou manual de cinco velocidades.

Na primeira opção, o torque é de 16,1 kgfm tanto na gasolina quanto no etanol, enquanto o segundo tem 15,5/16,4 kgfm, respectivamente.

Nas opções mais completas, o Citroën C4 Cactus 2021 tem ainda o 1.6 THP Flex com 166 cavalos na gasolina e 173 cavalos no etanol, além de 24,5 kgfm nos dois combustíveis. Ou seja, sem segredos quanto à motorização, já usada em outros modelos da marca.

O Citroën C4 Cactus 2021 é um crossover acima de tudo. Não se pode dizer que tenha o estilo de SUV, mas como atende as normas do Inmetro para obter a classificação de utilitário esportivo (tem ângulos de entrada e saída com 22°/32° e 22,5 cm de vão livre), ele é considerado pela montadora como tal.

Ainda assim, apesar de parecer ter um porte como do Nissan Kicks ou Hyundai Creta, o crossover da marca francesa em realidade é menor. Essa impressão se deve ao teto baixo e área envidraça reduzida em relação aos concorrentes.

Isso torna-o mais longo visualmente e, como tem frente bem arredondada e traseira truncada, o conjunto acaba enganando nesse aspecto, o que é bom para o produto.

O capô é curto e as luzes diurnas são em LED e cumprem sua função, segundo a Citroën. Também apresenta um conjunto ótico simples, com farol monoparabola e pisca integrados.

A grade com o duplo chevron é interessante em termos de estilo, assim como a grade centralizada e os faróis de neblina emoldurados com cores do teto, por exemplo. O aspecto do para-choque é parrudo.

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

O mesmo em relação ao traseiro, que torna o conjunto mais robusto visualmente. As lanternas duplas em LED com efeito 3D foram uma solução boa para preencher o enorme vazio do modelo anterior, o europeu. Mais interessante, porém, é o logotipo novo da Citroën, com fundo preto, que destaca bem a marca.

Os retrovisores tem bom tamanho e os Airbumps chamam pouca atenção. Já as rodas de liga leve estão em harmonia com o conjunto.

A mescla de cores é sim, um dos grandes atrativos do Citroën C4 Cactus 2021, que reúne 14 combinações com tetos coloridos, assim como espelhos, molduras e batentes laterais, mas as maçanetas são em preto brilhante. Não tem teto solar e isso não parece fazer falta, exceto na versão completa, que tem um preço bem mais alto.

Por dentro, esqueça o europeu. O ambiente é novo e exclusivo para a região, trazendo um cluster digital monocromático que é “suficiente” para as pretensões do crossover.

O volante tem boa empunhadura e úteis comandos de mídia e telefonia, mas o piloto automático ainda é na coluna. A multimídia tem tela de 7 polegadas e apresenta todas as funcionalidade de forma clara e objetiva. Android Auto e CarPlay são bem-vindos. Câmera de ré tem boa visualização e não é difícil acionar os itens de segurança do carro pela tela.

Nela, os modos de piso do Grip Control também são apresentados, enquanto logo abaixo existem alguns comandos físicos de climatização.

Botão de partida é um plus no Cactus Shine, assim como o Grip Control e uma tomada de 12V. O porta-copos é bom e o console tem bom acabamento em preto brilhante e alavanca estilizada com seletor em escada. Modos Eco e Sport se apresentam. Um pequeno porta-trecos fica entre os bancos e o porta-luvas tem espaço mediano, diferente de outros compactos da Citroën.

As portas apresentam bom aspecto, mas possuem plásticos duros texturizados e forração parcial em tecido. O painel tem uma barra horizontal com material soft, mas a tonalidade cinza não agradou muito.

Os bancos são diferentes do europeu, mais altos e “cheios” para ampliar o ambiente e segurar melhor o corpo.

O espaço interno é bom, especialmente atrás, tanto em altura como em largura e espaço para pernas. Já o porta-malas de 320 litros é pouco para um SUV e ainda possui vão reduzido por causa da tampa menor, que não vai até perto do assoalho.

No geral, com exceção de alguns detalhes pontuais, o ambiente do Citroën C4 Cactus agradou.

Veja aqui tudo sobre o C4 Cactus PCD.

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

Citroën C4 Cactus 2021 – novidades

Presente no mercado brasileiro desde 2018, o C4 Cactus 2021 apresentou novidades interessantes para dar um novo fôlego nesse segmento tão concorrido.

A primeira delas foi a redução de sua gama de versões, que agora tem apenas os modelos automáticos. As duas opções com câmbio manual não representavam tanto nas vendas, por isso a Citroën decidiu tirá-las de cena. Isso provocou um aumento de seu preço inicial, que subiu em cerca de R$ 15 mil.

