Esportivos Europa Híbridos Porsche Sedãs

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Considerado como o primeiro sedan esportivo dentro da gama Porsche, o Porsche Panamera, veio para quebrar paradigmas, regras e conceitos.

Mas sua história, assim como tantas outras, não se inicia apenas com o conceito Porsche 989 de 1988, que você vê nas duas fotos abaixo. Ele basicamente era um 911 esticado e com 4 portas. Ela vem bem antes, quando um revendedor de San Antonio no Texas decidiu fazer um avô do Panamera.


Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Natal de 1967, Texas

Graças a William J Dick Jr, vendedor da loja Porsche Cars Southwest, que fica em San Antonio no Texas, que pudemos ter um vislumbre de como poderia ser um sedan da Porsche.

Segundo relatos, ele sempre pedia a matriz da marca que fizessem um modelo familiar na base do Porsche 911, mas como a matriz nunca deu ouvidos, ele decidiu procurar a empresa Troutman-Barnes, de Los Angeles, uma transformação sobre o 911 S.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

O resultado? Um entre eixos 53 centímetros mais longo, duas portas com abertura do tipo suicida e dois bancos individuais para os passageiros que iriam no banco de trás. No porta-malas, revestimento de madeira, para dar aquele luxo.

O modelo em questão foi dado para a esposa de William no natal de 1967.

Porsche 928

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Não tem como falarmos do Porsche Panamera sem antes mencionar seu “antecessor” por assim dizer, o famoso Porsche 928.

Concebido para ser o substituto do célebre 911, o 928 misturava elementos de sedan e de um esportivo, que lhe renderam a fama de ser considerado o “pai” do Porsche Panamera e pode ser considerado o primeiro “grand tourer de luxo” da Porsche.

Fabricado entre 1978 e 1995, ele foi o primeiro Porsche a usar um motor V8 em posição dianteira. Seu design, a princípio não agradou aos puristas, mas eles não podiam negar que o modelo tinha sim seu carisma e soluções inteligentes para carregar passageiros e bagagem.

Ele era categorizado como um “2+2” dois adultos na frente e no máximo duas crianças atrás, pois como seu teto era curvo e tinha um caimento abrupto, era difícil que adultos viajassem com algum conforto.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Querida, cheguei

Como falamos acima, o Porsche Panamera não foi o primeiro modelo de quatro portas da marca. O próprio 928 teve uma variante que é considerada como o pai do Panamera.

A versão apresentada em 1987, foi um conceito que segundo a Porsche, era um “Estudo de Viabilidade”, uma vez que o modelo era dotado de quatro portas, mas suas portas traseiras eram esguias e muito estreitas – a Fiat Strada Cabine Dupla, manda abraços – fora que eram do tipo suicida.

A ideia a princípio era ter de fato um grand tourer de luxo com quatro portas, mas o conceito acabou por não ir adiante e os puristas deram graças a Deus.

Porsche C88

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

O ano é 1994, e surge um projeto para um novo carro familiar, desta vez, voltado para o mercado Chinês. As apostas eram altas, afinal ninguém queria perder a oportunidade de ser a primeira a ganhar uma licitação com o governo.

Eis que então, após 4 meses – o que é um tempo muito curto para se desenvolver um carro do zero – a Porsche apresenta o C88. Um pequeno sedan familiar, de aparência simples e elegante para a época.

Em nada lembrava os modelos da casa de Stuttgart.

Visual agradável – para o início dos anos 90, diga-se de passagem – o modelo não tinha nenhum logo que identificasse como um Porsche. Não há registros de motorização, mas sabe-se que o modelo comportava 4 pessoas – e ainda vinha com uma cadeirinha de bebê instalada no banco traseiro – e suas bagagens com conforto.

Mas ainda assim, não foi dessa vez que a Porsche emplacaria um modelo de quatro portas em larga escala. O governo Chinês ficou muito grato pela ideia, e simplesmente levou o projeto. Pode-se dizer que todos os veículos fabricados naquele ano eram variações do Porsche C88.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Primeira geração do Porsche Panamera: 2009 – 2013

Com o sucesso repentino do Cayenne (que ficou mais moderno em 2018), lançado em 2002, a Porsche estava confiante que um novo modelo, agora na versão sedan, e com design inspirado no 911, faria sucesso.

A questão maior ficou por conta do estilo, que fez com que os mais puristas que já havia torcido o nariz para o Cayenne anos antes, agora tinham que lidar com uma versão sedan do 911. Para tentar amenizar as coisas com esse grupo, a Porsche colocou no Porsche Panamera os melhores aspectos do 911, acrescido de duas portas extras e espaço para bagagem.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Considerado pela marca como um sedan de luxo executivo, o Porsche Panamera, em sua primeira geração conta com um design bem característico ao da família 911, com seus traços sinuosos e para-lamas musculosos.