Outra novidade para o modelo foi a chegada da série especial C-Series, limitada a apenas 300 unidades. Ele foi baseada na configuração Feel automática, mas tem o motor 1.6 aspirado e não traz nenhum equipamento novo.

As mudanças são apenas visuais, incluindo retrovisores, molduras dos faróis de neblina e airbumps com acabamento em vermelho, rodas de 17 polegadas, teto e barras flutuantes em preto  e tapetes personalizados no interior.

Além de tudo isso, o mercado brasileiro aguarda pela chegada do novo Citroën C4 Cactus, que já foi lançado na Europa. Aliás, o nome deverá mudar, já que no Velho Continente ele se chama apenas C4 e deixa de ser um SUV para assumir a carroceria de um crossover-cupê.

O resultado final é bem agradável no exterior, como costumam ser os modelos europeus da marca. A frente ficou mais agressiva com seus faróis rebaixados para dar lugar a duas linhas em LED na parte superior. A traseira mudou ainda mais, tendo lanternas horizontais e um estilo bem cupê.

O interior foi mais discreto em suas mudanças, adotando um painel verdadeiramente digital, diferente do modelo brasileiro. E em termos de mecânica, o novo Citroën C4 tem versões a gasolina, diesel e uma opção elétrica na Europa.

Aqui no Brasil sua chegada ainda não foi confirmada, mas deve ocorrer. O problema é que isso vai demorar, já que o seu primo Peugeot 2008 vai se renovar antes.

Citroën C4 Cactus 2021 – Versões

  • C4 Cactus Live Auto 1.6 AT 2021
  • C4 Cactus C-Series 1.6 AT 2021
  • C4 Cactus Feel 1.6 AT 2021
  • C4 Cactus Feel Pack 1.6 AT 2021
  • C4 Cactus Shine Pack 1.6 THP AT 2021

Citroën C4 Cactus 2021 – Equipamentos

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

Citroën C4 Cactus Live Auto 2021 – Motor 1.6 de até 122 cavalos e câmbio automático de seis marchas.

ITENS DE SÉRIE: Luz diurna em LED, Lanterna traseira em LED com efeito 3D, Isofix e top tether (fixação cadeiras de criança), Central multimídia touchscreen de 7″ com conectividade Android Auto e Apple Carplay, Câmera de ré, Câmbio sequencial de 6 marchas com modos sport e eco, Painel de instrumentos 100% digital, Rodas de aço 16″ com calotas, Vidros elétricos dianteiros e traseiros (com função one touch), Barras de teto longitudinais e integradas ao teto, Controle de tração e estabilidade (ESP), Assistente de partida em rampa (Hill Assist), Regulador e limitador de velocidade, Alarme perimétrico, Volante com regulagem de altura e profundidade, 2 alto falantes dianteiros e 2 tweeters, entre outros.

CORES: Vermelho Aden (R$ 0), Preto Perla Nera (R$ 0), Branco Banquise (R$ 700), Cinza Grafito (R$ 1.400) e Cinza Aluminium (R$ 1.400).

Citroën C4 Cactus Série Especial C-Series 2021 – Motor 1.6 de até 122 cavalos e câmbio automático de seis marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens acima + Retrovisor Personalizado, Emblema C-Series na tampa traseira, Emblema C-Series nas portas dianteiras, Tapetes em carpete personalizados, entre outros.

OPCIONAIS:

  • Pack Security (R$ 1.188): Sensor de Estacionamento, Alarme Volumétrico e Auxílio de Estacionamento Tilt-down.

CORES: Cinza Grafito + Teto Preto (R$ 0) e Branco Banquise + Teto Preto (R$ 0).

Citroën C4 Cactus Feel 2021 – Motor 1.6 de até 122 cavalos e câmbio automático de seis marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens da Live Auto + Faróis de neblina, Sensor de pressão dos pneus, 2 alto falantes traseiros, capa do retrovisor, moldura do farol de neblina e airbumps com pintura brilhante, Rodas de liga leve de 17 polegadas, entre outros.

OPCIONAIS:

  • Pack Plus (R$ 999): Capas de Retrovisores Cromados, Jogo de Frisos Laterais, Organizador de Porta-malas com Velcro, Porta Objeto / Cinzeiro e Antena Curta Esportiva.
  • Pack Security (R$ 1.314): Sensor de Estacionamento, Alarme Volumétrico e Auxílio de Estacionamento Tilt-down.
  • Pack Tech (R$ 3.255): Sensor de estacionamento traseiro, Alarme Volumétrico, Auxilio de Estacionamento Tilt down, Barras de Teto Flutuantes e Jogo de Tapetes em Carpete.
  • Pack Voyage (R$ 3.590): Barras de Teto Flutuantes, Barras de Teto Transversais e Porta Bike Thule Freeride.

CORES: Vermelho Aden (R$ 0), Preto Perla Nera (R$ 0), Branco Banquise (R$ 700), Cinza Grafito (R$ 1.400) e Cinza Aluminium (R$ 1.400).

Citroën C4 Cactus Feel Pack 2021 – Motor 1.6 de até 122 cavalos e câmbio automático de seis marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens acima + 4 airbags, Chave presencial, Acendimento automático dos faróis, Partida sem chave, Ar-condicionado digital automático, Sensor de chuva, Volante em couro, Acabamento interno em cinza, Maçanetas das portas com pintura brilhante, Barras de teto diferenciadas, Rodas de liga leve de 17 polegadas diamantadas, entre outros.

OPCIONAIS:

  • Pack Plus (R$ 999): Capas de Retrovisores Cromados, Jogo de Frisos Laterais, Organizador de Porta-malas com Velcro, Porta Objeto / Cinzeiro e Antena Curta Esportiva.
  • Pack Security (R$ 1.188): Sensor de Estacionamento, Alarme Volumétrico e Auxílio de Estacionamento Tilt-down.
  • Pack Tech (R$ 1.358): Sensor de estacionamento traseiro, Protetor do Cárter em Aço, Auxilio de Estacionamento Tilt down e Jogo de Tapetes em Carpete.
  • Pack Voyage (R$ 1.819): Barras de Teto Flutuantes e Porta Bike Thule Freeride.

CORES: Vermelho Aden (R$ 0), Preto Perla Nera (R$ 0), Preto Perla + Teto Branco (R$ 1.000), Vermelho Aden + Teto Preto (R$ 1.000), Cinza Grafito (R$ 1.400), Cinza Aluminium (R$ 1.400), Branco Nacré (R$ 1.800), Cinza Grafito + Teto Preto (R$ 2.400), Cinza Aluminium + Teto Preto (R$ 2.400) e Branco Nacré + Teto Preto (R$ 2.800).

Citroën C4 Cactus Shine Pack 2021 – Motor 1.6 THP de até 173 cv e câmbio automático de seis marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens acima + 6 airbags, Grip Control, Retrovisor interno eletrocrômico, Citroën Advanced Drive (Alerta de saída de faixa, Alerta de atenção ao condutor, Indicador de descanso, Sistema de Frenagem Automática e Alerta de Colisão), Bancos em couro, entre outros.

OPCIONAIS:

  • Pack Plus (R$ 999): Capas de Retrovisores Cromados, Jogo de Frisos Laterais, Organizador de Porta-malas com Velcro, Porta Objeto / Cinzeiro e Antena Curta Esportiva.
  • Pack Security (R$ 1.188): Sensor de Estacionamento, Alarme Volumétrico e Auxílio de Estacionamento Tilt-down.
  • Pack Tech (R$ 1.358): Sensor de estacionamento traseiro, Protetor do Cárter em Aço, Auxilio de Estacionamento Tilt down e Jogo de Tapetes em Carpete.
  • Pack Voyage (R$ 1.819): Barras de Teto Flutuantes e Porta Bike Thule Freeride.

CORES: Preto Perla Nera (R$ 0), Preto Perla + Teto Branco (R$ 1.000), Cinza Grafito (R$ 1.400), Cinza Aluminium (R$ 1.400), Branco Nacré (R$ 1.800), Cinza Grafito + Teto Preto (R$ 2.400), Cinza Aluminium + Teto Preto (R$ 2.400) e Branco Nacré + Teto Preto (R$ 2.800).

Citroën C4 Cactus 2021 – Preços

  • C4 Cactus Live Auto 1.6 AT 2021 – R$ 94.990
  • C4 Cactus C-Series 1.6 AT 2021 – R$ 99.990
  • C4 Cactus Feel 1.6 AT 2021 – R$ 101.990
  • C4 Cactus Feel Pack 1.6 AT 2021 – R$ 105.990
  • C4 Cactus Shine Pack 1.6 THP AT 2021 – R$ 120.990

Citroën C4 Cactus 2021 – Motor e desempenho

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

A linha do Citroën C4 Cactus 2021 é composta por dois motores, sendo que o primeiro é usado na maioria das versões. Esse é o 1.6 aspirado de 115 cv ou 118 cv a 5.750 rpm e sempre 16,1 kgfm de torque a 4.750 rpm.

Ele sempre é associado ao câmbio Aisin automático de seis marchas, com conversor de torque, já que o câmbio manual foi retirado de linha pela baixa procura. É um conjunto interessante e que cumpre de forma razoável sua proposta, mas não entrega um desempenho acima da média. Nesse aspecto temos que levar em conta que o C4 Cactus 2021 pesa por volta de 1.200 kg.

Com essa dupla, que equipa 4 das 5 versões disponíveis, o francês acelera de 0 a 100 km/h em 12 segundos e chega aos 190 km/h de velocidade máxima, o que são números dentro do esperado para a categoria.