A grande proximidade com o 911 não se limita só no design, o aspecto esportivo como estar mais perto do chão, está presente também no Porsche Panamera. Com cerca de 1800 quilos, o sedan usa motores V6 ou V8 para poder levar com conforto e esportividade, seus passageiros.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Apresentado pela primeira vez no Salão do Automóvel de Xangai em 2009, o Porsche Panamera chegava aos consumidores em abril do mesmo ano, em três versões diferentes.

São elas o Porsche Panamera S, Panamera 4S e Panamera Turbo, todas equipadas com motores V8. Em 2010, a Porsche apresenta o Panamera S e o 4S agora com motor V6 de 3.0 litro ou 3.6 litros, com potência na casa dos 300 cavalos e 40,79 kgfm de torque.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

O motor V6 era uma derivação do V8, ele mantinha as mesmas tecnologias do V8, como a Injeção Direta de Combustível.

Além disso tem ajuste do comando de válvulas de admissão variável com VarioCam Plus, bomba de óleo sob demanda, resfriamento com água gerencial, um coletor de admissão variável, bem como lubrificação por cárter seco integrada com extração de óleo em dois estágios e uma função Auto Start-Stop (somente com a transmissão PDK).

A versão Turbo usa aerodinâmica ativa com um spoiler traseiro ajustável em vários estágios. Os pacotes opcionais do Sports Chrono incluem um botão Sport Plus, que tem amortecedores e suspensões pneumáticas mais apertadas, e abaixa o corpo do carro em 25 mm.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Em 2011, o Porsche Panamera ganha novos membros na família, são elas: Panamera S Hybrid, Diesel, Turbo S e GTS.

Os modelos S, Híbrido e o movido à Diesel contam com a tração traseira, enquanto os modelos 4, 4S e GTS mantem o mesmo sistema de tração integral das versões Turbo e Turbo S, chamado Porsche Traction Management (PTM).

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Ele também contava com o auxílio da suspensão pneumática Adaptive , o Controle de Chassi Dinâmico Porsche (PDCC), barras estabilizadoras ativas  e o Porsche Active Suspension Management (PASM).

O Porsche Panamera se valia também dá até então nova transmissão PDK da sua conterrânea ZF com 7 velocidades. A transmissão equipava os modelos 4, 4S, e Turbo, ainda podia vir com a adição do pacote opcional de crono sport, que proporcionava tempos de aceleração mais rápidos.

Em alguns mercados, um câmbio manual de 6 velocidades estava disponível para as versões a gasolina com tração nas rodas traseiras do Porsche Panamera. Os modelos S Hybrid e Diesel possuíam uma transmissão automática de oito velocidades Aisin – chamada Tiptronic S.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Porsche Panamera Turbo S

O motor do Porsche Panamera Turbo S apresenta turbo alimentadores maiores que o V8 de 4,8 litros padrão do Panamera Turbo, bem como injeção de combustível de alta pressão e pistões de liga de alumínio. Os anéis do pistão são revestidos em uma superfície de baixo atrito para ajudar a obter ainda mais desempenho.

O Porsche Panamera Turbo S acelera a 100 km/h em 3,8 segundos com o controle de lançamento ativado. A aceleração roll-on é impressionante, pois as mudanças na caixa de câmbio PDK, permitem mudanças de marcha mais rápidas, e a suposta economia de combustível de 27.7mpg não é pior que a do Panamera Turbo, com menos potência.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Porsche Panamera S Hybrid

Foi em 2008, a Porsche anunciou o desenvolvimento de um sistema híbrido paralelo para o Panamera, e em fevereiro de 2011, a Porsche apresentou o Panamera S Hybrid.

Usando o mesmo powertrain emprestado do Cayenne S Hybrid – um motor V6 supercharged de 3.0 litros com motor Audi produzindo 333 cavalos, juntamente com um motor elétrico avaliado em 47 cavalos, assim como a transmissão Tiptronic S de 8 marchas do Cayenne – o Panamera S Hybrid de 380 cavalos acelera de 0a100 em 6 segundos.

O Porsche Panamera S Hybrid produz apenas 193 gramas de dióxido de carbono por quilômetro, tornando-o o carro mais ecologicamente correto da gama Porsche, enquanto ainda mantém uma velocidade máxima de 270 km/h limitado eletronicamente.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Porsche Panamera Diesel

O Porsche Panamera Diesel foi lançado em maio de 2011.

O sedan utiliza o mesmo motor de origem Audi, sendo ele um 3.0 litro V6, que também é usado no Cayenne Diesel, que em si era uma transmissão atualizada de um motor existente. O motor tinha uma potência de 250 cavalos.

O Porsche Panamera com motor diesel foi capaz de acelerar de 0a100 em 6,8 segundos e teve uma velocidade máxima 242 km/h limitado eletronicamente. Foi também o mais econômico Porsche na gama atual, consumindo apenas 6,3 litros por 100 km.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Facelift de 2013

A Porsche anunciou sua primeira atualização de estilo para o Panamera atualizado em 3 de abril de 2013, com um lançamento mundial durante o Salão do Automóvel de Xangai.

O sedan ganhou novos para-choques dianteiros e traseiros. As mudanças técnicas incluíram a adição de um novo motor de 3.0 litros para o Panamera S, com duplo turbo compressor e um novo modelo E-Hybrid.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Uma versão de entre eixos mais longa, com um adicional de 150 mm, estava disponível para os mercados de condução à esquerda. As versões de entre eixos maiores estavam disponíveis apenas nos modelos 4S, Turbo e Turbo S.

Ainda no mesmo ano, a Porsche apresenta o modelo do tipo híbrido plug-in, do Panamera S, com a versão E-Hybrid. A versão plug-in foi apresentada no Salão Automóvel de Xangai em abril de 2013.

O S E-Hybrid é alimentado por um motor elétrico de 97 cavalos, com uma potência total do sistema de 421 cavalos. A velocidade máxima foi de 135 km/h em modo totalmente elétrico e a aceleração de 0a100 km/h, foi de 5,8 segundos.

O híbrido elétrico plug-in tinha uma bateria de íon de lítio de 9,4 kWh capaz de fornecer um alcance de mais de 32 km. A bateria pode ser totalmente carregada em aproximadamente duas horas e meia a partir de uma fonte de alimentação de 240 volts.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Segunda geração do Panamera: 2016 – Presente

Quando o Porsche Panamera foi lançado em 2009, o sedan foi recebido com muitos elogios por sua excelente dinâmica de direção, que alguns descreveram como algo mais próximo do 911 com uma condução confortável e porta-malas grande.

Mas por outro lado, o sedan alemão também fez com que muitas pessoas torcessem o nariz. Alguns argumentaram que o Panamera S não tinha esportividade necessária e característica dos Porsche, e além do que era mais voltado para o conforto, talvez um pouco demais, enquanto outros golpearam a Porsche por tornar o modelo Turbo pesado demais.

A maioria dos jornalistas também era muito crítica em relação ao visual, uma vez que consideravam o Panamera como o patinho feio da família Porsche. E, embora os alemães tivessem corrigido muitos dos problemas do sedan, tivemos que esperar mais de seis anos para que o novo Panamera, tenha a aparência quente que merece.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Todo viciado em carro, sabe que os redesign da Porsche sempre são evolutivos, e isso não é necessariamente um coisa ruim, especialmente quando se fala sobre o 911 que a cada geração fica cada vez mais belo.

E com o Porsche Panamera não é uma exceção a essa regra, mas a marca, dedicou um pouco mais de atenção e levou tudo a um bom nível de design, injetando muito mais que o olhar do 911 nele.

Seu estilo amadureceu para dar a aparência elegante que lhe faltava, e que deveria ter recebido desde o lançamento. Isso aconteceu com a chegada do modelo de segunda geração, que finalmente ostenta o design agressivo e extravagante que esperávamos de um veículo com um emblema da Porsche no capô.

E tudo isso sem sacrificar a elegância de um sedan de luxo.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Sabe o que faz da segunda geração do Panamera um sedan muito mais interessante?

Bem, a primeira coisa que chama a atenção é o fato de que o novo design o transformou em um 911 de quatro portas, e isso é bom, mesmo que sejam modelos totalmente diferentes. Não é a primeira vez que a Porsche emprestou o estilo do 911, para outros modelos, mas, desta vez, pegou todos os sinais sensuais do 911 e os jogou no Panamera.

Os faróis dianteiros, o para-choque agressivo, as lanternas traseiras finas com a faixa fina entre eles e o spoiler traseiro inferior são quase idênticos aos vistos no carro esportivo.

Além disso, a Porsche fez um excelente trabalho combinando todos esses recursos esportivos com a aparência elegante do Panamera, dando-nos um sedan de desempenho que não tem rival no departamento de aparências.

Se você queria um sedan espaçoso e luxuoso que aparecesse e funcionasse como um 911, o Panamera de segunda geração é o carro com o qual você sonhava.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Segundo a Porsche, o Panamera é “prova em quatro rodas” que a esportividade e o conforto podem vir na mesma embalagem.

O Dr. Gernot Döllner, chefe da gama de modelos Panamera, disse: “Essa diversidade é o que torna um veículo único, e foi isso que nos guiou com o novo Panamera também. No entanto, demos muitos passos corajosos e desenvolvemos não apenas novo corpo, novo trem de força e um novo chassi, mas também um veículo totalmente novo. Através de todas as mudanças, no entanto, o Panamera permanece fiel às suas concepções originais. ”

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

O interior serve como mais uma grande mudança bem-vinda, já que o interior foi muito bem trabalhado. Primeiramente, o volante que foi totalmente redesenhado e parece apresentar botões de controle por gestos nos raios esquerdo e direito.