Mas a opção mais interessante do SUV realmente é o motor 1.6 THP, que oferece ótimos 166/173 cv a 6.000 rpm e 24,5 kgfm de torque a 1.400 rpm, uma rotação bem baixa e que demonstra como a força do propulsor está sempre presente.

Com o mesmo câmbio automático de seis marchas, a condução do C4 Cactus THP 2021 é bem mais prazerosa, e seu desempenho é mais interessante. A aceleração até os 100 km/h diminui para 7,3 segundos e sua máxima pula para 212 km/h. Sem nenhuma indicação no exterior, você terá um utilitário bem mais apimentado.

Citroën C4 Cactus 2021 – Consumo

C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)

Confira abaixo os números de consumo de cada versão do modelo francês, e note a diferença entre as versões convencionais e a topo de linha com motor turbo.

Consumo urbano:

  • C4 Cactus 1.6 AT – 7,3 km/l com etanol e 10,4 km/l com gasolina
  • C4 Cactus 1.6 THP AT – 7,2 km/l com etanol e 10,4 km/l com gasolina

Consumo rodoviário:

  • C4 Cactus 1.6 AT – 9,1 km/l com etanol e 13 km/l com gasolina
  • C4 Cactus 1.6 THP AT – 8,9 km/l com etanol e 12,6 km/l com gasolina

Citroën C4 Cactus 2021 – Manutenção e revisão

Os veículos da Citroën tem garantia de 3 anos ou 100.000 km (o que ocorrer primeiro), mas para isso as revisões devem ser feitas de acordo com as regras do fabricante. Tais paradas são indicadas a cada 10.000 km ou 12 meses, o que ocorrer primeiro.

Elas podem ser divididas em até 4 vezes e tem diferença de valor entre os modelos aspirados ou a opção THP. Confira:

Revisão

Custo

Custo

Quilometragem

Preços 1.6 aspirado

Preços 1.6 THP

10.000 km

R$ 486

R$ 595

20.000 km

R$ 851

R$ 980

30.000 km

R$ 486

R$ 595

40.000 km

R$ 1.146

R$ 1.400

50.000 km

R$ 486

R$ 595

60.000 km

R$ 851

R$ 980

Citroën C4 Cactus 2021 – Ficha técnica

Motor

1.6

1.6 THP

Tipo

Dianteiro, transversal e flex

Dianteiro, transversal, turbo e flex

Número de cilindros

4 em linha

4 em linha

Cilindrada em cm3

1587

1598

Válvulas

16

16

Taxa de compressão

12,5:1

10,2:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Direta

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 115 cv @ 5750 rpm

Etanol: 118 @ 5750 rpm

Gasolina: 166 cv @ 6000 rpm

Etanol: 173 @ 6000 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 16,1 kgfm @ 4750 rpm

Etanol: 16,1 kgfm @ 4750 rpm

Gasolina: 24,5 kgfm @ 1400 rpm

Etanol: 24,5 kgfm @ 1400 rpm

Transmissão

Tipo

Automática 6 marchas

Automática 6 marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Sólido

Direção

Tipo

Elétrica

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Aço aro 16 ou Liga leve aro 17

Liga Leve aro 17

Pneus

205/60 R16 ou 205/55 R17

205/55 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4170

4170

Largura sem retrovisores (mm)

1714

1714

Altura (mm)

1534

1563

Distância entre os eixos (mm)

2600

2600

Capacidades

Porta-malas (litros)

320

320

Tanque (litros)

55

55

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

350

350

Peso em ordem de marcha (kg)

1204

1214

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

ND

Citroën C4 Cactus 2021 – Fotos

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

150 comentários em “C4 Cactus 2021: preços, versões, equipamento, motor (e detalhes)”

    • esse carro é daora e anda bem outra coisa a maioria dos que avaliam carros elogiando o C4 cactus e povo aqui do noticias automotiva que “entende bastante” falando mal…. ta de zuera viu

      • Se tivesse um H ou um T na grade, todo mundo estaria pagando pau, brasileiro é assim, sempre aquela história: “Ah, o filho do vizinho do meu cunhado teve um Citroen em 1998 e só dava problema….” A grande maioria nem entrou num pra saber…

          • Também tive um Citröen 2014 com o thp e tive dois problemas, ambos arrumados fora da garantia pela Citroen no bairro do limão (SP) sem custo. A revenda realmente é bem inferior ao de um civic ou um corolla, mas não muito distante do resto do segmento. Teria outro se a desvalorização não fosse tão acentuada, o carro em si era muito bom.