O centro da roda é agora um pouco menor, e a parte inferior do raio está agora aberta no meio. Os raios e o centro do cubo estão contornados em cromado. O design dos painéis e assentos das portas não mudaram muito, mas as portas têm uma área de armazenamento maior.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

O console central agora possui dois porta-copos em vez de um – para o caso da sua namorada querer colocar o shake de proteína dela dentro do carro e não derramar no estofamento. À frente do apoio de braço do console central, o layout da área de comando central é bastante familiar.

Há uma série de botões e interruptores em cada lado do câmbio. Esses botões agora parecem sensíveis ao toque, e a tela do console é agora muito mais fina do que antes. Na parte central, há uma nova tela de 12 polegadas que substitui a tela menor no modelo que saí de linha.

As aberturas centrais de cada lado da tela agora são muito finas e posicionadas apenas nas bordas externas da tela. O painel de instrumentos foi retrabalhado, mas ainda apresenta o mesmo tacômetro montado no centro com os medidores circulares menores em ambos os lados.

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)

Todas as versões do Panamera podem ser equipadas com uma transmissão PDK de oito marchas com tração permanente nas quatro rodas. O último dos quais é uma característica que pode ser adquirida pela primeira vez com um diesel.

O novo PDK tem uma configuração interessante, com as primeiras seis marchas usando uma relação de esporte, e a velocidade máxima está disponível na sexta marcha. A sétima e oitava marcha tem relações mais longas e que acomodam menores rotações do motor e melhor eficiência em altas velocidades de estrada.

A Porsche diz que as mudanças de marchas precisas ocorrem em milissegundos e levam a uma interrupção zero no fluxo de potência para as rodas.

E com isso, nós tiramos o chapéu para a Porsche, que fez um ótimo trabalho em um sedan que estava precisando desesperadamente de um design exterior digno, novos motores e uma bela atualizada no interior, que o fez ser merecedor de seu distintivo!

Porsche Panamera: detalhes, versões, motores (e equipamentos)
Nota média 5 de 1 votos

  • O único problema: não tem porta-malas. Entretanto, quem é que liga para isso? A mulher do dono do carro, talvez.

  • th!nk.t4nk

    Confesso que sempre tive certo preconceito com o Panamera. Até lançarem a geração atual. Aquilo chega muito perto da perfeição pra um carro familiar. Nao só é lindo, como refinaram ao extremo o conjunto todo. Os 500 litros do porta-malas realmente parecem pouco, mas pra quem tem família pequena ainda serve. Mil vezes melhor que qualquer SUV monstrengo.

    • PEDAORM

      Perfeito. A nova geração resolveu tudo.

    • sepchampions

      Quem tem um Panamera e famifam tem outros carros, tamanho da mala não é problema

    • Creio eu que quem tem um carro nessa faixa de preço deva ter pelo menos mais um carro na garagem, até mesmo na Europa e Estados Unidos. Logo a questão do porta malas não tem muito haver, já que na situação que vc precisa de porta malas pega o outro carro. As vezes leio matérias falando do porta malas pequeno em carro conversível ou super esportivo , mas nesse caso precisando viajar com bagagem o dono deixa o conversível na garagem e vai com a SUV. É o mesmo que dizer que a Ferrari não é apropriada para estrada de terra, mas se o dono quiser pegar um estrada de terra ele simplesmente deixa a Ferrari em casa e vai com sua Porsche Cayene .

      • Veja bem: o cara muitas vezes quer usar o supercarro com a família, em viagens. Para isso, entre comprar um Panamera e um Cayenne, ele opta pela segunda opção – até porque, via de regra, as mulheres gostam de carro “mais altinho”.

  • marcos

    Carro fantástico. Pena ser proibitivo pelo preço. Mas a nova geração está fabulosa. Porsche dando aula de como se faz um carro quase perfeito.

  • Eduardo Brito

    O Panamera sem tração integral não tinha tração traseira?

  • AlbertoNeto

    Desde a primeira versão um baita carro lindo, acho que dificilmente consegue não gostar de uma jóia dessas!

  • Eduardo Zacchi

    Olha, sempre adorei o Panamera, mas os anteriores… Era um pior que o outro!!! Cada estudo bizarro que graças a Deus nunca vingaram!!!

  • Cromo

    A traseira da primeira geração era horrível, mas a melhora para a segunda foi gigante, ficou muito muito melhor. Acho q seria muito mais interessante se o Panamera viesse com motor traseiro boxer do 911, seria muito mais Porsche. Acho o mesmo do Beetle, se usasse motor traseiro boxer, talvez um powertrain light do Cayman.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email