          • Que falta de sorte amigo, ja tive GM, Hyundai e Ford, hj estou com um 308 THP, tive problemas com todos, mas nada que me fizesse abominar nenhuma das marcar, o pior foi um problema de cambio com um ford que foi resolvido rapidamente pela css, o 308 deu problema na suspensão que tambem foi resolvido tranquilamente pela css, em termos de dirigibilidade o 308 me trouxe mais satisfação, a casadinha THP e aisin é uma das melhores do BR (em parte pela qualidade do conjunto, mas em parte tambem por negligencia das outras marcas, exceto pelo TSI) futuramente a ideia é adquirir um golf gti.

        • Tive carros de várias marcas (Chevrolet, VW, Fiat, Ford, Toyota, Honda, Volvo, KIA…), e a única que não voltaria a ter é a Peugeot. Tive (e estou tendo) muitos problemas com meu 308 THP 2017. Eu não ligo muito pra “fama” de marca X ou Y, mas sim pela experiência própria. Mas tenho alguns amigos próximos que também tiveram problema com Peugeot… e eu paguei pra ver e me dei mal… rsrs…

          • Também já tive GM, Ford, VW e os únicos que apresentaram problemas mais sérios foram um KA e um Focus que tive… Por isso, experiência por experiência, eu tô no 3º Peugeot (206 francês no começo dos anos 2000, 408 em 2011 e agora um 2008), nunca tive nada sério a ponto de execrar a marca

            • Falha no motor com 500kms rodados e era uma peça mal encaixada, troquei vedação da porta pois entrava vento, problema no vidro elétrico das duas portas dianteiras sendo que fui umas 5 vezes lá até resolverem… estragaram um sensor de temperatura numa revisão… enfim… só problema.

    • Esse cluster digital, além de ser monocromático, um estagiário faria melhor, fora o fato de que o dono precisa ver isso toda vez que for sair com o carro. Economia porca que faz parecer um produto barato. Fizeram a mesma coisa com o C4, que não vende nada.

  1. Uma curiosidade muio curiosa rs. Olhando atentamente para a roda, dá para notar que o desenho possui, digamos, 4 grandes “meio círculos” (não sei como descrever isso”). Mas eu sempre sou enganado à primeira vista e observo na verdade 4 raios que possuem cada um pequenas aberturas. Ou seja, meu cérebro sempre focaliza as partes mais juntas como se fosse um raio, mas na verdade as partes mais separadas é que formam o raio. Acontece com outros carros. Quem mais tem essa impressão??

  2. Já não tinha curtido muito o carrinho, com as fotos então que não é pra mim de vez. Achei ele bem bocó, sem graça. O THP deve ser maravilhoso de dirigir, mas só pelo motor mesmo, porque de resto parece bem pobre. Só aguardando a PSA lançar um 2008 baseado no 3008 que foi um dos carros mais bonitos e atraentes que vi dela nos últimos tempos para aí sim ela despontar nos SUVs de shopping.

  3. Conta-giros digital por barras é o erro. Mas tirando isso e o fato dos painéis de porta serem simples demais, achei o carro mais bem resolvido (ou menos estranho) que o modelo europeu.
    E vamos parar de chamar qualquer coisa de SUV, vai. Isso é um hatch médio aventureiro.

  4. 1) Esse controle de tração (é isso msm?) alone embaixo é muito feio!
    2) Gostei do modo manual, o “+” (marcha pra cima) puxando faz mais sentido que empurrando.

  5. E a Citroen me coloca o mesmo visor digital do C4 Lounge. Quer colocar na familia? Precisa de muitas melhorias para chegar perto.

    E a solução de dois lugares na frente, tira toda a graça e versatilidade do produto que é pequeno. Enfim… é um carro que com certeza não me trouxe qualquer interesse.

  6. Acho a imprensa muito antipática com o carro. É maior que o Ecosport, que sempre fez sucesso. Tem porta malas maior do que o Renegade tinha (e fez sucesso mesmo assim), o espaço interno é bom (já era no Aircross). O motor é o com maior torque da categoria e o segundo mais potente. O motor da versão de entrada é bom e confiável. É caro como todo carro no Brasil, mas não entendo a rejeição inicial ao produto. Não deve fazer sucesso, por causa da marca (infelizmente), mas é um carro bonito e melhor em diversos aspectos que alguns concorrentes.

  7. Bonitinho o carro…..Se for na cidade…OK!
    Achai estranho o comentario:
    “Na terra, ele desenvolve muito bem, mas é preciso saber usar os modos de terreno para que a condição do local não afete a performance e a segurança do veículo”

    Que positividade e esse? Esse carro nem 4×4 existe…… Somente SUV de cidade (Nao vejo nada de novidade)
    Imagine:
    Eu num carro desse, na estrada de terra… Chovendo mesmo e criou lama no meio do caminho, será que vou conseguir passar com esse “modo de terreno”…95% chance de agarrar (independente da intensidade da lama)… Nesse caso a tração traseira consegue se melhor… (fora o 4×4)
    deixa contar 1 historinha curta:
    Em junho de 2009, eu estava no PG 307 AT4 Feline, sai da festa local e fui embora p/ casa que estava chovendo d+!
    No meio do caminho eu errei e resolvi seguir em frente que era de estrada de terra….
    Andando começou a engrossar a chuva mesmo (parecia temporal!), comecei a preocupar pois estava de 307 que era traçao dianteira (Ate a moto estava com medo de tanta lama)
    Consegui enfrentar a estrada de terra com muita lama com sucesso (Usando AT1)…. (Sou jipeiro e exato que estou fazendo sabiamente)
    Fim

    Como eu tenho 2 4×4 (Viagens e outro e somente de trilhas)
    Pode chover d+ que estou desbravando nas estradas brasileiras ruins!

    • ele tem o ar de aventureiro mais isso não aplica quem comprar não vai fazer isso…. o carro será mais pra cidade assim como quem compra ranger, amarok e esses suvs maiores e não sai dos bairros de rico onde mora…. as vezes pega uma estrada para viajar… mais o carro é bacana

      • concordo………….
        Maiores SUV sao usados em shopping ou viagem curtas que nem exploram bem o carro
        Do que adianta gastar uns milhares de reais e nao usar todo recurso que o carro oferece (p/ mim e desperdicio de din din), pois tem que usar tudo que o carro gosta e feito p/ ser usado

  8. Achei o custo x benefício interessante. Vejamos:

    As versões intermediárias, que geralmente são as mais procuradas, se concentram entre 73k e 84k e são bem equipadas. Na concorrência, essa faixa fica sempre acima dos 90k. Nas versões topo, se considerarmos tabela por tabela, consegue-se hoje um Cactus THP, a preço de HRV EX, Creta Pulse ou Kicks SV (Pack). Na pior das hipóteses, o preço está condizente com a proposta do carro. Não que ele seja barato, mas está alinhado com o mercado. Soma-se a isso o fato da PSA ser boa na negociação. Em alguns meses será fácil encontrar a versão THP na faixa dos 90k.

    Mesmo a versão de entrada, que tem os seus consumidores, está abaixo da linha dos 70k e já com alguns intens como CMM por exemplo.

    Estética é subjetiva. Só o espaço não deve atender a todos, mas até aí Renegade, Tracker e Ecosport também não são grandes e vendem relativamente bem.

    Se o Brasileiro quiser dar uma chance a PSA, está aí o seu melhor modelo nessa faixa de preço (na minha opnião). Eu já tive 3 modelos da marca e não tenho o que reclamar, tanto na manutenção, quanto na revenda. Se houver oportunidade de troca no futuro, o Cactus entrará na minha lista sem dúvidas.

    • eu posso dizer com toda certeza o carro é bem interessante e melhor que alguns suvs por ai e a versão de entrada fico na duvida se teria alguma relação com o stepway… porque os preços são os mesmos praticamente mais sem duvida é um bom carro quem fala mal é apenas inveja ou algo do tipo porque não tem sentido.

    • Se a PSA quisesse dar uma chance a si mesma, não traria esse carro com anos de atraso, muito menos nesse preço.
      Por esse preço já tem muitos nomes renomados no mercado, no qual a PSA não tem condições de brigar.

    • Achei que o a feel pack é que a tem melhor custo benefício, já que vem com ESP e os airbags laterais, daqui uns 3/4 anos vou tentar pegar um shine thp seminovo

  9. Bom que já vem com vara de pescar (antena longa) e pranchas de ski (barras no teto)! Os forros de porta, com esse visual, parecem ter aspecto de carro pré-produção, quando o forro de porta ainda não possui o acabamento definitivo. E o velocímetro parece com o do Kadett GSi/Monza Classic, uma espécie de Active Info Display “de pobre”.
    É um carro que na Europa não é e nem foi pensado para ser SUV, ou algo parecido, mas no Brasil, teve altura de suspensão aumentada e barras colocadas no teto para parecer ou se passar por um. Acho ridículo isso! Mas se até Kwid aqui é “SUV”, fazer o que, né?
    Outra coisa é que será preciso desembolsar 95k para ter um motor decente. E a Citroën está muito “otimista” (para não dizer outra coisa), ao anunciar o mesmo tempo de 0-100 do DS3 para este carro, mais pesado e menos aerodinâmico.
    Quanto à beleza, achei feio. Mas isso é subjetivo.
    Gostaria de saber sobre os equipamentos de segurança da versão de entrada.
    Para quem não se importa com uma maior desvalorização, segue o jogo!

  10. Na minha opinião o destaque vai para o design do carro, tanto exterior quanto interior, que é bonito e para o motor 1.6 THP, que deve sobrar nesse carro. Pontos negativos são porta-malas pequeno em relação aos concorrentes e painel, que parece ter sido requentado do C4 Pallas, só mudando o fundo. Em pleno 2018 trazer um painel assim é um tapa na nossa cara. Melhor deixar com ponteiro analógico.

      • Que regrediu no painel na última atualização, em um corte de custos da Citroen deixou de ter um painel circular muito bonito pra uma versão diferenciada do painel do c4 pallas dos anos 2000 e pouco

      • Sim, mas olhe bem. É um painel monocromático, igual ao C4 Pallas. No Lounge só mudaram o fundo e fizeram adição de alguns ícones, mas é igual a um celular antigo. Muito defasada essa tecnologia já, não tem por que empregar um negócio desses num carro em pleno 2018 se não for em função de economia.

  11. Gostei muito do veículo, pode não atrair alguns, mas o custo benefício é inegável… com os 84 mil da Feel Pack você não compra nada que chegue perto do cactus.

  12. Fiquei com a sensação de que isso é um C3 reestilizado que tenta concorrer com o Golf – algo que obviamente não faz sentido quando se nota que o consumidor médio quer carro (bem) alto. Ele tem praticamente a mesma largura do C3, é apenas 4 cm mais alto e 17 cm mais longo. Teria sido melhor a Citroen colocar uma suspensão de Suzuki Jimny no C3 para melhorar as vendas.

  13. Eu não gosto nos dias atuais esse veículos com bordas largas nas portas. Todos fabricantes já deveriam ter aderido ao design de bordas finas nas janelas, como por exemplo o VW Polo e vários outros carros Premium.

    • Eu também reparo muito nesse quesito, isso denuncia por exemplo que o Argo é um carro de baixo custo…
      Mas no caso específico do Cactus, o desenho do carro disfarça bem essas bordas, eu não deixaria de comprar por causa disso.

  14. O porta malas parece do monza, com a tampa abrindo so a parte de cima, estranho para os dias de hoje. O painel tem aparencia de estar datado, e design muito rebuscado, mas ótimos preços e uma boa pedida para quem gosta de carro diferentão

  15. Ao menos tiraram os polêmicos airbumps que cobriam 50% da porta. Acredito que o carro tenha chance, mas tudo irá depender da própria citroen, que já deveria há tempos ter uma parcela mais significativa no mercado, tendo em vista o seu tempo no mercado nacional.

  16. gostei, é o único crossover que compraria justamente para não ser parecido muito com um, tende mais para um hatch
    o interior também me agradou, melhor que do europeu que nem contagiros tem

  17. Agora vai! Só que não! Esses preços de lançamento com pacotes “completinhos” duram só no primeiro ano. Depois enfiam a fórmula de menos por mais (ou seja, tiram itens e aumentam os preços).

    Esse painel ficou uma puta gambiarra com essa CMM e esse cluster digital (igual no C4 Lounge novo). Não deve vender muito, talvez o público feminino goste (mini-SUV com ar de “exclusividade”). Ó, Deus… onde isso vai parar?

  18. controle de cruzeiro de alavanquinha !!!!! …. como perde oportunidade ! cheio de espaço no volante ao alcance do dedão ! justo um dos itens que mais dou atenção ( por que o uso diariamente (e na cidade) ) . já esta dispensado …

    mais uma vez: sr. jornalistas perguntem pra alguém da citroen cade o PRINCIPAL ITEM DIFERENCIAL DESTE CARRO o “Progressive Hydraulic Cushion (PHC) ” !!!

    • Pra que trazer isso se o preço ultrapassaria os 120 paus?? e ainda iam reclamar do valor da manutenção, sem contar os mexânicos “especializados” que só sabem mexer em Uno e Gol

  19. Estilo dos carros da Citroen, seja externo e principalmente interno no painel, caso do Cactus, causam um certo estranhamento no início, mas acho que é questão de costume mesmo.

  20. Desde que andei em um desses na França sempre achei esse interior muito bizarro, extremamente “simplista”, acredito que tentaram fazer alguma coisa minimalista, mas não conseguiram, parece que falta alguma coisa, não passa uma sensação de conforto. Na minha humilde opnião consegue ser pior que os interiores da GM, nunca gostei deles.

  21. Por tudo que já vi, é até possível que venda bem, considerando que parte de um valor razoável para o segmento. Porém, as versões interessantes são as mais caras, e as mais caras mantém várias deficiências da versão mais barata.
    Por exemplo, pagar 100 mil num carro que nem luz interna no porta-luvas tem? No meu carro, que paguei 50 mil há 3 anos, já vinha isso… Entre outras economias bestas.

  22. ” apesar de parecer ter um porte como do Nissan Kicks ou Hyundai Creta, o crossover da marca francesa em realidade é menor “. ESSE VAI SER SEU MAIOR EMPECILHO DE VENDAS NA MINHA OPINIÃO, AO LADO DO PREÇO.

  23. Bom ter mais um concorrente para esse segmento concorrido. Com essa mecânica mais moderna vai acelerar o plano dos concorrentes Kicks, Creta, HR-V e Renegade para trazerem motores turbo também. Lá fora eles já tem esses motores disponíveis.

  24. Porque todas as montadoras tem os preços iguais dos seus veículos? Nenhuma montadora consegue baixar o valor de seu veículo para realizar uma concorrência e baixar os preços. Essa malandragem de tirar algo e dizer que é mais barato já deveria estar ultrapassada.

  25. Altura livre do solo.
    1) Jeep Renegade Trailhawk – 212 mm
    2) Renault Captur – 212 mm
    3) Renault Duster – 210 mm
    4) Honda WR-V – 207 mm
    5) Ford EcoSport – 200 mm
    6) JAC T5 – 200 mm
    7) Nissan Kicks – 200 mm
    8) Peugeot 2008 – 200 mm
    9) Hyundai Creta – 190 mm
    10) Chery Tiggo 2 – 186 mm

  26. A Fiat Toro tem um “size impression” dos mais agradáveis aos olhos, com otimas proporções entre altura largura e comprimento, de modo que muitas vezes só conseguimos ter noção de que é bem menor do que uma picape média, ao lado de uma. Ao contrário da Oroch, que de imediato causa estranheza, por ser larga, mas ter uma “carroceria” baixa. Por isso preciso ver esse Cactus pessoalmente, para ter a real noção do seu tamanho, pois pelas fotos, sem uma referência, não consigo vê-lo como um carro de porte tão menor que os outros SUVs, como suas medidas indicam ser.

  27. O C3 Cacuts é mais arrendondado , não tem como confundir na rua. É o mesmo que confundir um Gol com o Polo. Pra quem não gosta de carro é parecido, mas pros entusiastas dá pra ver a diferença à distância.

    A minha opinião foi construída vendo o c4 cactus na rua ao lado de outro veículos, na Holanda, durante 15 dias em junho de 2018.

    É um carro pequeno, do tamanho do 2008, tanto que compartilham plataforma.

    Quando ele começar a circular nas ruas do Brasil .

    Olha essa foto dele perto de um Fox, parece que o Fox é bem maior!

    http(:)/(/)(www)(.)autossegredos(.)com(.)br/wp-content/uploads/2018/06/flagra-citroens-c4-cactus-shine-1.6-2.jpg

  28. Povo daqui é bem exigente em, tanto a imprensa quanto os leitores. O mundo todo falando bem do carro, só aqui vi tantas críticas. Na minha opinião (que não significa nada também) o carro está excelente em relação ao mercado. Nenhum crossover oferece o que o Cactus tem, pelo preço dele, principalmente para o mercado PCD. Motor THP sensacional, que deu desempenho de premium custando metade, motor 1.6 das versões de entrada é bom e confiável e equipamentos a perder de vista. Tá, o porta-malas é pequeno?! Sim, mas nada que mate o carro (vide Renegade) e a maioria nem usa tanta mala assim, o carro parece mais um hatch bombado e altinho, sim, mas quem classificou ele como SUV foi o Inmetro, então menos mimimi. Os preços estão na base da concorrência e ponto. Tem tudo pra vender bem.

  29. É bonito.
    Um Citroen com toda cara de “Citroen”. Pena estar carente da “engenharia Citroen”, suas soluções técnicas criativas e avançadas, pois tirando a “cara”, o que sobra é só mais um suve compacto comum. Mas, quem sabe isso seja explicado pela necessidade de sobrevivência da marca no mercado local, que é antiquado, conservador e relaxado com manutenção.

  30. Brasil y Porto Real ARRUINANDO un citroen una vez mas. El tablero y el interior europeo, es mucho mejor, mas refinado, con la pantalla multimedia en mejor posicion, y de mas calidad. Brasil solo debia tocar la ventanilla trasera, pero bueno, ya arruinaron el interior del viejo c3 y ahora arruinan al C4 Cactus II. Ademas no tiene techo vidrio, ni se plegan los espejos, ni tiene asientos calefaccionados, la tapiceria y materiales de los asientos son muy inferiores al europeo, los amort. hidraulicos progresivos tampoco estan. Resumiendo. MAMARRACHO.

  31. Achei o carro C4 CACTUS (que nome esquisito, heim?) muito interessante, com um design que foge bastante ao convencional asiático. É um carro cuja aparência não impressiona tanto à primeira vista, mas à medida que a gente o analisa melhor começa a ficar mais interessante. Verdade. É uma compra para se pensar no modelo automático THP, apesar do preço irreal e desvalorização na revenda. Só gostaria de saber se tem tração nas quatro rodas, porque imagino que para ter um bom desempenho no quesito “Controle de Estabilidade” a tração traseira também deve ser atuante. Aguardo complemento a essa minha dúvida.

Deixe um comentário